Cada uma das quatro denúncias contra Temer terá um relator em separado

Pacheco, do PMDB, não aceita pressão do Planalto

Cristiane Jungblut
O Globo

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Rogério Pacheco (PMDB-MG), disse ao Globo que reunirá o colegiado na próxima terça-feira para discutir a denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer entregue nesta quinta-feira, feita pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Pacheco embarcou para Minas Gerais.

O presidente da CCJ explicou que é preciso ler o recebimento da denúncia em plenário e, depois, ela vai para a Comissão. Pacheco ainda vai definir um relator para o caso. O deputado Alceu Moreira (PMDB-RS) voltou a ser cotado para o cargo, apesar de ter dito que não aceitaria a função. “Fico no aguardo da chegada dos autos à CCJ” — disse Pacheco.

ACELERANDO – O prazo para Temer apresentar sua defesa é de até dez sessões, mas o presidente — como O Globo já antecipou — não vai usar todo o prazo, para antecipar a votação.

Temer ainda é investigado por outros três crimes: organização criminosa, obstrução de Justiça e prevaricação. Caso sejam enviadas novas denúncias contra o presidente pelo procurador-geral Rodrigo Janot, como é esperado que aconteça, Rodrigo Pacheco já afirmou que não irá juntá-las para análise. Ou seja, serão analisadas uma a uma. Pacheco também quer um relator para cada denúncia. E não um relator único para todas, como gostaria o governo.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Apesar de ser do PMDB, o deputado Rodrigo Pacheco está demonstrando independência total em relação ao Planalto e já disse que os relatores será deputados também independentes, o que é muito ruim para a defesa de Temer. (C.N.)

2 thoughts on “Cada uma das quatro denúncias contra Temer terá um relator em separado

  1. Para a economista Monica de Bolle, que foi diretora da Casa das Garças, conhecido instituto de estudos de viés liberal, também já dirigido por Ilan Goldfajn, a equipe econômica faz parte do governo Temer e não está blindando nada.

    “Existe essa ideia muito equivocada no Brasil de que a equipe econômica é uma coisa e o resto é outra. A equipe econômica trabalha para o presidente, são cargos comissionados”, disse ela, descartando a existência de separação entre uma coisa e outra. “O que acontecer no lado político vai impactar sim a equipe econômica e o que ela é capaz de fazer.”

    “O [Henrique] Meirelles é funcionário do Temer, assim como o Ilan [Goldfajn].”

    https://goo.gl/QNk1Fy

    Pelo visto, a equipe Meirelles e Goldfajn está perdendo a unanimidade.

    Monica de Bolle ainda afirma:

    “Se Temer fizer de fato o jogo do ‘fico a qualquer custo e vou até o fim’, vai levar a economia para o buraco junto com ele, porque tudo ficará em função do presidente. A briga institucional que já existe entre Executivo, Legislativo e Judiciário vai continuar, e paralisar o país inteiro.”

    https://goo.gl/c3V6zu

    Não há saída para crise no Brasil à vista….

  2. Passa da hora de ver tudo mudar…

    “A novidade veio dar à praia
    Na qualidade rara de sereia
    Metade o busto
    De uma deusa Maia
    Metade um grande
    Rabo de baleia…

    A novidade era o máximo
    Do paradoxo
    Estendido na areia
    Alguns a desejar
    Seus beijos de deusa
    Outros a desejar
    Seu rabo pra ceia..

    Oh! Mundo tão desigual
    Tudo é tão desigual

    Oh! De um lado esse carnaval
    De outro a fome total
    E a novidade que seria um sonho
    O milagre risonho da sereia
    Virava um pesadelo tão medonho
    Ali naquela praia
    Ali na areia…

    A novidade era a guerra
    Entre o feliz poeta
    E o esfomeado
    Estraçalhando
    Uma sereia bonita
    Despedaçando o sonho
    Pra cada lado….

    Oh! Mundo tão desigual
    Tudo é tão desigual

    Oh! De um lado esse carnaval
    De outro a fome total”

    – A Novidade – Gilberto Gil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *