Brincadeira tem hora! Filho de Bolsonaro será embaixador do Brasil nos Estados Unidos?

Imagem relacionada

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

José Carlos Werneck

Numa transmissão ao vivo pelo Facebook na noite desta quinta-feira, pouco depois de revelar que está pensando em indicar seu filho Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL-SP, como embaixador do Brasil nos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro perguntou ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, sobre o assunto. “Excelente nome, presidente”, disse o chanceler, entre risos dos participantes da live. “Embaixador inteligente”, completou o presidente, rindo.

O presidente trouxe o assunto à baila dizendo que “tá um papo aí que o Eduardo Bolsonaro pode ser indicado para ser embaixador nos Estados Unidos” e perguntando a Araújo se “é isso mesmo”. Depois, falou das razões pelas quais cogita nomear o filho para o cargo mais importante do Itamaraty, no exterior.

CREDENCIAIS – “O meu filho Eduardo fala inglês, fala espanhol, há muito tempo roda o mundo todo, goza da amizade dos filhos do presidente Donald Trump, o qual eu torço pra ele ser reeleito ano que vem, assim como torço para o Macri ser reeleito na Argentina no corrente ano. Torcida, né?” — declarou. “E existe a possibilidade e depende do garoto. Só que ele tem que, se eu não me engano, renunciar ao mandato dele, caso aceite um convite. E passe pelo Senado, obviamente, também, tá certo?”, acrescentou, lembrando que a eventual indicação teria que ser submetida ao crivo dos senadores.

Ao final da tarde, numa entrevista coletiva depois da posse do novo diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, Bolsonaro declarou que a possibilidade estava “no seu radar” e disse que a escolha já foi cogitada no passado, e que levou em conta o custo-benefício da decisão, acrescentado que, da parte dele, decidiria imediatamente.

“Da minha parte decidiria agora, mas não é fácil uma decisão como essa. Não é fácil renunciar a um mandato sendo o deputado mais votado do Brasil”, afirmou o presidente.

QUALIDADES – Bolsonaro também falou sobre o que considera ser qualidades do filho para assumir o posto. “Ele é amigo dos filhos do Trump, fala inglês e espanhol, tem uma vivência muito grande no mundo. Poderia ser uma pessoa adequada e daria conta do recado perfeitamente”.

Lembrando que Eduardo se casou recentemente, ele disse que, como um casamento, a entrega do cargo de embaixador a ele depende de um “sim” e declarou que, apesar de ser pai, não pode interferir na decisão do filho. E disse que o anúncio oficial depende da legislação.

Eduardo completou 35 anos na quarta-feira e preside a Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados.

ANIVERSÁRIO – A legislação brasileira estabelece que os chefes de missão diplomática permanente devem ser escolhidos entre os ministros de primeira ou segunda classe (em casos específicos) do Ministério das Relações Exteriores, mas prevê que podem ocupar o cargo brasileiros natos que não pertençam aos quadros do Itamaraty e sejam maiores de 35 anos de idade, “de reconhecido mérito e com relevantes serviços prestados ao país”.

A possibilidade de nomear o filho 03 para a Embaixada em Washington veio a público, exatamente um dia após o deputado preencher um dos requisitos, necessários para assumir o posto.

O deputado tem atuado como chanceler informal e articulador das relações Internacionais do governo antes mesmo antes da posse de Jair Bolsonaro na presidência da República.

ACOMPANHANTE – O filho acompanhou o presidente em quase todas as viagens internacionais, desde o mês de janeiro, inclusive aos Estados Unidos, Argentina e Israel.

O MRE até agora não recebeu instruções para submeter o nome do deputado Eduardo Bolsonaro ao governo dos Estados Unidos, como acontece normalmente. Como de praxe, o nome do embaixador só é divulgado após a aprovação do Senado e o governo do país para o qual o embaixador é indicado ter concedido o “agrément”.

EDUARDO ACEITA – Eduardo Bolsonaro disse que, até agora, não recebeu um convite formal para assumir a embaixada do Brasil em Washington, ressaltando que cumprirá a missão, no caso de ser indicado.

“Não existe confirmação sobre essa questão, mas pode ter certeza que a função que o presidente me der eu vou cumprir, assim como estou cumprindo no Congresso ou busco cumprir na Creden (Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara). Pode ter certeza que, se vier essa função, vou tentar desempenhá-la da melhor forma possível. Mas não existe confirmação” declarou.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Mais um excelente artigo de José Carlos Werneck. Quando a gente pensa que o presidente Bolsonaro já esgotou o festival de “pegadinhas”, surge mais essa. É desanimador, porque revela o despreparo dele para exercer a Presidência da República. (C.N.)

16 thoughts on “Brincadeira tem hora! Filho de Bolsonaro será embaixador do Brasil nos Estados Unidos?

  1. Como presidente, está abaixo de medíocre. Só faltava essa agora, de mandar um dos filhos ser embaixador a potência mais importante do mundo. Só espero que o Senado tenha juízo e não aprove esse despautério.

  2. 1) Li nas redes sociais que ele aceita se não perder as benesses como Deputado Federal.

    2) Pretende acumular as duas funções !

    3) Não vejo problemas se estiver dentro da Lei.

    4) No RJ, por exemplo, dois deputados estaduais estão presos e recebem mensalmente os seus proventos… acumulam as funções de presidiários e parlamentares…

    5) Tchau Querida… Democracia Brasileira…

    .

  3. Sou a favor do governo Bolsonaro.
    Mas, não apoio este tipo de escolha.
    O deputado pode ter várias qualidades, mas ficaria muito melhor, trabalhar como assessor informal do presidente para questões internacionais, sobretudo com o governo dos EUA.
    Desgaste desnecessário, porque nepotismo!

    • Prezado Albuquerque Lima,

      Concordo contigo.

      Bolsonaro não pode colocar seus interesses e conveniências à frente do Brasil, muito menos impor as suas vontades pessoais.

      Se o filho vai ser mesmo Embaixador nos EUA, como em qualquer outro país, o erro é crasso, além de desprestigiar os servidores de carreira na Diplomacia.

      Talvez o presidente entenda que, ao nomear o seu filho, Trump verá com bons olhos essa aproximação, porém o americano poderá também considerar que está sendo demasiadamente bajulado!

      De todas as formas que analisarmos esta possível escolha, ela não é bem-vinda e correta, pelo contrário, Bolsonaro se mostra impetuoso eventualmente para aspectos negativos, que vão minando a sua administração gradativamente.

      Lamento que não tenha essa mesma disposição para dinamizar o emprego, e diminuir substancialmente esta população de milhões de brasileiros desempregados e desesperados!

      Abraço.
      Saúde.

  4. Esses caras sabem o que estão fazendo, soltos estão os parafusos de quem ainda vota no sistema político podre. OS EUA É BOM, MAS VIVER LÁ É UMA MERDA, o Brasil é uma merda, mas viver aqui é bom, é o que dizia o saudoso Tom Jobim. É o boi sonso que vara a cerca, e porteira que passa um “boi sonso” passa uma boiada inteira, como já diziam os mais antigos. Penso que vocês estão sendo rigorosos demais com o Bolsonaro. Há precedentes ainda piores registrados nos anais da história da humanidade. Lembre-se de Calígula ( o monstro que a sociedade romana esculpiu), que nomeou para Senador de Roma o seu próprio Cavalo, o famigerado Incitatus. Bolsonaro, afinal de contas, está nomeando para o cargo de embaixador nos EUA o seu próprio filho, que não é nenhum Incitatus, mas, isto sim, um Deputado Federal, eleito pelo Estado de S. Paulo ( o supostamente mais desenvolvido da federação), por milhares de votos paulistas. Tem mais jeito não, a titica já está feita, bem feita e estabelecida, e agora só nos resta comer a titica alheia, o que é pior. Desconfio,e desconfiar não é crime, que estamos todos à mercê de uma mega quadrilha internacional chefiada por Trump, cheia de bon$ propósito$. Estive pensando na sentença dos bolsonarianos contra os contras: “NÃO ESTÁ BOM AQUI, VAI PRA CUBA”, e cheguei à conclusão de que se o Bolsonaro não fosse um bundão, arregão, que na verdade morre de medo do STF, da Câmara do Rodrigo Maia e do Senado, ele me nomearia embaixador do Brasil em Cuba, afinal de contas não sou inimigo dos Castros e lá poderia ajudar a viabilizar bons negócios para o Brasil e os irmãos brasileiros. https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2019/07/11/filho-de-bolsonaro-em-embaixada-e-um-erro-triplo/?fbclid=IwAR2yVSGnyPfGj2Ce-Ra-

  5. A Súmula Vinculante 13 do STF, de 2008, definiu o que seria o nepotismo, indicando-o como violação da Constituição.

    O Decreto nº 7.203, de 2010, trata de nepotismo, proibindo esse tipo de procedimento no âmbito da administração pública federal, incluindo aí a Presidência da República e os ministérios, como o das Relações Exteriores, para onde se pretenderia nomear num cargo o Eduardo Bolsonaro.

    Portanto, não pode ser feita essa nomeação.

  6. Quem determina um embaixador é o senado. Nada a ver com Bolsonaro, que só pode indicar. Ponto final.

    Contudo se o filho dele for embaixador, não vejo nada demais, mesmo porque ele tem competência , fala inglês fluente e espanhol.

    Os comentários de alguns aqui denotam uma grande falta de cultura e um desequilíbrio mental muito comum em quem recebeu o ensino deste país e até tem diploma de curso superior. Claro, nisso, toda regra tem exceção.

  7. A minha admiração e respeito pelos articulistas da TI são em decorrência de haver independência em seus textos:
    críticas quando procedentes;
    elogios quando apropriado.

    Dito isso, Werneck posta o artigo em tela justamente enaltecendo essa sua forma de agir, protestando contra a medida de Bolsonaro que indicou o filho para ser Embaixador, nos “states”, que eu concordo e saúdo o texto.

    Se inédito ou não a escolha;
    se possível ou não a indicação;
    se possível ou não pela Lei, a verdade é que Bolsonaro se desgasta gratuitamente.

    E constrói, assim, uma espécie de feudo familiar.
    Mesmo que diferente de Lula, que transformou o Brasil em feudo para si e partidários para roubar, explorar e manipular o povo, o presidente ignora a existência que um “valor mais alto se alevanta”, conforme o épico de Camões, Os Lusíadas.

    Este valor incalculável se chama Brasil, e que deve estar muito acima das vontades e decisões de Bolsonaro!

    Conforme escrevi várias vezes, se o mote eleitoral do atual presidente, na sua campanha ao Planalto foi combater a corrupção, esta chaga nacional não se resume tão somente a dinheiro, mas de se deixar de lado a ética, a moral, a imagem do país, exemplos também de desonestidade, neste caso específico, de propósito!

    Falta a Bolsonaro assessores, repito.
    Não sei se eles têm medo da reação do ex-capitão, mas estão deixando muito a desejar porque não o alertam para seus percalços na função, suas confusões, sua falta de lapidação pessoal e capacidade de trabalho.

    Bolsonaro se acha um trator.
    Legal, mas também o quer usar para fazer “jardins”!!!
    Não vai dar certo, óbvio, pois a máquina mais vai esburacar o solo que o tratá-lo bem para o plantio de flores, além de deixar a frente da sua casa muito feia.

    O presidente não tem esse direito de nos deixar mal arrumados e nos mandar para a festa para fazermos fiasco!
    Não somos e não servimos de bobos da corte!!!

    Digo mais:
    Bastou a indicação do filho para ser Embaixador, sem curso que o capacite para esta nobre função, e Bolsonaro já meteu os pés pelas mãos.

    Uma pena.
    O presidente se enreda gratuita e facilmente em pequenas armadilhas postadas ao longo do seu tempo para nos presidir.
    E serão esses pequenos artifícios que poderão impedir que seja reeleito.

    Diga-se de passagem, MERECIDAMENTE!

    Abração, caro Werneck.
    Saúde, muita saúde.

  8. “…..assumir a embaixada do Brasil nos EUA. Requisitos para o cargo? Ter mais de 35 anos, ser brasileiro nato e ter reconhecido mérito para o cargo, com relevantes serviços prestados ao Brasil.

    Sim, Eduardo, o dito Zero Três, nasceu em Banânia. Completou 35 anos nesta quarta-feira. E o tal mérito? Ora, ele é filho de Bolsonaro, certo? E isso já fala por si…

    A escolha feita por Bolsonaro constitui uma óbvia humilhação para o Itamaraty e revela também o desprezo que sente por Ernesto Araújo, o chanceler, ainda que este se mostre um entusiasta da idéia.
    Eis, de resto, uma personagem que tem pouco a dizer sobre meritocracia. Afinal, embora pertença aos quadros do Itamaraty, o cargo de ministro das Relações Exteriores está muito além das suas sandálias….

    Não! Eduardo não será embaixador se a maioria do Senado não quiser….
    O indicado tem de ser sabatinado pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), e seu nome, depois, é submetido a escrutínio secreto. Precisa ter ao menos 42 votos favoráveis — metade mais um do colegiado, composto de 81 membros….

    Bolsonaro aposta alto no Senado. O presidente tem a certeza de que os membros da Casa não lhe fariam uma afronta. Afinal, o rapaz tem a maior de todas qualificações para o cargo: é seu filho….

    O presidente apenas esperava que o rebento fizesse a idade mínima necessária para a indicação. Desde a posse, aguarda-se que escolha um nome. Ele vinha protelando. Estava de olho no calendário…

    Eduardo embaixador depende agora da coluna ereta ou vergada do Senado.”

    ——————————–
    PS: e põe cabeça pra baixo (ponta-cabeça) nisso tudo que tá ai!

    Nunca pensei que chegaria a esse ponto, de ter que citar o tantã R.A. na TI….

    Mas foi o Jabor, ontem á noite, quem lembrou a melhor, quando esse macaco mencionou que o Brasil precisava ter bomba atômica…

    Olha o perigo que estamos passando em deixar o pais nas mãos de cinco meia dúzia vinte, comandados por um pulha, um terrível recruta zero…

  9. Bozonaldio, Ernesto Araújo e Sua Excelencia Embaixador XísBúrg !
    A “Tríplice Coroa Babada Ricochête”….

    E o Burg é daqueles! bem caipira, carça justa furada, queijo catupiri fake hidrogenado que derrama aquele óleo fedorento?
    Búrllrg,,,,,búlrlgui…

    Curriculum Vitae: Chapeiro ilegal no Maine.

    Não presta nem pra meme, o fío-da-véia…

    Terrivelmente ABERRAÇÃO…

    Votaram num Carandiru achando que era o novo Brasil….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *