Brasileirão 2013 – O plano para salvar o Fluminense

Fernando Jorge Almeida

Eu não sou torcedor fanático, nem desejo ver nenhum time carioca se ferrar. Mas numa análise bem fria, cheguei a seguinte conclusão sobre a armação para salvar o Fluminense:

1. Plano “A”: Bastava o Flu ganhar do Bahia e o Coritiba não bater o São Paulo.

2. Plano “B”: Se o Coritiba estiver batendo o São Paulo, escalar o jogador suspenso pelo STJD.

Senão, vejamos: O jogo da Portuguesa não valia para nada, portanto não havia a menor lógica em escalar um jogador irregular, aos 32 minutos do segundo tempo, que jogou menos de 95 minutos durante o campeonato inteiro.

Conclusão:

1. Acho que a Portuguesa não perde os pontos se o seu advogado apelar para a Constituição e o Código de Processo Civil, que afirma que toda decisão judicial só vale a partir do primeiro dia útil após a publicação. Uma regra do STJD não pode atropelar as leis maiores.

2. Se perder, além de recorrer, pode investigar passo a passo, o processo que levou o técnico a escalar o referido jogador. Nesse caso, uma investigação séria, pode jogar muita merda no ventilador.

(artigo enviado por Mário Assis)

4 thoughts on “Brasileirão 2013 – O plano para salvar o Fluminense

  1. Dona Dilma Roussef vai ganhar no primeiro turno porque os defensores da moralidade são como os advogados da Portuguesa indicados pela CBF: usam o passado para justificar o presente. São como aquele personagem que dizia :”Sou, mas quem não é !!”.

  2. O STJD, proferiu a queda da Portuguesa, pelo fato do relator interpretar a regra friamente e ser
    acompanhado pelo juiz. Ainda que a Portuguesa tenha errado em colocar o jogador suspenso,
    não alterou a classificação, a Portuguesa poderia até perder, que não seria rebaixada, não houve
    vantagem para o time em escalar o jogador que estava suspenso, assim também como o Flamengo.
    O direito não é uma ciência exata, e sim humana. A Portuguesa poderia sofrer uma pena, como
    por exemplo: o jogador seria suspenso por vários jogos e o time pagaria uma multa pesada,
    jamais perder os pontos ganhos dentro do campo, só deveria perder os pontos caso o resultado em
    campo a favorecesse. A meu ver, é uma lei capenga, que vai favorecer outro time que dentro de campo
    não fez Jus para merecer ficar na primeira divisão.

  3. Deve ter sido “duro” chegar a tal conclusão, “plano A- bastava o Flu ganhar do Bahia e o Coritiba não bater o São Paulo” e o “plano B – “se o Coritiba estiver batendo o São Paulo, escalar o jogador suspenso pelo STJD”, agora, para colocar em prática o plano B do autor da matéria, era preciso que o Departamento jurídico da portuguesa autorizasse, como autorizou, a escalação do jogador e o técnico, que nesta altura do campeonato estaria conivente com a “armação”, assim como toda a diretoria e todos os jogadores, que não ficariam nem um pouquinho chateados em serem rebaixados, e consequentemente terem em seus respectivos currículos, esta magnífica proeza.
    O que aconteceu é que a Portuguesa errou de forma infantil e tem que pagar pelo erro. Se não tivesse errado, quem cairia para a segunda divisão era o Flamengo, que também cometeu o mesmo erro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *