Bolsonaro tem uma arma que pode anular a candidatura de Lula, mas é idiota e não sabe usá-la

TRIBUNA DA INTERNET | Bolsonaro ainda acredita que o mercado voltará 'a comer na mão dele' contra Lula

Charge do Emerson Lopes (Arquivo Google)

Carlos Newton

No Brasil, acompanhar o noticiário político é como ir ao teatro. Tudo encenado, diz-se uma coisa, mas faz-se outra, o roteiro é sempre surrealista, cheio de imprevistos e frases de efeito. É impressionante o número de notícias-crime ou notícias de fato, que motivam espalhafatosos inquéritos mas as investigações dificilmente levam à abertura de processos e mais raramente ainda redundam em condenação, quando se trata de políticos e outros criminosos de elite.

E tudo isso significa altos custos, para que se mexam os integrantes do Judiciário, do Ministério Público e da Polícia Federal ou dos Estados. Sempre custa muito caro levar adiante os inquéritos, mesmo que estejam apenas fingindo que investigam.

PACTO DOS PODERES – Assim, depois que os três apodrecidos Poderes se uniram naquele “pacto de governabilidade” inventado pelo ministro Dias Tofolli logo no início do governo Bolsonaro, as cortinas se abriram e começou a ser apresentada a maior superprodução dos últimos tempos – a destruição da Lava Jato, o mais efetivo esquema de combate à corrupção já promovido no mundo.

Três anos depois, o resultado do pacto de governabilidade é impressionante. A Lava Jato foi sepultada sem choro nem vela, como diria Noel Rosa, e houve tamanha rocambolesca narrativa, e  de tal maneira, que até surgiu um novo substantivo de significado altamente depreciativo – “lavajatismo”, para designar perseguição jurídica a pessoas inocentes…

Esse pacto pela impunidade lavou, enxaguou e secou a memória nacional, hoje poucos se arriscam a defender a Lava Jato, e os criminosos levados à cadeia estão todos soltos – à exceção do extravagante Sérgio Cabral, que jogou na lama o nome que recebera do pai, sem falar no filho nem no espírito santo.

HOUVE SURPRESAS – Um pacto dessa ordem, celebrado pelos três Poderes, é claro que traria sequelas, e a maior vítima foi Jair Bolsonaro, que se elegera combatendo a corrupção. Ele não percebeu que se tornaria refém do Supremo e do Congresso, não teria mais o papel principal e só poderia disputar o Oscar de Coadjuvante.

Bolsonaro contava com a reeleição, jamais imaginou que Lula recuperasse os direitos políticos. Quando isso aconteceu, nem reagiu, ficou inerte. Poderia ter acionado a Procuradoria-Geral da República para obrigar o Supremo a rever o julgamento, totalmente inconstitucional, pois teve base em “incompetência territorial absoluta”, algo que Padre Quevedo diria que “non ecziste” no Direito brasileiro ou de qualquer país.

Aqui como lá, a “incompetência territorial” só anula condenação quando se trata de processos imobiliários, e o caso de Lula era de ação criminal. O procurador-geral Aras é a única autoridade que pode pedir anulação do julgamento do Supremo, mas não foi acionado por Bolsonaro e ficou quieto no seu canto.  

###
P.S. 1
Bolsonaro, seus generais e ministros desconhecem as leis, não sabem que foram vítimas de uma conspiração jurídica e agora terão de enfrentar Lula nas urnas, o que não será fácil. Mas ainda há tempo. Nada impede que o presidente acione o procurador-geral e lhe determine que recorra do julgamento fajuto que “absolveu” Lula.

P.S. 2Não adianta argumentar que isso não adianta, porque em outro julgamento o Supremo decretou a “parcialidade” do juiz Moro. É preciso lembrar que Lula foi condenado também pela juíza Gabriela Hardt,  com a sentença confirmada por unanimidade o Tribunal Regional Federal. E isso significa que Lula é ficha suja, caso seja anulado o julgamento da inexistente “incompetência territorial absoluta”, inventada por Edson Fachin. (C.N.)

11 thoughts on “Bolsonaro tem uma arma que pode anular a candidatura de Lula, mas é idiota e não sabe usá-la

  1. Bolsonaro é um pulha.

    A nota do diretor-presidente da Anvisa sobre a fala do boçal foi dura.Pode ser lida nas redes sociais.

    Vale a pena.

  2. Não acredito no que lí. Nem vou ler de novo para não morrer de desgosto. Até parece que o autor do artigo é bolsonarista. No meu entender, por pior que Lula seja, o boçal é um TRILHÃO de vezes pior do que ele !!!

      • Desculpem, amigos Rafael Santos e Antonio Correa, a obrigação do jornalista é mostrar a verdade. Se a candidatura de Lula foi obtida no Supremo mediante fraude, com “interpretação” de lei sem base jurídica, o jornalista tem de revelar a verdade, não importa se vai beneficiar a outrem – no caso, a Jair Bolsonaro. O jornalista não pode torcer a verdade por questão de preferência. Seria como um médico tratar de formas diferentes um amigo e um inimigo. E a meu ver, o jornalista é uma espécie de clínico geral da sociedade e tem de ajudar a curar seus males, doa a quem doer.

        Sei que Bolsonaro nada vale, mas Lula também não vale nada.

        Forte abraço,

        CN

  3. Pelo comentário do Antonio, vou até passar direto desse artigo para não comentar nada mais pesado.
    Ainda bem que depois de ler o título, leio alguns comentários, quando tem, antes de ler o artido.
    Assim eu sinto a temperatura.

    • Amigo Fernando Canuto,

      Apenas a Procuradoria-Geral da República tem poderes de recorrer de uma decisão do Supremo, em assunto que não caiba a apresentação de Ação Rescisória, como foi a anulação das condenações de Lula por “incompetência territorial absoluta”. Aliás, nem existe jurisprudência no Supremo. Todos esses recursos são descartados no Superior Tribunal de Justiça, porque a lei determina que toda incompetência territorial seja relativa, sem cancelar provas ou sentenças, salvo em casos de direito imobiliário, como posse de terras, coisas assim.

      Para enfrentar o Supremo, é claro, o procurador-geral da República precisa ter conhecimento jurídico e… coragem, E não é o caso.

      Abs,

      CN

  4. Agora é tarde! PT/LULLA pariu o Bozo e o Bozo ressuscitou o PT/LULLA!
    As instituições, as podres elites e também o povo são binários, não conseguem raciocinar mais que 2 neurônios do cérebro, o tico e o teco.
    Por isso a polarização, ou se é petista ou bolsonarista. Não há espaço para uma 3ª opção, o que campeia é a estupidez em grau máximo.
    Torço para que eu esteja errado e no firgir dos ovos haja uma mudança radical deste quadro horroroso. O melhor candidato, o único quer apresenta proposta claras, ainda que polemicas, patina num nivel que não permite que ele chegue ao 2º turno. Os outros da 3ª via lançam generalidades. E o favorito, apresenta mais do mesmo, apresenta tudo que deu errado de 2006 a 2016! E o que está no poder então é uma negação completa, um boçal completo. Aliás, em uma entrevista em 2017, com o Professor Villa, este energumeno não sabia sequer o significado de setores primário, secundário e terciário da economia. E em forma de piada, quando inquirido sobre o tripé economico respondeu que este negócio de tripé era com o Hélio Negão. E o povo votando com o figado, um voto anti PT, acabou escolhendo este traste para governar o país durante 4 anos. Deu no que está dando, temos em 2022 um país muito pior do que em 2018. Vale o velho ditado, cada povo tem o governo que merece. A esperança é a última que morre, prefiro acreditar ainda que, neste ano, as coisas tomarão um rumo diferente deste pesadelo bozo-petista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *