Brizola e Ciro, dois líderes que poderiam ter chegado à Presidência da República

Resultado de imagem para leonel brizola e ciro gomes

Leonel Brizola e Ciro Gomes foram vencidos pelas circunstâncias

Antonio Santos Aquino

O delegado federal e ex-deputado Romeu Tuma Junior sabe que Lula foi preparado pelos militares (general Golbery do Coutto e Silva) para impedir o líder trabalhista Leonel Brizola de chegar à Presidência da República depois de 15 anos de exílio. Tuma Jr, já falou isso nas redes sociais e nos livros que escreveu. Os militares tinham medo de Brizola em razão de suas mãos limpas e de sua coragem cívica.

Em agosto de 1961, quando da renúncia do presidente Jânio Quadros, o governador Brizola bradou do Rio Grande do Sul: “Se os militares rasgarem a Constituição, eu levantarei o povo gaúcho em armas. E assim fez. Vieram tomando Santa Catarina e Paraná. Foi quando alguns chefes militares, que viajaram para São Paulo na tentativa de impedir o avanço das tropas gaúchas, refletiram: “Nós viemos combater Brizola, mas ele está com a razão. A Constituição foi desrespeitada. Então houve um acordo para empossar o vice Jango Goulart, com criação do parlamentarismo. E assim se fez a História.

###
CIRO DESPERDIÇOU SUAS CHANCES
Pedro Meira

Ciro Gomes desperdiçou as chances que tinha de chegar à Presidência, que nunca foram muitas, porque ficou esperando apoio do PT para vencer a eleição, gastou uma enormidade de tempo falando de “dream team” de governo com Manuela d’Ávila, Marina Silva e Fernando Haddad, oferecendo vaga de vice-presidente para cada um deles.

Além disso, Ciro ainda se queimou totalmente com a opinião pública atacando a Lava Jato e querendo se vender como herdeiro de Lula, porque acreditou na falsa sabedoria de analistas políticos fora de sintonia com o sentimento do povo, que enchiam colunas na imprensa com o argumento de que o eleitorado tinha uma devoção religiosa a Lula e o vingaria na eleição de 2018, o que não ocorreu.

A decantada competência política de Ciro não lhe serviu para perceber o rumo que as coisas estavam tomando.

27 thoughts on “Brizola e Ciro, dois líderes que poderiam ter chegado à Presidência da República

  1. E de que adiantariam as possíveis eleições de Brizola ou de Ciro, se o que o povo está dizendo explicitamente nas ruas do país desde Junho de 2013 que quer mudanças de verdade, e no caso deles tb não existe projeto nenhum nesse sentido, e, por isso, o sistema continuaria o mesmo, inclusive porque no voto quem pode mudar essa bagaça é o congresso, que não muda coisa nenhuma que contrarie os seus próprios interesses, congresso fisiológico que não projeta nada sem projetar antes os seus próprios interesses e conveniências ? Quanto a última eleição, a Chapa Lula-Haddad poderia ter se tornado efetiva, só dependeu do Ciro, com Lula descartando Boulos dizendo-lhe publicamente que não estava na hora dele que sonhava em ser apoiado pelo Lula, aposta burra feita pelo PSOL. Mas isso não quer dizer que chapa Ciro-Haddad venceria a eleição, porque havia um clima propício de derrota de todos os grandalhões, que poderiam ter perdido para o originalíssimo projeto novo e alternativo de política e de nação, e não de novo para a afetação que continua fazendo do Brasil uma nação sem Solução.

  2. Loriaga Leão, a primeira coisa a fazer é nunca comparar Ciro com Brizola. Dizer que Brizola não mudaria e acabaria a esculhambação, a corrupção e a entrega do Brasil pelos que aí estão é ignorar a história. Jogaram Brizola por 15 anos no exílio por quê? Por ter mãos limpas. Foi investigado por 15 anos quando esteve no exílio. Vasculharam sua vida desde quando era estudante e nada encontraram que desabonasse sua conduta moral. Foi governador de dois estados da federação por três vezes. Só um exemplo: Em quatro anos de mandato no Rio grande do Sul de 1959 e 1962, o Governo de Brizola construiu 5.902 escola primárias, 278 escola técnicas e 131 ginásios, colégios e escolas normais, totalizando 6. 302 novos estabelecimentos de ensino, abriu 688.209 novas matrículas e admitiu 42.153 novos professores. Encampou a Bond&SHare e a ITT por deixarem de prestar serviços eficases ao povo gaucho. Queriam uma concessao por mais 35 anos e garantia de cobrança de tarifas de acordo com deus interesses. Brizola depositou um cruzeiro em cada ação de indenização e emcampou as poderosas companhias americanas que estavam há anos com suas concessões vencidas. Brizola era um homem de coragem cívica inigualável. Brizola em uma de suas conferências declarou que não aceitava as “pontas do dilema ideológico”representados pela União Soviética e pelos Estados Unidos em que se procurava enquadrar o mundo. E proclamava que: “se nada temos com a União soviética , devemos ter a coragem de dizer que nada temos com os Estados Unidos.

    • O problema de presidentes sérios será sempre o congresso podre, face o sistema podre, com prazo de validade vencido há muito tempo. Esses caras estão muito longe de ser a expressão da democracia.

  3. O Ciro Gomes, não obstante suas virtudes e qualidades, gosta de errar.
    Vira e mexe, e ele escolhe errado. Aí não dá outra.
    Por exemplo.

    Como interpretar o seu apoio à Proposta do Paulo Guedes, de “Reforma” da Previdência Social do Povo Brasileiro?
    Inclusive a implantação do Regime de Capitalização?

    Como a História irá registrar este apoio?

  4. Quanto a Ciro o que devemos dizer por um dever de esclarecimento histórico é em que pese uma cultura razoável é uma personalidade complexa e quiçá um oportunista. Usa mais a língua que a cabeça. Vaidoso ao extremo pensa que o mundo gira ao seu redor. Está no PDT como já esteve em outros partidos. Tem origem udenista ; nunca assimilará o trabalhismo de Getulio, Jango e Brizola. Não excluo a possibilidade de uma hora para outra sair do PDT o que para os trabalhistas tradicionais (que são poucos) como eu seria uma alegria. Eu compraria um litro do uisque mais caro para festejar. No PDT ele encontrou um parceiro ideal, Lupi. Quando morrerem os corpos irão em uma caixa de fósforos e as línguas em uma carreta. É o que penso.

  5. A falta de cultura criou os presidenciáveis de hoje, muitos fizeram o possível e impossível para Brizola não ser presidente, principalmente a mídia, controlada pelos EUA, o povo, colherá os louros de suas escolhas, que diga-se de passagem, sempre foram péssimas, Collor, FHC, Dilma e agora Bolsonaro, Temer não foi eleito, o congresso que o elegeu, continua livre, leve e solto, assim como Serra, Aécio e outros do PSDB, que justiça há neste país, não tem nenhuma moral e o povo ainda acha que há justiça, ledo engano.

  6. Parabéns Antônio Santos Aquino, pela análise correta da história do Brizola e Ciro Gomes…
    Tem Mais: Brizola foi o único político brasileiro a ter dois atestados de honestidade, um dado pela ditadura, que o condenou a cetenas de anos por subversão e nenhum dia por corrupção.. Na ALERJ, Marcelo Alencar (“governador”) quis cassar os direitos do Brizola por 8 anos. Sivuca, adversário de Brizola, ao votar disse: Um homem que teve durante a ditadura toda a sua vida vasculhada, e não encontraram um ato de corrupção, não posso votar contra ele. Brizola saiu vitorioso.

  7. Embora Brizola foi uma pessoa honrada ao contrário de Ciro e da turma do PDT de hoje, inclusive o articulista, seu tempo passou.
    Até os militares da ditadura foram desse tempo e com Geisel, enquanto o mundo ficava rico com a globalização , caiu na esparrela da esquerdinha, isolando o Brasil do resto do mundo, quebrando sua economia ( 8 usinas nucleares, ferrovia do aço, fez 400 estatais, etc e o mais importante, com a crise do petróleo não reajustou a economia, optando pelo bom e velho populismo).

    Hoje os tempos são outros e por sorte temos dois nesse governo atual que são Sérgio Moro e Paulo Guedes, que são a nossa esperança.
    O resto deixa muito a desejar , inclusive os com farda.
    Sabe como é né, com farda ou sem ela, brasileiro é brasileiro.

  8. Mario eu não sei como classifica-lo. Sê um lho-go-lhoó ou se um lésbico. Tem inveja de gente idosa porque já nasceu morto. Você é um morto que caminha. Tens que dormir em pé todas as noites. Se deitares não levantas mais.. Pelo respeito que que tenho ao Newton é que te chamo de lésbico. Sai do armário senão vais morrer sufocado.

  9. Foi uma pena que o Brizola nunca tenha chegado à presidência. Infelizmente nossas “zelites” nunca admitiriam isso. As antigamente todas-poderosas Organizações Globo e Editora Abril devotavam um ódio mortal ao velho líder gaúcho, culpavam-no de todos os problemas do Rio, caluniavam-no (como naquela célebre “fake news” do O Globo em 1989, que mostrava Brizola ao lado de um líder comunitário que o jornal “confundiu” com um traficante) e favoreceriam qualquer opção contra ele. Se a candidatura do Collor tivesse naufragado em 1989, não duvido que a Globo e a Veja teriam preferido até o Lula ao Brizola.

    Quanto ao Ciro, não chego a lamentar sua derrota. Ele sempre me pareceu oportunista e pretensioso. Nunca teve condições reais de chegar à presidência, não importando seu dito preparo. Eleição não é exame de currículo. Ciro no máximo poderia ser um “coronel” com força política regional.

    • Caro pedro,
      Não duvides, a Globo preferiu o Lula. Nas eleições em que disputavam Collor, Brizola e Lula, o Brizola vinha em segundo lugar, próximos as eleições. o Color disse que preferia o Lula no segundo turno do que o Brizola . Então a Globo abriu as portas para o Lula, que acabou indo ao segundo turno com uma diferença do Brizola de menos de 1%..

  10. Seria terrível para o país se Ciro Gomes chegasse a presidência. Tenta parecer erudito ao proferir palavras difíceis sobre a economia, mas no fundo é um jumento que não entende de nada.

  11. Vejam, os militares de 64 temiam Brizola devido à derrota que sofreram para ele em 61, na luta pela posse de Jango. Brizola conseguiu uma coisa inédita que foi dividir o Exército Brasileiro, devido à adesão do general Machado Lopes, então Comandante do 3º Exército (o maior do país) à causa legalista brizolista, com isso rachou o Exército, e os militares de direita nunca perdoaram Brizola por isso. Brizola não chegou à Presidência porque os anos de seu esplendor de maturidade política, dos 42 aos 57 anos, foram passados no exílio, com seus direitos políticos cassados. E depois só conseguiu concorrer à Presidência 10 anos depois de ter retornado do Uruguai, já com a idade de 67 anos. Mas foi um político vitorioso. Ganhou em 82 e 90 o Governo do RJ duas vezes, ganhou o 1º turno das eleições presidenciais no RJ, RS e SC em 89 no 1º turno. Quanto a sua honradez, Márcio Moreira Alves, seu inimigo, afirmou a inocência de Brizola quanto aos recursos de Cuba e a ditadura militar vasculhou impiedosamente a vida patrimonial de Brizola entre 59 e o final da década de 60, conforme atesta a reportagem do insuspeito “O Globo”, cujo link segue abaixo.

    https://oglobo.globo.com/brasil/comissao-de-investigacao-arquivou-denuncias-contra-amigos-do-regime-mas-devassou-contas-de-opositores-11891656

    A história se repete, e a tendência dos Governos, sejam ditatoriais ou democráticos, é proteger os amigos e prejudicar os adversários / inimigos.

  12. A mais incrível peripécia de Brizola foi o episódio de sua expulsão do Uruguai em setembro de 77, a qual tem relação direta com a tentativa de golpe que Sílvio Frota perpetraria contra Geisel em outubro do mesmo ano, ocasião em que Geisel demitiu Frota e derrotou a extrema direita castrense. Frota pressionou o Governo Uruguaio para expulsar Brizola e colocá-lo na fronteira do Brasil com o Uruguai, para impedi-lo de comandar uma resistência que Frota temia que Brizola liderasse contra o golpe do General contra Geisel. O Governo ditatorial uruguaio deu 48 horas para Brizola deixar o Uruguai depois de 13 anos no país confinado em Atlântida. Aí Brizola teve a ideia genial e totalmente inesperada de pedir asilo político na embaixada dos Estados Unidos, seu velho inimigo que, na ocasião, no Governo Carter, estava se distanciando da ditadura brasileira, principalmente depois do Acordo Nuclear Brasil Alemanha. Carter concedeu o asilo, e Brizola se relançou no panorama político.

  13. O bom artigo do Sr. ANTONIO SANTOS AQUINO nos apresenta dois Líderes do Trabalhismo ( Govs. LEONEL BRIZOLA e CIRO GOMES, PDT) que poderiam ter chegado a Presidência da República com a Plataforma Política do “Nacional Desenvolvimentismo Estatista”.

    Até a Revolução de 1930, liderada pelo grande Estadista Presidente GETÚLIO VARGAS (1888-1954), o Brasil seguia a Política Liberal Laissez-Faire, ( Mercados Abertos ) que apesar de alguns esforços de Industrialização ainda no Império com o Barão de MAUÁ, com RUY BARBOSA no início da República e na Primeira Guerra Mundial (1914-1918) de substituição de importações, o País era um grande arquipélago de ilhas produtoras manuais, principalmente de café, açúcar e criação de gado, com pequena Indústria de Alimentos e Fiação e Tecelagem. Fora das Capitais e Litoral, o Povo de maneira geral era analfabeto, mal alimentado e com altas taxas de doenças. Uma Economia totalmente Sub-Desenvolvida.

    Ora, para sair do Sub-Desenvolvimento ( Miséria) era preciso desenvolver as FORÇAS PRODUTIVAS NACIONAIS, atuando no HOMEM que é de longe o maior Fator de Produção, e o Presidente VARGAS a partir de 1930 começou a fazer isso. Alfabetização do Povo, controle de Doenças Endêmicas principalmente Esquistossomose, e no Plano Econômico o abandono do Liberalismo Laissez-Faire e a implantação do Nacional Desenvolvimentismo Estatista, com base na Indústria do Aço e Petróleo. Protecionismo para as Indústrias nascentes de substituição de Importações, etc. Era preciso mecanizar a Agricultura, produzir e distribuir Energia Elétrica, fazer Estradas principalmente de rodagens e Comunicações para interligar todo o Brasil, etc, a maior parte disso induzido pelo Estado.
    Foi uma grande arrancada e a economia que crescia até 1930 +- 2%aa, passou a crescer 7%aa.
    A Política Nacional Desenvolvimentista Estatal foi seguida pelo dinâmico Presidente JUSCELINO KUBITSCHEK, PSD, com a derivação de atrair Poupança Externa para Investimento Direto Interno, a quem perdoamos tudo porque tinha pressa em desenvolver o Brasil, pressa até demais, pelo Presidente JOÃO GOULART PTB, que a nosso ver foi um Presidente com boas intenções mais muito Agitador, ( Reforma Agrária na Lei ou na Marra, agitação de Sargentos, de Marinheiros, etc,) e pela Revolução de 64 ( 1964-1985).

    A Revolução de 64 por uma série de erros esgotou o Sistema de Nacional Desenvolvimentismo Estatal, principalmente a partir o Presidente GEISEL que não conseguiu fazer aquela Arma que poucas Nações tem, mas chegou a fazer até os poços de testes na serra do Cachimbo PA. A nosso ver os principais erros foram o Deficit Público, Endividamento Público e excesso de Protecionismo às Empresas Nacionais que sem uma forte Concorrência Interna ficaram acomodadas.
    Mesmo nas Indústrias de substituição de Importação nosso Custo era muito elevado e não conseguimos, e nem foi feito muito esforço para criar uma Indústria de ponta e Exportar Produtos de Tecnologia Nacional.

    Com o esgotamento do Nacional Desenvolvimentismo Estatista, somos obrigados a adotar Políticas agora chamadas Neo-Liberais, abertura exagerada de nosso Mercado, venda de Empresas Estatais, tentativas de redução do Deficit Público, estancamento do aumento do Endividamento Público, etc, o que é DOÍDO.

    Nessas condições, nos parece que mesmo o Gov. LEONEL BRIZOLA, ou agora o Gov. CIRO GOMES, ficariam com as mãos amarradas para desenvolver uma Política Trabalhista.

    O que deveríamos ter feito é nunca deixar chegar os Deficits Fiscais, a Dívida Pública, e o Deficit da Balança de Pagamentos Internacionais, até onde chegaram.

    O certo seria a Política sempre defendida pelo Governador CARLOS LACERDA UDN, de Nacional Desenvolvimentismo PRIVATISTA com algumas Estatais estratégicas, com prioridade na Empresa Nacional de Matriz no Brasil, aquelas que criam Tecnologia Nacional e Capitalizam 100% aqui dentro, tudo com Protecionismo de nossos Mercados mas grande Concorrência Interna, equilíbrio Fiscal e pequeno Endividamento Público. Grande esforço para desenvolver INDÚSTRIA NACIONAL DE PONTA como a EMBRAER SA para exportarmos Produtos de alto Valor Agregados pela Tecnologia Nacional.

  14. Conheci Brizola pessoalmente, 100% honrado. Milionário por casamento e mesmo assim sempre levou uma vida modesta. Morava no Rio em apartamento na av. Atlântica alugado ao cirurgião plástico dr. Pedro Valente.

  15. Está nos anais da história e na boca do povo que o tráfico no Rio começou sua escalada depois do governo de Leonel Brizola, o divisor de águas. Hoje um estado repleto de desigualdades brutais, uma violência galopante, índices de estado pobre e uma corrupção boçal e estúpida em todos níveis de sua administração pública. Seu Judiciário é um dos pontos fortes para que medre este estado de coisa, evidentemente. Quanto a Ciro, jamais dependeu de ninguém além dele mesmo. Perdeu todas as vezes em que disputou para sua língua e sua truculência. Precisa-se de pouco para descompensá-lo e sua língua faz o resto.

  16. Carlos Alverga, me interessei pelo linck por você sugerido. É bom de ser lido por quem se interessa em conhecer melhor o grande político que foi Brizola.
    Entretanto eu que sou trabalhista seguidor de Getúlio, Jango e Brizola tenho o dever de fazer a correção que a história nos obriga a fazer.
    Diz o linck que Brizola tinha dificuldade de relacionamento com outros políticos e cita em primeiro lugar Fernando Ferrari. Não discordo que tenha sido um político de razoável projeção, mas Brizola nunca teve dificuldade de relacionamento com ele. Brizola era um homem de personalidade rígida, levava muito a sério sua condição de político; não era homem de conversinhas, tudo para ele era muito sério. Para nós trabalhistas de priscas eras e para a historia do PTB, “Fernando Ferrari foi um traidor “, queria ser candidato no lugar de Lott, tanto é que saiu do partido e candidatou-se a presidente por dois outros partidos em 1960. Brizola era governador do Rio Grande do Sul e nada tinha com a história.
    Saturnino Braga abrigou-se sob as asas do caudilho que voltou do exílio. Depois Brizola o elegeu prefeito. O que fez Saturnino? Fechou a “Fábrica de Escolas” e demitiu 2000 empregados. Lógico que Brizola exigiu que saisse do partido. Cesar Maia ótimo político, prestou inestimáveis serviços ao PDT e ao próprio Brizola no “afaire” Proconsult. Queria que Brizola combatesse os camelôs. Brizola lhe perguntou: Tens empregos para dar a essa gente? Essa foi a razão da saida de Cesar do PDT. Saiu de maneira respeitosa e manteve com Brizola relações de amizade. Posteriormente elegeu-se prefeito. Na segunda eleição para prefeito, Garotinho lança Benedita e Conde contra Cesar. Cesar foi a Brizola propor-lhe a vice. Brizola disse Cesar tu criaste uma guarda que fica batendo em camelôs, nos não podemos aceitar o convite. Cesar despediu-se e Brizola disse a militância que assistiu tudo: Os senhores estão liberados para votar com suas consciências. Eu votarei em Cesar. Claro que Cesar ganhou. Já o Jaime Lerner foi cooptado pelo PFL.
    Sobre o aumento de um ano no mandato de Figueredo é uma história mal contada. Como dizem agor um fake new. Vejamos: A idéia de aumentar o mandato de Figueiredo surgiu de sua entourage: O Coronel Cezar Cal fez a sugestão para que Figueiredo presidisse a Constituinte. Mas viram que só os que facilmente apoiavam eram os partidos da direita. Precisavam de um partido de esquerda.Brizola foi convocado a Palácio e ouviu a proposta. O compromisso de Brizola foi: Se o governo mandar um projeto de lei sobre essa proposta o PDT votará a favor. Dante de Oliveira, Lula, Tancredo e Ulisses tomaram conhecimento por Brizola. Ulisses aceitou a proposta. Logo a seguir Tancredo diz a Ulisses: Olha, Brizola terminará seu mandandato na mesma data e será um candidato fortissímo e ganhará a eleição. Ulisses retroagiu e nada foi realizado. Completando: Afonso Arinhos de Melo Franco já tinha feito um parecer jurídico e dado ao general Leônidas Pires Gonçalves para usá-lo se fosse necessário. Essa é verdade histórica. Valeu Alverga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *