Brasileiros devem torcer por Biden, para recuperar a dignidade da diplomacia do Itamaraty

174 anos de nascimento do Barão do Rio Branco | Curso Sapientia

Que falta faz ao Brasil um chanceler como Rio Branco…

Carlos Newton

Desde o início da gestão de Jair Bolsonaro, tendo como chanceler o jovem e inexperiente embaixador Ernesto Araújo, tornou-se evidente o equívoco da política diplomática de aproximação e submissão aos Estados Unidos, que talvez seja o maior erro do atual governo. Durante a chamada Guerra Fria, como dizia o então secretário de Estado, John Foster Dulles, “os Estados Unidos não tem aliados, apenas interesses”.

De lá para cá, nada mudou. Por isso, para os sucessivos governos brasileiros, as eleições para presidência dos Estados Unidos jamais tiveram maior importância. Democrata ou republicano, o candidato vencedor não faria diferença nessa política externa imperialista norte-americana.

SEM NOVIDADES – É preciso lembrar que o imperialismo não é nenhuma novidade na história do mundo, vem se repetindo desde os romanos e gregos, com destaque para Alexandre Magno, um fenômeno como chefe militar que viveu apenas 32 anos, cujas conquistas foram realmente extraordinárias.

Depois, esses sonhos imperais chegaram ao auge com o Império Britânico, onde o sol nunca se punha, que resistiu ao expansionismo germânico de Adolph Hitler, mas acabou superado pelo imperialismo americano, que tem um estilo mais moderno de dominar duplamente, pela simultânea influência militar e econômica.

O Brasil sempre soube conviver com a situação internacional de forma hábil e proveitosa, como vinha fazendo desde a Independência, com destaque para a fase do Barão de Rio Branco, o maior ministro do Exterior que já tivemos.

O GRANDE DIPLOMATA – Como advogado, jornalista, diplomata, geógrafo, professor e historiador, Rio Banco se destacou em todas essas atividade. Hoje, é mais lembrado como diplomata, por ter garantido e estendido as fronteiras brasileiras, conseguindo incorporar definitivamente ao Brasil uma área de 900 mil quilômetros quadrados.

Em 1895, assegurou para o Brasil boa parte do território dos estados de Santa Catarina e Paraná, no litígio da questão de Palmas, contra a Argentina. Cinco anos depois, na virada do século, derrotou diplomaticamente a França na disputa de fronteira do Amapá com a Guiana Francesa.

Em 1903, a grande glória, com a incorporação do Acre, consolidando a façanha do major Plácido de Castro, que liderou os seringueiros e derrotou o Exército e a Marinha da Bolívia. Com isso, Plácido de Castro evitou que o Acre se tornasse um território governado por um consórcio anglo-americano.

FALSO IMPERIALISTA – Embora fosse acusado de “imperialismo” pelos argentinos, Rio Branco era justamente o contrário, um cidadão do mundo, que soube reconhecer os direitos do Uruguai ao regime de águas compartilhadas com agricultores brasileiros na região da Lagoa Mirim. Foi até homenageado pelo governo uruguaio, que deu o nome de Rio Branco a uma importante cidade na fronteira.

O fato concreto é que, quando o presente é turvo e pegajoso, é melhor recordar boas coisas do passado, como a atuação de Rio Branco. Hoje, temos no Itamaraty o pior chanceler da História, um diplomata subserviente, de tal forma curvado aos Estados Unidos que só falta aparecer o cofrinho da cueca.

###
P.S.
Por tudo isso, os brasileiros deve torcer pela vitória do democrata Joe Biden nos Estados Unidos. Pode ser que a derrota de Trump desperte Jair Bolsonaro e Ernesto Araújo para a necessidade de o Brasil retomar sua histórica diplomacia independente e altiva, que teve no Barão do Rio Branco seu maior expoente. Afinal, sonhar ainda não é proibido. (C.N.)

15 thoughts on “Brasileiros devem torcer por Biden, para recuperar a dignidade da diplomacia do Itamaraty

    • Se isso acontecer, não descarto, pois o Bozo é só patriota até a página 2, a máscara de capacho do Bozo cai de vez, e mostra que não importa se é Democrata ou Republicano que está na Casa Branca, o Bozo vai bajular do mesmo jeito.

  1. 1) Mas – Movimento ao Socialismo venceu eleições presidenciais na Bolívia, em primeiro turno, com maioria nas duas câmaras. Espero que tomem posse e consigam governar.

    2) O grande erro de Evo Morales foi querer mudar a Constituição mais de uma vez para se perpetuar no Poder.

    3) Ele se confundiu, socialista que se preza não quer se perpetuar nos Poderes a custa de mudanças constitucionais.

    4) Socialista de fato segue os votos democraticamente.

    5) Não confundir Socialismo com autoritarismos vários…

  2. Nossa Politica está polarizada entre uma Esquerda que contém o PT-Base Aliada hoje bastante desunida, liderada pelo Presid. LULA (75), e a Direita, Coalizão de remanescentes do Movimento Cívico Militar de 64 (FFAA) que foram muito injustiçadas pela parcialíssima Comissão da Verdade do PT-Presid. DILMA (72), dos Conservadores Sociais, e dos Evangélicos, que foram unidos pelo Presid. BOLSONARO (65) que enxergou primeiro que outros essa possibilidade.

    Em Política Externa, o PT-Base Aliada buscava se alinhar com Países dos BRICS, Países da América Latina e Terceiro Mundo, tendo um viés anti-Americano, embora no Brasil, não radical.
    Lamentavelmente para o Brasil, e especialmente para o Presid. LULA, quem Liderava essa Corrente era Cuba (pequeníssima em Economia mas uma Potência Política), e sua satélite Venezuela. O grande Brasil ficava mal nessa Conjuntura, liderado por Países bem menores Economicamente.

    Com a vitória do Grupo BOLSONARISTA, o Brasil se realinhou aos EUA, o que seria de esperar. Critica-se porém o “alinhamento automático” aos EUA, o que não faz jus ao tamanho e importância do Brasil.

    Agora, com relação a possível vitória do Sr. JOSEPH BIDEN (77) P D, será pior para o Brasil uma vez que o Partido Democrata é Globalista, defensor exagerado da não exploração SUSTENTADA da Amazônia ( Integrar para não entregar), etc, e isso nos atrapalhará em nosso Desenvolvimento Econômico.

    O Gov. BOLSONARO/MOURÃO – ITAMARATY devem sempre “Defender os interesses do Brasil”.

    Ninguém “carrega o piano para Ninguém”, cada um tem que fazer o seu ESFORÇO. E não “Tem almoço Grátis”.

    Gênios, como o Ministro Barão do RIO BRANCO, Gen. Duque de CAXIAS, RUY BARBOSA, MONTEIRO LOBATO, Jorn. HÉLIO FERNANDES (100), Presid. VARGAS, Presid. JK, Gov. CARLOS LACERDA, etc, nascem pouco cada Século.

  3. Parabéns pela matéria C.N. !
    Para o Brasil seria interessante uma vitória do Biden.
    Mas para o povo americano, tanto faz quem sair vitorioso, pois sofrerão igualmente, por se tratar de dois péssimos candidatos.
    Não dá para saber qual seria o menos ruim…
    A Matriz está quase igual à Filial em questão de candidatos à Presidente…
    Sem chance de escolha.

  4. Quando Henry Kissenger declarou que os EUA não deixariam nascer um novo Japão no cone Sul, referindo-se a acelerada industrialização do Brasil durante o Regime Militar, o governo era Democrata ou Republicano?!!!

    • Ainda tem bobinho brasileiro que acredita que há diferença entre republicanos e democratas!

      Não interessa quem está no governo norte-americano, democrata ou republicano, qualquer um irá usar o big stick contra nós. Cada um à sua maneira!

  5. Xerife do planeta? Foi, enquanto os EUA, através da OTAN, controlavam as nações nucleares para dissuadir a Rússia.
    Não vai demorar muito, milicianos produzirão seus próprios artefatos atômicos, no fundo do quintal. A coisa perdeu o controle total.
    Iran, Japão, Turquia, Argentina, Brasil estão com os seus programas nucleares avançados. Já têm o Know How; falta apenas um pretexto que justifique a produção.
    Veja o caso da Coreia do Norte: um país pobre, vigiado pela sua vizinha correlata e por satélites estadunidenses. Com tudo isso, onde ela chegou? Daqui em diante, ninguém mais vai conseguir conter a corrida para a nossa autodestruição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *