Bolsonaro se filia ao PL e diz que o evento não servia para “lançar ninguém a cargo nenhum”.

Bolsonaro se filia ao PL em evento em Brasília - Notícias - R7 Brasília

Costa Neto e Bolsonaro, uma dupla mais do que dinâmica…

Giovanna Galvanida
CNN São Paulo

Após dois anos sem estar em um partido político, o presidente Jair Bolsonaro assinou sua filiação ao Partido Liberal (PL) nesta terça-feira (30) em um evento em Brasília. Em seu discurso, o presidente afirmou que, no PL, quer ajudar a compor bancadas para as eleições 2022 a fim de “fazer melhor para o Brasil”, mas também disse que o evento não servia para “lançar ninguém a cargo nenhum”.

O presidente também citou que estava “se sentindo em casa” no novo partido, apesar de mencionar que a escolha “não foi fácil”. Este é o nono partido de Bolsonaro ao longo de sua trajetória política.

OUTROS FILIADOS – Além de Bolsonaro, foram filiados o seu filho mais velho, o senador pelo Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro, e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Apesar de não cravar candidaturas, o presidente citou nomes como o do ministro Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura, como “uma esperança enorme para nosso querido estado de São Paulo”, e mencionou Rogério Marinho e Fábio Faria (ministro das Comunicações) como nomes das eleições no Rio Grande do Norte.

Sobre a composição de bancadas, Bolsonaro afirmou ainda que ele e o presidente nacional do partido, Valdemar Costa Neto, não seriam “pessoas que vão decidir certas coisas sozinhos”: “Em grande parte, a nossa visão passa por vocês. Queremos compor e, com essa composição, fazer o melhor para o Brasil”, disse.

IDEAL DE “COMPOR” – “É motivo de orgulho e satisfação estar aqui, e nenhum partido será esquecido por nós. Não temos a virtude de ser o único centro. Queremos compor nos estados, queremos compor para senador e governador. Queremos é cada vez mais termos menos diferenças entre nós”, afirmou Bolsonaro.

O presidente ainda comemorou que “o Parlamento tem jogado junto com o Poder Executivo” ao mencionar projetos pensados para Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, e a sabatina do ex-ministro da Justiça, André Mendonça, na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal – marcada para amanhã, 1º de dezembro.

ENFIM, A SABATINA – “Amanhã está prevista a sabatina do André Mendonça. Espero que seja aprovado o nome dele. Eu não indico para o Supremo, indico para o Senado. Sabemos que existe um embate ideológico. Mas o André conversou com todos os senadores, deu sua impressão, disse o que pretende fazer”, disse Bolsonaro.

O evento contou com dirigentes dos diretórios nacionais do PL, assim como ministros de Estado, aliados políticos, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), e os filhos do presidente.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
Às vezes, Bolsonaro diz umas coisas que ninguém entende. Essa declaração de que “o evento não servia para lançar ninguém a cargo nenhum”, por exemplo, não se consegue entender nem mesmo com tradução simultânea. (C.N.)

 

8 thoughts on “Bolsonaro se filia ao PL e diz que o evento não servia para “lançar ninguém a cargo nenhum”.

  1. Bolsonaro é igual a cavalo pangaré. Como não tem qualidade vai passando de dono em dono. Está já é a 11a sigla que leva no seu lombo.
    Veremos até quando.
    Neste poker político Bolsonaro poderá na última hora tentar um porto seguro: Deputado Federal pelo RJ.

    • Partido Politicos no Brasil são balcões de negócios
      Ou o Quadrilhão do Luladrão é diferente de todos os partidecos.?
      Quantos vermes sanguessugas já sairam do Partideco Corrupto e foram pular de partido em partido?

    • È um ´ótimo partido, aliás, igual aos outros, um balcão de negócios.
      O Presidente do Partido, se não me engano, adora um bom negócio, tanto que já leva suas malas 007 para ser recheadas com notas de 100 contos.
      Numa das vezes saiu do Escritório do Crime Petralha com 4 milhões na pasta.
      A propósito, dinheiro do meu cofre público que entrou na negociata dos ladrões.

  2. NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Às vezes, Bolsonaro diz umas coisas que ninguém entende. Essa declaração de que “o evento não servia para lançar ninguém a cargo nenhum”, por exemplo, não se consegue entender nem mesmo com tradução simultânea. (C.N.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *