Bretas barra viagem de Temer e diz que ele “não é igual a um indivíduo em plena liberdade”

Temer participaria de dois eventos na Espanha

Deu na Folha

O juiz federal Marcelo Bretas voltou a barrar um pedido de viagem ao exterior do ex-presidente Michel Temer, que é réu em processos sob responsabilidade do magistrado no Rio de Janeiro.

Em despacho desta segunda-feira, dia 18, Bretas rejeitou restituir o passaporte diplomático do ex-presidente e ainda conceder autorização para que viajasse à Espanha, de 25 de novembro a 1º de dezembro, para participar de dois eventos.

DESVIOS EM ANGRA – Temer ficou preso em duas ocasiões, entre março e maio deste ano, após pedido de procuradores da Lava Jato do Rio que investigam supostos desvios na usina nuclear de Angra. Ele deixou a prisão, na segunda ocasião, após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

No documento, Bretas afirma que a situação de Temer “não é igual à de um indivíduo em plena liberdade”. O juiz afirma que a prisão foi substituída por medidas alternativas que incluem a proibição de se ausentar do país sem autorização judicial.

“EXTREMA URGÊNCIA” – “Permitir que o requerente realize viagens internacionais para que participe de eventos de interesse pessoal fere, em absoluto, a meu ver, a natureza das medidas substitutivas impostas por instância superior, sendo certo que estas só deveriam ser afastadas em casos de extrema urgência ou necessidade.”

Não é a primeira vez que Temer tem uma viagem barrada por Bretas. Em setembro, o juiz não autorizou viagem à Inglaterra, mas o ex-presidente conseguiu o direito a sair do país na ocasião junto ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região. Na época, a defesa afirmou que Bretas agiu por “inconformismo” diante da decisão do STJ que revogou a prisão anteriormente decretada.

One thought on “Bretas barra viagem de Temer e diz que ele “não é igual a um indivíduo em plena liberdade”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *