Câmara pede proteção para autora de denúncias na Petrobras

Venina Velosa da Fonseca, então gerente executiva da Petrobrás, discursa durante cerimônia no Palácio do Planalto de entrega conjunta do Prêmio Nacional da Gestão Pública, ao lado do ex-vice-presidente José Alencar, em março de 2007 (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo/Arquivo)

Venina ganhou o Prêmio Nacional da Gestão Pública e depois foi demitida por justa causa

Deu na Agência Brasil

A Câmara dos Deputados pediu ao Ministério da Justiça proteção da Polícia Federal para a ex-gerente da Petrobras Venina Velosa da Fonseca. Segundo notícia divulgada pelo jornal “Valor Econômico” na edição de hoje, Venina teria alertado a direção da estatal sobre um esquema de corrupção na empresa e, em função disso, teria sido perseguida, ameaçada de morte, transferida para um escritório da petrolífera em Cingapura, na Ásia, e depois afastada de suas funções.

O pedido de proteção policial foi feito pelo líder da minoria no Congresso, deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), ao presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), em função da publicação da matéria com as denúncias, e-mails e relatórios de alerta que teriam sido feitos pela ex-gerente.

Ao receber a solicitação, o secretário-geral da Mesa Diretora da Câmara, Mozart Vianna, comunicou o fato ao presidente em exercício da Casa, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), que o orientou a encaminhar ofício ao chefe de gabinete do Ministério da Justiça, solicitando a proteção policial para a geóloga e ex-gerente executiva da Diretoria de Refino e Abastecimento da Petrobras, Venina Velosa da Fonseca, o que foi feito por Vianna.

CONTUNDÊNCIA

“Em face da contundência dos fatos, solicitamos a Vossa Excelência que envide todos os esforços necessários – em nome da Câmara dos Deputados – junto ao Sr. Ministro de Estado da Justiça, com vistas a que sejam adotadas as providências cabíveis para assegurar a proteção desta cidadã e sua família, vez que ela – de forma corajosa e antes mesmo da Operação Lava Jato da Polícia Federal se tornar pública – já havia se posicionado no sentido de denunciar os graves casos de corrupção instalados na Petrobras”, afirmou o líder Ronaldo Caiado.

Em nota de esclarecimento, a Petrobras informou que instaurou comissões internas em 2008 e 2009 para “averiguar indícios de irregularidades em contratos e pagamentos efetuados pela gerência de Comunicação do Abastecimento”. E acrescenta: “O ex-gerente da área foi demitido por justa causa em 03 de abril de 2009, por desrespeito aos procedimentos de contratação da companhia. Porém, a demissão não foi efetivada naquela ocasião porque seu contrato de trabalho estava suspenso, em virtude de afastamento por licença médica, vindo a ocorrer em 2013. O resultado das análises foi encaminhado às autoridades competentes”.

16 thoughts on “Câmara pede proteção para autora de denúncias na Petrobras

  1. O pior é que os cínicos do PT estão dizendo que ela quis fazer chantagem ! O que no fundo é uma confissão, pois ninguém chantageia que está limpo ! É o modus operandi !

  2. Quer dizer que o cara é demitido em ABRIL DE 2009 mas só foi efetivada a demissão em 2013!
    Por causa de licença médica? QUATRO anos de licença médica? kkkkkkkkkkkkkkkkk…
    É o modelo PT de mentir descaradamente…

  3. A Veja apontou que Lopez entregou, em 2012, duas malas, em um total de R$ 500 mil, ao tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Ele teria a companhia de José Alberto Piva Campana, executivo da Toshiba Infraestrutura.

    Outro nome ilustre que teria recebido visita de Rafael Ângulo Lopez é o ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL), apontou a revista Veja. O atual senador por Alagoas teria sido beneficiado com R$ 50 mil, recebidos em apartamento na Rua dos Ingleses, na capital paulista.

    O “entregador” ainda teria levado dinheiro a um assessor do governo dentro do Palácio dos Leões, então residência oficial de Roseana Sarney (PMDB), no Maranhão. A ex-governadora do Estado, que renunciou na semana passada, teria recebido 900 mil reais em propina, segundo a Veja.

    Mário Negromonte (PP), ministro das Cidades no primeiro ano de governo de Dilma Rousseff, teria levado 150 mil reais mandados por Youssef.

    O deputado federal Luíz Argôlo (SD-BA) teria recebido 600 mil reais em dinheiro; o outro deputado, Nelson Meurer (PP-PR), teria sido beneficiado com 200 mil reais.

    Para completar a lista, André Vargas (PT), que teve o cargo de deputado federal cassado na última semana, teria levado 150 mil reais de propina.

    Segundo a Veja, Rafael Ângulo Lopez já se ofereceu para fazer acordo de delação premiada.

  4. A canalhice da diretoria da Petrobras em cima da Sra. Venina (ex-gerente da Petrobras) é patente!

    Pura perseguição com intuito, inclusive, de queima de arquivo. É notório.

    Não há nenhuma outra lógica embutida neste episódio a não ser esta, uma vez que não há lógica em demitir por justa causa uma funcionária logo depois de ganhar Prêmio Nacional de Gestão Pública das mãos de um Vice-Presidente da República!!!

    Na gestão petista e de sua base aliada só assassinos, vagabundos, corruptos, psicopatas… a escória da sociedade tem valor; pois, são esses que servem de instrumento de dominação e hegemonia ideológico-partidária.

  5. Colocaram vagabundos, bandidos e terroristas para governar o país. Para administrar um orçamento de R$2,3 trilhões da União.

    Para terem as mão sobre todas as estatais e seus patrimônios!

    Queria o quê, o povo deste país?

    Mas, vai ter muito mais. Esse é só o fim do primeiro mandato de Wanda, a guerrilheira. Vai ter muito mais nos próximos quatro anos. Pelo menos!

  6. Agora, para pavor dos Petistas, a autora das denúncias na Petrobras vai ter cancelada sua demissão por Justa Causa.

    Será readmitida no mesmo cargo ou promovida e receberá todos os atrasados que tiver direito.

    Nada mais justo.

    Muito justo.

    Justíssimo.

  7. Personagens, entram e saem de cena…
    Estamos falando e comentando sobre atos e fatos de uma quadrilha, organizada, que mereceu o comentário do Procurador Geral da República, como sendo o fato mais vergonhoso que o pais já assistiu… e sem futuro.. e, pelo visto, sem a Petrobras, também.
    Uma pena. Triste, e revoltante.

  8. A foto do suposto prêmio em Gestão Pública da senhora Venina Velosa da Fonseca está sendo entregue pelo falecido Ex-vice-presidente José Alencar. Esta foto é de no mínimo 2011, ano do seu falecimento. Não sou jornalista, mas acho que o redator do tribunadainternet.com.br esta tentando criar um factoide. Se não fosse a foto, eu até engoliria esta relação que tenta criar na ligação entre um prêmio “supostamente” justo e uma demissão incoerente. Notícia furada esta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *