Bolsonaro recebe Sérgio Moro após divulgação de mensagens atribuídas ao ministro

O ministro Sérgio Moro ao lado do presidente Jair Bolsonaro durante solenidade da Marinha na manhã desta terça (11) — Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

Moro e Bolsonaro, juntos, na cerimônia da Marinha, nesta segunda-feira

Guilherme Mazui
G1 — Brasília

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça, Sérgio Moro, se reuniram na manhã desta terça-feira (11) no Palácio da Alvorada. A reunião ocorreu após o site The Intercept publicar no fim de semana reportagem com mensagens atribuídas a Moro e a procuradores da Operação Lava Jato.

Segundo o site, o então juiz responsável pela Lava Jato no Paraná orientou ações e cobrou novas operações dos procuradores que atuam na operação. As conversas aconteceram no Telegram – aplicativo de mensagens.

FORA DA AGENDA – O encontro entre Bolsonaro e Moro para discutir as mensagens publicadas pelo site foi informado na segunda-feira pelo porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, mas, até a última atualização desta reportagem, não constava da agenda oficial do presidente, divulgada pelo Palácio do Planalto.

Moro comentou o caso na segunda-feira. Ele afirmou em uma entrevista coletiva em Manaus (AM) que não orientou a atuação dos procuradores, acrescentando que os trechos mencionados na reportagem, na opinião dele, não mostram prática ilegal.

“Na verdade, já me manifestei ontem, não vi nada de mais ali nas mensagens. O que há ali é uma invasão criminosa de celulares de procuradores, não é? Pra mim, isso é um fato bastante grave – ter havido essa invasão e divulgação. E, quanto ao conteúdo, no que diz respeito à minha pessoa, não vi nada de mais”, disse o ministro.

COM BOLSONARO – Ainda na segunda, o secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, disse que informou Bolsonaro sobre o vazamento no domingo (9) e voltou a conversar sobre o caso com o presidente por volta das 6h30 desta segunda.

Nos dois momentos, segundo Wajngarten, Bolsonaro repetiu a afirmação: “Nós confiamos irrestritamente no ministro Moro”.

Após o encontro no Alvorada, Bolsonaro e Moro seguiram para uma cerimônia militar da Marinha do Brasil.

MÉRITO NAVAL – Os dois chegaram juntos ao Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília, onde a Marinha realizou cerimônia militar alusiva ao 154º Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo e de imposição da Medalha da Ordem do Mérito Naval.

Moro ficou ao lado do presidente na tribuna. Ministros e outras autoridades foram agraciados com a Ordem do Mérito Naval, entre eles, o ministro Sérgio Moro e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Criada em 1934, a medalha reconhece militares da Marinha que se destacaram no exercício da profissão. A medalha também é entregue a civis e corporações, brasileiras ou estrangeiras, que prestaram serviços relevantes à Marinha. Também receberam a condecoração os seguintes ministros: Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Tereza Cristina (Agricultura), Osmar Terra (Cidadania), Henrique Mandeta (Saúde), Santos Cruz (Secretaria de Governo), Wagner Rosário (CGU), Henrique Canuto (Desenvolvimento Regional) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores).

9 thoughts on “Bolsonaro recebe Sérgio Moro após divulgação de mensagens atribuídas ao ministro

  1. Conhecer o inimigo é fundamental:

    Uma revelação para o mundo

    Um bom começo para entender a importância de Glenn não só para o jornalismo, mas para as democracias do mundo, é assistir ao filme Snowden (foto), dirigido por Oliver Stone. Além de ser um filme excelente, presta um serviço público ao escancarar a vigilância criminosa dos Estados Unidos sobre cidadãos de todo o mundo. No site do Intercept, é possível ler um minicurrículo de Glenn:

    Glenn Greenwald é um dos três fundadores do The Intercept. É jornalista, advogado constitucionalista e autor de quatro livros entre os mais vendidos do New York Times na seção de política e direito. Seu livro mais recente, No Place to Hide (Sem Lugar Para Se Esconder), descreve o estado de vigilância implementado pelo governo americano e seus aprendizados durante as reportagens sobre os documentos vazados por Edward Snowden.

    Antes de fundar o Intercept, Glenn escrevia para o jornal britânico The Guardian e para o portal Salon. Foi o primeiro ganhador, ao lado de Amy Goodman, do Prêmio de Jornalismo Independente Park Center I.F. Stone em 2008 e também recebeu o Prêmio Online Journalism de 2010 por sua investigação sobre as condições degradantes na detenção de Chelsea Manning.

    Por conta de suas reportagens sobre a NSA (Agência de Segurança Nacional – EUA), recebeu o Prêmio George Polk de Reportagens sobre Segurança Nacional; o Prêmio de Jornalismo Investigativo e de Jornalismo Fiscalizador da Gannett Foundation; o Prêmio Esso de Excelência em Reportagens Investigativas no Brasil (foi o primeiro estrangeiro premiado) e o Prêmio de Pioneirismo da Electronic Frontier Foundation.

    Ao lado de Laura Poitras, a revista Foreign Policy o indicou como um dos 100 principais pensadores globais de 2013. As reportagens sobre a NSA para o jornal The Guardian receberam o Prêmio Pulitzer de 2014 na categoria Serviço Público.

    Ou seja, estamos falando de um vencedor do Prêmio Pulitzer, o maior prêmio da categoria no mundo.

    https://blogdacidadania.com.br/2019/06/direita-em-panico-vocifera-mas-nao-faz-ideia-do-tamanho-de-glenn-greenwald/?fbclid=IwAR1Oz0o267iftmEDi9qLNF-3Pa5t88LzCh_9QAcsDvYJOWSx0plwjF33yAo

  2. Cada um tem o direito de puxar a tendencia para onde lhe convem, mais a verdade dos fatos e que o 9 dedos LULA roubou muito com seus parceiros do povo brasileiro.

  3. Com todos prêmios que este cara tem, ele que vá se meter com assuntos do país de origem , e leve a “sua mulher “, ou o “seu marido “.
    Isto tudo é manobra destes bandidos petistas para libertar o ladrão, Lula, e tentar enfraquecer a operação Lavajato.

  4. O ser humano vende sua alma, simplesmente para ter poder, não importa seu caráter, tem muitos seguidores, este pais está de ponta cabeca, é inacreditável, justificar o injustificável, até aonde vai tanto cinismo, agora surge esta ação ilícita, tudo para apoiar um sistema de poder, onde prefere a violência, pobre pais, tantos problemas para serem resolvidos.

  5. E o Palermão continua trabalhando: viaja e espeta medalha, com o sorriso da maior cara de pau que já alcançou a presidência do Brasil…
    Bate até o molusco em cara de pau….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *