Cadeia neles!

Carlos Chagas

Depois de milênios em conflito, Deus e o Capeta resolveram promover a paz universal e eterna no universo. Decidiram que para evitar a continuação de conflitos e desgraças, melhor seria construir uma ponte entre o Céu e o Inferno. Assim estariam prevenidos e garantidos. A combinação foi de que cada lado se encarregasse de metade da ponte. Logo o Capeta lançou-se na sua empreitada, mobilizando legiões de diabinhos e cumprindo rigorosamente o cronograma das obras. Quando olhava para cima, no entanto, via que nada estava sendo feito. Preocupado e tendo quase completado a sua obrigação, pediu uma audiência para reclamar. Afinal, meia ponte não resolveria nada em prol dos objetivos combinados.

O Padre Eterno ouviu calado as críticas sobre sua inação, mas no final falou: “Quer saber porque não iniciamos nossa parte da ponte? Por culpa sua! Aqui no Céu não encontramos um empreiteiro sequer, para contratar. Você levou todos para o Inferno!”

A anedota se ajusta bem à realidade que vivemos. Presos ou temerosos da prisão, não haverá um só empreiteiro, grande ou pequeno, contratado ou não pela Petrobras, que deixe de ser chamado a prestar contas, demonstrando sua lisura ou merecendo queimar até o fim dos tempos. O corpo técnico das empreiteiras é excepcional. Seus engenheiros, planejadores, mestres de obras e operários fazem milagres em matéria de hidrelétricas, portos, pontes, túneis e tudo o mais que envolva obras públicas e privadas. O diabo (com perdão de nosso personagem citado acima) são certos donos. Proprietários das empresas, pelo berço ou por malandragens, ávidos de multiplicar suas contas bancárias e seu poder. Responsáveis por uma injusta generalização.

É mentira dizer que não sabiam o que seus operadores faziam em matéria de superfaturamento, aditivos contratuais, propinas e compra de políticos e de altos funcionários do governo. Bobagem igual, só a do Lula ao proclamar que não tinha conhecimento do mensalão, ou da própria Dilma, para quem foi uma surpresa verificar a lambança na Petrobras.

FUNDO DO POÇO

Sendo assim, cabe ao Poder Judiciário descer no fundo do poço. Identificar não apenas os responsáveis formais, testas de ferro, subalternos ou sabujos. Assim como estão condenados os dirigentes e artífices da Petrobras na promoção da roubalheira, da mesma forma como vêm sendo conhecidos os políticos envolvidos no roubo dos recursos nacionais – é hora de cair em cima dos verdadeiros beneficiários do maior assalto aos cofres públicos jamais registrado na história da República. Importa menos se através de expedientes e de circunlóquios administrativos e jurídicos, o nome deles sequer aparece nos balanços e prestações de contas a eles mesmo, como acionistas principais. São bandidos, mais do que os outros. Cadeia neles! Claro que sem deixar submergir as empreiteiras, cujas estruturas são competentes e essenciais.

Intervir para afastar esses parasitas não é apenas dever da Justiça. É obrigação da nação. Por certo que existem empreiteiros sérios, honestos e merecedores dos aplausos gerais. Serão eles, em especial, os mais beneficiados com essa limpeza imprescindível.

2 thoughts on “Cadeia neles!

  1. Sr. Chagas, análise perfeita, a questão das empreiteras acusadas, é o “grande problema”, por força de lei, estão condenadas, com prejuizo à Nação.
    Juridicamente, ou com bom senso, não há caminho de uma gerência colegiada nessas empresas, tirando em definitivo os “donos” culpados, ou só o pequeno é que paga o “pato” com a falência!??.
    O Brasil, ainda não chegou ao apice da corrupção, mensalão, petrolão, são os degraus, e muitos ainha existem para a subida, BNDS, é um degrau, ainda não pisado!, mas, que tem que ser, para a moralização de nosso BRASIL.
    O eleitor, é o culpado dessa corrupção, a prova foi dada agora pelo tse, Maluf eleito em 6º lugar, o presidente toffoli-tse, reprovado 2 vezes para juiz, revogou decisão do TRE/SP, contrariando a Lei da Ficha limpa, ao inocentá-lo, apesar da Policia internacional, o prender fóra do Brasil. toffoli referendou os eleitores malufistas, merecem serem roubados, e pastar.

  2. Nobre jornalista Carlos Chagas:

    Perfeita análise em relação as empreiteiras brasileiras. O corpo técnico dessas empresas, como você bem descreveu é de primeira linha. Quem corrompeu, lá no topo da pirâmide deve pagar pelos ilícitos praticados.

    Entretanto, faltou ao eminente e consagrado jornalista, tecer loas também ao corpo técnico das empresas estatais, notadamente da Petrobrás, a “geni” em que todos estão jogando pedras. Também na maior estatal do Brasil, existem engenheiros, químicos, geólogos e administradores da melhor qualidade, com reconhecimento internacional.

    A Petrobrás foi criada no início da década de 50 livrando o Brasil nos anos seguintes de uma sangria relacionada a importação de petróleo. Alavancou a industrialização do país, então, semifeudal, aliada a Companhia Siderúrgica Nacional e a Companhia de Eletricidade ( FURNAS), sem esse tripé estatal, estaríamos na era das cavernas, por longo período, condenados ao terceiro mundismo ( que palavra!).

    Têm se escrito muito em defesa das empreiteiras envolvidas na Lava Jato. O foco não são elas, mas seus executivos e operadores, assim como, a Petrobrás deve também ser preservada e a artilharia apontada para quem cometeu ilícitos, quem aceitou propina de executivos, quem fraudou licitações, quem construiu empresas em nome de outros fantasmas para burlar a lei e fazer contratações com a empresa pública, enfim, puna-se o corrupto e preserva-se a sociedade.

    Essa é uma oportunidade ímpar para passar o país a limpo. Os recursos nacionais que faltam para a Educação e a Saúde, os pilares do desenvolvimento da nação foram durante décadas carreados para poucos privilegiados comprarem fazendas, apartamentos na Vieira Souto e principalmente, manterem contas secretas nos paraísos fiscais. A farra com o dinheiro público precisa estancar e os recursos carreados para as crianças estudarem em escolas aparelhadas com a mais moderna tecnologia.

    Essa geração está perdida e enlameada pela prática delitiva da corrupção em todos os níveis da escala do poder público e privado, salvando-se poucos, que ainda existem. As crianças não podem sofrer essa danosa contaminação para o bem do povo brasileiro.

    Só para terminar. Sopraram para os dirigentes, que um pacto anticorrupção seria um antídoto contra o malfeito. Ledo engano. A raposa jamais deixará de comer as galinhas e o gato busca caçar e matar o rato. Quem nasceu para ser corrupto, só a cadeia pode impedir que pratique esses atos. Portanto, deixem a justiça trabalhar e fazer seu papel institucional, assim como vem fazendo o Juiz Sérgio Moro.

    Bom dia jornalista Carlos Chagas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *