Bolsonaro sabe que sua reeleição vai depender do eleitor mais pobre e decidiu usar a caneta

Charge do Jailson (Jailson.com.br)

Bruno Boghossian
Folha

No meio da semana, Jair Bolsonaro anunciou um aumento de 50% no valor do Bolsa Família. Dias depois, ele se reuniu com donos de supermercados e pediu que eles segurassem os preços dos produtos da cesta básica. Os dois movimentos mostram que o presidente enxerga sua sobrevivência política nas mãos da população mais pobre.

Bolsonaro tenta conter um desgaste que pode custar sua reeleição. Em 2018, ele recebeu um impulso inicial dos brasileiros mais ricos, mas só conseguiu chegar ao Planalto porque conquistou espaço em outras faixas. Números do Datafolha indicam que um de cada quatro votos que ele teve no primeiro turno veio do segmento renda mais baixa.

POBRES PENALIZADOS – A relação do governo com esses eleitores anda mal. A crise econômica penalizou principalmente os brasileiros mais pobres, o auxílio emergencial encolheu, e os efeitos da retomada demoram a chegar. O desemprego está nas alturas e a inflação para os mais pobres se aproxima dos 9%, segundo o Ipea.

A disputa pelos votos desse grupo deve definir a eleição. Na pandemia, Bolsonaro perdeu apoio nos andares mais altos da pirâmide de renda, mas tem a expectativa de reativar o antipetismo dessas camadas e recuperar seus votos num provável segundo turno contra Lula. Entre os mais pobres, no entanto, essa ferramenta tende a ser menos eficaz.

MUITA DIFERENÇA – Lula mantém uma fortaleza política nesses segmentos. Numa disputa direta com Bolsonaro, as pesquisas mostram que o petista venceria por 68% a 32% nos votos válidos dos brasileiros de baixa renda. Se a rejeição ao presidente se cristalizar nessa faixa numerosa, será quase impossível evitar uma derrota.

O objetivo de Bolsonaro não será bater Lula na baixa renda, mas evitar uma lavada. O presidente já decidiu usar a caneta e aumentar os gastos para se reabilitar nessa faixa. A tarefa será especialmente difícil para um governo cujo ministro da Economia diz que a classe média exagera no prato de comida e sugere que as sobras podem alimentar os pobres.

8 thoughts on “Bolsonaro sabe que sua reeleição vai depender do eleitor mais pobre e decidiu usar a caneta

    • O ministério público federal fez a denuncia muito tardia, contra as reiteradas campanhas antecipadas de Jair Bolsonaro.
      Vejam esse Aplicativo que o desgoverno criou, recentemente, para servidores, aposentados e pensionistas acessarem a suas questões vinculadas à administração pública federal: SOU GOVERNO, como se quem acessa ao aplicativo estivesse declarando-se pró-governo!
      + Confira o Aplicativo, no Link acima.

  1. Nem os pobres vão votar neste imbecil!
    Vão aproveitar pra pegar a merreca e depois, tchau!!

    O bolsonaro quis brincar de demônio e será arrastado às profundezas do inferno.

    Não tinha a menor necessidade disso, era só ficar a favor da população, ter mais respeito pelos doentes, visitar alguns hospitais, nada que fosse tão complicado, ter uma agenda medianamente positiva, dar o exemplo com o uso de máscara e ser o primeiro a se vacinar. DAR O EXEMPLO!!
    Neste momento estaria quase reeleito.

    Mas não, acolheu o caminho das trevas e nelas terminará. Será a maior derrocada de um presidente na história do planeta.

    Foi muito mal acessorado pelos filhos que tem a ganância agarrada na jugular. Tanto é verdade que estão metidos em tudo que é falcatrua.
    O bolsonaro não é louco, ele é dominado pelos filhos, pois é um homem intelectualmente fraco e, facilmente dominado. Ele não é esse valentão todo.
    Ele se esconde atrás das bravatas pra esconder seus medos e suas fraquezas…
    O grande mentor do bolsonaro é o carluxo, este sim é o verdadeiro louco, um doente mental sem igual.
    O pai está a um passo de surtar… porque não segura sua onda anárquica que brota dentro dele.

    Reparem que o carluxo não sai do lado do pai e fomenta diuturnamente com a ideia fixa do auto golpe. Um erro de cálculo incalculável, (sendo redundante).

    No primeiro passo que o bolsonaro der rumo a uma ditadura capenga e sem sustentação, vão todos em CANA!

    Reparem que a CPI, apesar de estar sendo elaborada por alguns canalhas, outros não, são políticos que nada tem escondido, uma safra nova muito bem intencionada.

    Os crápulas da CPI, são figurinhas conhecidas e neste momento são ferramentas úteis que ajudam a elucidar as péssimas intenções do grupo paralelo do bolsonaro.

    Estão aí, os OITENTA E UM E-MAILS ignorados inexplicavelmente da Pfizer.
    Disso ninguém se livrará! Não tem como!

    JL

    • Eu sou pobre; e estou esperando a 4a 5a 6a via, que vai me salvar de ter que votar no Bolsonaro de novo.
      Você que não é pobre igual a mim. pode dizer de onde sai o leitinho que torna você um não pobre.

      • Sou um trabalhador liberal. Se eu não sair da cama de manhã, morro de fome!

        O leitinho sai do meu esforço pessoal, vivo como qualquer equilibrista pra não cair da corda…
        Não dependo em nada do governo, ao contrário, ele depende de mim, porque me escalpela tirando o máximo que pode em impostos.
        Já votei no demônio, reconheço, mas não voto nunca mais, nem no lula que jamais votei e vou correr do cangaciro como o diabo foge da cruz!

        Quero decência na presidência!
        Quero um homem de bem!
        Quero um homem probo!
        Quero um estadista que pense nesse povo que o crápula do Ipiranga, sugeriu que os miseráveis sejam alimentados com restos de comida.
        Quero um país altivo e não um país pra me envergonhar.

        É pedir muito, Sr. J.Rubens?

        JL

    • No Jiu-Jitsu, o lutador usa o peso e a força do adversário contra o próprio.
      Todo Populista é um lutador de Jiu-jitsu? Ele usa o dinheiro que arranca dos trabalhadores, mediante impostos e direitos negados, para comprar o voto dos despossuídos; amanhã, eleito, será algoz de todos!

  2. As gangues conteporâneas que disputam os cofres públicos sabem disso. As duas hegemônicas constitucionalzadas, a petista e a bolsonarista, em nada diferem nesse aspecto: A Indústria da Miséria e a da Corrupção, fundamentos basilares do Estado Clepto-patrimonialista é o máximo que conseguem terem em vista, assim como o máximo de suas concepções políticas, se assim podemos chamar a projetos cfriminosos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *