Caso do secretário de Comunicação deveria ser considerado como corrupção, pura e simples

Resultado de imagem para Fábio Wajngarten

Fábio Wajngarten foi mantido, mas ninguém sabe até quando

Carlos Marchi

A empresa de Fábio Wajngarten, Secretário de Comunicação do governo Bolsonaro, tem contratos em vigor com veículos que recebem grana do governo. Ao assumir a Secretaria de Comunicação, Wajngarten continuou como sócio da empresa. O governo acha que isto é “ilação”. Não é. É bem mais que isto.

Um contrato comercial é um fato incontestável. E um Secretário de Comunicação que distribui verbas para veículos com quem tem contratos em vigor é uma obscenidade. É uma indecência. No popular? É corrupção pura e simples.

UM ANO REVELADOR – Um ano foi suficiente para demonstrar que o governo Bolsonaro é puro improviso e incompetência. Nunca teve um projeto para o país nem programas para as áreas de gestão. Anda à matroca, funciona aos solavancos, empurrado por palpites amadores e tiradas populistas.

Veja o primor de despreparo que é a fila de 2,3 milhões de segurados do INSS para pedir benefícios. Desde o ano passado a imprensa vem alertando para o aumento de pedidos de aposentadoria. Só o governo não percebeu.

Veja o desmazelo na Saúde: 1.544.987 casos de dengue em 2019, um aumento de 488% em relação a 2018. Na Economia, a inflação fechou no alto da meta. O ministro da área só fala em novos impostos. Não cria nada. A Educação é um achincalhe. A Cultura está sendo destruída, simplesmente. Isso não vai acabar bem. Isso não vai acabar bem. Isso não vai acabar bem.

6 thoughts on “Caso do secretário de Comunicação deveria ser considerado como corrupção, pura e simples

  1. Como diria o outro, é melhor ler isto do que ser cego, mas que a pena é de aluguel é de aluguel é não tem como negar.

    Me chamem quando descobrirem um escândalo e nem precisa ser a metade do mensalão pode ser 1/3.
    Enquanto isso quero mesmo é que os celerados canhotos vão lamber o falo do lula e o grilo da dilma

  2. O governo pôs o bode na sala do secretário de comunicação e a imprensa (incluindo a internacional alemã e israelense) engoliu o bicho com barba, chifre e rabo.
    Era conhecido como secretário da cultura.
    Os tambores nas redações continuam batendo e a taba baba e sapateia sobre o bicho pedindo mais chuva.

  3. -É verdade o título do artigo.
    -Deveria ter votado no impoluto, correto, decente, digno, direito, distinto, escrupuloso, honrado, íntegro, probo e reto poste/avatar do Lula.
    -Aí, sim! Teríamos hoje um governo honesto!

  4. “Caso do secretário de Comunicação deveria ser considerado como corrupção, pura e simples”

    Tradução:
    Ou seja, não é crime, mas como não encontramos nenhum caso de crime, vamos considerar que um fato que não é crime em crime para assim poder criticar o governo de corrupção.

    Machuca a imprensa comunista Bolsonaro dizer que estamos um ano sem corrupção no governo.

    O choro comunista é livre.

    Bolsonaro 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *