Cármen Lúcia apoia Moro e diz que o impeachment não é golpe

Cármen Lúcia diz que a Lava Jato está respeitando as leis

Luciana Nunes Leal
Estadão

A vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, afirmou que não há abuso do Poder Judiciário na Operação Lava Jato e que as leis estão sendo respeitadas. A ministra disse ainda que o impeachment não é golpe, desde que o processo respeite a Constituição. Questionada se há politização da Lava Jato Cármen Lúcia respondeu: “Não. Estão sendo observadas rigorosamente a Constituição e as leis”.

Para Cármen Lúcia, não há sinais do chamado ativismo judicial na Lava Jato, apontado por críticos do juiz Sérgio Moro, da primeira instância da Justiça Federal do Paraná.

“A atividade do Judiciário é acionada pelos interessados, pelo cidadão. O Poder Judiciário não atua isoladamente, não atua de ofício, como nós dizemos. Atua por provocação. Então, quando se fala em ativismo judicial, é que o Judiciário ultrapassaria (suas atribuições) e não há demonstração nenhuma de que isso esteja acontecendo”, afirmou Cármen Lúcia, que esteve no Rio para receber o prêmio “Faz Diferença”, do jornal O Globo, na categoria Personalidade do Ano 2015.

NÃO HÁ GOLPE

Ao comentar discursos recentes da presidente Dilma Rousseff apontando como golpe a tentativa de impeachment, Cármen Lúcia afirmou que entendeu como um “alerta” de que a Constituição tem que ser respeitada.

“Acredito que ela esteja exercendo, primeiro, a liberdade de expressão. Segundo, apenas um alerta no sentido de que é preciso que se observem as leis da República e isso com certeza, em um estado democrático, está sendo observado”, afirmou, acrescentando:

“Não acredito que a presidente tenha falado que impeachment é golpe. Impeachment é um instituto previsto constitucionalmente. O que não pode acontecer de jeito nenhum é impeachment nem ou qualquer tipo de processo político-penal ou penal sem observar as regras constitucionais. Não há impeachment em andamento ainda, não tenho nenhuma dúvida que teremos que observar todas as regras constitucionais”, disse a ministra.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Muito importante esta colocação da ministra Cármen Lúcia. Agora, ficamos sabendo que no Supremo há dois ministros contra o juiz Moro (Marco Aurélio Mello e Teori Zavascki) e três a favor (Gilmar Mendes, Rosa Weber e Cármen Lúcia). Falta a definição dos outros seis ministros. Vamos aguardar, ansiosos. (C.N.)

65 thoughts on “Cármen Lúcia apoia Moro e diz que o impeachment não é golpe

  1. Foi uma resposta à altura ao sr. Teori Zawaski e suas falácias colaborativas ao governo golpista.

    É tudo o que a opinião pública quer ver e ouvir.

    Boa sorte ao nosso Brasil!

  2. Ontem eu havia escrito para tomarmos muito CUIDADO , com a lista da Odebrecht, pois ela parecia mais uma lista da Marcha do Mortadelas do que uma lista de políticos, R$ 50, 00, R$ 30,00, etc. Hoje a própria Odebrecht disse que foi apenas para ‘efeito de mercado’. Fica a pergunta : Qual o interesse em lançar um boato desmentido 24 depois ???

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2016/03/1753457-comunicado-da-odebrecht-mirou-funcionarios-e-o-mercado-financeiro.shtml

      • Toffoli defende a legalidade do processo de impeachment
        Por lucianohenrique on 24 de março de 2016
        O ministro do STF Dias Toffoli afirmou, nesta quarta-feira (23/3), que o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff é previsto na constituição e nas leis brasileiras. “Não se trata de um golpe. Todas as democracias têm mecanismos de controle e o processo de impeachment é um tipo de controle”, explicou. A entrevista foi concedida ao Jornal Nacional, da TV Globo.
        O esclarecimento do ministro ocorreu após Dilma questionar, novamente, a legalidade do processo contra ela: “Eu não vou opinar sobre o caso concreto, porque o juiz do caso concreto é a Câmara dos Deputados, inicialmente, e, posteriormente, o Senado da República. Qualquer andamento do processo que esteja fora das regras legais pode o Supremo Tribunal Federal, então, colocar dentro dos parâmetros da constituição”.
        Toffoli disse ainda que o momento atual é a democracia e “aqueles que se sentirem atingidos podem recorrer à justiça brasileira”. “É muito melhor vivermos desta forma, do que sob uma ditadura”, declarou.
        Ele está certíssimo. Dar golpe é rejeitar os processos constitucionais, como faz o PT o tempo todo.
        Fonte: Ministro Dias Toffoli defende a legalidade do processo de impeachment

        • Perfeito. Quem está tentando dar o golpe é exatamente o partido comunista petista. É Dilma, Lula e toda esta turma do PT e PC do B.

          Mas, a estratégia dessa gangue é justamente acusar os adversários aquilo que ela própria está fazendo.

          Como bem lembrou aqui o sr. Zaratrusta, sobre o método do líder comunista Lenin:

          – “acuse-os do que você faz, xingue-os do que você é”; e mais,

          – “A tarefa dos comunistas é explorar todas as contradições; e onde não existirem, criá-las!”

          Vladimir Ilitch Lenin (um dos maiores criminosos da humanidade)

          É esse tipo de líder que norteia essa gente petista, comunista. Sem qualquer moral, caráter ou ética!

          • PERFEITO, meu caro Watson Wagner Pires, você CAPTUROU PRECISAMENTE qual seja o “ESPÍRITO DO PROCESSO” empregado e adotado pelas “ordas revolucionárias”, . . .

            As INICIATIVAS que estamos assistindo ACONTECER em praticamente TODA NOVA “NOTÍCIA” que produzem calcam-se exatamente sobre essas PREMISSAS, com o único PROPÓSITO de levar a SOCIEDADE ao ESGOTAMENTO de sua COMBATIVIDADE !

            Ou seja, o objetivo a ser atingido através desse MÉTODO, é a DESISTÊNCIA pelo esgotamento, atingido através da falta de IMPOSIÇÃO da ORDEM pelas instituições (aparelhadas) que “teriam” a missão de GARANTIR!

            E o pior disso tudo, meu caro Watson, é adquirir a consciência de termos sido envolvidos maquiavélica e inconscientemente nesse processo, ao termos eleito essa CANALHADA através das SUAS MENTIRAS, E ESSES, DEPOIS QUE SE INSTALARAM NO PODER, estarem com acesso irrestrito e ilimitado aos RECURSOS da nação, fazendo uso dos NOSSOS IMPOSTOS PARA FINANCIAR INDEFINIDAMENTE ESSE PROCESSO, com transporte, diárias e pão com mortadela para os “seus militontos”, com o OBJETIVO DE NOS INTIMIDAR E MANTER ACUADOS!

            Uma vez que a maioria da população chegue às mesmas conclusões que já chegamos, chegaremos ao ponto em que a Venezuela já chegou, ou seja: da população VAI SAIR NAS RUAS, para “pagar pra ver” tanto do que essa corja de delinquentes será efetivamente capaz de fazer, como de testar de qual lado estão DE FATO a outra cambada de parasitas da nação que vive do suor do nosso trabalho, e que até o momento continua aquartelada e aguardando que os conflitos se iniciem para agir: as FFAAs.

            Isso absolutamente não é “exercício de futurologia”. É APENAS a consagração da observação e da lógica do processo no qual estamos inseridos, onde, chegará um momento que a população ordeira se verá OBRIGADA a tomar a dianteira de medidas mais DRÁSTICAS, de forma a EXIGIR que as INSTITUIÇÕES cuja missão é a de GARANTIR A ORDEM, passem a CUMPRÍ-LAS, antes que SUAS FORÇAS SE ESGOTEM NO COMBATE INCESSANTE da DELINQUÊNCIA PROMOVIDA E FINANCIADA PELO GOVERNO, cujo objetivo já totalmente exposto, é o de RETIRAR o direito do exercício de nossa CIDADANIA e garantir a subjugação ao ESCRAVAGISMO de um Estado Totalitário MARXISTA, como interessa, tanto aos ideários Internacionalistas dos “Comunistas”, quanto à implantação do projeto da Nova Ordem Mundial financiada pela PLUTOCRACIA SIONISTA e seu exército de 6 milhões de Maçons e 32.000 “lojas” espalhadas pelo mundo a mais de dois séculos!

            Somos as últimas “rãs” sendo cozidas gradualmente em fogo brando, que precisam urgentemente começar a PRESSIONAR o “SISTEMA” a se posicionar de acordo com a CONSTITUIÇÃO e as Leis, ou irmos às ruas ou PARARMOS O PAÍS até que as coisas retomem o curso da LEGALIDADE EFETIVA!

  3. O objetivo é claro: confundir e desviar o foco do que interessa no momento.
    Por isso Moro decretou sigilo! Além disso, essa lista pode ser usada pelo PT para chantagear a oposição. Os meios de comunicação que querem ajudar o país devem ignorar esta lista. Deixem que a lava Jato cuide disso!

    • Vera.

      Mais uma tentativa de jogar lama para todos os lados, visando encobrir o chiqueiro, tática muito usada pelo PT, basta ver que os blogs esgoto comemoraram a ‘lista’.

      ” O hit da quarta-feira na novela da Lava-Jato foram as planilhas com nomes de 200 políticos que, ao lado de apelidos jocosos, aparecem como tendo recebido quantias em dinheiro da Odebrecht.
      A lista tem partidos de A a Z, políticos dos mais diferentes matizes, peixes grandes e lambaris, governistas e oposicionistas. Em resumo: praticamente todo mundo.
      Por mais que seja apetitosa, principalmente pelas alcunhas dadas pelos executivos das construtoras aos políticos, logo viralizadas na rede, a lista tem de ser esmiuçada para que se separe o joio do trigo.
      Isso porque segundo executivos da empresa e investigadores da Lava Jato, a relação contém tanto propinas quanto doações legais feitas durante campanhas eleitorais.
      Ao decretar, tardiamente, o sigilo sobre o documento, o juiz Sergio Moro quis se preservar de novas críticas, uma vez que, de novo, aparecem ali políticos com foro privilegiado, que só podem ser julgados pelo STF.
      O fato é que a lista será apenas um aperitivo quando começarem a vir à tona o que Marcelo Odebrecht e os demais diretores da maior construtora do Brasil podem entregar em sua delação premiada.
      No melhor estilo os últimos serão os primeiros, o núcleo Odebrecht da Lava-Jato terá de oferecer material muito bom à força-tarefa para fazer jus a algum benefício numa operação que já conta com quase 50 colaboradores.

      ( Radar Veja )

      • Virgílio,
        apenas defendo cautela em um momento que a contrainformação é uma arma perigosa que pode jogar por terra tudo o que a duras penas construímos até agora em conjunto com a Lava Jato! Uma coisa defendo: que o MPF venha a público esclarecer, nos moldes das Coletivas da Lava jato! Isso poderia dirimir a confusão pelas informações plantadas!

        • Concordo com a Vera. A contra-informação é uma realidade e com resultados nefastos. Quanto mais informação ,de fonte fidedigna, a população tiver, melhor.
          Não se poderá passar o país a limpo a não ser à luz do dia.

      • Tamberlini, é fundamental que esse tipo de articulação esteja sendo denunciada e seja intensamente divulgada, assim como você faz, exatamente com o fim de NEUTRALIZAR os efeitos e tornar IRREFUTÁVEL o entendimento para a população e os desatentos, que a corja petralha revolucionária esteja se UTILIZANDO de TODOS SEUS ÚLTIMOS RECURSOS para tentar “entorpecer” a REAÇÃO LEGÍTIMA da sociedade ordeira!

        “O DOMÍNIO DA INFORMAÇÃO É FATOR DE DESEQUILÍBRIO COMPETITIVO”
        “QUEM DETÉM A INFORMAÇÃO DETÉM PODER”
        “QUEM DOMINA A INFORMAÇÃO DETÉM PODER”
        “QUEM DOMINA A INFORMAÇÃO DETERMINA O FUTURO”

        Portanto, o ÚNICO ANTÍDOTO (a todos os males) é a transmissão de informação que habilite a sociedade a IDENTIFICAR SEUS AGENTES e EVIDENCIE A MANIPULAÇÃO!

    • Pois é Vera, mas se você for nas Bancas de Jornais, a primeira coisa que irá ler serão as manchetes referindo-se “aos mais de 200 da lista da Odebrecht”, . . . o que INDICA que essa notícia tenha sido como o Tamberlini levantou, PLANTADA nos noticiários, tanto com a pretensão de “jogar no ventilador” (para prostrar a população), como POSSIVELMENTE, também para DESMORALIZAR a Lava Jato por estar “dando importância” a “boatos”! . . .

  4. Em resumo, o que está se VERIFICANDO com essa última postura de TOTAL AFRONTA LÓGICA e JURÍDICA do CAPACHO Zavaski, é que SURTIRAM o EFEITO ESPERADO, os recados do Lula quanto ao STF “estar acovardado”!

    E que, COMO O LADRÃO ESPERAVA, a reação da quadrilha de cumpadrecos que colocaram no STF para garantir a BOLIVARIZAÇÃO da Nação, não foi outra que a demonstração EFETIVA para QUAL MOTIVO foram para alí promovidos, . . .

    Até o momento, quatro dos onze já se POSICIONARAM CLARAMENTE o que de fato DEFENDERÃO:
    – Teori e Marco Aurélio Mello, APOIAM A BOLIVARIZAÇÃO
    – Gilmar e Carmen a NAÇÃO e a Constituição, junto com mais de 90% da POPULAÇÃO que a COMPÕE!

    Resta saber agora quantos “JOAQUINS BARBOSAS” irão se “insurgir” contra seus PADRINHOS, e DEFENDERÃO A CONSTITUIÇÃO como LHES CABE, dos 7 RESTANTES QUE FALTAM SE POSICIONAR ! ! ! Simples assim! Viva o Juiz Ségio Moro!

  5. Caro Carlos Newton, parece “plágio” mas não é! Foi de fato “sintonia” de opiniões, entre o seu comentário ao artigo que postou, e o meu comentário acima, que repeti do que eu havia postado no seu artigo “Ao atacar e ameaçar o juiz Moro, Zavascki desrespeitou esta nação” (http://www.tribunadainternet.com.br/ao-atacar-e-ameacar-o-juiz-moro-zavascki-desrespeitou-esta-nacao/#comment-339820).

    Saiba que para mim, é gratificante compartilharmos exatamente a mesma visão ! ! !

  6. A “democracia’ dos stalifascistóides ….

    ” O pânico do Palácio do Planalto com as investigações da Lava Jato e após a maior manifestação popular da História, dia 13, exigindo o impeachment, colocou sobre a mesa da presidente Dilma uma ideia de jerico: a decretação do “Estado de Defesa”, medida extrema que prevê a suspensão de direitos fundamentais, como sigilo de correspondência e de telefone e direito de reunião (e de fazer manifestações, claro).

    Comandantes militares foram avisados, para providências, sobre a possível decretação do “Estado de Defesa”, para “garantir a ordem”.

    Estado de Defesa não pode ser amplo, a ideia é decretá-lo em locais como São Paulo, onde os protestos (pacíficos) são mais expressivos.

    O pretexto para decretação do “Estado de Defesa” seria a “grave e iminente instabilidade institucional”. É como Dilma chama os protestos.

    Para instituir o Estado de Defesa, segundo a Constituição, basta um decreto de Dilma. Estado de Sítio, só com aprovação do Congresso.
    ( Diário do Poder ).

    • Ela está tentando anular todo e qualquer processo democrático que possa existir, capaz de derrubá-la do poder. Exatamente o que Maduro está fazendo na Venezuela.

      Essa cambada do Foro de São Paulo tem de ser extirpada da vida pública para todo o sempre. Impeachment na guerrilheira vagabunda! Impeachment para o PT!

      PT nunca mais!!!

  7. NA FOLHA
    Obs: Ayres Britto é um forte candidato a Ministro da Justiça de Temer
    ————————————————————————————————————————–
    Impeachment não é golpe, diz ex-ministro do STF Carlos Ayres Britto
    RODRIGO RUSSO

    Ao comentar a decisão do ministro Teori Zavascki de que as investigações sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sejam enviadas ao Supremo Tribunal Federal por envolverem autoridades com foro privilegiado, o jurista Carlos Ayres Britto, 73, avalia que os fatos contidos nas conversas “ao que tudo indica são delituosos”.

    Ayres Britto integrou a mais alta corte do país de 2003 a 2012, nomeado por Lula em seu primeiro ano de governo. Mestre e doutor em direito pela PUC-SP, o advogado em 1981 foi também professor de direito constitucional como assistente do atual vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB).

    Na interpretação constitucional de Ayres Britto, a voz das urnas não é suficiente para legitimar um governo. “É investidura e exercício, a presidente tem que se legitimar o tempo todo”, afirma. Para o jurista, não há que se falar em golpe caso o processo de impeachment avance, desde que respeitadas as garantias para a defesa da presidente.

    Leia abaixo os principais trechos da entrevista, concedida por telefone na tarde desta quarta-feira (23).

    Folha – Como o senhor avalia o atual momento do país?

    Ayres Britto – Nós vivemos um clima de faca nos dentes. Parece-me a música “Carcará”, de Maria Bethânia: pega, mata e come. A gente se lembra de outros processos complicados, e é preciso esclarecer que a saída está no Direito, não se pode sair dele. No julgamento de controvérsias, a Justiça dá a última palavra.

    Qual sua opinião sobre a decisão desta semana do ministro Teori Zavascki, em processo que questionava a divulgação de diálogos do ex-presidente Lula com autoridades como a presidente Dilma?

    Teori decidiu, conforme a jurisprudência dele no tribunal, que cabe ao STF, naqueles fatos –ao que tudo indica delituosos–, decidir se houve ou não usurpação de competência.

    Quando há fatos praticados em conjunto por autoridades com foro especial por prerrogativa de função e outros cidadãos, é o Supremo quem decide se separa os julgamentos ou se concentra tudo na corte –como no mensalão. Não é o juiz de primeiro grau que deve fazer isso. Será o plenário do STF.

    Muitas decisões do Judiciário, tanto de primeira instância como de tribunais, têm sido questionadas durante a Operação Lava Jato…

    É preciso respeitar o Judiciário. Pode-se acompanhá-lo criticamente, mas chega de contestar decisões com agressões. Assim como não se pode impedir a imprensa de falar primeiro, não se pode impedir o Judiciário de falar por último.

    Se não ele, que instância vai sobrar? Vamos praticar o jogo constitucional. Se o juiz se equivoca aqui ou ali, se profere uma decisão monocraticamente, o esquadro é prosseguir. O Brasil tem quatro instâncias judiciais para corrigir isso: a Justiça Federal de primeiro grau, o Tribunal Regional Federal, o Superior Tribunal de Justiça e o STF, que é o guardião-mor da nossa Constituição.

    O processo de impeachment está previsto na Constituição. É possível falar em golpe caso isso ocorra?

    Toda previsão constitucional pré-exclui a possibilidade de golpe. Golpe é fratura da Constituição, é querer empurrar uma solução goela abaixo da população.

    A democracia brasileira não conhece o “recall”, que é o arrependimento eficaz do eleitor, também não temos o parlamentarismo, que permite a substituição de governo, então é preciso prever casos de destituição do chefe de Estado.

    Em quais casos essa destituição do chefe de Estado pode ocorrer?

    A presidente pode perder o cargo, por exemplo, em processo de impeachment, em ação penal comum, em ação de improbidade administrativa. Nada disso é golpe.

    Segundo a Constituição, a legitimidade de um presidente depende de dois fatores: da sua investidura e do exercício do cargo. A investidura é a voz das urnas, mas ela não é suficiente. Há também o exercício, a presidente tem que se legitimar o tempo todo. Se se deslegitima, perde o cargo, nos casos dos artigos 85 e 86 da Constituição.

    Mas é fundamental não preterir o contraditório, a ampla defesa –que não é curta–, o devido processo legal. A pureza dos fins e a pureza dos meios estão enlaçados umbilicalmente, não se pode romper o cordão umbilical nesses casos.

    O senhor acha que “pedaladas fiscais” cometidas no primeiro mandato são válidas para que a presidente perca o segundo mandato?

    Esse é um tema polêmico. Quando a Constituição Federal foi escrita, não havia reeleição. Seu pressuposto é um crime de responsabilidade, o artigo 85 tem o verbo no presente: “que atentem contra”, não que atentaram. Ele visa a destituição do cargo. Se Dilma não fosse reeleita, seria processada por crime de responsabilidade? Não, ele se refere ao mandato atual, fluente, corrente.

    Como o senhor avalia a atuação de Sergio Moro nos julgamentos da Lava Jato?

    Chegamos a uma centena de processos ligados a essa operação. É preciso separar o todo de cada um deles. Acompanho à distância e não vou falar sobre casos específicos, pois as informações mudam e nos levam a equívocos.

    Pode ser que, em um processo, Moro haja incorrido em alguma inobservância de garantia constitucional, é possível. O conjunto da obra, porém, objetivamente, continua íntegro, hígido.

    Segundo me consta, 96% dos recursos atacando suas decisões foram mantidos pelos tribunais superiores. Esse altíssimo percentual confere integridade ao todo.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/03/1753516-impeachment-nao-e-golpe-diz-ex-ministro-do-stf-carlos-ayres-britto.shtml

      • Impressionante como o pensamento esquerdista tem penetração na nossa população. Isso é uma coisa que tem de ser mudado em nosso país, pois que, senão, continuaremos embrenhando o Brasil no buraco do retrocesso. Não há evolução fora da liberdade de mercado, fora do estado mínimo. O Brasil sufoca-se a si mesmo desde todo o sempre, por predomínio do pensamento esquerdista paternalista, intervencionista que chegou ao seu ápice no atual governo.

        Chega!

        • Caro Wagner Pires,
          Não só o Brasil sufoca a si mesmo desde todo o sempre, por predomínio do pensamento esquerdopata paternalista e intervencionista que chegou ao seu ápice no atual governo nazicomunopetralha, mas, também o MUNDO.
          Esse regime/sistema nefasto informam os estudiosos eliminou em torno de 160 milhões de seres humanos, de modo que não podemos permitir que seja implantado em nosso solo pátrio.
          Precisamos MUDAR TUDO em nossa amada pátria Brasil.
          Já passou da hora de fundarmos uma VERDADEIRA república, pois essa que temos não nos serve, na verdade nunca nos serviu, a não ser aos apadrinhados.
          Como muito bem lembrado pelo tribunário Antonio Carlos Fallavena, GOLPE, NÃO! IMPEACHMENT, SIM!
          Esperando que seja o INÍCIO de um grande RECOMEÇO.

    • “Toda previsão constitucional pré-exclui a possibilidade de golpe. Golpe é fratura da Constituição, é querer empurrar uma solução goela abaixo da população.

      A democracia brasileira não conhece o “recall”, que é o arrependimento eficaz do eleitor, também não temos o parlamentarismo, que permite a substituição de governo, então é preciso prever casos de destituição do chefe de Estado.”

      (Ayres Britto)

      Impeachment já!

  8. Quando alguém recorre a justiça contra alguma prática que não concorda, esta apenas exercendo um direito
    que a lei lhe faculta.
    O governo, através do PC do B, recorreu contra a decisão do presidente da câmara, Eduardo Cunha, que já
    tinha começado o processo de impeachment da Dilma.
    Pois bem. O supremo alterou certos detalhes no procedimento e obrigou a câmara a cumprir. Como não
    poderia ser diferente o Cunha acatou a decisão.
    Agora vem a cantilena do golpe. Quando recorreram, o fizeram porque achavam que o procedimento não era o correto, não recorreram contra nenhuma forma que fosse golpista, apenas não concordavam com o método
    empregado.
    Como agora esta tudo dentro das regras confirmadas pelo supremo e não existe mais argumentos contra
    o processo, virou golpe.
    A presidente da república ao insistir na tese do golpe, esta praticando crime de responsabilidade, insuflando
    a população a crer numa situação irreal e inverídica, acirrando os ânimos levando o pais a uma disputa perigosa.
    Se não concorda com o que esta sendo feito, recorra a justiça, mas não use o palácio ou outro bem público
    para espalhar teses mentirosas.

  9. NO INFOMONEY
    ——————————————————————————————————————-
    Soberania paraguaia

    Brasil 24.03.16 10:40
    O Paraguai se recusou a assinar o comunicado que está sendo elaborado no Mercosul e na Unasul em apoio ao governo corrupto de Dilma Rousseff, que entrega a soberania brasileira ao achincalhe internacional ao estimular ingerências.

    “No intervendremos en los asuntos internos de los países”, disse o vice-chanceler paraguaio Óscar Cabello.

    • Ainda mais o Paraguai que rechaçou a tentativa de interferência brasileira na decisão do impeachment do presidente de merda daquele país eleito anteriormente por força do maldito Foro de São Paulo. Foi impedido por seu Congresso, como a guerrilheira vagabunda, também, será.

  10. Amigos Tribunários
    De três dias para cá, tudo que escrevo sobre o tema, finalizo com a frase:
    NÃO AO GOLPE – SIM AO IMPEACHMENT!
    Se também não apoiamos o golpe, é preciso reforçar a idéia.
    Na verdade, somos contra a corrupção. Eles são a favor! por que?
    Pelo simples fato de que se escondem atrás dos corruptos de ontem.
    O PT DEFENDE A CORRUPÇÃO.

    • NÃO se preocupe com Golpe ASSIS, . . . isso só está na cabeça zikada e lobotizada da Boneca de Ventríloquo, . . . . o QUE VAI TER É IMPEACHMENT de uma corrupta LESA-PÁTRIA, usuária intensiva de FALSIDADE IDEOLÓGICA e PEDALEIRA!

  11. Fora corrupçao do Cunha, dos tucanos dos diretores da Petrobras, principalmente os nomeados por Fernando Henrique Cardoso. Fora contas em bancos estrangeiros e no exterior. Fora as autoridades que nhao tem pressa em repatriar os milhoes de dolares em contas de tucanos na suiça, A conta 17.321-1, do banco Credit Lyonnais, foi aberta por Robson Marinho e pela mulher dele, Maria Lucia, em março de 1997. Ano que “NOS” começamos a roubar a vontade, depois bandido e o governo!

  12. Ministros do STF dizem que impeachment não é golpe se processo respeitar as leis
    LUCIANA NUNES LEAL
    Cármen Lúcia e Dias Toffoli afirmam que afastamento de Dilma é legal se Constituição for observada.
    No Estadao existem articulistas com bastante neuronios, e eu pensando que la eles eram totalmente fracos, podemos ver poela manchete de hoje do Estadao::

    “Ministros do STF dizem que impeachment não é golpe se processo respeitar as leis
    LUCIANA NUNES LEAL
    Cármen Lúcia e Dias Toffoli afirmam que afastamento de Dilma é legal se Constituição for observada”

  13. E aí Newton, depois dessa a Ministra Carmen Lúcia saiu do seu Rol de “juízes de merda”?

    E se o petista Fachin der uma declaração parecida, voltará a ser “um jurista de verdade: isento e independente” ?

    • Uma coisa é mais do que certa meu caro Souza, . . . verifica-se que dependendo dos “ventos”, nossos ministros dão as “interpretações” que acharem as mais convenientes.

      O menos que têm feito é seguir os ditames das leis e da Constituição nessa nossa Era Petralha, onde a Judicialização da CONTROVÉRCIA como método abertamente ADOTADO por seus MARXISTAS, para TRAVAR todas as INSTITUIÇÕES do País, está levando e elevando num claro crescendo, as tensões sociais para UM IMPASSE !

  14. DEBATE OU QUEM BATE?
    Convidado, participei ontem em debate, cujo tema era nossa situação atual e o golpe ou impeachment de Dilma.
    Durante o evento, aqueles que defendem a inexistência de argumentos para o impeachment, afirmavam, “peremptoriamente”, tratar-se de golpe, perpetrado por aqueles que perderam nas urnas. Argumentaram também que, outros presidentes já usaram o mesmo expediente: as “pedaladas fiscais”.
    O que argumentar, diante destas afirmações, para eles, consistentes!
    Comecei com perguntas.
    – Outros descumpriam as mesmas leis? Reiteraram que sim.
    – Dilma descumpriu também? Sim.
    Bem, até aqui, tudo igual. O argumento deles é de que, se todos fizeram as mesmas coisas, por que cobrara só dela?
    Contra argumentei que hoje, existe uma pequena diferença entre os episódios e que este detalhe, aplicado no caso de Dilma, fará, no futuro também, a diferença com seus sucessores!
    Fechei o comentário perguntando: se os anteriores e a atual fizeram errado, por que não cobraram dos anteriores? Afinal, a lei deixou de ser aplicada por inexistência (???), por estar errada ou o por que? Alguém autorizou a ser esquecida?
    Cobraram dos outros? Não.
    Olhando nos olhos deles, conclui que, apenas não foram cumpridas pela falta de fiscalização, de denúncia e a busca da responsabilização do autor do desrespeito!
    Continuei dirigindo-me aos defensores de Dilma, acusadores do golpe, e completei: vocês falharam, não cumpriram com seus mandatos, permitiram que fossem rasgadas leis, calaram e deixaram presidentes (Itamar, FHC e Lula) praticarem os atos ilegais e agora querem que se continue assim agindo?
    Querem vocês, se esconder atrás dos erros deles? Mais: querem que nós, assim como vocês fizeram, calemos também? E estas leis continuarão valendo? Quem deve cumpri-las? E dos futuros ocupantes do mesmo cargo, deveremos/poderemos cobrar ou deixar passar?
    Não há santos na igreja da política ou dos partidos!
    Mas, assumir a função de canalha, bandidos, sem caráter, é opção de quem detém as qualidades necessárias para tal.
    Conclui questionando: “quem descumpre leis é ou não um criminoso? Como devemos chamar aquele que se esconde, se defende e usa os erros dos outros para justificar os seus? Silêncio total.
    Cheque, mate! Agradeci o convite.
    O evento acabou.

    • MEUS MAIS EFUSÍVOS P A R A B É N S ! ! !, meu caro Fallavena! (Sinceramente? Gostaria de estar lá para a ‘assistir’ – e registrar – as caras dos acéfalos !)

      Não há nada como a ARGUMENTAÇÃO COMPETENTE ! S E N S A CI O N A L ! ! !
      Desmascarou com PRIMOR, a ‘jogada’ de pretenderem arrebanhar as massas ignaras e desatentas, com suas contorcionistas e abjetas ‘justificativas’ ! SHOW DE BOLA ! ! !

      M A R A V I L H A P U R A ! ! !
      Contra a inteligência e a competência oportunamente exercida a serviço da moral e da ética, atinge-se SEMPRE PRECISAMENTE ISSO!
      O MUTISMO DA IGNORÂNCIA ! ! ! (Vulgarmente conhecido como “Cala a BOCA Ofélia”!)

      Vivemos tempos cansativos dada a enorme massa de ignorantes doutrinados e manipulados pela mídia, e sendo assim gostaria de contribuir com duas frases famosas:

      “Um povo ignorante é o instrumento cego da sua própria destruição” – Simon Bolívar
      “O Maior Inimigo de Um Governo é um Povo Esclarecido”. – Autor desconhecido.

      • Sr. Fallavena, a Lei de Responsabilidade Fiscal é de 2000. A partir dali e tendo já se concretizada a privatização dos bancos estaduais, ficou impossível aos governos regionais cometerem crime de responsabilidade utilizando-se do expediente de tomar emprestado dos, então extintos, bancos estaduais. Ninguém cometeu crime de responsabilidade por operação de crédito junto a bancos públicos, a não ser Dilma, porque o fato não era tipificado na lei, até então, e depois da privatização isso ficou impossível de ocorrer com os entes subnacionais.

        – Lei de Responsabilidade Fiscal, art. 36: É proibida a operação de crédito entre uma instituição financeira estatal e o ente da Federação que a controle, na qualidade de beneficiário do empréstimo.

        Esta previsão passou a existir a partir de 2000, ano de edição da Lei e depois do processo de privatização dos bancos estauais. A partir de então ninguém a descumpriu, a não ser Dilma, com banco da União que é a Caixa Econômica Federal.

        Induziram o senhor a um erro de argumentação, pois, ninguém descumpriu a LRF, só Dilma.

        Não acredite nesses boçais de má-fé.

        • Amigo e grande comentarista Wagner
          Meus argumentos foram para registrar que eles não sabiam o que diziam. Acusam outros de terem feito, sem razão. Mentem. Vivemos num mundo de mentiras. Verdades são ditas aqui na nossa TI. Lá fora, é triste.
          Assim, por vezes, dependendo dos participantes, tem que se usar táticas de guerra.
          se os outros fizeram, por que vocês não denunciaram? Pessoalmente acho que fica mais vergonhoso do que dizerem que não fizeram e só ela fez. Chamá-los de mentiroso? É o que mais usam para identificá-los. Já passei por muitas nestes meus 25 anos debatendo com eles e com outros. É mais uma minhoca que coloquei na cabeça deles.
          Agradeço muito seu comentário. Utilizarei as precisas informações, nas próximas oportunidades.
          Abraço.
          Fallavena

    • Correto seu argumento Fallavena. Poderia tbém ter dito que, em sendo assim, os presidentes petistas deveriam ser processados por prevaricação, que é não tomar providências, por dever de ofício, frente algo que sabem ser contrário a lei. Mas aí seria querer demais e fundiria a cuca deles né?

      • Tarciso
        Nestas ocasiões, a cabeça fica repleta de informações e o bloco de anotações também. O problema é que o tempo é curto, controlado e os apartes te rebentam. Já vivi muito momentos assim. Por vezes saio com vontade de bater em mim mesmo. A perda de um dado, misturar coisas, faltar pedações, tudo prejudica. E se o local e os participantes são indigestos, pior ainda. Já participei de debate em todos eram contra. É um terror, Mas dá para deixar o recado, afundar o pé e irritar uma porção deles, ao mesmo tempo. Lutar com eles só com muita energia, firmeza, retidão e algum conhecimento mais sólido. Com tudo isto, a gente consegue balançar o coreto.
        as pessoas sérias e que foram enganadas começam a balançar. E ai tudo ganha ajuda.
        Anotei tua observação e agradeço.
        Abraço e saúde.
        Fallavena

    • Caro Antonio Carlos Fallavena,
      Essa gente é mesmo abjeta, sórdida, inescrupulosa.
      Argumentaram que outros presidentes já usaram o mesmo expediente: as tais “pedaladas fiscais” da Dilma.
      Quanta DESFAÇATEZ dessa gente!
      Então porque alguém matou outrem esse fato também me dá o direito de MATAR ALGUÉM?
      Não perca o seu precioso tempo em querer debater com esse povo, pois para eles a única verdade é a deles.
      Essa gente não admite o CONTRADITÓRIO.
      Afinal de contas o tal do apedeuta do Lula é a pessoa mais CONTRADITÓRIA que eu já conheci na vida.

    • Moacir
      E dizer que o “bebum de Rosemary” esteve no topo! Foi o “cara”.
      Gostem ou não, Moro é uma das poucas reservas éticas, dentre autoridades, em nosso país.
      Isto deve machucar, irritar, ensandecer, enervar os petistas.
      Aos invés de defenderem seus líderes desmanchando as acusações (e não as provas), se esconder nas sombras das mentiras, nos fossos dos erros dos outros.
      Quem era superior e diferente, hoje, é mais do que igual aos piores: são os piores, o lixo da política.
      Valeu a notícia.
      Abraço.
      Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *