Burocracia privilegiada de Brasília leva uma vida bem longe da crise

Fachada do edifício sede do TSE

TSE gasta R$ 272,5 mil para manter seu gramado

José Casado
O Globo

Enquanto calcula quanto vai tomar dos brasileiros para cobrir o rombo nas contas públicas, o governo contrata bufê para avião e o Judiciário gasta com jardim. Crise no Brasil? Se existe, está restrita aos hospitais públicos deficientes, lotados até nos corredores. Talvez atinja quem depende de programas de renda mínima e de habitação para famílias pobres (com renda mensal de até dois salários mínimos). Ou prejudique crianças do interior do Maranhão, que estudam embaixo de árvores porque a escola fundamental está sem teto. Ou ainda, afete a rotina da cidade do Rio, onde a insegurança é pública, e o ano letivo de 2017 nem começou na universidade estadual.

Vista de Brasília, essa é uma paisagem de outro mundo, anos-luz de distância. Não tem nada a ver com a vida real que gravita em torno dos orçamentos do Executivo, do Legislativo e do Judiciário e do caixa de 159 empresas estatais federais ativas.

ILHA DA FANTASIA – Dentro dos 5,8 mil quilômetros quadrados do Distrito Federal, vivem 2,9 milhões de pessoas, quase todas dependentes do Erário. A cidade é um oásis, com boa infraestrutura urbana e renda muito acima do padrão nacional, superada apenas por São Paulo. De cada R$ 100 recolhidos em Imposto de Renda no país, R$ 26 são pagos pelos empregados do setor público que residem em Brasília.

Oito em cada dez brasileiros não ganham em um ano o valor embolsado em apenas um mês pela elite dos procuradores e juízes (entre vencimentos e ajutórios, como auxílio-moradia, recebem uma centena de salários mínimos). A remuneração da grande massa de contribuintes, estacionada na faixa de dois a três salários mínimos mensais, não alcança sequer dois terços da verba de gabinete dos deputados federais (R$ 43 mil ao ano).

ROMBO NAS CONTAS – Mesmo assim, os brasileiros serão obrigados a desembolsar R$ 360 bilhões para cobrir o rombo nas contas públicas deste e do próximo ano. Significa pagamento extra de um salário mínimo e meio em tributos para cada habitante. E vai servir apenas para manter funcionando serviços públicos extremamente precários.

Mudança é palavra impronunciável em Brasília. Semana passada, por exemplo, no Palácio do Planalto discutia-se o anúncio do aumento do buraco nas contas públicas. Perto dali, o Ministério da Ciência e Tecnologia confirmava a abertura de licitação para o bufê “diferenciado” nas “aeronaves da Força Aérea Brasileira utilizadas pelo ministro”.

JARDIM E GARÇONS – Percebia-se a Justiça Eleitoral preocupada com seu jardim, mantido ao custo de R$ 272,5 mil. O Superior Tribunal de Justiça gastava R$ 7,4 milhões com a contratação de 108 garçons, copeiros, cozinheiros, e respectivos chefes, embora tenha 92 deles no quadro de funcionários. Na garagem do palácio do STJ, que tem 32 elevadores, debatia-se a pintura do piso, ao custo de R$ 600 mil, para demarcação das vagas dos 33 juízes servidos por 120 motoristas, mais 1,8 mil chefes.

A vasta legislação em vigor sugere que o Brasil é um país rígido no trato com o dinheiro público. É impossível, porém, encontrar os responsáveis pelos sucessivos rombos nas contas públicas. Nos registros judiciais eles simplesmente não existem, como mostra o mais recente estudo dos consultores do Senado Débora Ferreira, Fernando Meneguin e Maurício Bugarin.

38 thoughts on “Burocracia privilegiada de Brasília leva uma vida bem longe da crise

  1. Agradeçam ao Juscelino por ter construído a Ilha da Fantasia chamada Brasília. Ali começou o primeiro grandiosíssimo escândalo de roubo de dinheiro público. Se, fosse hoje, o Juscelino estaria numa Lava Jato.

  2. Antigamente este tipo de locupletação com dinheiro público, tinha um ditado que também era um incentivo:”Aproveita que o Braz é o tesoureiro”.
    Parece que em Brasilia e em todo o Brasil, a tesouraria voltou a ser comandada pelo Braz.

  3. 1) Por favor, não confundam a Ilha da Fantasia: a Praça dos Três Poderes e suas moradias com a cidade de Brasília, nem com o Plano Piloto.

    2) Os brasilienses não tem culpa nenhuma. As autoridades do Foro Privilegiado constituem um Feudo.

    3) E viva o DF povão, massa !

  4. Há cerca de 30 (trinta), na minha Santa Ignorância, pedi a Deus inspiração para elaborar um projeto novo e alternativo de país capaz de acabar com toda essa podridão que ai está há 127 anos, que é a república 171 do partidarismo-eleitoral, do golpismo-ditatorial e dos seus tentáculos, velhaco$, dos quais, no Brasil, somos todos vítimas, reféns e escravos há 127 anos. Pedi a Deus com tanta sinceridade e vontade de resolver essa obra de bandidos que é a república 171 concentrada em Brasília onde a fusão da diversidade brasileira deu merda. E Deus, talvez tb enojado do banditismo político luso-tupiniquim e afins, me direcionou para a RPL-PNBC-DD-ME, que põe toda essa podridão ao chão, há cerca de 20 anos na estrada, face aos quais cheguei a uma nova constatação de que preciso fazer um novo pedido a Deus, porque o primeiro foi incompleto, pois falta gente à altura da Revolução Redentora, falta mais Leões. Quem sabe, diante a minha aflição, Ele transforma o excesso de raposas, lobos, cabritos, hienas, gazelas, urubus e cia em Leões.

  5. O autor do artigo está completamente equivocado e confunde a Praça dos Três Poderes e os Lagos Sul e Norte, morada dos políticos ladrões, com o Distrito Federal.
    Nunca teve tanta miséria no DF.

    Não se trata de um sonho ou fantasia morar em uma cidade sem educação, sem hospitais, sem delegacia e sem transporte.
    Sonho é ganhar como ganham os ladrões e parasitas do dinheiro público…
    Sonho é poder ver bandido na cadeia…
    E fantasia e achar que o Supremo Tribunal Federal é composto por magistrados decentes…

    Mas todas essas realidades estão longe do cidadão comum.

  6. Celso,

    Uma cidade não pensa, não age, não rouba, não explora seus moradores.

    Brasília deu muito certo, sim, errado, porém, tem sido os parlamentares que, lá ou em qualquer outro local deste país são corruptos e desonestos, ladrões e incompetentes!!!

    Errado, completamente errado, o pensamento que atribui à localidade, à cidade, o mal que os humanos praticam.

    Vou mais longe:
    Aqueles que tanto criticam Brasília, exigindo que a capital federal retorne ao Rio, pois na Cidade Maravilhosa a corrupção seria menor ou deputados e senadores não tão inúteis e incompetentes, me expliquem se puderem – certamente que não encontrarão razões suficientes -, os motivos pelos quais O Rio se encontra na situação que está, falido economicamente, arrasado ética e moralmente com seus governantes comprometidos até a medula com roubos e desvios de verbas públicas?!

    Se o Rio não fosse exemplo de péssimas, nocivas e nefastas administrações;
    se a sua assembléia fosse modelo de austeridade;
    se o seu judiciário demonstrasse equilíbrio nos vencimentos de seus magistrados, e não pagando salários milionários para juízes e desembargadores;
    se o Rio não mostrasse para o Brasil e mundo a sua violência ocasionada pelos tráficos de drogas e armas;
    se o Rio não registrasse a morte de quase uma centena de policiais que tombaram pelas mãos de bandidos impunes;
    se o Rio não deixasse os servidores públicos à míngua, pagando-os com atraso e em parcelas os seus vencimentos, diferentemente como tem feito com o parlamento e judiciário, que recebem em dia e integrais seus proventos,

    ENTÃO eu apoiaria o retorno da capital federal para o Rio, MAS, enquanto a Cidade Maravilhosa vai perdendo a sua beleza por culpa de canalhas e ladrões prefeitos e governadores, decididamente não será esta localidade que irá curar, como em um passe de mágica, o mau caráter de nossa classe polítrica, que irá sanar o apetite que possuem para roubar e lesar o povo brasileiro!!!

    Não falem mal de Brasília, por favor!

    Antes, bem antes, muito antes, revejam os nomes de quem votaram, e tratem de melhorar os candidatos eleitos na próxima vez!!!

    • Bendl,
      Errada foi a construção de Brasília. Para que? Para integrar? Integração se faz com investimentos em infraestrutura e o centro-oeste só cresceu quando a agricultura, lá chegou. E isto teria acontecido e muito mais rapidamente se Brasília nunca tive existido. Brasilia foi um empecilho ao crescimento do país e não uma mola condutora. Os brasilienses, não têm culpa mas aqueles que a produziram, sim.

        • Paulo2,

          Não sei a tua idade, certamente és bem mais moço do que eu.

          Assim, não foste testemunha da necessidade desta construção, do erguimento desta cidade, que centralizava as decisões no Rio, e com a proximidade de São Paulo, a eterna locomotiva brasileira, o resto do país era literalmente o … resto!

          Brasília não serviu apenas para integrar as regiões. A sua construção trouxe quarenta anos antes o desenvolvimento para o Centro-Oeste, o surgimento da indústria automobilística, o asfalto para as estradas entre Minas e Goiás, Goiás e Bahia, encurtou as distâncias com as estradas sendo rasgadas em vários Estados.

          Agora, o principal foi a chance que ofereceu para milhares de brasileiros encontrarem uma razão poderosa para progredirem na vida, crescer, de saírem de seus Estados e desenvolver uma área inóspita, o cerrado com a sua vegetação característica.

          JK teve seus defeitos, assim como todos os seus antecessores e sucessores, mas foi o condutor do Brasil para o desenvolvimento, por mais que tentem depreciar a sua história e diminuir-lhe a importância como presidente do Brasil.

          Aliás, quem o detrata, quem tenta tirar-lhe o mérito, repete as palavras de desinformados, um mero papagaio, que imita o som das palavras tão somente e não merecendo crédito pelo que diz, pois simplesmente asneiras!

          Neste particular, o erro clamoroso e imensurável de Temer, ladrão, corrupto e incompetente!!!

          Se, quando assumiu, imitasse JK, e partisse para rasgar o Brasil de norte a sul e de leste a oeste, construindo ferrovias, rodovias, pontes, viadutos, elevadas, túneis, e colocasse este mar de pessoas desempregadas para trabalhar, este pústula e incompetente poderia roubar à vontade, pois o povo ainda o endeusaria.

          No entanto, preocupando-se apenas com a ignóbil política e querendo salvar seus cúmplices da Lava Jato, Temer perdeu a chance da sua vida, e hoje colhe a podridão de uma plantação mal feita!

          Outro abraço.

          • A questão é que existe e está ai acontecendo isso.
            O que vamos/devemos/podemos fazer para evoluir??
            Creio que apenas uma administração eficiente, honesta, transparente e voltada ao bem social, sem benesse nenhuma por executar isso.
            Ai sim penso que poderemos crescer um pouco…

          • Bendl, devo ser mais velho e vivi toda a construção de Brasília, e, foi algo totalmente desnecessário. A integração não necessitava de uma capital no meio do nada e sim investimentos em infraestrutura com a construção de estradas que levassem o brasileiro para o interior. Deixar os políticos no Rio teria sido bem menos danoso aos cofres públicos.

    • E o que a quadrilha petista deseja, a guerra civil, a luta de classes, onde visualiza a chande de uma ditadura!!!

      Não vai levar, pois os petistas não possuem o devido arroubo, pois só pensam no roubo, jamais no povo ou país, somente nas suas burras cheias de dinheiro!

      Mais a mais, os combates dos petistas seriam concentrados em somente roubar bancos, deixando de lado até mesmo o aspecto político, e seriam imediatamente vencidos porque se as burras estão cheias, os burros têm a cabeça vazia, portanto, derrota humilhante e acachapante!

      Juares, pensa melhor antes de escreveres sobre uma guerra civil, que tu não tens a menor ideia do que é, da sua gravidade, destruição, e da extrema dificuldade depois de se reerguer um país que a recepciona!

  7. Credo, quanta bobagem escrita!

    Não custa nada ler um pouco da nossa história, procurar a verdade, pesquisar sobre as razões da construção de Brasília, e como foi o governo de JK!

    Rio e São Paulo JAMAIS cobraram compromissos dos presidentes, pois determinaram que viveriam em patamares diferentes do resto do país, inalcançáveis, superiores, centralizadores!

    Se o Rio era a fonte cultural, os paulistas eram a força industrial e, unidos, o Brasil lhes devia reverência, submissão, obediência, diante de seus poderios de influência e poder junto ao … poder!!!

    Aliás, paulistas e cariocas representavam o poder reinante em qualquer tempo!

    Esses dois Estados eram tão maiores que os demais, que havia o Torneio Roberto Gomes Pedrosa, no futebol, onde SOMENTE OS TIMES DO RIO E SÃO PAULO competiam entre si!!!

    A partir de 1.967, foram convidados o RS, PR, MG e BA, passando a se chamar de Robertão, para, em 71, se denominar de Brasileirão porque abriu as suas portas para os demais estados e seus times!

    Curiosamente, o primeiro campeão desta modalidade foi um time fora do eixo Rio-São Paulo, o Atlético Mineiro.

    E, a única equipe que o venceu INVICTA, título inédito e que dificilmente será repetido foi o meu extraordinário INTERNACIONAL, em 79!!!

    Tri-campeão brasileiro, campeão da Copa do Brasil, bi-campeão da Libertadores, campeão do Mundo em cima do nada mais nada menos do que o Barcelona, e que será também campeão da segundona, claro!!!

    Rio e São paulo continuam sendo muito importantes para o Brasil, mas atualmente o Brasil consegue seguir adiante se um desses Estados claudicar, como o caso do Rio, hoje falido economicamente e absolutamente deteriorado em termos éticos e morais pelos seus governantes!

    Imaginem, por favor, façam um pequeno exercício de imaginação, se fosse naquela época esta tragédia carioca!!!!

    O Brasil estaria de portas fechadas!

    • Bendl, naquela época não existiria esta tragédia carioca que não é tão carioca assim e muito mais brasileira. Agora, a construção de Brasília quase fechou as portas do Brasil, tal a bandalheira e roubo.

      • Bom, respondeste a tua própria pergunta, Paulo2 neste momento, que a tragédia de Brasília não lhe pertence, pois “não é tão brasiliense assim, é muito mais brasileira”!

        Concordo plenamente contigo.

        Mais um abraço.

  8. Boa tarde
    Até quando vão colocar a culpa no sofá, pelo marido traído.??
    Brasília é só mais um lugar lindo que está habitada em nivel de concentração de metro quadrado por bandido em alguns lugares especificos.
    Na periferia por ladrões, assaltantes, traficantes, estelionatarios, etc…
    Na praça central do poder por corruptos, trapaceiros, mentirosos, hipócritas, uma infinidade de ladrões do erário de várias estirpes e modalidades.
    A culpa não é de JK, dos roubos, corrupção e desvios que sempre houveram na história humana.
    Seja no Rio imperial, republicano ou atual, seja em Salvador, onde for…
    Os moradores de Brasília, a sua maioria são vindos de fora e agora estão formando uma geração própria. Mas vamos ver em números:
    A Câmara federal tem 513 deputados, sendo 8 de Brasília, mas nenhum nascido na capital.
    O senado de 81 senadores, sendo 3 de Brasília e tbm nenhum nascido na cidade.
    Ou seja nenhum é de Brasília e sim de diversos estados da federação. Apenas se reunem aqui para ardilar contra o país.
    Só para acresecentar nem o presidente, governadores, juízes, etc,…. são de Brasília.
    Quanto a cuidar de monumentos, pontos turísticos, museus, etc… Isso é dever de toda cidade do mundo, para incrementar o turismo e manter a memória(mesmo que seja dificil).
    Mas pena que em toda cidade do mundo sempre vai ter os enganadores do povo.
    O dinheiro que falta em necessidades básicas está sendo gasto na manutenção de outros jardins….
    Das mordomias, vantagens, beneficios, gratificações, etc etc…do poder público no total(os 3).
    E o que reverte de beneficio para a população, para o produtor, para o industrial, para o comerciante, para o servidor público orelha, para o resultado eficaz de conforto social??
    Infelizmente muito pouco e agora nada.
    O governo, banco, multinacionais, e o peso do estado MATAM o cidadão e sua disposição, crença e iniciativa.
    Exigem e cobram muito e pouco dão em troca.
    Agora acho necessário isso tudo. Pagaria feliz até mais de imposto que hoje pago.
    Mas a reversão do valor aplicado deveria compensar e isto me é roubado a olhos vistos.
    Isso me da raiva.
    Mas eu já não fico mais com raiva de nada…
    Agora estou mais calmo, desculpem o longo texto.

    • Hamilton, a culpa não é da cidade e sim de quem a fez e de quem a usa. Infelizmente toda a raça ruim vive em Brasília, não só os políticos como todos os ladrões do dinheiro público. Se lá não vivem, lá trabalham. Então, Brasília, infelizmente, se tornou um adjetivo para falcatrua. Morei alguns anos lá e tirando os políticos e toda a coisa ruim era uma boa cidade.

  9. Salazar aconselhou a JK: “Não vá ao FMI”. Ele foi e assim começou a disparar a dívida externa.

    Mas parece que isso não interessa muito. Estratégia ? Bem, Washington não fica nem em Nebraska nem no Kansas.

  10. Eva,

    Águas passadas não movem moinhos.

    JK ter ido ao FMI não foi problema, pois a nossa questão diz respeito à corrupção e desonestidade de nossos parlamentares ANTES, DURANTE E DEPOIS da construção de Brasília!

    Afora a capital federal sair de onde se encontrava, no litoral, pois a segurança assim determinava, a razão foi a descentralização do poder, conforme escrevi acima.

    O Brasil era tão somente Rio e São Paulo, e se não tivéssemos a decisão de JK em construir a nova capital, o país estaria hoje em níveis albaneses, poloneses, búlgaros, belos povos e nações, porém sem indústrias, sem repercussão alguma no mercado externo, e até as nossas riquezas naturais já teriam sido exploradas e levadas para fora!!!

    Brasília tornou o Brasil conhecido para o próprio país e para o mundo.

    Olha, acredita neste sexagenário que mês que vem completa 68 anos de vida:

    Fui candango.
    Desci com meus mijados na ainda incompleta rodoviária naquela localidade antes da sua inauguração, em 59!

    Portanto, sou testemunha da história no que se refere ao júbilo de um povo que para lá se mudou em busca de trabalho, oportunidade, exatamente a falta da à época.

    Não fosse esta construção e continuaríamos uma nação atrasada, sem desenvolvimento, sem futuro.

    Brasília foi o marco na história do Brasil no século passado, o maior acontecimento, que sobrepujou as revoluções de 30 e 32, em sentidos opostos, de destruição e de compatriotas lutarem entre si!

    Brasília uniu o brasileiro, e o fez irmanar-se em busca do mesmo objetivo, vencer, construir, realizar!!!

    NINGUÉM poderá ofuscar ou empalidecer o orgulho e a sensação indescritível de vitória daqueles que a ergueram, que ajudaram a construí-la, que viveram aquele momento ímpar na história, repito.

    EU ESTIVE LÁ, trabalhei, estudei, morei por uma semana na Cidade Livre ou Núcleo Bandeirante, e depois até vir embora, em Taguatinga, dois endereços.

    Vi a cidade nascer, despontar, e se transformar numa cidade bela, imponente, moderna, e que concentrava a esperança do brasileiro por uma vida melhor!

    Seus detratores não sabem o que escrevem, não possuem a dimensão da importância da construção de Brasília e seu devido significado para o Brasil, pois desconhecem a trajetória brasileira antes de o cerrado começar a dar espaço para uma cidade, que aproximou os brasileiros, e que reuniu gente de todo tipo e jeito, que para lá se deslocou.

    Lamento esta falta de respeito por Brasília, que é a mesma que sentem pelo Brasil, afirmo!

    Digo mais:
    Percebo até mesmo um pouco de preconceito que, nitidamente, dá a entender que se a capital continuasse no Rio de Janeiro o país estaria melhor!!!

    Bom, de alguma forma o nascimento de Sérgio Cabral teria de ser evitado, de Pezão, Garotinho, Moreira Franco, Benedita … , pois são exemplos de péssimos administradores e políticos desonestos, corruptos, colocando o Rio no mesmo patamar de Brasília neste particular, como nas demais cidades brasileiras, diga-se de passagem.

    Brasília foi crucial para o Brasil crescer, surgir no horizonte para si mesmo e demais nações do Globo!

    Um abraço, Eva.
    Saúde e paz.

    • Estudei (UCB), morei (SQS 403 Bl Q ap 301), namorei (SQN 203 Bl E etc) e trabalhei (MF SGAN 601 Modulo G).

      Lá tenho amigos e todo ano vou visitá-los em um grande evento em que a velha guarda e seus descendentes se reúnem. Gosto de todos eles sem, contudo, criticar a maneira como foi construída a cidade.

      Refaça, por favor este trecho: “O Brasil era tão somente Rio e São Paulo, e se não tivéssemos a decisão de JK em construir a nova capital, o país estaria hoje em níveis albaneses, poloneses, búlgaros, belos povos e nações, porém sem indústrias, sem repercussão alguma no mercado externo, e até as nossas riquezas naturais já teriam sido exploradas e levadas para fora”. As palavras finais não batem com a realidade.

      Salvador e Rio de Janeiro já tiveram seus momentos também de glória, com gente de todas as partes do país, como também ocorreu e ocorre em Brasília, se bem que aqui no Rio não surgiu nenhum Roriz. Este, quando havia a ameaça de surgir alguma favela no Plano, criava logo uma cidade-satélite para que sumisse a possível “comunidade” e seu amigo Canhedo crescesse mais sua VIPLAN.

      Mas, porém, contudo, todavia, no entanto, entretanto, apesar de ter muitos amigos lá e gostar de estar lá, insisto: um lugar isolado serviu para que chegasse o Brasil ao ponto em que chegou, em um estado de “salve-se quem puder”, onde muitos repetem cá embaixo aquilo que fazem os três poderes nos andares superiores.

      Sugiro que veja como surgiu Palmas:
      https://pt.wikipedia.org/wiki/Palmas

      Saúde e Paz para você também.

      Eva

  11. Obrigado pela resposta, Eva.

    Mas não vou refazer o parágrafo que ordenas, lamento, mantendo-o exatamente conforme postado.

    Os momentos de glória que te referes para Rio e Salvador foram em épocas muito diferentes, então incomparáveis com Brasília.

    Agora, percebo que o debate não está sendo feito através de fatos históricos, mas há um certo toque pessoal, uma ojeriza por Brasília, que não pode ser medida apenas porque a cidade abriga o poder central e as notórias incapacidade e corrupção dos parlamentares, mas algo particular, que impede as alegações estarem despidas de particularidades, quando deveriam ser tão somente sobre a construção em si da capital, suas causas e consequências, menos em atribuir ao local os motivos de nossas mazelas e tragédias, a meu ver!

    Muito antes de criticar-se Brasília, dever-se-ia pleitear a diminuição do número de parlamentares em todos os níveis, suas despesas, seus custos, igualmente a quantidade de funcionários NÃO CONCURSADOS que gravitam em torno de deputados e senadores.

    Enfim, atribuirmos as devidas responsabilidades a quem deve ser o causador dos problemas nacionais, que não é a cidade, os valores gastos na sua construção, mas as fortunas gastas sem retorno com criminosos nos poderes instituídos!

    Por favor, Eva, fora de cogitação a construção de uma cidade como capital de um Estado recém criado pelo desmembramento do Goiás com o erguimento de uma capital federal, uma comparação sem sentido, absolutamente desnecessária.

    Mais saúde e mais paz.

  12. “e até as nossas riquezas naturais já teriam sido exploradas e levadas para fora” -> Nióbio, por exemplo.

    “há um certo toque pessoal, uma ojeriza por Brasília” -> … apesar de ter muitos amigos lá e gostar de estar lá … Aliás, gosto mais de lá do que do Rio, de SP ou de BH, acredite se quiser.

    Assim como se critica a maneira como foi colonizado este belo país, pode-se criticar a construção a toque de caixa – não importando os gastos – daquela bela cidade.

    A comparação é necessária. Tu podes admirar JK pela ousadia mas não deves admirar pelo custo que representou aquela construção. Questão de vaidade, parece (e ele o era, mesmo).

    • Modificaste a essência dos comentários anteriores com este último, então agora concordo contigo.

      A construção de Brasília pode ser criticada pelos seus gastos, a toque de caixa, como escreveste, menos a cidade ter sido erguida, é diferente!

      Brasília foi um BEM necessário, que se trouxe uma que outra dificuldade depois, soube compensar plenamente pela extraordinária contribuição que deu para o Brasil sair da sua estagnação industrial, e crescer, se desenvolver, até estancar por culpa de maus polítricos, péssimos parlamentares, eleitos em razão de uma educação/ensino deprimentes, deploráveis, que nos deixaram destituídos de senso crítico e discernimento político, em consequência do analfabetismo absoluto e funcional que registramos!

      Não me toma por inimigo, mas por um patriota, que não aceita que brasileiros se separem por questões políticas, e justamente esta, ignóbil, deletéria, abjeta!

      O nosso mal não é Brasília, mas o legislativo e executivo, que podem ser anulados, basta querermos.

  13. -PLACA DE BRASILIA? Então é ladrão e tem dinheiro!

    Esse negócio de dizer que quem é de Brasília é ladrão e/ou vive nadando em dinheiro é real. Basta perguntar para qualquer morador do Distrito Federal que viaje de carro. Quando eu viajava de carro, parecia que o carro tinha um ímã para atrair tudo o que não prestava. Bastava o policial rodoviário ver de longe a “placa de Brasília”, mesmo que estivesse estampada em um carro velho, para mandar encostar e criar dificuldades:

    “-Lá em Brasília vocês ganham bem! Dá uma contribuída para a nossa caixinha, um cafezinho aí, chefe!”

    Pronto! Lá se vai (ou se foram) cinquenta reais. Eu sempre contribuí. Afinal, não se pode dizer “não” para um bandido armado, uma quadrilha a serviço do Estado (e, portanto, a “teu serviço”) no meio de uma rodovia, no meio do nada, mesmo que depois você fique horas martelando a situação na cabeça. NÃO TEM NADA PIOR DO QUE UM BANDIDO QUE USA A ESTRUTURA DO ESTADO PARA DELINQUIR. Deveria ser condenado à morte ou a apodrecer na cadeia.

    O curioso é que se você for goiano ou mineiro (com a placa de Uberlândia ou de Ceres, por exemplo), você será identificado como alguém que pode comprar um carro novo com o fruto do seu trabalho e poderá ser confundido com um empresário ou com um fazendeiro digno – e será respeitado por isso.
    Agora, SE VOCÊ FOR DE BRASILIA, meu amigo, você será tratado como “segurança de político LADRÃO”, mesmo que você nem seja funcionário público, e todos dirão que você “é rico”, que passa o dia e a semana inteiros só tomando banho no espelho d’água do Palácio do Planalto e todos terão a certeza de que o teu carro foi comprado com dinheiro roubado dos impostos… deles!
    Dá a impressão que as pessoas quem “descontar” em você o que os políticos da Praça dos Três Poderes fizeram com eles: “-Já que a gente não consegue pegar um deputado, esse empregado dele serve…”.

    O autor artigo acima, certamente, deve está entre as pessoas que pensam assim.

    Abraços.

  14. BRASILIA UM ELEFANTE BRANCO NO SEIO DA NAÇÃO , ANTRO DE DELINQUENTES QUE O RESTO DO PAÍS BANCA . MAL TOTALMENTE DESNECESSÁRIO .

  15. Claro que a população de Brasília não tem culpa do que nossos governantes fazem por lá.
    Mas não se pode deixar de pensar que Brasília é um fruto – e um símbolo – dos surtos periódicos de megalomania que acometem o Brasil.

  16. Estão todos falando de Brasília, mas ao meu ver a culpa não é da cidde nem da sua construção.
    A farra começou porque, para convencer os deputados e senadores e os altos funcionários do exeutivo a se mudrem pra lá começaram a criar pendiricalhos que não existiam nomtempo da capital no Rio; apartamento funcional, verba para passagens para ir e voltar de seus estados ( e vejam que estas duas deveriam ser mutuamente exclusivas, por razões óbvias), uso à vontade de aeronaves da FAB, gabinete pessoal para cada senador e cada deputado, nada disso existia no Rio. Aí abriu-se a porteira para a proliferação de auxilios diversos, automoveis de luxo com motorista, multiplicação do número de assessores, hábito de comparecer ao congresso somente das têrças às quintas (um absurdo), estruturas de apoio inconcebíveis
    para a realidade brasileira, como o serviço médico do senado e sua extensão aos parentes dos senadores, gráfica do senado, verbas diversas de gabinete etc., auxílio moradia, auxílio alimentação e por aí vamos. Com isso formalizou-se uma classe política que vive a anos luz da situação econômica do povo brasileiro e já não se preocupa em representá-lo, mas apenas em conservar seus privilégios. E nem estou falando aqui dos roubos e desvios em que se meteram e continuam se metendo. Em vez de servidores dopovo se auto-intitulam “excelências” e agem como se o fossem. Além de todos os vícios e defeitos que a classe política sempre teve, agora constituem uma classe imperial vivendo em seus palácios de mentira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *