Carlos Lupi, do PDT, afirma que agora Ciro tem condições de chegar ao segundo turno

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

“Em 2018, sozinho, Ciro Gomes teve 12%”, lembra Lupi

Bernardo Mello
O Globo

Para o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, as mudanças partidárias do governador do Maranhão, Flávio Dino, e do deputado Marcelo Freixo (RJ) indicam uma tentativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de “tomar o PSB por dentro”. Lupi diz que a pré-campanha de Ciro Gomes apostará em alternar críticas a Lula e ao presidente Jair Bolsonaro.

As idas de Freixo e Dino ao PSB colocam o partido no projeto presidencial de Lula?
Lula trabalha para tomar o PSB por dentro, fazer do PCdoB um satélite petista e tirar o PSOL. Isso faz parte da artimanha, da sabedoria política dele. Com o (Guilherme) Boulos, veio com a conversa que Papai Noel vai trazer um presente em 2024 se ele retirar a candidatura agora ao governo de São Paulo.

Depois da união nas eleições municipais, a relação entre PDT e PSB anda estremecida?
Eu diria que é uma DR de um lado só. Fizemos todas as declarações de amor possíveis, apoiamos o PSB em todos os lugares que nos pediram em 2020. Em Recife, numa eleição apertada, nosso apoio foi decisivo para a vitória do João Campos contra o PT. Continuo dialogando, mas é aquele amor complicado. Pisca para um, mas faz o outro acreditar que tem condição. Só que não posso prever como vai chocar o ovo da serpente, que se chama Lula. Não sei qual será a capacidade dele de convencer o PSB a comprar terreno no céu.

A força do lulismo no Nordeste atrapalha os planos de Ciro?
Com o PSB, acho que Pernambuco vai ser crucial para decidir isto. O João Campos não tem sinalizado apoiar o Lula, por exemplo. Ninguém vai fechar nada este ano. Se a eleição fosse hoje, pelas pesquisas, eu estaria lutando para sobreviver. Como é só ano que vem, aposto que Lula, e Bolsonaro vão diminuir, e acredito num segundo turno entre Lula e Ciro. Acho que Lula já está no seu teto. Bolsonaro tem navegado nos efeitos do auxílio emergencial, mas porque ainda não caiu a ficha para a maioria da população sobre a responsabilidade dele nas mortes por Covid-19. E vai cair, é inevitável.

Ciro terá condições de driblar seu próprio teto?
Ciro tem uma largada boa. Sozinho, fez 12% em 2018. Acho improvável que fique abaixo desse patamar. Minha expectativa é chegar a 20% em março. Não temos plano A, nem plano B, mas sim um plano C, de Ciro Gomes. Ele será candidato independente de ter 30%, 20% ou 10%.

A expansão do Bolsa Família não dá fôlego a Bolsonaro?
Isso vai tirar votos do Lula, não nossos. A base popular que Bolsonaro tenta cativar, formada pelos mais dependentes de políticas públicas e por grupos mais religiosos, hoje está com o Lula. Bolsonaro vai dividir essa base, mas sempre haverá os mais lúcidos que podem sobrar para nós já no primeiro turno. Ciro tem se programado para buscar segmentos em que Bolsonaro e Lula não têm tanta entrada.

As desistências de Huck e Amoêdo indicam que o caminho “nem Lula, nem Bolsonaro” já se afunilou?
Romper essa falsa polarização é para os fortes. Bolsonaro vai ter muito mais dificuldade para atrair o antipetismo em 2022. O João Doria creio que conseguirá ser o candidato do PSDB, mas está fazendo movimentações ruins, inviabilizou uma aliança com o DEM ao tirar o vice Rodrigo Garcia do partido. Nós, por outro lado, temos boa relação com o DEM em vários estados.

O PDT lançará o ex-prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, no Rio?
Ele será nosso candidato. Inclusive, na segunda-feira (21) estou levando ele para visitar o túmulo de Brizola em São Borja (RS). É o nosso batismo no Rio Jordão (risos). Hoje, entendo que o (prefeito do Rio) Eduardo Paes (PSD) se movimenta considerando uma candidatura do Lula, mas acho pouco provável, até pelo partido em que está, que apoie o Freixo ao governo.

O marqueteiro João Santana, que foi delator e preso pela Lava-Jato, ficou conhecido por ataques a Marina Silva na campanha de Dilma Rousseff. Por que o PDT foi buscá-lo para a campanha de Ciro?
Eu tinha tido apenas um breve contato com ele em 2010, antes da campanha da Dilma, e brinquei: “Você se acha tão bom que ninguém pode ser melhor, né?”. Foi ele que nos procurou agora. Não podemos culpar o funcionário pelas chibatadas. O conteúdo é responsabilidade do candidato. Deixamos claro ao João Santana que a forma cabe a ele, mas o conteúdo, a nós. Queremos mostrar um lado mais humano do Ciro, tirar um pouco a imagem do professor que fala um monte de números. Professor bom não é o que faz o aluno decorar, e sim questionar, porque é sinal de que se interessou.

Haverá artilharia pesada contra os adversários de Ciro?
O que temos feito são pancadas substantivas. Para cada cinco no Bolsonaro, uma no Lula. Eu não gosto disso, de artilharia pesada. Acho que precisamos usar a ironia, um pouco de humor. No último vídeo, o Ciro diz que o brasileiro não quer saber só de picanha e cerveja, e reclamaram que ele estava batendo no Lula. Ora, como chegaram a essa conclusão? Ele nem citou o nome do Lula…

10 thoughts on “Carlos Lupi, do PDT, afirma que agora Ciro tem condições de chegar ao segundo turno

  1. ATÉ que para um cangaceiro Ciro se saiu bem como prefeito, deputado, governador e ex-Ministro da Fazenda. Há muita diferença entre ele e o Lula, em termos de processos e de estofo intelectual, sr. Velasquez.

  2. Considero curioso não haver comentários a respeito do ilustríssimo desconhecido Carlos Lupi, nunca foi NADA, se aproveitou das bombachas de Leonel Brizola e vem há muitos anos tentando usurpar o espaço político sem a menor condição, foi eleito alguma vez?????
    Lupi, você é um descarado!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *