Bolsonaro sentiu ‘pé atrás’ das Forças Armadas, por ter armado a falsa greve de caminhoneiros

Decisão de Celso que contrariou Bolsonaro é amparada em precedentes do próprio STF

Bolsonaro pensava que as Forças Armadas iriam apoiá-lo

Eliane Cantanhêde
Estadão

A semana começa com a comissão de juristas da CPI da Covid, liderada pelo ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior, entregando um parecer implacável sobre os crimes em que o presidente Jair Bolsonaro poderá ser enquadrado por ações, e sobretudo inações, durante a pandemia. O mais grave deve ser o de homicídio comissivo em série – justamente por não agir quando deveria e agir errado quando não deveria.

Os caminhos da CPI e das oposições se cruzam no momento mais tenso do País e do presidente. A comissão entra na reta final e finaliza seu relatório devastador enquanto uma dúzia de partidos tenta se acertar, atabalhoadamente, com o Vem Pra Rua e o MBL, para uma onda de atos pelo impeachment – que, aliás, terão a presença de integrantes da CPI, como Simone Tebet (MDB) e Alessandro Vieira (Cidadania).

MAIS PROTESTOS – O final de ano terá protestos em outubro, pelo aniversário da Constituição, e em novembro, na Proclamação da República. A CPI caminhará lado a lado, com o relatório final, a interação com a Procuradoria-Geral da República (PGR), a Câmara e o Supremo.

É por esse horizonte, mas também pela miséria e o fracasso na economia, que Bolsonaro adota uma estratégia que parece de paz, mas é de guerra. Com o “Manifesto à Nação”, ele não está realmente recuando e assumindo a moderação e a responsabilidade. É blefe, como a convocação do Conselho da República, e fake news, como fraude nas urnas eletrônicas.

Seria ótimo, se fosse verdade, mas é só estratégia mesmo, porque, como avalia o general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Bolsonaro tem um “formidável senso político”. O que, aliás, é o que se diz também do ex-presidente Lula. Nos dois casos, o sinônimo é bem mais simples: esperteza.

PÉ ATRÁS DOS MILITARES – O fato é que Bolsonaro sentiu a água no pescoço e temeu as ondas: guinada nos meios empresariais, financeiros e do agronegócio, mudança de tom no Congresso, nos partidos e particularmente nas cúpulas da Câmara e Senado, união no Supremo e desgaste na opinião pública, num acirramento geral de ânimos. Além do pé atrás das Forças Armadas.

Esses movimentos conduzem a duas expressões que tiram o sono de um presidente que já não dorme mesmo, acossado por muitos e complexos fantasmas: impeachment e crime de responsabilidade. Um está na mesa do presidente da Câmara, Arthur Lira. Logo, do PP e do Centrão. O outro depende da PGR, onde o chefe Augusto Aras parece em busca de autonomia.

O recuo presidencial deveu-se, ainda, ao estrago na Bolsa e no câmbio com sua ameaça de descumprir ordem da Justiça e os riscos dos caminhoneiros para a economia e a estabilidade.

TENTOU SE DERRUBAR – Bolsonaro é o único presidente do planeta Terra capaz de alimentar greve de caminhoneiros (como, aliás, de alardear que ganhou uma eleição fraudada). “Sensacional! Ele criou uma greve de caminhoneiros para derrubar o próprio governo”, ironizou Randolfe Rodrigues, vice-presidente da CPI.

Bolsonaro acreditava que o movimento era contra o ministro Alexandre de Moraes e ele não tinha nada a ver com isso, mas o professor Michel Temer ensinou: “Eu já passei por isso, presidente. Essa greve vai cair diretamente no seu colo”. E, como me contou, lembrou do desabastecimento, do aumento de preços, da queda do PIB e do mau humor da população.

Bolsonaro teve de fazer “meia volta, volver” para apagar os incêndios que ele próprio cria. Daí a nota de moderação, ponte com Alexandre de Moraes e áudio para os caminheiros. Ninguém acreditou na moderação nem na ponte, mas o tragicômico foi os caminhoneiros não acreditarem no áudio! Bem, se o presidente é investigado no STF por fake news… Só continuam acreditando em tudo os que se agarram à “genialidade política do mito”, como ovelhas que correm atrás da onça.

11 thoughts on “Bolsonaro sentiu ‘pé atrás’ das Forças Armadas, por ter armado a falsa greve de caminhoneiros

  1. É de doer essa publicação acima. Até parece que a verdade é essa. Mas a a jornalista pública as suas informações de bastidores, e a gente finge que acredita.
    O choro é livre, as verbas cessaram, e o resto é mi mi mi.

  2. Quem avaliza essa cpi é o perneta do fica em casa até faltar ar e morrer no hospital e também a médica cantora .

    Quando falta honestidade a primeira a sofrer á a verdade !

    Quem é limpo e honesto na cúpula da cpi ?

    Sete de setembro o povo deu a resposta !

  3. Até o CN já entendeu que teremos que aturar Bolsonaro até 32/12/2022.
    Estão procurando crimes “subjetivos”. Isso não existe.
    Deixem Bolsonaro se auto consumir até desaparecer.

  4. Ronaldo;
    Esta é a diferença da esquerda e da direita. Enquando a direita joga dama ( deveriam ter deixado Dilma sangrar até o fim), o esquerda joga xadrez ( nem em sonho tirar Bolsonaro)

  5. Augusto Heleno – Nunca pensei que fosse tão pequeno; o seu Bragga, esse sim sabiamos que era uma praga – bastava analisar seus gestos e posturas; o Pazuello só é lembrado pelo pesadelo que nos trouxe como ministro. Também, coitado, foi colocado num lugar para o qual não tinha nenhum preparo. O Bolsonaro, esse vai se tornar palavrão. Falta-lhe classe, competência e compaixão – até para ser cafetão.

  6. Não enxergar CRIMES objetivos nas ações e omissões de jmb, vulgo BROXAnaro, nivela BROXAnaristas e lulopetistas teleguiados em verdadeiros “cérebros de ameba” -, coniventes com centenas de milhares de mortes EVITÁVEIS e corrupção, muita corrupção.

    (E como Ameba não tem… já viu, né?)

  7. Não consigo enxergar nada mais repugnante e baixo no comportamento humano do que críticas e ataques a pessoas ou situações, escudados no anonimato e na ausência de responsabilidade, assim como defender indivíduos e ações nefastas para a sociedade como um todo, motivados por pura maldade, ignorância ou agressividade, sempre apoiados naquela impossibilidade de responder por mentiras ou serem-lhes cobrados fatos comprobatórios.

    • Mas, sr Velho, qual outra opção teríamos para ressaltar a incompetência, a falta de compaixão, a rudeza, o ego gigante de um brutamontes como o presidente. A verdade, embora possa doer, está aí para quem quiser ver: temos um boçal como presidente.
      I´m sorry, but it is what it is!

Deixe um comentário para Ronaldo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *