Cardeal já mostrou ao Vaticano que em breve a França será islâmica

O caso da França é impressionante

Carlos Newton

Em meio ao radicalismo que cerca a questão islâmica na Europa, aumentou o interesse por um vídeo de 7 minutos intitulado “Muslim Demographics” (Demografia Muçulmana) sobre o crescimento do islamismo na Europa. Na versão dos dados do vídeo, postado no Youtube em 2009, a França, onde hoje 5% da população já são islamistas, se transformaria num país muçulmano em apenas 39 anos, ou seja, em 2048. E o mesmo ocorreria com outros países nas próximas décadas.

“Em poucos anos, a Europa, como a conhecemos hoje, deixará de existir”, diz o cardeal ganense Peter Turkson, que em 2012 exibiu o vídeo no Vaticano, quando já tinha recebido no Youtube mais de 13 milhões de vezes. Há na internet uma versão em português, aparentemente postada pela Primeira Igreja Batista de São José dos Campos (SP).

Uma reportagem postada à época no blog de Paulo Lopes informava que o vídeo conclui que a França se tornará islâmica em decorrência da queda de sua taxa de natalidade (1,8 filho por mulher), em combinação com o aumento da imigração de muçulmanos, com natalidade de 8,1 filhos por mulher. Atualmente, 30% dos jovens com menos de 20 anos são islamitas. “Em 2027, 1 a cada 5 franceses será muçulmano”, diz o vídeo. “Em apenas 39 anos, a Franca será uma república islâmica.”

SÍNODO INTERNACIONAL

O cardeal Turkson, que em 2012 era presidente do Conselho de Justiça e Paz do Vaticano, apresentou o vídeo em sínodo internacional, um dos eventos mais importantes da Igreja Católica.

Como o vídeo funciona como um chamamento aos cristãos para que reajam ao avanço islâmico, houve mal-estar tanto na Igreja Católica com em lideranças muçulmanas, e o cardeal Turkson teve de pedir desculpas. “Minha intenção nunca foi a de chamar os cristãos às armas. Sinceramente, peço desculpas. Nunca quis fazer isso”, disse ele, segundo o blog de Paulo Lopes.

Os muçulmanos alegaram que os dados apresentados pelo vídeo teriam sido distorcidos, de modo a dramatizar as consequências da imigração islâmica, a Conferência Episcopal da Europa se comprometeu a levantar informações mais confiáveis.

De 2012 para cá, o problema se radicalizou ainda mais, não somente na França, que tem aprovado legislações especiais para evitar que os imigrantes islamitas vivam uma voluntária situação de apartheid em relação à população francesa, mas também na Alemanha, onde não para de haver manifestações populares contra a islamização do país.

5 thoughts on “Cardeal já mostrou ao Vaticano que em breve a França será islâmica

  1. As 3 grandes figuras do cristianismo na França: Martinho, Clovis e Bernardo Cisterciense. Martinho evangelizou os gauleses. Clóvis era um rei bárbaro, um guerreiro implacável, que foi batizado e virou o primeiro rei cristão dos francos. A história da França começou com um bárbaro convertido a cristão. Bernardo Cisterciense defendeu a segunda cruzada a Jerusalém. Nas cruzadas milhares e milhares de muçulmanos foram massacrados, crianças, mulheres e velhos não foram poupados.
    Mais de mil anos depois o tributo pela irracionalidade está sendo cobrado pela mesma irracionalidade.

    • Isso seria uma conclusão giríssima, com a cronologia dos acontecimentos omitida. Na realidade, se não fosse o Islão a ter massacrado e conquistado tudo o que era cristão, e não fosse o o Islão a barrar o caminho bem como a sequestrar a terra santa que muitos mil anos antes de ser conquistada pelo islamismo, já era judia, e até cristã.

  2. Li alhures que após a queda do muro de Berlin, o esfacelamento do socialismo e comunismo (que ajudava a segurar as massas), a população pobre e desvalida do planeta entendeu que a única força capaz de derrubar o Capitalismo e o modo de vida Ocidental (american way of life) é o Islã. Eu penso que isto vai acontecer, mais cedo ou mais tarde. Os muçulmanos não fazem/não querem planejamento familiar, já os europeus fazem/querem…É um fato histórico que CN apresenta no artigo. Haverá “choro e ranger de dentes” (disse Jesus) a meu ver a queda do Capitalismo é inevitável, muitas trevas… muito sangue … sinto muito…

  3. É muito simples a solução: Se novos imigrantes(principalmente muçulmanos) quiserem entrar na Europa ou em outros países civilizados em busca de uma vida melhor,uma exigencia básica deveria ser imposta:
    – os homens deveriam realizar vasectomia e as mulheres a laqueadura. Se não aceitarem, “a porta da rua é a serventia da casa” e ainda assim num ato de extrema generosidade receberiam uma passagem de volta para os seus países de origem.

Deixe uma resposta para Ajc Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *