Caso da Abin pode causar afastamento de Bolsonaro pelo STF mais rápido do que se pensa

TRIBUNA DA INTERNET | Bolsonaro comete tantos crimes que o impeachment é só uma questão de tempo

Charge do Bira Dantas (Arquivo Google)

Carlos Newton

Inebriado pela ignorância e soberba, o presidente Jair Bolsonaro está hoje empenhado em “comprar” o apoio da Câmara e do Senado, de forma a impedir previamente a abertura de um processo de impeachment no Congresso, mas esse gigantesco esforço político acabará sendo inútil, porque tudo indica que seu afastamento do poder será determinado pelo Supremo Tribunal Federal, onde já tramitam quatro inquéritos que fatalmente determinarão a abertura de processos criminais contra o chefe do governo.

Não importa qual dos inquéritos seja concluído mais rapidamente. Tanto no caso da demissão do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, quanto nas investigações dos atos contra a democracia e das fake news, em inquéritos relatados pelo ministro Alexandre de Moraes, o presidente Bolsonaro não escapará da incriminação, tal a abundância de provas.

E agora surgiu mais uma investigação, sobre o envolvimento da Abin na blindagem da quadrilha de Flávio Bolsonaro, com relatoria de Cármen Lúcia, que vai despedaçar o que ainda resta de inteiro na Presidência da República.

DIZ A CONSTITUIÇÃO – Na embriaguez do poder, Bolsonaro ainda não percebeu que se tornou refém do Supremo, ao qual compete processar e julgar, originariamente, nas infrações penais comuns, o Presidente da República (artigo 102).

E o artigo 86, apesar da linguagem meio confusa, determina que o presidente ficará suspenso de suas funções, nas infrações penais comuns, logo que recebida a denúncia ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal (parágrafo 1º; inciso I).

Em tradução simultânea, Bolsonaro já caiu e ainda não sabe. Pensa que poderá se equilibrar no poder e tentar a reeleição, mas é ilusão à toa, lhe diria o tranquilo e genial compositor Johnny Alf.

PROVAS E MAIS PROVAS – A ministra Cármen Lúcia, ao relatar a questão movida pelo partido Solidariedade, cortou como uma lâmina o baralho do poder, ao dar 24 horas ao ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, e ao presidente da Agência Brasileira de Inteligência, Alexandre Ramagem, para que tentem explica o envolvimento dos dois órgãos públicos na blindagem dos crimes cometidos pelo hoje senador Flávio Bolsonaro, que motivaram denúncia feita pelo Ministério Público estadual.

Não existem explicações ou justificativas para a ação de Heleno e Ramagem. A reportagem de Guilherme Amado, na Época, exibe às escâncaras o funcionamento da quadrilha que se instalou no Planalto sob a liderança de Dom Bolsonaro, tendo como consigliere um general de quatro estrelas que era tido como referência no Exército Nacional.

###
P.S. 1 –
É a ironia do destino. Tão criticado nos últimos tempos (e com justas razões, reconheça-se), agora é o Supremo que tem a missão de restabelecer a democracia, escorraçar do poder essa corja verde olivada e pedir desculpas a militares de verdade, como o general Santos Cruz, que tentaram salvar o governo e precisam ter reconhecido seu esforço.

P.S. 2 – Quanto ao vice-presidente Hamilton Mourão, já pode encomendar o terno para a posse e ir se preparando para dar uma limpeza no Planalto, substituindo o Gabinete do Ódio por um Comitê de Recuperação Nacional. E assim terá um ano e meio para colocar a casa em ordem e depois tentar a reeleição, se lhe aprouver. (C.N.)  

10 thoughts on “Caso da Abin pode causar afastamento de Bolsonaro pelo STF mais rápido do que se pensa

  1. Corajoso e verdadeiro artigo de Carlos Newton!

    Sem papas “nos dedos”, ao teclar o texto que deve ser refletido pelos fatos trazidos à tona.
    Bolsonaro invadiu territórios que não lhe pertenciam; violou leis a respeito; usou o poder em seu benefício e de sua família.

    A comparação fatídica com Lula – e será assim até às eleições seguintes -, demonstra que o petista foi corrupto fora do Planalto;
    Bolsonaro age igual, mas dentro do Planalto.

    Resultado:
    Brasil devastado por dentro e por fora!

    Mesmo assim, me considero um incrédulo quanto à politica, haja vista o povo contribuir para que seja mantida nesses moldes de corrupção, desonestidade, Constituição violentada, incompetência generalizada, um parlamento indiscutivelmente venal, e as raízes da promiscuidade política, social e econômica, cada vez mais fundas, mais sólidas.

    Jamais se viu algo igual desde a Proclamação da República, de o Estado estar sendo usado para interesses e conveniências pessoais e partidárias.

    Registro, de novo, a minha dúvida incessante, permanente, que me atordoa o espírito:
    Por que cargas d’água, Jango foi deposto?
    A razão da minha pergunta é uma só:
    A situação à época, no Brasil, se comparada a de agora não chega aos pés da atual, mas os militares tomaram o poder. Destituíram o gaúcho.

    Hoje, diante de um Brasil falido ética e moralmente;
    a corrupção definitivamente instaurada nos poderes constituídos;
    um parlamento que virou sinônimo de roubos, explorações e manipulações do povo e país;
    um presidente que meteu os pés pelas mãos;
    um inquilino do Planalto que conseguiu até quebrar a unidade das FFAA;
    uma administração tão ou mais corrupta que a anterior, praticada pelo PT;
    um presidente que despreza a vida de seus compatriotas;
    o comunismo, que foi combatido como se estivéssemos em guerra na década de sessenta, mas atualmente é praticado com total liberdade e influência nos governos …
    aonde estão os guardiães da Pátria?

    Aonde se escondem os militares, que assistem calados e quietos essas agressões e ofensas aos cidadãos brasileiros e à nossa terra??!!
    Que diferença havia de lá para cá, quando as FFAA tomaram o Planalto e que hoje não movem uma palha, mesmo diante de um quadro incomparavelmente mais grave, nocivo e nefasto para esta nação que sessenta anos atrás??!!

    Havia no Exército generais mais interessados no Brasil, do que agora?
    Ou, os de hoje, é que estão corretos em não dar importância alguma à dilapidação do país e, à moral e ética, que foram deletadas do dicionários nos Três Poderes?

    O Brasil está fragmentado, e não existe quem possa montar os restos espalhados por esta vasto e imenso país!

    Parabéns, Newton.

    Abraço.
    Saúde e paz.

  2. KKK o melhor emprego que existe neste nosso Brasil varonil é o de vice-presidente, porque o cara sabe que mais dia menos dia assume o posto. Para quem já era dado como carta fora do baralho pelo próprio companheiro de chapa, a esperança se transformou em realidade, porque do merecido impeachment o Pinóquio e os seus três zeros não escapam. Só espero que o estoque de papel da Imprensa Oficial esteja em ordem, porque a edição extra terá centenas de folhas com as demissões de milhares de incompetentes. Lugar de milico e de incompetente não será nem mais no Palácio do Planalto, nos ministérios e nas agências reguladoras.

  3. Espectro, tiro na mosca: “O maluco é louco de verdade!!”

    É … o arruaceiro-terrorista também funciona como animador de forró em hospício, sem cobrar nada, por puro “amadorismo”.

  4. 1) Pensamento do dia:

    2) “Para um país ser feliz é necessário uma governação justa. Dirigentes precisam ter elevado caráter moral, honestidade e integridade” = Buda (século 6 aC).

    3) Fonte: O ensinamento de Buda, Editorial Estampa, Lisboa, 2005, pág. 160.

  5. O que faz Bolsonaro usar as Instituições, para acobertar a sua Familícia, deve ser porque, em se tratando de Órgãos Federais, estes estão todos sobre o seu controle e, como tal, fica mais difícil deles extrair provas que comprometam os apaniguados.
    Além disso, por exclusão, Jair Messias já viu que o método do seu antecessor e retrovisor, Lula, de corrupção aberta; interagindo com empresas e agentes privados, deixaram fartas pistas a descoberto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *