Briga de Paulo Guedes com Rodrigo Maia é prejudicial ao governo e ao próprio país

TRIBUNA DA INTERNET | Piada do Ano! Bolsonaro exige de Guedes um  crescimento mínimo de 2% neste ano

Charge do Nani (nanihumor.com)

Pedro do Coutto

Bernardo Caran, Tiago Rezende, Danielle Brant e Daniel Carvalho, publicam reportagem na Folha de São Paulo revelando que nas últimas semanas o prestígio do ministro Paulo Guedes entrou em declínio, sobretudo quando seu projeto de Renda Brasil foi publicamente condenado por Bolsonaro.

Este projeto tinha como objetivo transferir renda de assalariados pobres para outros mais pobres ainda. Exatamente o oposto do que defendia João Maynard Keynes cuja obra Paulo Guedes citou recentemente. Mas não disse a que capítulo da obra se referia, uma vez que Lord Keynes publicou cerca de 30 livros.

Repórteres acrescentam que sua briga com Rodrigo Maia está sendo interpretada como um episódio que prejudica o próprio governo. De fato não tem cabimento na linguagem adulta que um ministro proíba o assessor de Economia Esteves Colnago e o Secretário do Tesouro, Bruno Funchal de se encontrarem para almoçar com o presidente da Câmara dos Deputados.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O que se estranha é por que Guedes continua no governo, se Bolsonaro não gostou de nenhum dos planos apresentados por ele (Previdência, Sistema Tributário e Administração Público). O mais incrível é que Guedes não é demitido nem pede demissão. (C.N.)

17 thoughts on “Briga de Paulo Guedes com Rodrigo Maia é prejudicial ao governo e ao próprio país

  1. Veja com quem andou é o que fez, que lhe direi precisamente quem ele é. Este (des) governo que votei, é sem dúvida o pior ajuntamento de cabeças de bagre, a começar pelo auto proclamado “chefe supremo” que nossa geração presenciou. Populistas e enganadores da pior espécies. Os adeptos da rachadinha, a medíocre forma de peculato.

    • Não venha com essa Mauro Jansen. Não ponha a culpa nos outros pelo seu erro. Gostou da chapa vencedora porque quis. Usou seu livre arbítrio, fez a sua escolha, agora aguenta. É muito fácil botar a culpa nos outros.
      Tinha o candidato do PSDB, a Marina, Ciro. Mas, você votou no Bolsonaro. Então, só lhe resta esperar 2022. Boa sorte quando chegar a hora.

      • 2022. Essa tecla do celular nos engana.
        Outra coisa: já pensou se eu tivesse votado no Witzel e no Crivella, os piores governantes que o Rio já teve, pois bem, eu poderia dizer que a culpa era do Cabral ou do Paes?
        A culpa seria minha, que escolhi errado. Felizmente não votei em nenhum dos dois.
        Para governador Paes e para prefeito Freixo.
        Que fazer?

  2. Nessas alturas, penso com os meus botões:

    Bolsonaro foi eleito porque precisávamos derrotar o PT, tirá-lo do poder, em razão dos crimes praticados contra o povo e país.
    Logo, de certa forma, Lula e sua quadrilha nos jogaram nos braços de Bolsonaro, um deputado federal medíocre, que aparecia nos jornais envolvido em encrencas e bate-boca com colegas do congresso, e mais nada!

    O resultado desta eleição, onde elegemos um ex-capitão e ex-parlamentar foi desastroso, frustrante, decepcionante.
    Milhares de eleitores de Bolsonaro não vão dar-lhe o voto de novo.

    Não seria, portanto, um plano muito inteligente dos petistas perderem o Planalto em 2.018 para um incompetente, omisso e irresponsável direitista, e depois voltar Lula nos braços do povo e jamais deixar o poder?!

    Se a corrupção é ruim para o Brasil, azar!

    Para o povo, o que importa é emprego, salário mínimo que tivesse ganho real sobre a inflação, o país andando, poder pagar as suas contas, ir ao futebol aos fins de semanas, assar o indefectível churrasquinho com aquela cerveja estupidamente gelada, e a festa embalada pelas rodas de samba fenomenais, alegres e contagiantes.

    Justamente por jamais se importar com a situação do Brasil, até porque os poderes constituídos nunca antes se preocuparam com o povo, para a maioria absoluta de brasileiros o fundamental é trabalhar e ganhar os seus trocados ao fim de cada mês.

    Se tem corrupção, se o congresso é venal, o STF um tribunal político, se o poder econômico deita e rola em cima da população com juros extorsivos, logo, ilegais, o cara não tá nem aí!

    Indiscutivelmente, o sucesso de Lula até os dias de hoje, mesmo com a dilapidação do patrimônio nacional e ter instituído a corrupção nos poderes e instituições, o petista tem o seu eleitorado, e não é de maneira injusta, não, pois foi pelo momento bom da economia que ativou o consumo interno durante as suas administrações, e o salário mínimo atingiu 300 dólares mensais!

    Dilma ferrou com Lula e o PT, ao teimar com a sua reeleição.
    Se Lula disputasse, e teria vencido Aécio com muito mais facilidade, ele saberia como esconder as pedaladas fiscais da companheira.
    A corrupção continuaria em níveis menores, mas seguiria impune, e a Lava Jato teria morrido na casca.

    Digo mais, para desespero dos robôs e sectários bolsonaristas:
    O país não teria essa quantidade apavorante e trágica de desempregados, pobres e miseráveis de hoje!!!

    Portanto, se quisermos uma nação que ande capengando, pelo menos, porém evitar um caos de proporções bíblicas, que volte Lula e seu tipo de comandar a nação à base de roubos, exploração e manipulação.

    Pelo menos o desemprego será menor, assim como menos pobres e miseráveis!

    • Prezado amigo Bendl. Ousarei pontuar sobre o que escrevestes:
      1 – O capitão foi eleito por um sistema de fakes muito bem montado por Steven Bannon, o estrategista da vitória de Trump. 2 – A corrupção foi de toda uma classe política com assento em cargos dos governos do PT como foram dos anteriores. Não era exclusividade do Lula e do PT. Se assim o fosse, venceria o candidato da Globo, o ex governo Nadir Alkimim.
      3- Se os petistas fossem tão inteligentes assim, como tu achas, eles não perderiam a eleição, com o bom candidato, Fernando Haddad, professor universitário e sem nenhuma mancha de corrupção em seu currículo, não é? E a Dilma não seria empichada com o poder da caneta na mão. Inteligente foi o Temer, que apesar daqueles telefonemas grampeados pelo dono da Friboi não foi empichado na mesma Câmara que detonou Dilma.
      Sinceramente, não acredito na volta do Lula ou em quem ele indicar, pelo menos na próxima eleição em 2022.
      O Bolsonarismo perdeu eleitores na classe média, mas, está recuperando esses votos e angariando muito mais no Norte e no Nordeste reduto do Lula e do PT, por causa do Auxílio Emergencial, das Inaugurações de Obras semanais e principalmente com o anúncio do Renda Brasil, que virá engordado vê substituirá o Bolsa Família.
      Portanto, há chances gigantescas de sucesso do presidente, naquilo que ele sonha todos os dias: vencer as eleições de 2022 para cumprir mais quatro anos de mandato.
      Essa é a minha análise dos fatos, fria, nua e crua.
      OBS: Observe o andamento da campanha de DonaldTrump para vencer Joe Bidem, o democrata em Novembro. Suas artimanhas, seus ataques ao adversário. Será replicado aqui, principalmente sebo republicano conquistar boa votos dos americanos

  3. Tarde demais. O poder econômico já escancarou seu jogo, se apoderou do que pôde com as privatizações, reduziu o povo brasileiro á semi-escravidão, e o Bozo lhe serve mto bem.
    Que ele queime a Amazonia, reintroduza a tomada de dois pinos, a cloroquina oral e o ozona, tanto lhes faz.

    • Permita-me discordar, Antonio, os líderes, desde o hoje aniversariante, uns mais, outros menos, nos conduziram ao atual buraco. O que realmente falta, É POVO!
      Povo esclarecido, patriota e decidido, que tome o controle social e político do país.

  4. Concordo Moreno quem tem que liderar é o povo organizado tomemos em nossas mãos o nosso destino.Francisco nem LULA nem o pt tem propostas que revolucionem o Brasil.Oque fara com a ref agraria e rural,estatização bancaria,auditoria das dividas e privatIizações,Sus fim das OS e democratização da mídia.Nada fara pois não fez em 8 anos saindo com popularidade de 84%.

  5. Carlos Newton, essa última frase tua na nota da redação do blog – “O mais incrível é que Guedes não é demitido nem pede demissão” – fez-me pensar que nenhum dos dois quer beber primeiro um aperitivo de cicuta.

  6. Não acho que o Guedes esteja certo. Um liberal não deveria cercear o direito de ir e vir, de conversar com amigos, até com adversários políticos.
    Proibir pessoas de conversar com as outras, é medida adotada por regimes autoritários.
    Não adiantou nada ter estudado já meca do liberalismo, a Escola de Chicago. Mais uma mentira desse povo, que faz a apologia do Liberalismo. Não passam de autoritários da pior espécie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *