Brasil precisa de um novo Itamar, que venceu a inflação e soube conter a dívida pública

MORTE DO EX PRESIDENTE ITAMAR FRANCO COMPLETA 10 ANOS - Carmo Web TV

Itamar Franco, um político que soube honrar a Presidência

Carlos Newton

O general Golbery do Coutto e Silva nem era verdadeiramente general, pois abandonara o serviço ainda como coronel e ganhara a promoção por generosidade corporativa militar, digamos assim. Mas era um oficial verdadeiramente superior.

Parodiando a teoria do artista plástico americano Andy Warhol, que previa a fama por apenas 15 dias, Golbery costumava dizer que a memória do povo brasileiro também dura apenas 15 dias. Depois disso, o assunto de Golbery ou a fama de Warhol logo se esgotariam, para cair numa espécie de esquecimento coletivo.

Este raciocínio de Golbery parece mesmo ser verdadeiro e explica muita coisa na política. Aliás, não por mera coincidência, o cineasta Glauber Rocha, que jamais foi militarista, considerava Golbery o “gênio da raça”, por ter sido eminência parda da ala moderada do regime militar, que enfrentava a chamada linha dura de Costa e Silva, Emílio Médici e Silvio Frota.

FOI DEMONIZADO – Principal mentor da abertura política nos governos de Ernesto Geisel e João Figueiredo, como chefe da Casa Civil, Golbery acabou abandonando o Planalto em agosto de 1981, em protesto à reação da linha dura, que cometera os atentados a bomba na Tribuna da Imprensa e no Riocentro.

Embora tenha sido demonizado pela esquerda, o fato concreto é que, sem a moderação de Golbery, o regime militar brasileiro teria sido ainda mais truculento, e a História há de perpetuar esses fatos.

Hoje, um pensador como Golbery, autor do livro “Geopolítica do Brasil”, faz falta ao governo paramilitar de Bolsonaro, que se desfez do mais preparado oficial de seu entorno, o intelectualizado general Otávio Rêgo Barros, que poderia ter sido o conselheiro ideal desse estouvado e despreparado capitão, que só chegou ao poder pela ironias do destino.

TESTANDO GOLBERY – Agora, estamos no decisivo ano eleitoral, em que será testada ao vivo e a cores a teoria de Golbery. Na disputa presidencial, veremos se a memória do brasileiro dura apenas 15 dias, ou o eleitor vai lembrar o passado recente.

Na hora de votar, não podemos esquecer que houve governos “beirando a irresponsabilidade”, como na era dos tucanos privatistas”.

Depois, tivemos o mensalão e o petrolão do petismo, quando Lula da Silva, José Dirceu, Antônio Palloci e muitos outros enriqueceram surpreendentemente.

MAIS LEMBRANÇAS – Em seguida, precisamos lembrar a derrocada econômica e as pedaladas de Guido Mantega e Dilma Rousseff. Logo depois, o início da venda dos ativos da Petrobras no curto governo do corrupto Milton Temer, chefe do chamado “quadrilhão” do PMDB.

Mas recentemente, tivemos o tratoraço, o orçamento secreto, as emendas sem dono e a transformação do Brasil no país da impunidade, na gestão de Bolsonaro, que se aliou aos mestres da corrupção e ainda alega ter moralizado a administração pública, vejam a que ponto chegamos.

###
P.S.Como diziam os sambistas Aldacir Louro, Aluizio Marins e Adolfo Macedo, criadores do eterno sucesso “Recordar é Viver”, é preciso sonhar que podemos reviver o passado. Assim, nas eleições, seria oportuno que os brasileiros votassem em alguém como Itamar Franco. Em sua breve gestão, o político mineiro tirou o Brasil da inflação e deixou a dívida pública em meros R$ 60 bilhões. Depois dele, uma sucessão de governantes irresponsáveis elevou essa dívida para R$ 5,5 trilhões. Atenção, são trilhões. Portanto, se o eleitor não tiver juízo, logo serão quaquilhões, como dizia o Tio Patinhas. (C.N.)

17 thoughts on “Brasil precisa de um novo Itamar, que venceu a inflação e soube conter a dívida pública

    • Prezado Antônio Rocha
      Acho que Moro tem que ir até o fim na sua campanha eleitoral. Se perder, quem sabe na próxima eleição. Lula disputou três vezes e ganhou na quarta. Só para FHC, Lula perdeu duas vezes.
      E afinal, o que Moro faria no Senado? Uma casa, incompatível com sua característica executiva.
      A entrada de Moro na disputa incomoda tanto Bolsonaro quanto Lula e Ciro. Mas, quem mais saiu prejudicado foi sem dúvida nenhuma, o presidente Bolsonaro, que mordeu a isca, ao atacar seu ex-ministro até com certa dose de ódio.
      Esse pessoal, trai, humilha, demite, destrói e quando recebe o troco, ficam magoadinhos alegando traição e outras bobagens. Se ligam gente, em política, não existe dar a outra face para bater
      Quem pensa assim, demonstra uma ingenuidade atriz e um desconhecimento da vida.

    • Antônio Rocha, recomendo o artigo do Marcelo Nino sobre a reabilitação de Confucio, no Globo de ontem. Está espetacular. Estou fazendo uma resenha sobre o que entendi do arrazoado

  1. Bom dia , leitores(as):

    Senhor Carlos Newton , esquecestes de mencionar que o entao Presidente ITAMAR FRANCO foi o único que HONROU O CARGO , ou seja , não roubou,não mandou roubar e nem deixou roubar e muito menos enriqueceu no cargo, deferentimente dos ex-presidentes e do atual presidente Jair Bolsonaro.

  2. Itamar Franco, meu caro amigo Carlos Newton, também agora rápido. Quando soube das denúncias de corrupção do seu amigo e Chefe da Casa Civil, Henrique Hargreaves, imediatamente afastou o Ministro para ele se defender fora do cargo.
    Bem, comprovado a inocência de Henrique, Itamar Franco o manteve no cargo. Simples assim.
    De Itamar até hoje, não há exemplo dessa Ética.
    Se algum leitor lembrar de fato semelhante, que traga a baila, para nós, porque a memória brasileira é muito curta igual ao salário dos trabalhadores, diminuído drasticamente pelo Paulo Guedes.

  3. Também agia rápido, o presidente mineiro de Juiz de Fora. Itamar foi o responsável pela vitória de Fernando Henrique, ao nomea-lo Ministro da Fazenda e depois indicar e apoiar o sociólogo na disputa para a presidência do país.
    Depois brigaram.

  4. Itamar foi traído por Fernando Henrique.

    Itamar seria candidato a presidente do Brasil após Fernando Henrique.

    Fernando Henrique deu o golpe em Itamar ao comprar dos congressistas a alteração da Constituição, permitindo a reeleição. Esse foi o motivo da briga.

    No que fiz respeito ao Golbery – brasileiro nascido em Rio Grande/RS – tudo o que está escrito no artigo é verdade. Homem preparado e inteligente. Foi um grande brasileiro.

    E, como consequência desse ato desonesto de FHC tivemos a reeleição dele, de Lula, de Dilma – tudo em comprovado prejuízo para o Brasil.

  5. Bom dia , leitores(as):

    Senhores Carlos Newton e Roberto Nascimento lembram-se do REI DOS DOSSIÊS o então senador Antônio Carlos Magalhães que vivia bradando contra seus desafetos,e pediu uma audiência ao então presidente ITAMAR FRANCO,com o intuito de demoraliza-lo perante o público,mas o tiro saiu pela culatra,diante de todos órgãos de imprensa que ITAMAR FRANCO convocou sem o REI DOS DOSSIÊS saber e mostrar tais documentos comprometedores que o senador dizia ter , e não os tinha , e culminou com o ÓDIO por ITAMAR FRANCO te-lo desmascarado e desmoralizado em público.

  6. Senhor Roberto Nascimento,o então Senador Antônio Carlos Magalhães dizia ter DOSSIÊS de TUDO E DE TODO e para todos os gostos , mas caiu na besteira de fazer graça com o ITAMAR FRANCO,e pasmem não é que o senador para com os dossiês .

  7. Senhor Celso , queres o que se Fermando Henrique Cardoso traiu a própria esposa Dona Ruth , e terminou sendo traído pela jornalista amante , que o fez assumir o filho de outro homem amante dela, que ficaram escondidos em Paris, bancada com dinheiro público através de uma emissora de televisão.

  8. Caro Newton,

    Sem esgotar os temas, oportuna e pertinente a lembrança de Itamar, não obstante os erros cometidos, um deles, acreditar no “Sociólogo de Safardana”, nas palavras do saudoso Helio Fernandes.

    Aproveito para expressar os votos de Feliz Ano Novo a todos na TI!

    Cordialmente,
    Christian.

  9. Infelizmente os Golberys e os Itamares tão necessários não existem mais, ou se existem estão muito bem escondidos. O Brasil continua sendo aquele gigante que ainda não sabe o que fazer com o seu potencial. Será que um dia o gigante brasileiro vai despertar?

  10. Num cara que confessou ser mentiroso ao dizer depois de eleito ao ser cobrado pelas promessas de campanha que “era tudo bravata de campanha”, não dá para apostar mais nenhuma ficha, né ? Ajudar a tirá-lo da cadeia face as cagadas judiciárias do Moro, com segundas intenções partidárias e eleitorais tudo bem, era nosso dever de solidariedade humana, mas daí a outorgar-lhe mais um mandato de presidente, depois de tudo que vimos com os próprios olhos, não dá , né, aí é forçar demais a barra, o companheirismo e a amizade, é má-fé, é apostar que somos todos idiotas. Ademais, a Mega-Solução para o país e a população não está lá nos EUA, mas está isto sim aqui no Brasil, inclusive além da cognição política norte-americana, e atende pelo nome de RPL-PNBC-DD-ME, porque não podemos ficar esperando que os gringos venham fazer por nós aquilo que é o nosso dever fazer. Ademais, a toada do lulopestismo não cola mais nos EUA, com Biden, Kamala e Obama no comando, com os quais o filme de Lula está pra lá de queimado. Vale dizer, o Brasil e o povo brasileiro necessitam de Solução e não de mais enganação, embromação e perda de tempo. Um cara que depois de eleito diz que o que havia prometido em campanha “era tudo bravata de campanha”, é no mínimo um candidato do tipo “me engana que eu gosto”, cujo eleitores só podem ser cúmplices ou do tipo parecido à tal “mulher de malandro” que gosta de apanhar. Acorda irmão e irmã, esse cidadão pode até ter tido boas intenções mas ele tb faz parte do desastre civilizatório que ai está, agravado por Bolsonaro seu ex-apoiador no congresso. Não se esqueçam que quem decretou os 20 anos de recessão que ai está foi o próprio Czar da Economia de Lula, o Meirelles, sob a batuta do Temer, vice imposto por ele a Dilma, para tentar estancar o terrível processo de endividamento e destruição do país, de modo que muita besteira foi feita tb no governo Lula, tipo braseiro encoberto. Meirelles, aliás, agora na “equipe” do Dória, tudo mais dos me$mo$, que urge mandarmos todos e todas à Tonga da Mironga do Kabuletê, como propõe a Revolução Pacífica do Leão, a RPL-PNBC-DD-ME, a revolução redentora da política, do país e da população, o megaprojeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, porque basta, chega dos me$mo$. https://veja.abril.com.br/coluna/radar/em-2022-pt-resgata-uma-velha-fantasia-de-lula/?fbclid=IwAR0fe20J_xVgfO9nhwoCuiTezw48nLc6i-BCwRG4Kr75lf9H4kCVAwRz944

  11. Senhor Loriaga Leão,acontece que depois das decisões da primeira instância,houveram mais outras instâncias que a endossaram , aprovaram e confirmaram , portanto os ministros/juizes do Supremo Tribunal Federal-STF incorreram em varios crimes para limpar a barra do Lula e se livrarem de Jair Bolsonaro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *