Campanha para economizar é mais importante do que racionar

Pedro do Coutto

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, reportagem de Júlia Borba, Folha de São Paulo de quinta-feira, 15, recomendou à população brasileira a economizar energia. Na mesma edição do jornal, pela primeira vez diretamente o governador Geraldo Alckmin afirmou que o racionamento de água em São Paulo já existe.

São duas verdades. A primeira, acentuada pelo titular do MME, é preventiva. A do governador paulista deveria te sido precedida de campanha pública, incluindo apelo direto à população do estado. Mas como 2014 foi um ano de campanha eleitoral e o aviso antecipado poderia influir no rumo das urnas, a realidade foi deixada para segundo plano. Como a correção das tarifas no plano federal.

Por isso tem importância a declaração de Eduardo Braga. Pois quando ele fala em alto preço da energia, em parte está antecipando o aumento que virá por aí. Aliás, o realinhamento das tarifas elétricas faz parte do plano de equilíbrio financeiro anunciado pelo ministro Joaquim Levy, cuja participação nas ações de governo está abrangendo várias pastas. A da Previdência, com o corte de pensões, uma delas. A de Minas e Energia, com o previsto realinhamento tarifário, outra.

É MELHOR ECONOMIZAR

Mas voltando ao tema contido no título, podemos dizer que economizar energia é mais factível do que economizar o consumo de água. Porque, em matéria de água, quando se fala em racionar surge logo o ato de armazenar. Isso, em inúmeros casos, eleva o consumo real. Famílias enchem baldes, mas como a água naquele dia não sofreu interrupção, esvaziam os recipientes e jogam fora a água que eles retinham. O consumo, claro, não se restringe às residências. Existe o consumo hospitalar, comercial, industrial. A água tem seu aproveitamento estendido ao plano sanitário, individual e coletivo. A energia tem mais possibilidades de ser economizada. Principalmente nas residências.

Porém, é fundamental no processo industrial e na comercialização. Portanto, água e energia influem diretamente na economia de modo geral, podendo se transformar em fatores de alta redução das atividades produtivas. Por isso, sobretudo, é muito mais importante economizar do que racionar. O racionamento é uma medida extrema, que traz consigo um clima de opressão do qual todos desejam se livrar. Especialmente no verão que envolve o país e que, por si, torna-se um forte agente de elevação do consumo tanto de água quanto de energia.

HIDRELÉTRICAS

Outro reflexo é a grande vinculação entre a existência de água e a produção das usinas hidrelétricas, responsáveis por cerca de 70% do consumo e da produção nacional. Menos água nas usinas, mais óleo combustível acionado para o funcionamento de usinas térmicas, cujo custo é muito mais alto. Enfim, como todo processo econômico presente à vida humana existem ligações diretas entre os setores produtivos.

O calor atinge em cheio o país, principalmente a cidade do Rio de Janeiro. É preciso, portanto, conscientizar para economizar para não termos que, amanhã, racionar tanto uma coisa quanto a outra.

7 thoughts on “Campanha para economizar é mais importante do que racionar

  1. Só mesmo em um país de analfabetos. Quando leio o texto do Pedro do Coutto fico surpreso que em São Paulo não existe um programa governamental de incentivo à economia de água. Até parece que ninguém sabia de tão grave problema. Ninguém lê, na televisão só novela e big brother?

  2. O articulista segue a mesma linha dos jornalões chapa branca-amiga do partidão da ética teflon. citarei todos para dizer quem os são, folha, estadinho, veja, globo, fora amídia televisiva que nem o nome do franco-tucano-suiço citaem seusjornais matinais….
    O desgovernador destruidor deEstados e Pais, vem sendo avisado varias vezes sobreo problema dasegurançahídrica,
    Tem relatório entregue em 2001 para geraldo teflon28 sobreo problema,mas como são gênios administrativos, prefeiriu o que mais gostam, o roubo descarado aoscofrespúblicos paulistas e federais, e tome roubo, na sabesp, metrô, merendas escolares, nasrodovias, rodoanel, santas casas de saúde e outras pequenas de “pequeno” porte………..
    Todoo dinheiro roubadoque erapara fazer as obras para os reservat´rios foi colocado em contas naSuiça e nas famosas Ilhas Tucanaymans peloditos “homes deética,honestos e moral e bonscostumes,…
    E agorao problemaestá ai, fora oproblemadas águas, mais uma grandeobra-prima dos tucanalhascomeça a aparecer, a PRIVATIDOAÇÔES DAELETROPAULO….
    Nãopode chover umpingo dágua que SãoPaulo fica nas trevas, bairros inteiros ficam sem energia eletríca por vários dias……..
    Com obeneficio deter ao seu lado agrande mídia esgoto fascista , no ano da reeeeeleição dogeraldo teflon28, tudo foi colocado para debaixo do tapete,escondido,blindado,protegido pelos mafiosos midiaticos, nada foi cobrado, nada foi noticiado sobre o grande problema dos gênios administrativos desteEstado………
    Creio eu,que foi umgrande ESTELIONATO ELEITORAL, mas issoninguem comenta, pois,estaria contrariando a grande m[ídia e seu eterno hospedeiro………
    Mas com certeza para o geraldo teflon 28 e sua linda esposinha Das-Lú, filhos e netos, não há qualquer tipo de problema com a a´gua, ao primeiro sinal de’falta”,pega o avião em Guarulhos e ´parte para a grande banheira do Apartamento na Avenue Foch….lá certamente não faltará água,nem caviar e muito menos champagne…
    Lá Bela Paris,,,,quemnão gosta…
    eh!eh!eh

    • O Pedro do Coutto não é e nem foi nesse artigo chapa branca tucano. Esse adjetivo você pode usar para figuras como Reinaldo Azevedo, Merval Pereira e felipe moura brasil. Mas o colunista da tribuna desnudou o governador. Disse que ele não fez campanha pública para economia de água porque 2014 foi um ano de campanha eleitoral. Ou seja, disse que o Alckmim é um político igual aos outros. O que é uma tremenda crítica

  3. (MÌDIA) .Faço a blindagem e proteção do”meu”hospedeiro”, aquele que garante toda as ‘benesses” dos cofres públicos e jogo toda a culpa em SãoPedro e na população por não economizar água e luz….
    E assim como na grande estorinha da carochinha o des- governador teflon28 continua sempre (IN) COMPETENTE………

  4. O uso da água é regulado pela Agência Nacional de águas, que se tornou mais um cabide de emprego petista, como todas as outras agências federais. Para termos uma noção, a Anvisa tem 4 diretores, 2 são advogados e 2 economistas, NENHUM médico.
    Somente 10% da água é utilizada para consumo humano, 20% é utilizado pelas indústria e 70% pela agricultura. Assim essa pelegaidada que se instalou no poder nada fará, pois os coligados Armando Monteiro e Kátia Abreu não permitirão. Como disse o Millor : “Transformaram o país num casino e viciaram a roleta ” !

  5. Ao contrário do que a indústria da difamação petista quer afirmar, com as sua “verdades” de Goebbels, principalmente através dos penas de aluguel, chefes dos MAVs, a água é uma concessão do Município. Onde o seu Malddad fica nisso? Ele fez a fiscalização necessária, que consta no contrato? Vejam o convênio da Prefeitura de São Paulo com a Sabesp.
    http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/habitacao/fmsai/convenios_e_contratos/index.php?p=145807

  6. A ANA – Agência Nacional de águas é um cabide tão grande, que esteve até envolvida na sufocada Operação Porto Seguro, da Rosemary….
    ” A Polícia Federal vai abrir inquérito para investigar por lavagem de dinheiro a ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary de Noronha, e outras pessoas investigadas pela Operação Porto Seguro – que desarticulou um esquema de compra de pareceres técnicos de órgãos públicos para beneficiar empresas.

    A PF suspeita que bens adquiridos de forma ilícita, a partir de atos de corrupção, teriam sido ocultados ou dissimulados pela organização integrada por Rose e Paulo Vieira, ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) apontado como chefe do grupo. Em ofício enviado à Justiça Federal, o delegado Ricardo Hiroshi, que preside o inquérito da Porto Seguro, pediu e obteve autorização para abrir uma apuração específica sobre lavagem de dinheiro.

    Rose já foi indiciada por outros quatro crimes: corrupção passiva, tráfico de influência, falsidade ideológica e formação de quadrilha. A PF enquadrou Paulo Vieira nos crimes de corrupção ativa, falsidade ideológica, falsificação de documento particular e formação de quadrilha.”
    ( Veja ).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *