Cabralzinho: imoral e anti-ético

Por consequências da campanha, do tipo de acordo a que foi obrigado, Fernando Gabeira está praticamente isolado. Candidato de renovação moral, política e eleitoral, não pode ser “apoiado” por Marcello Alencar e César Maia. Além do mais, não tem dinheiro para coisa alguma.

Ninguém acompanha o candidato a governador. Só uma exclusão: Paulo Pinheiro, boa figura, deputado estadual, candidato à reeleição. Gabeira tem se limitado a fazer visitas de surpresa a hospitais, todos, mas todos mesmo, em estado de calamidade pública. E Paulo Pinheiro, que já dirigiu o Miguel Couto, com ele.

Cabralzinho faz então o seguinte: lê a agenda de Gabeira, manda seguranças para lá, impede as filmagens. A campanha de Gabeira passou a fazer o seguinte: anuncia uma agenda e faz o contrário.

Ontem á tarde os seguranças de cabralzinho foram para o Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, o anunciado, mas Gabeira visitou o Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes. E filmaram a esculhambação, perdão, a rotina vergonhosa.

Doentes mentais em macas nos corredores, falta completa de higiene no hospital inteiro, dependências imundas, bicas sem água, tudo será mostrado na televisão nos próximos dias.

***

PS – Quando cabralzinho soube, mandou os seguranças para lá, mas todo já havia sido documentado.

PS2 – Quando soube que não ia conseguir IMPEDIR o trabalho dos profissionais, cabralzinho partiu para o seu normal: PALAVRÕES.

Ps3 – E mandou apurar quais foram os responsáveis pelo fracasso da perseguição. Pânico à vista e punição a caminho.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *