Carlos Artur Nuzman, há 16 anos presidente do COB, é massacrado pelo Tribunal de Contas da União, que DENUNCIA dezenas de irregularidades, proíbe muitas.

Helio Fernandes

Sequências de escândalos e irregularidades, descobertas pelo TCU, levam Nuzman à condição de novo (?) Ricardo Teixeira, só que de vários esportes. Relator, ministro José Jorge. Ninguém publicou nada, embora tenha saído no Diário Oficial. Vejamos as violações comprovadas e as proibições impostas a Nuzman pelo TCU.

1 – Tem 180 dias para atualizar o regulamento de compras, diretas e indiretas. 2 – Todos os licitantes devem ter conhecimento, igualmente, das condições, dos preços e dos prazos. (O relator volta a 2006, Panamericano, nada disso foi cumprido. Todos conhecem os gastos fabulosos e desnecessários desses jogos).

3 – Para as novas contratações, o COB DEVE REALIZAR LICITAÇÃO ABERTA. Textual: “Tem que afastar a Transcopass e a Coopcarioca, BENEFICIADAS em 2007 e que falharam completamente”.

4 – Deve se abster de PRORROGAR CONTRATOS (como faz muito), isso viola a livre concorrência. 5 – Não pode praticar INVERSÃO ou COMPENSAÇÃO DE SALDOS. Em 2006, o COB ficava devedor numa conta, pagando juros, enquanto mantinha saldo positivo em outra.

 ***

PS – O relator, ministro José Jorge, não encontrou um só comprovante de despesas, nem de justificativa para elas.

PS2 – Escândalos seguidos de escândalos, e a perguntinha inútil, inócua, ingênua: o que fará o Ministério Público Federal. Nuzman sempre foi poderoso e intocável.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *