Bruno Covas, prefeito de São Paulo, morre aos 41 anos e deixa mensagem de esperança

Bruno Covas com o filho Tomás durante o festival Lollapalooza, em 2019. — Foto: Celso Tavares/G1

O prefeito Bruno Covas com seu único filho, Tomás

Por G1 SP

O prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), morreu às 8h20 deste domingo (16) aos 41 anos, em São Paulo. Desde 2019, ele lutava contra um câncer no sistema digestivo com metástase nos ossos e no fígado.

Covas estava internado no Hospital Sírio-Libanês, no Centro da capital paulista, desde 2 de maio, quando se licenciou da prefeitura. Na sexta-feira (14), ele teve uma piora no quadro de saúde e a equipe médica informou que seu quadro havia se tornado irreversível.

NETO FAVORITO – Nascido em Santos, no litoral paulista, em 7 abril de 1980, Covas era filho de Pedro Lopes, engenheiro da Autoridade Portuária de Santos, e Renata Covas, a única filha mulher de Mário Covas e Lila.

Era o neto favorito de Mário Covas, que foi prefeito da capital na década de 1980, depois deputado federal, senador e governador do estado entre 1995 e 2001.

Aos 14 anos, Bruno Covas deixou o litoral e foi morar na cidade de São Paulo com o avô, no Palácio dos Bandeirantes, sede oficial do governo paulista. Cursou o ensino médio no Colégio Bandeirantes, um dos mais tradicionais da capital, onde conheceu um de seus grandes amigos, Luiz Álvaro Salles Aguiar de Menezes, que se tornou seu secretário municipal de Relações Internacionais décadas mais tarde.

MENSAGEM DE ESPERANÇA – “O negacionismo está com os dias contados. Prevalecerá o diálogo, a conversa, a construção coletiva, a compreensão de que há mais em comum entre nós do que as nossas visões distintas nos separam. No caso da pandemia o inimigo é um só: o vírus. E o momento exige união. O vírus do ódio e da intolerância também precisa ser banidos da sociedade. As crises sociais e econômicas provenientes da pandemia são profundas. Por isso é fundamental conversar de forma generosa e aceitar as diferenças. Ninguém pode ser dono da verdade”, discursou Covas quando tomou posse de seu segundo mandato da prefeitura de São Paulo, em 2021.

Covas teve o câncer diagnosticado em outubro de 2019, após ser internado com uma infeção na pele chamada erisipela. O tumor regrediu, mas, neste ano, novos nódulos foram encontrados no fígado, na coluna e na bacia.

Covas é o primeiro prefeito da cidade de São Paulo a morrer durante o mandato. Ricardo Nunes (MDB), o vice que hoje é prefeito em exercício, irá assumir definitivamente o cargo.

2 thoughts on “Bruno Covas, prefeito de São Paulo, morre aos 41 anos e deixa mensagem de esperança

  1. Muito difícil essa doença.
    Mas chama a atenção a afirmação dele de profundas crises sociais e econômicas consequência da Pandemia…
    Nao sei se São Paulo é tão diferente do resto do país. Talvez por conta de ser o mais rico.
    Mas fato que JÁ ESTÁVAMOS em crise PROFUNDA CRISE Social E Econômica antes mesmo da Pandemia, resultado das desigualdades históricas.

  2. No debate da Band..dos candidatos `a Prefeito,achei o Bruno Covas, equilibrado,bom senso educado,mas,incisivo nas respostas,em fim,preparado para assumir umas das maiores metrópoles do mundo.

    Lamentávelmente perdemos um gestor promissor,uma pessoa de boa cepa.

    Deus cuide de sua alma..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *