Bolsonaro repete “banana” a jornalistas ao ser questionado sobre desmonte da biblioteca do Palácio

Biblioteca perderá espaço para receber equipe de Michelle 

Vera Batista
Correio Braziliense

O presidente Jair Bolsonaro repetiu o gesto de “banana” para jornalistas, fazendo o sinal com os braços para os profissionais de imprensa que trabalhavam em frente ao Palácio Alvorada, neste sábado, dia 15.

Desta vez, a “banana” foi motivada por perguntas sobre o desmonte da tradicional Biblioteca da Presidência da República, no Anexo I do Palácio do Planalto, para abrigar a equipe do programa Pátria Voluntária, coordenado pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

“DE GRAÇA” – “Vocês só se preocupam com besteira. Nenhum livro vai embora, vai ficar tudo lá. A primeira-dama faz um trabalho de graça para o Brasil. Então, em vez de vocês elogiarem, vocês criticam. Tenha paciência”, disse. “Quem age assim merece uma banana”, completou.

A biblioteca tem um acervo de 42 mil itens e 3 mil discursos de presidentes. Com a chegada da equipe de Michelle, serão ocupados os espaços de estudo, convivência e leitura. O local tem a função de preservar a memória dos presidentes do Brasil. 

SEGUNDA VEZ – Esta é a segunda vez que Bolsonaro dá uma “banana” para a imprensa este mês. No último dia 8, ele fez o gesto ao avisar que não daria entrevista devido à repercussão negativa a um declaração sua sobre pessoas com HIV representarem uma despesa.

A fala ocorreu na quarta-feira dia 5, quando o presidente saiu em defesa do programa de prevenção à gravidez na adolescência, lançado pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

Depois da repercussão negativa, Bolsonaro buscou esclarecer melhor sua declaração: “Eu falei de uma menina que deu à luz pela terceira vez aos 16 anos de idade sendo aidética. Foi isso que eu falei. O que faltou? Faltou uma mãe, uma avó, para não começar a fazer sexo tão cedo. Qualquer pessoa com HIV, além do problema de saúde dela gravíssimo, que nós temos pena, é custoso para todo mundo. Vocês focaram no que o aidético é oneroso para todo o Brasil. Estou levando porrada de tudo quanto é grupo de pessoas que têm esse problema lamentavelmente”.

REDUÇÃO – A tradicional biblioteca da Presidência da República, em Brasília fica em um prédio anexo ao Palácio do Planalto, ao lado da vice-presidência. Segundo reportagem publicada na edição de “O Globo” na internet, que o espaço será reduzido pela metade.

Essa é a segunda vez que o governo federal banca uma reforma para abrigar Michelle Bolsonaro e sua equipe na Esplanada. Há sete meses, foram gastos R$ 330 mil em obras no Ministério da Cidadania para adaptar salas para a primeira-dama e servidoras do Pátria Voluntária.

TRANSFERÊNCIA – O Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado – o Pátria Voluntária – foi criado em julho. Tem por objetivo promover, valorizar e integrar o trabalho voluntário no país. Era ligado ao Ministério da Cidadania, mas em dezembro passou para a Casa Civil. Por isso, a transferência para o Palácio do Planalto.

A biblioteca da Presidência foi criada no governo do presidente Wenceslau Brás, entre 1914 e 1918, quando a sede do governo ainda era no Rio de Janeiro. Com a construção de Brasília, primeiro foi instalada no prédio principal do Planalto, mas em 1979 foi transferida para o anexo.

O presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia, Fabio Cordeito, conta que esteve na biblioteca. E que viu o andamento das obras. Ele disse que conversou com servidores e foi informado que o acervo está acomodado no novo espaço. Mas a área disponível ao público terá de ser reduzida. Para Fabio Cordeiro, a preocupação é com o futuro da biblioteca.

MEMÓRIA – “O risco de diminuir de tamanho é porque uma biblioteca é um organismo em crescimento, então ela tem que ter espaço para garantir que os acervos futuros caibam nesse espaço físico. Então, a medida que os governos forem passando, novas políticas vão sendo criadas, políticas precisam ser preservadas para a história do país e para memória institucional de todo o governo”, disse.

Em nota, a Secretaria- Geral da Presidência informou que “a biblioteca da Presidência da República, inclusive em razão de sua relevância institucional, vem passando por um permanente processo de modernização”, e que “no que se refere às recentes alterações do espaço físico destinado à biblioteca da Presidência da República, é importante registrar, primeiramente, que 100% do acervo físico será preservado, em condições técnicas adequadas.”

“Ainda a esse respeito”, diz a nota, “cabe esclarecer que havia em torno de 40% de espaço não utilizado nas estantes da biblioteca, de forma que, mesmo com as alterações promovidas, ainda restará margem para ampliação do acervo.”

OTIMIZAÇÃO –  A Secretaria informou também que “por outro lado, essas mudanças também visam otimizar os espaços físicos da Presidência, permitindo que outras atividades relevantes possam ser desempenhadas pelos seus servidores.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Mais uma vez, Bolsonaro perdeu o tom e a oportunidade de valorizar o cargo que ocupa.  Embevecido pelos gritos de “mito” e a euforia cegamente inexplicável dos seus fiéis apoiadores, se porta como se estivesse discursando para uma torcida organizada ou para os frequentadores de um bar, esquecendo-se que é gravado e está falando com a imprensa. Se surgem dúvidas, é preciso que ela as esclareça. Mas a cada “oposição”, rebate com piadas “marotas” ou faz beicinho e diz que não vai responder. (Marcelo Copelli)

25 thoughts on “Bolsonaro repete “banana” a jornalistas ao ser questionado sobre desmonte da biblioteca do Palácio

  1. Quem perdeu o “tom e a oportunidade de valorizar o cargo que ocupa” foi o jornalista picareta que produziu essa matéria, Sr. Marcelo Copelli.

    Esses jornalistas merecem coisa bem pior do que uma banana porque com seu mercenarismo e sua ideologia militante destruíram a imprensa que é um dos pilares da democracia.

  2. Realmente estamos em pleno boom das bibliotecas e livrarias físicas. O mundo virtual ainda está engatinhando e demorará bastante tempo para a leitura virtual tomar o espaço dos livros impressos.
    Esta discussão é hiperrelevante pois hoje você anda pela cidade e vê milhares de pessoas com seus livros abertos andando nas calçadas, no ônibus, no metrô, atravessando as ruas. É um crime não expandir as bibliotecas e imprimir mais livros… Vamos criticar o Bolsonaro!!! É para isso que a imprensa e os cursos de jornalismo existem!

  3. “A biblioteca tem um acervo de 42 mil itens e 3 mil discursos de presidentes. Com a chegada da equipe de Michelle, serão ocupados os espaços de estudo, convivência e leitura”

    -É verdade! As moscas perderão espaço para voar.

  4. A cada dia o boçal prova que é mesmo boçal, além de arrogante. Não merecemos isto, mas acredito que seja um temor desnecessário este, duvido muito que acabem com mais esta biblioteca.

    • Prezado, a biblioteca não irá acabar.

      -Apenas “chegarão” as prateleiras para um canto para sobrar espaço para tal seção. Pelo menos foi o que disso o presidente.

      -Na minha opinião, DEVERIA ACABAR mesmo com ela e pegar todo o acervo e colocar em outro prédio público (a UNB, por exemplo), de mais fácil acesso, de maneira a facilitar a consulta para os historiadores, estudante e para a população em geral – embora eu duvide que a população “em geral” se interesse por livros.

      Agora, ei fico pensando quantas vezes por dia os livros dessa museu-biblioteca (que, de repente, conseguiu fama nacional entre os jornalistas) foram consultados nos últimos dez anos.

  5. Atenção:
    Começou a perseguição da esquerda ao Hans pela fôia, que entregou o PT no caso do disparo de Fake News.

    Sabe com é né, a esquerda, mente, rouba e até mata.
    Não que o outro lado seja santo, mas na esquerda, mentir, roubar e até matar é obrigatório. É tudo pelo poder e ponto final.

  6. Bem que a grande imprensa poderia ter se importado um pouco mais com o Museu Nacional, antes que ele pegasse fogo. A Biblioteca do Alvora, na verdade, só servia de cenário pomposo para pronunciamentos presidenciais, e quase ninguém se importou, dos tempos de JK pra cá, de tirar algum livro das estantes para ler. É ilusão pensar que sempre teríamos presidentes que gostassem de ler.

    A propósito, livros de papel, lamentavelmente, andam fora de moda, – digo isso porque realmente tenho uma grande afeição por livros de papel – e há muita gente que se gaba de não ter mais livros em casa, como é o caso de Paulo Coelho, essa glória literária do Brasil e renomado crítico de Bolsonaro, que já disse em várias entrevistas que só lê livros em meio digital, e não tem mais nenhuma biblioteca. Nesse ambiente, soa até um pouco desproporcional criticar Bolsonaro por conta da Biblioteca do Alvorada.
    Que ao menos o governo tenha um pouco mais de zelo com a Biblioteca Nacional, para que não tenha o mesmo destino do Museu Nacional. Isso já seria uma compensação, e deixaria em segundo plano a questão da biblioteca decorativa do Alvorada.

  7. Era só o que faltava, o louco da Aldeia de Xiririca, lapidado na politicalha carioca bandida, na presidência do Brasil. Estamos todos fodidos, não temos nem onde se esconder e se proteger das cagadas do Morubixaba de Xiririca e sua tribo.

  8. A escolha da deputada Ana Paula da Silva (PDT) para líder do governo Carlos Moisés (PSL) na Assembleia Legislativa (Alesc) divide opiniões em Santa Catarina. A questão será examinada terça-feira (18), em Florianópolis, em reunião da Executiva Estadual. Os brizolistas reagiram contra alegando que Moisés se identifica com o presidente Jair Bolsonaro enquanto o PDT integra a oposição. https://www.nsctotal.com.br/colunistas/moacir-pereira/pdt-de-sc-racha-com-escolha-da-deputada-paulinha-para-lider-do-governo-na

    PDT DE CHAPECÓ anuncia que segue firme na intenção de lançar candidato a prefeito, após muitas eleições locais figurando como aliado de candidaturas majoritárias por outras legendas. “Com o fim da coligação para vereador, o partido que não lançar candidato a prefeito terá mais dificuldades de fazer cadeiras na Câmara”, justifica Cláudio Zorzi, presidente do PDT chapecoense. https://www.diariodoiguacu.com.br/noticias/detalhes/pdt-diz-que-tera-candidato-a-prefeito-em-chapeco-53464

    EM IJUÍ o PDT tem dois pré-candidatos a prefeito, segundo informa o presidente municipal do partido Paulo Stumm. A disputa está entre o atual prefeito Valdir Heck e o ex-prefeito e o ex-prefeito Fioravante Ballin, ambos deverão se submeter a prévias no início de março para obter o aval da legenda que está à frente da administração da cidade há três décadas. https://www.radioprogresso.com.br/pdt-de-ijui-pode-ter-disputa-interna-para-candidatura-a-prefeito/

    APÓS 40 ANOS de militância no PT o ex-deputado e ex-prefeito Geraldo Cruz se filiou ao PDT de Ciro Gomes e Leonel Brizola, neste sábado (15), em Embu das Artes. Algumas semanas antes, respondendo a especulações sobre seu futuro partido, Geraldo Cruz afirmou que estaria “na linha dos partidos progressistas, mais à esquerda”. Então acertou em cheio. https://www.jornalnanet.com.br/noticias/21192/geraldo-cruz-confirma-ida-para-o-pdt-com-ato-de-filiacao-neste-sabado-15

    EM FORTALEZA o senador licenciado Cid Gomes defendeu, na quinta-feira, aliança ampla de aliados e esquerdas para as eleições sugerindo a inclusão do PT que está rompido com o PDT na capital desde a eleição do atual prefeito Roberto Cláudio. Coube a Cid, cujas divergências com petistas se acentuaram em 2018 no episódio “o Lula está preso, babaca”, fazer o principal gesto para uma eventual reaproximação. https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/opiniao/colunistas/inacio-aguiar-1.2147737/pdt-faz-gesto-ao-pt-na-capital-1.2210874

  9. É muita sacanagem o que estão fazendo nessa biblioteca, os nossos jornalistas vão ficar magoadíssimos com a restrição, Lula então vai virar o capeta comendo mariola, ali o bardo se ilustrava diariamente para poder melhor ajudar os pobres com sua notável erudição.

  10. Memórias e discursos dos Presidentes??? Gostaria de ver as memórias da Dilma e seus discursos, traduzidos para o português.
    Só entulho num biblioteca, o que é importante deve ser digitalizado e acabou, guarda papel para alimentar traça não dá mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *