Brasil é o país de maior potencial de crescimento, mas seus governantes atrapalham

Resultado de imagem para Brasil em crise charges

Charge do Bruno Galvão (Arquivo Google)

Carlos Newton

Essa disputa político-ideológica que atinge atualmente o Brasil e outros países só interessa às classes mais privilegiadas, que incluem não somente a elite do empresariado e seus executivos, como também a nomenklatura dos três Poderes e seus quadros acessórios. Na verdade, a disputa ideológica é uma enganação.

DESIGUALDADE – Na França, por exemplo, os levantes organizados pelos coletes amarelos  não terão reflexo algum no que verdadeiramente interessa – a desigualdade entre os mais ricos e os mais pobres, ou a diferença entre os maiores e os menores salários.

É ridículo rotular os participantes dessa disputa como comunistas, liberais, capitalistas, democratas, socialistas, conservadores ou progressistas, nada disso interessa, porque as ideologias já morreram, esses militantes estão sendo usados para que, na essência, nada mude, exatamente como está ocorrendo no Brasil, com manifestações que não servem para nada.

CRIATIVIDADE – O fato concreto é que todos os grandes ideólogos da humanidade acabaram tendo desmentidas as suas teorias. Nenhuma delas resistiu à criatividade do dia a dia dos homens. Para ficarmos nos extremos, nem o comunismo de Marx e Engels nem o capitalismo de Adam Smith e Milton Friedman podem ser levados a sério na atual etapa da evolução humana. É preciso adaptar essas teorias aos dias de hoje, mas os fanáticos ideológicos não o fazem.

Chega a ser ridícula a ressurreição da extrema-direita em várias nações, inclusive no Brasil, ainda há quem acredite no poder mágico do liberalismo radical, a pobreza intelectual dessa gente chega a ser constrangedora.

Os países com melhor qualidade de vida são os nórdicos, que  conseguiram aproveitar o que há de melhor no capitalismo e no socialismo. Com essa hábil alquimia ideológica, conseguiram um patamar civilizatório mais avançado, mas ainda enfrentam graves problemas.

CONFLITOS SOCIAIS – Os países nórdicos têm conflitos internos, devido à necessidade de atrair imigrantes para fazer os serviços pouco qualificados na escala profissional. Como suas populações estão se reduzindo e não se miscigenam com os imigrantes, o resultado é que se formaram  guetos étnicos nas cidades, onde nem a Polícia consegue entrar, como acontece em Estocolmo, capital da Suécia.

Em tradução simultânea, isso significa que ainda não há paraíso na Terra. Há apenas algumas ilhas da fantasia, que protegem suas populações e marginalizam os forasteiros. Por isso, as desigualdades sociais permanecem. 

NADA MUDA –Aqui na sucursal Brazil, Jair Bolsonaro foi eleito para fazer um país grande, como aconteceu com Donald Trump na matriz USA. Acontece que lá é mais fácil, porque o governo opera em dólar, a moeda que ainda domina o mundo, embora esteja começando a entrar em decadência.

Assessorado por Paulo Guedes, que ainda acredita em Adam Smith e Milton Friedman, o presidente Bolsonaro vai vender todas as estatais, e não irá acontecer nada de bom ao país.

Guedes parece um disco rachado, fica repetindo que a reforma da Previdência vai resolver tudo. É uma tremenda ilusão. Diante do despreparo de Guedes em conduzir a economia, dá até para sentir pena dele, que se tornou o retrato do “inocente útil”, que Bolsonaro, em sua falta de cultura, chama de “idiota útil”, ao denominar aqueles que defendem teorias equivocadas.

###
P.S.
O Brasil é o quinto maior país em extensão e habitantes, a oitava economia, tem imensas reservas minerais a explorar, as mais extensas terras agricultáveis do planeta, o maior volume de água doce acima da terra e em aquíferos, tem uma indústria em decadência, mas que é facilmente recuperável, basta o atual governo descobrir para que serve o BNDES. Presidentes como Fernando Henrique, Lula da Silva, Dilma Rousseff, Michel Temer e Jair Bolsonaro passam, mas o Brasil fica. 

P.S. 2 – Jamais se poderá resolver a crise econômica do país sem discutir a dívida pública. Os cortes que Guedes e Bolsonaro têm feito são apenas perfumaria. Espero que Deus os perdoe, porque eles não sabem o que fazem. Estão levando o país à estagflação (recessão e inflação simultâneas). (C.N.)

24 thoughts on “Brasil é o país de maior potencial de crescimento, mas seus governantes atrapalham

  1. Acho que com a idade estou me tornando um tanto masoquista, logo que acordo leio Claudio Humberto, Globo, Folha, Estadão e Tibuna da Internet, é uma pancadaria só.
    A desgraça do Brasil é Bolsonaro assessorado pelo Torquemada do Guedes.
    Hehehhehhe li na Folha que Bolsonaro palitou os dentes na churrascaria onde rangou com caminhoneiros, o cara da Folha deve ter omitido se ele usou a latrina do local e se ativou o um ou o dois ou ambos.
    A civilização tupiniquim não pode viver sem os furos da Folha.
    Outro assunto, a Globo está demitindo uma leva de artistas exceto os escalpeladores do Bolsonaro, falando no diabo, o Faustão esperneou dizendo que o capitão está falindo a empresa.
    Segundo os iniciados e catecúmenos da seita, “O Diabo veste farda”.

  2. Concordo 100%.
    Há uma esculhambação política.

    A Política deveria estar a serviço do Estado e dos interesses comuns de seu povo.
    Mas o que vemos, no entanto, é sempre a serviço de quem faz o lobby pelas corporações, dos poderosos do setor financeiro, da indústria, da mídia etc.
    O interesse comum é deixado de lado.

      • No caso econômico, entendo que a prosperidade de todos.
        A começar pela distribuição das riquezas, incentivos aos menos favorecidos pela sorte, tratando desigualmente aqueles que estão em condições diferentes para atingir o desenvolvimento pessoal.
        Cobrando pedágio de quem está em outro nível não pelo próprio esforço mas mérito dos outros (ex.: taxação progressiva da herança e de investidores que lucram sobre especulação etc).

        Política de incentivo e redistribuição de serviços em favor do desenvolvimento daqueles em situação de vulnerabilidade social.

        Financiamentos com vistas aos novos, pequenos e médios empreendedores e não essa Política de Desenvolvimento em que bancos públicos (ex.: BNDES) financiam com recursos públicos grandes empresas que, de alguma forma, poderiam obter financiamentos privados.

        Um olhar para a realidade diferente do que esse Estado mantenedor de privilégios faz.

  3. Sem puxa-saquismo, um dos melhores artigos sobre a realidade brasileira, já escritos neste país, senão o melhor e mais realista e verdadeiro, mostrando a verdade como Ela realmente é, como diria o saudoso Nelson Rodrigues.

  4. EM ESTADO DE GUERRA TRIBAL, primitiva, permanente e insana, por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, entre direita, esquerda e centro, com o conjunto da população fazendo o papel de bucha de canhão, reduzido à condição de vítima, refém, súdito e escravo, em regime de plutocracia putrefata, fantasiada de democracia para enganar a freguesia, sob a égide do sistema político podre, com prazo de validade vencido há muito tempo, imposto pelo golpismo ditatorial, o partidarismo eleitoral e seus tentáculos, velhaco$, há 129 anos, nem Jesus Cristo, o primogênito, consegue salvar o Brasil e, sobretudo, o seu povo, e até para Deus, o Pai, fica complicado nos ajudar a operar o MMilagre da multiplicação dos pães, dos peixes e das oportunidades, à moda genuinamente brasileira, com capetas, discípulos e agregados teimando em continuar dando as cartas e jogando de mão, armados até os dentes, enquanto representantes do velho que já morreu e que não se dá conta disso, nem se dá por achado, resistindo à Mega-Solução, sem se fazer de rogado, e fugindo Dela igual o diabo foge da cruz, não há Esperança para o Brasil a curto prazo no sentido da rendição pacífica do velho que já morreu em prol do novo de verdade que precisa se estabelecer, pela libertação e redenção da política, do país e da população, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, a reinvenção do Brasil, via projeto novo e alternativo de política e de nação, assentado na paz, no amor, no perdão, na conciliação, na união e na mobilização pela Mega-Solução, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso.

  5. Quanto à questão de mão de obra estrangeira que os países nórdicos importam, eu que acompanho, cumpre-me esclarecer que há uma suposta ação política nos países de origem no sentido de incentivar a migração.

    Países importam imigrantes, ou é o Islão?

    Importante lembrar que o Islamismo não é apenas religião, e sim encarna num estado de coisas, um Estado Político também.

    O selo Halal aplicado nos mercados exportadores de produtos para os países muçulmanos, ou consumo nos próprios países não-muçulmanos, onde são produzidos, certifica um padrão de produção imposto pela cartilha Islâmica aos fieis, e aos não fieis, na medida que estes últimos mudam a cadeia de produção em favor daqueles e, ainda, paga uma taxa pelo selo, que é direcionado à expansão do Islão no mundo.

    Mas o que interessa à indústria é produzir, produzir e alcançar o maior número de consumidores mesmo que tenha que pagar uma taxinha.

    Ocorre que esses recursos são direcionados para o financiamento dos supostos “refugiados” através da expansão.

    Hégira foi a fuga de Maomé de Méca à Medina onde se estabeleceu, criando a cinco quilômetros desta cidade a primeira Mesquita, criando o seu exército de seguidores, convertendo a força, cobrando dízimo, expulsando ou assassinando quem não se sujeitasse à superioridade do Islã após tomar esta cidade – mais tarde, Maomé rumou à Meca. Que apesar de ser descrita como cidade cosmopolita, segue proibida aos não islâmicos.

    Após ingresso e acolhimento, logo, logo, passam a aplicar aos não-muçulmanos a Charia, através das patrulhas por eles criadas. É a Cruzada deles – do Islã.

    Infelizmente não interessa aos políticos zelar pela cultura do próprio país.

    Veja o Sr. Governador de São Paulo, Dória, enquanto Prefeito, tendo viajado inúmeras vezes para países muçulmanos e, inclusive, importado a ideia de semear a cultura aqui com intercâmbio e mesmo aulas nas escolas públicas.

    A culpa disso é do globalismo, do capitalismo etc.

  6. Não há que se descrever “conflitos sociais” como consequência a existência de guetos nos países nórdicos.

    Está completamente equivocado na descrição da questão existente.

    Há é um conflito exclusivamente Cultural.

    A Europa sempre conviveu com a entrada de estrangeiros de outros países – antes do movimento em massa de migrantes oriundos de países muçulmanos. E nenhum grupos de não-muçulmanos criaram guetos.

    O que existe na história mais recente, como disse acima, é um movimento migratório incentivado.

    Se antes a migração de Maomé de Mecá à Medina – nesta onde fundou a primeira mesquita; teve o propósito de ganhar força para depois retornar e retomar a cidade tida como uma vez sagrada, sempre sagrada, estabelecendo-se definitivamente ali.

    Temos hoje uma Hégira moderna, sem espadas.

    • Vá estudar, Leão. Informe-se, antes de dar pitaco.

      Em Estocolmo os carros da Polícia são incendiados se entrarem nos guetos. O chefe de Polícia fez um comunicado pedindo que os suecos não entrem nesses bairros.

      CN

      • Então, C.N., que me desculpe, mas quem deve estudar é você.
        Eu acompanho isso há mais de década, que sigo blogs que falam que áreas proibidas, guetos etc., trazendo as notícias em primeira mão do que não é transmitido pela imprensa parcial. Ações praticadas por grupos de muçulmanos contra homens e mulheres não somente nestes países nórdicos, como ainda na Inglaterra, Canadá, França e Alemanha… além, é claro, contra as minorias quando estão em seus países – com predominância de muçulmanos.
        A imprensa ocidental globalista nunca traduz os verdadeiros propósitos islamitas. Apenas reproduz a situação como sendo um problema social ao invés de cultural.

    • Prezado Leão da Montanha,

      Como bem escreveste sobre esse movimento islâmico, a Hégira, a fuga de Maomé de Meca para Medina, se me permitires, no meu entendimento vejo diferente esta tua análise, e que já acontece com milhares e brasileiros, a nossa Diáspora!

      Pensa comigo:
      Quantos brasileiros vivem nos Estados Unidos?
      Em França?
      Itália?
      Alemanha?
      Escandinávia?
      Israel?
      Líbano?
      África do Sul?
      Rússia?
      Polônia?

      Por onde andamos tem brasileiro neste mundo de Deus!

      E por que esta decisão de sair do país?
      Por que essa dispersão do nosso povo?!

      PORQUE não temos ofertas de trabalho;
      porque não temos um país seguro;
      porque não temos GOVERNANTES HONESTOS;
      porque impera a corrupção;
      porque convivemos permanentemente com injustiças, desprezos, omissões, crimes hediondos e com a IMPUNIDADE!!!

      Indiretamente o Estado está nos mandando embora!
      Quer diminuir a população, pois atingimos o limite absoluto de não mais aguentarmos tantas mortes ocasionadas pela violência incontrolável e incentivada, então quer que deixemos o Brasil, que melhoremos as condições das castas e elites.

      O nosso caso é de Diáspora, Leão, haja vista a dispersão (significado de diáspora) do povo brasileiro mundo afora!

      Ah, por que discordo da palavra Hégira conforme colocaste ao final do teu comentário?
      Mesmo que estivéssemos neste processo de separação (diferente de diáspora, dispersão), a espada continua e implacável!
      Ou preciso resgatar as morte de mais de 200 mil brasileiros A CADA ANO, vitimados pela violência, saúde deteriorada, estradas sem condições, fome, doenças infecto-contagiosas ….

      Tá, podem não ser espadas, mas matam mais do que essas armas!!!

      Abraço.
      Saúde.

      • Caro Bendl,

        Os próprios xeiques, os imãs falam muito sobre isso em suas rezas nas mesquitas.

        Por que o presidente turco está engajado apoiando organizações e financiando a construção de mesquitas fora de seu território? – em especial, mas não somente, em países vizinhos.

        Por que só a Áustria expulsou 60 imãs financiados pela Turquia de seu território no ano passado, determinando, ainda, o fechamento de mesquitas?

        Por que Omã, Emirados Árabes, Arábia Saudita, fazem o mesmo com uma política de expansão para além de seus territórios ricos em petróleo?

        Num primeiro momento, pode parecer isso tudo absurdo, já que vemos muitos desses países se mostrando aos turistas estrangeiros como maravilhosos.
        A entrada de grupos, antes dedicados à exploração do petróleo, em investimentos em redes hoteleiras, ações de promoção de atividades desportivas (formula 1, futebol) é mera parte do todo projeto expansionista do Islã.

        São os meios para atingir o fim que é a dominação.

        Não ignorem o Corão.

  7. Aplaudo o artigo de Carlos Newton, pois aborda a realidade brasileira sem eufemismos ou tergiversações.

    O problema do Brasil chama-se GOVERNANTES!

    De quebra ou contrapeso, um parlamento venal e um STF altamente comprometido politicamente.

    Resta-nos tão somente, obedecer e outorgar poderes, conforme repito pela enésima vez.

    Logo, os tais poderes constituídos são verdadeiros inimigos do povo, tanto pelo que fazem de mal, pelo que são omissos, pelo que nos roubam e exploram, que repudio veementemente quando leio ou ouço alguém desse time vociferar, se cuspir completamente, tipo petista, que estamos em “pleno estado democrático de direito”!

    Mas vão mentir para quem quiser, quem querem continuar enganando, mentindo, explorando e roubando.

    Vou mais longe:
    Aos que se rasgam, estremecem, berram, se atiram no chão, têm chiliques, béribéri, trilili, ziquizira, chiribitz – eu pediria que fossem honestos consigo mesmos antes e depois comigo e leitores -, me falem qual é a diferença da ditadura, que até hoje é o tema da esquerda, com a situação atual??!!

    – Ah, não temos mais torturas!
    Quem afirma tal hipocrisia?

    Afora os policiais mortos em combate por assassinos e traficantes, quantas pessoas as polícias deram cabo nesses últimos 34 anos?

    A pobreza e a miséria, que aumentaram vertiginosamente nessas últimas três décadas para cá são o quê?
    Tratamento VIP?!

    Quantos morreram nas portas de hospitais ou postos de saúde à espera de atendimento?
    Isso foi tortura ou jogo de resistência com o doente?

    Quantas mil pessoas vitimadas pela violência exacerbada são mortas a cada ano?
    Mulheres, crianças, idosos, adultos jovens, adolescentes – todos inocentes -, poderíamos denominar de “efeitos colaterais” do baixo poder aquisitivo das pessoas ou, falando sério, pela incompetência e desprezo dos governantes para com o povo?!

    Quantas milhares de pessoas foram mortas nas estradas porque mal conservadas, sem fiscalização, sem condições?!
    Tal negligência criminosa é para testar quem é bom no volante?!

    Quantas pessoas são torturadas hediondamente porque desempregadas?
    Outro teste para se verificar até onde o cidadão suporta as pressões de, sem dinheiro, sem trabalho, qual será a sua reação?!

    – Ah, mas antes não podíamos votar!
    Em algumas situações não, é verdade.
    Mas, hoje, ao podermos escolher nossos “dignos” representantes, mudou o quê??!!
    Mudou para o parlamento, Judiciário, que se transformaram em castas, e para nós, o povo??!!

    PIOROU!!!

    Evidente que a ditadura foi um período ruim para alguns, indiscutivelmente.
    Que houve atos que depuseram contra a dignidade humana, respeito, consideração.
    Que houve inocentes detidos e torturados.
    Que houve perseguição psicológica e ideológica e muitos tiveram prejuízos incalculáveis com a perdas de empregos …
    tais circunstâncias são indiscutíveis.

    No entanto, se antes os “caçados” eram aqueles que também caçavam os militares, que praticavam atentados, que sequestravam, que roubavam, que organizaram guerrilhas, que queriam implantar outra ditadura, a deles, atualmente os governantes é que nos caçam, torturam, nos exploram, nos roubam, e exigem que os tratemos como reis, paxás, emires, sultões, semideuses, e a todos nós, indistintamente!!!

    Por essas e outras que tenho insistido sem qualquer receio, sem medo algum, que UMA DA SOLUÇÕES, aquela que seria a mais importante de todas, é o fechamento do Legislativo!

    – Ah, mas isso é antidemocrático?!
    Mais antidemocracia do que vivemos?
    Sem direito algum, sem podermos participar das decisões de governos, sem qualquer opção, a não ser cumprir com as determinações impostas, suportarmos as injustiças, discriminações, segregações … mas que democracia é esta??!!

    Seria uma espécie de “democracia” bizarra??!!
    Se a definição da palavra é governo do povo, para o povo e pelo povo, hoje, o correto é:
    governo das elites e castas, para as elites e castas, pelas elites e castas!

    Grande democracia!

    Mil vezes o sistema chinês, mais JUSTO, infinitamente menos dispendioso para o país, enquanto 35% da população – mais de 500 milhões de pessoas – já pertencem à classe média!!!]

    E, quanto a nós, os brasileiros com relação à democracia?
    Aumenta a pobreza, a miséria, o desemprego, a inadimplência, o desespero, os crimes, a corrupção, roubos dos poderes constituídos, explorações dos governantes contra o povo, falta de esgotos, água encanada, estradas, ferrovias, escolas, pontes, viadutos, elevadas …

    Mas que democracia esta nossa, perfeita!!!

    Bah, mas vão lamber sabão!!!

    Enalteço a coragem do Mediador em postar o que o que pensa sobre as razões pelas quais atingimos níveis tão baixos, e que tanto têm nos prejudicado, na razão inversamente proporcional ao bem-estar, à riqueza, ao conforto, À IMPUNIDADE, das castas e elites nacionais!

    Pro raio que parta com esta democracia suja, imunda, podre, falsa, abjeta!

    Pro diabo que carregue aqueles que mais ainda nos desprezam, nos humilham, nos colocam abaixo da linha da dignidade humana, governantes DE MERDA!!!

    • Permita me discordar de um ponto, caro Bendl. A desgraça do Brasil é o povo, acabamos de reeleger grande parte dos políticos reconhecidamente corruptos!
      Neste momento não sabemos mais quem veio primeiro, os políticos corruptos ou o povo despreparado que os elegem, por falta de educação básica, cidadania e patriotismo.
      Abraços

      • Concordo plenamente com a Tereza!

        Os que babaram de ódio contra o Congresso no último domingo omitem que nenhum dos vagabundos quer ali estão caiu de para quedas. Foram ELEITOS pelo mesmo povo que seu às ruas para pedir o seu fechamento.

        Lembrando mais uma vez: ““A Câmara é a representação do povo. Os deputados não são santos porque o povo também não é santo” (Bonifacio Andrada, que foi deputado federal por dez MANDATOS, e conhecia muito bem o péssimo nível no seu eleitorado)

        Esse verdade dói para muita gente, o Congresso só é essa porcaria porque os que ali estão foram eleitos pelo mesmo povinho de merda que hoje é induzido a odiá-lo.

      • Minha querida Teresa Fabrício,

        Desde que tu escrevas no blog, mesmo tu discordando de mim em todos os pontos e não apenas um deles, eu me sentiria alegre e satisfeito porque li um comentário de tua autoria!

        Não em defesa da minha argumentação quanto ao ponto que discordas, mas para ampliar o meu texto, digo o seguinte:
        Aproveitando parte do teu último parágrafo, onde mencionas a tua dúvida sobre quem teria vindo primeiro, se políticos corruptos ou o povo despreparado(sic), humildemente afirmo que o despreparo popular tem um culpado flagrante, indiscutível, o político corrupto!

        Logo, se elegemos a escória política do país, o crème de la crème da corrupção, trata-se da consequência do fraco ensino que os governantes nos oferecem!

        Ora, minha cara amiga, inteligente, sensível, de grandes conhecimentos, uma mulher que tanto admiro e reverencio, se atualmente nos caracterizamos pelo analfabetismo que está estacionados há anos, o aumento do analfabetismo funcional, o ensino de péssima qualidade, presidente que se jacta de jamais ter lido um livro, de os cursos Fundamental e Médio serem muito mal atendidos, do descaso dos governantes com este segmento de fundamental importância para nosso desenvolvimento, o congresso, o parlamento, o antro de venais, simplesmente representa a si mesmo, não o povo, mas seus interesses e conveniências pessoais e partidárias porque o Legislativo tem plena consciência que este despreparo que mencionaste OS BENEFICIA LARGAMENTE!

        Tal procedimento traidor, vergonhoso, desonesto, ladrão, deve-se ao nosso total desconhecimento dos nossos direitos e deveres, logo, não protestamos, não reclamamos, não exigimos comportamentos adequados porque sequer temos um, em face da miséria e da pobreza!, do desemprego, das imensas dificuldades e barreiras intransponíveis!

        Claro que acuso – então concordo contigo -, os que sabendo desta podridão política nacional, a enaltecem, a valorizam, e têm o caradurismo de vomitar palavras que atestam o povo viver um período de “pleno estado democrático de direito”, canalhas!

        Enfim, deixei de lado criticar esses eleitores de gente que não presta, por uma única razão:
        De nada adiantaria elegermos até mesmo padres, pastores, professores, gente honrada, pois a política deletéria e nefasta, iria corrompê-los inexoravelmente!

        Ou seguem a cartilha ou são expelidos naturalmente.

        Por essas e outras, que defendo veementemente que, se quisermos solução para o Brasil, ela passa obrigatoriamente pelo fechamento do Legislativo!

        Assim, cortamos o mal pela raiz em definitivo!
        Não haverá mais corruptos e tampouco quem votará nessa corja!

        Abração, minha cara.
        Saúde, e vida longa, Teresa.

      • Caro Bendl, as vezes somos tentados a pegar um atalho, fechamos Congresso e Supremo e começamos tudo de novo, sem regalias, sem altos salários, sem indicações. Mas o bom senso nos pede para termos paciência. O caminho será longo e conturbado, mas espero que meus netos vivam num Brasil melhor, cultivando a volta de valores perdidos. Discordo do CN quando diz que disputa a política ideológica é uma enganação. A disputa está aí, no mundo todo, polarizando. Sim, quem ganha são os políticos, de qualquer vertente, mas o povo sofre com o embate.
        Saude, obrigada pelo carinho, abracos

  8. Não sei se os amigos perceberam uma mudança no tom das reportagens dos saudosistas da “era do roubo fácil, com impunidade garantida”. Seguinte, desde que o ‘capo dei capi’ ordenou, da sua cela, o “Mourão, não!”, desapareceram, num passe de mágica, textos sugerindo o impedimento ou a renúnica do Bolsonaro.
    Por falar em política, caro CN, como anda a aliança dos primos oligarcas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *