Brasil se tornou o país do crime institucionalizado

charge_amarildoWagner Pires

É o governo brasileiro que provoca as distorções da economia. Um exemplo disso ocorre com a reserva de mercado (outra distorção econômica) para a indústria cimenteira brasileira. O governo garantiu a reserva de mercado para a indústria de Antônio Ermírio de Moraes, o que tornou o produto, aqui no país, sempre mais caro que em outros países. No Peru, país vizinho nosso, o cimento é produzido com a mesma qualidade da nossa indústria nacional, porém, sai para o consumidor daquele país por um terço do preço praticado aqui no Brasil.

No Brasil o setor público, através de políticas às avessas, se especializou em criar dificuldades para vender facilidades. E nenhum grupo político se interessou em mudar a maquiavélica dinâmica, justamente porque tal sistemática tem o condão de beneficiar os grupos políticos que se intercambiam no poder.

Um exemplo bem nítido disso que falamos ocorre com o sistema tributário. Sabemos que o sistema brasileiro é profundamente injusto, pois penaliza os mais pobres e beneficia os que possuem maior poder de barganha. Nosso sistema tributário, de uma maneira geral, pode ser chamado de regressivo, acentuando ainda mais o problema da distribuição de renda no país.

Sobre as pessoas jurídicas, não é diferente. A arrecadação tributária é sustentada pela cadeia das micro e pequenas empresas, pois, as grandes empresas são beneficiadas com tratamento tributário diferenciado: seja com a simples isenção do imposto, seja com a redução da base de cálculo do ,ue pode chegar a mais de 80% do tributo. Além disso, é muito comum o Estado oferecer subsídios a estas grandes empresas com financiamentos subsidiados.

IMUNIDADE TRIBUTÁRIA

Se as grandes empresas caem na malha fina ou em alguma fiscalização tributária mais acurada, seus processos, com lançamento tributário justificados em multas por infração, são arremetidos para os Tribunais Administrativos de Tributos dos respectivos entes federativos e lá, garantidamente, ganham as causas em prejuízo do ente federativo a que pertencem e da União.

Não nos esqueçamos, também, de que a política de empréstimos do nosso banco de fomento – o BNDES – também demonstra a perversidade e o grau de interferência do Estado Brasileiro em nossa economia, quando vemos que 60% dos recursos do banco são direcionados às empresas de grande porte e o restante às empresas micro e pequenas empresas, quando o mínimo que se poderia esperar era a inversão desta lógica, uma vez que mais de 80% dos postos de trabalho da economia nacional são ofertados pelas micro e pequenas empresas.

Vemos assim que a interferência estatal na economia brasileira guarda ao menos duas estratégias perversas, que são: 1) criar dificuldades para vender facilidades aos grupos políticos que se revezam no poder; e 2) garantir a vantagem econômica a esses grupos políticos e seus negócios.

TUDO É CARO

Não é à toa que tudo o que é fabricado no Brasil sai muito mais caro do que o similar produzido em países que gozam da liberdade econômica que aqui não temos. Louco é o brasileiro que quer empreender e abre um negócio neste país sem antes ter-se garantido o necessário apadrinhamento político.

No Brasil, a interferência estatal na economia é puramente proposital e dotada da mais profunda má-fé. Pode ser considerada criminosa, mesmo, porque o Brasil é o país do crime institucionalizado, que funciona dentro da própria administração pública.

 

5 thoughts on “Brasil se tornou o país do crime institucionalizado

  1. De tudo, o mais injusto é a tributação.
    É covardia o absurdo de impostos pagos aos governos. Ora, às vezes tenho a impressão de que trabalho pra três patrões: o da cidade, o do estado e o da país.
    Oxe, não sei qual dos três me maltrata mais. Antes dividissem este Brasil em vários países a ter um sistema injusto assim. Não aguento sustentar tanta gente mais não.
    Esses governos têm se aloprado em cima do meu dinheiro.
    Em nome da federação assaltam o cidadão!
    Se o problema fosse só a corrupção seria muito fácil de resolver. O problema é que falta mesmo boa vontade de fazer a coisa acontecer. Parece que quanto mais desorganizado mais fácil de roubar…

  2. O Brasil é um pais diferente. Aqui o vergonhoso é ser honesto, decente, ético e trabalhador. Ladrão fino,
    é tratado por VOSSA EXCELÊNCIA e o roubado jamais é devolvido a vítima.
    O gosto é tanto pela apropriação do bem alheio, que a justiça já nem mais penaliza o ladrão, com o argumento de que furto/roubo é um crime de pouco poder ofensivo.
    Ora, imagina que bandidos homicidas são facilmente liberados pela justiça, como vamos querer que um
    “excluído” pelo capitalismo, fique preso?
    O nosso pais é único, não existe outro igual. Como já dizia o poeta, criança, jamais verás um pais como este.

  3. Não é atoa que já cunharam a critica, mais que pelo andar da carruagem bem poderia ser o lema da república:
    – o Brasil não é para amadores.

  4. A crítica do ilustre Autor, Sr. WAGNER PIRES, está em linhas gerais correta, mas a meu ver, ele na busca da perfeição, exagerou um pouco. Não nos tornamos ainda o País do crime institucionalizado. A própria Operação Lava-Jato, e outras, estão aí para demonstrar que ” ainda tem Juízes em Berlim “. Temos muitas imperfeições, Sim, e temos mais ainda DESORGANIZAÇÃO.

    A Reserva de Mercado é o preço a pagar, para desenvolvermos aqui dentro, uma Indústria Nacional com Matriz no Brasil, aquela que cria TECNOLOGIA NACIONAL, que pode dar Alto Padrão de Vida ao POVO, e que CAPITALIZA de verdade a Economia Nacional. Em casos pontuais o Governo cometeu excessos. Errou muito em não fomentar o máximo possível de Concorrência, aqui dentro.

    O nosso Sistema Tributário não é bom, é muito complexo, e muito mutável todo ano. Quanto as grandes Empresas/Corporações, que sempre são as MAIORES DOADORAS DE CAMPANHAS POLÍTICAS, é difícil depois fazer Justiça perfeita. Mesma coisa para nosso FINANCIAMENTO SUBSIDIADO via BNDES. Nosso Sistema Político tem grandes imperfeições.

    Temos um ESTADO ( Federal/Estadual/Municipal) INCHADO, ENDIVIDADO, que gasta bem mais do que Arrecada, mesmo Arrecadando +- 38% do PIB, o que é exagero para País sub-desenvolvido de Renda per Capita +- US $ 14.000, e ainda com viés de baixa. Somos muito dependentes do Capital Internacional (+- 60% de toda a Economia Brasileira), e para retê-lo aqui, precisamos colocar o Juro nas alturas. Mas com artigos como o do Sr. WAGNER PIRES, vamos tomando consciência da situação, e podemos pensar em SOLUÇÃO. SOLUÇÃO, os problemas, TEM. Abrs.

    • Caro Bortolotto,
      Sim, o Brasil é o país do crime institucionalizado. Começa pelo asilo politico ao bandido italiano e transcende com o Mensalão. Quantos mesmos continuam na cadeia? Principalmente aqueles do núcleo político do PT. Afinal, o que é isto? Ministros do Supremo atrelados politicamente ao governo central! E agora, mais um quase ministro que já começou bandido com o dinheiro público. O Wagner Pires, foi até bondoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *