Mercadante faz uma manobra arriscada e aposta na vitória de Dilma

Carlos Newton

Apressadamente, o Planalto divulga que o ministro Aluizio Mercadante, hoje na Educação, passará para a Chefia da Casa Civil na reforma que a presidente Dilma Rousseff anuncia para março de 2014, motivada pela desincompatibilização de vários ministros.

Isso sigifica que Mercadante está confiante na vitória de Dilma e não disputará eleição. Mas é uma aposta muito arriscada, que pode deixá-lo novamente fora do primeiro plano da política, porque a seis meses da convenção do PT que indicará o candidato à Presidência, ninguém sabe o que acontecerá.

Se a economia não estiver bem e Dilma cair nas pesquisas, ela será substituída por Lula, como já é hoje o desejo da maioria dos petistas. Nesta hipótese, Mercadante estará mal posicionado, porque Lula jamais o prestigiará.

ALTOS E BAIXOS  

Interessante notar que Mercadante sempre foi considerado o mais preparado dirigente petista. Em sua estreia na eleição de 1990, era vice-presidente do partido e foi o deputado federal mais votado do PT. Na Câmara, teve atuação destacada, fazia importantes discursos de improviso no Grande Expediente e participou de duas Comissões Parlamentares de Inquérito: a CPI do PC Farias e a CPI do Orçamento.

Mas na campanha de 1994, Mercadante cometeu seu primeiro grande erro – abriu mão de ser reeleito para a Câmara  e concorreu à vice-presidente da República na chapa de Lula. Em 1996, o segundo erro: foi candidato a vice-prefeito de São Paulo na chapa de Luiza Erundina, que perdeu para Celso Pitta.

Somente em 1998 Mercadante tomou juízo e voltou à Câmara como o terceiro deputado mais votado do país, com quase 242 mil votos. Em 2002, mais uma grande vitória. Disputou uma vaga no Senado e conseguiu a maior votação da História do País – 10,5 milhões de votos, recorde somente superado pelo tucano Aloysio Nunes Ferreira em 2010.

O TERCEIRO ERRO

Mas o maior erro de Mercadante foi confiar em Lula. Em 2002, achou que seria nomeado ministro da Fazenda e que acabaria se tornando uma espécie de Felipe Gonzáles (premier trabalhista espanhol) em versão paulista. Mas acontece que Lula jamais quis aceitar que alguma outra liderança despontasse no PT. Justamente por isso, adotou a estratégia de indicar postes e lutar para elegê-los, em detrimento das lideranças já consolidadas e que futuramente poderiam ameaçar sua hegemonia no partido.

Lula não o chamou para o Ministério, mas usou Mercadante para entronizar Henrique Meirelles no Banco Central e acalmar os banqueiros e o “mercado” em geral (num das fases em que ficou fora da política, Mercadante trabalhou com Meirelles no Banco de Boston). E mesmo com essa ajuda providencial de Mercadante, Lula o deixou no sereno, como simples líder do governo.

Quatro anos depois, em 2006, Mercadante foi candidato ao governo de São Paulo, Lula não se empenhou na campanha e ele perdeu para José Serra. Em janeiro de 2009, foi eleito líder do PT no Senado, mas logo em agosto anunciou que iria apresentar “renúncia irrevogável” ao cargo, por causa da decisão de seu partido de arquivar a abertura de investigação no Conselho de Ética contra o presidente da Senado, José Sarney. Lula imediatamente o chamou ao Alvorada, obrigou-o a ficar na liderança, e ele obedeceu, se desmoralizando publicamente.

Em 2010, concorreu como candidato ao governo de São Paulo pelo PT, Lula novamente não fez campanha para ele, porque estava empenhado em eleger um poste presidencial chamado Dilma, e Mercadante foi derrotado no primeiro turno por Geraldo Alckmin.

PRÊMIO DE CONSOLAÇÃO

Sem mandato, ganhou um prêmio de consolação: o inexpressivo Ministério da Ciência e Tecnologia do governo Dilma. Depois, em 2012, passou  para o Ministério da Educação, devido a saída do então ministro Fernando Haddad, para concorrer à Prefeitura de São Paulo. Agora, Mercadante vai para a Casa Civil.

Se Dilma disputar e ganhar, o máximo que acontecerá a ele é permanecer na Casa Civil. Mas se ela não disputar ou perder a eleição, a melhor opção de Mercadante será voltar a defender as cores do Banco de Boston, apadrinhado por Meirelles. O salário realmente é muito bom.

No novo emprego, Dirceu nada fará e ainda poderá continuar fazendo consultoria (ou melhor, tráfico de influência)

Carlos Newton

Os jornais informam que o ex-ministro José Dirceu, condenado a 10 anos e 10 meses como mentor do mensalão, aceitou nova proposta de trabalho – desta vez por um salário de apenas R$ 2,1 mil mensais, ou 10% do salário que apressadamente o Saint Peter Hotel, de Brasília, registrara na carteira de trabalho dele, para criar um fato consumado e forçar a concessão do regime aberto, o que acabou se transformando um escândalo de laranjas com ramificação no Panamá, e que acabou atingindo de tabela o prefeito do Rio, Eduardo Paes, e sua ilustre família.

Agora, se a Justiça acolher requerimento apresentado à Vara de Execuções do Distrito Federal, o empregador de Dirceu será o escritório José Gerardo Grossi de Advocacia, cujo titular foi ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e tem o ex-presidente Lula  e o deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG) entre os clientes.

A oferta de emprego – com horário corrido, das 8 às 18 horas – foi apresentada por escrito pelo próprio Grossi, informando que o ex-ministro “se encarregará da organização e manutenção da biblioteca jurídica, da eventual pesquisa de jurisprudência e de colaboração na parte administrativa”.

RETROCESSO?

Para Dirceu, representa um certo retrocesso, porque no Hotel Saint Peter ele teria mordomia total, poderia receber seus clientes de “consultoria” (expressão que passou a designar o antigo tráfico de influência) e dar seguimento à sua “vida empresarial”, digamos assim.

Mas as aparências enganam. E de qualquer forma, com status de celebridade e instalado num grande escritório de advocacia,   certamente Dirceu será tratado a contento e não terá dificuldades para receber seus clientes, como fazia num hotel em Brasília, antes do julgamento do mensalão, conforme ficou público e notório, e até o então presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, aparecia por lá, nas “audiências” que o ex-ministro concedia.

Mas quem já trabalhou no ramo da advocacia sabe que “organizar e manter uma biblioteca jurídica” significa trabalho zero, porque a biblioteca já existe, está mantida e raramente é ampliada.

Da mesma forma, os outros serviços a serem feitos por Dirceu também inexistem. “Eventual  pesquisa de jurisprudência e de colaboração na parte administrativa” não representam praticamente nada, porque o setor administrativo do escritório já funciona sem Dirceu e a pesquisa de jurisprudência hoje em dia é facílima e rápida, porque está tudo acessível pela internet, e selecionado por assunto. Qualquer estagiário faz.

Traduzindo: o que Dirceu quer é moleza, além de continuar ganhando muito dinheiro, é claro. E o escritório do advogado José Gerardo Grossi ainda se presta a um papel desses… Ah, Brasil!

Depois a gente volta para comentar o inacreditável assédio de parlamentares petistas, que pressionaram o juiz da Vara de Execuções Penais para beneficiar os mensaleiros. O PT parece que perdeu completamente a dignidade. Um partido que nasceu tão cheio de esperanças, ao qual me filiei em 1982, e que tinha tudo para mudar a política brasileira, agora se transforma nesse monte de lixo. É uma pena, não há dúvida.

Preso desde junho, Donadon até hoje continua com deputado federal, desmoralizando o Congresso, a Justiça e o País.

Carlos Newton

É inacreditável a desmoralização da política. Como é público e notório, o deputado federal Natan Donadon foi condenado a mais de 13 anos pelo desvio de R$ 8,4 milhões da Assembleia de Rondônia por meio de contratos de publicidade fraudulentos. Ele está preso desde 28 de junho e deve ficar em regime fechado pelo menos até setembro de 2015.

O que é inconcebível é que até hoje continue a ser deputado federal. Em agosto, dois meses depois da prisão de Donadon na Penitenciária da Papupa, o plenário da Câmara, sob o manto do voto secreto, absolveu Donadon, numa atitude abjeta e deplorável. Votaram a favor dele 131 deputados.

Até hoje Donadon permanece como parlamentar federal, quando o caso deveria ter sido resolvido cirurgicamente, no dia seguinte à decretação da prisão dele. Mas continua tramitando o processo de cassação. O ato mais recente foi terça-feira, quando a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara rejeitou recurso contra a cassação do mandato.

Com isso, o processo de perda de mandato segue para votação em plenário. Como o Congresso entra de recesso no fim da semana, o caso só deve ser votado em fevereiro. Parece brincadeira, mas é verdade. E até lá Donadon continua sendo deputado federal.

Rico da noite para o dia, o secretário de Saúde do governo do Rio vai estudar em Harvard.

Carlos Newton

Nosso querido Ancelmo Gois informa, em primeiríssima mão, que o secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes, deixará o cargo no próximo dia 31. Ele vai estudar em Harvard. No seu lugar assumirá o atual diretor do Into, Marcos Musafir. O futuro secretário foi consultor da OMS e presidente da  Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

Sergio Côrtes já vai tarde. Foi cúmplice do governador Sérgio Cabral nas negociatas na área de saúde. Médico, funcionário público federal, ficou rico da noite para o dia. Comprou um luxuoso e imenso apartamento de cobertura na Lagoa Rodrigo de Freitas, com cinco vagas na garage, pagou à vista, em dinheiro vivo, subfaturado, é claro.

Comprou também uma mansão em Mangaratiba, perto da propriedade de Cabral, mas sonega o IPTU, pagando apenas como se fosse um terreno baldio.

Tudo isso é mais que sabido. O que ninguém sabe é como uma universidade renomada como Harvard aceita como aluno um desclassificado como Sergio Côrtes, um dos mais destacados membros da Turma do Guardanapo (veja na foto, ele dançando funk).

A célebre instituição de ensino superior do Massachusetts já não é a mesma, é só o que se pode dizer.

Presente de Natal muito atrasado: Supremo vai julgar o caso da Varig, mas 600 interessados já morreram.

Carlos Newton

Há informações de que o Supremo Tribunal Federal pode retomar hoje o julgamento do famoso processo da Varig. É uma causa que demonstra bem a que ponto chegou a Justiça brasileira. Está mais do que ganha, não há a menor possibilidade de a União reverter a situação, porque ficaram totalmente comprovados os prejuízos da companhia aérea com a contenção das tarifas que lhe foi imposta ilegalmente pelo governo.

Os prejuízos da empresa acabaram atingindo o plano de aposentadoria privada dos aeronautas da Varig e da Transbrasil, o Aerus. E o dinheiro dos trabalhadores foi tungado sob as vistas complacentes da agência reguladora, a Superintendência Nacional de Previdência Complementar.

Desde que o processo foi aberto, mais de 600 ex-funcionários da Varig e da Transbrasil já morreram, sem ver a cor do dinheiro. Detalhe sinistro: o governo do Brasil tem recursos para perdoar dívidas de outros países, incluindo sangrentas ditaduras africanas, mas alega não ter dinheiro quando precisa pagar as próprias dívidas.

A relatora Cármen Lúcia está há tempos com o processo. Agora, ameaça colocá-lo em pauta. Seria um grande presente de Natal para milhares de brasileiros que arriscaram a vida para nos transportar. Mas quem se interesse por eles?

Em matéria de sucessão presidencial, a confusão é geral (e vai piorar)

Carlos Newton

A sucessão está apenas esboçada, ainda não há nem candidatos definidos. Por enquanto, são seis pretendentes e uma incógnita. O PT tem Dilma ou Lula para entrar em campo; o PSDB vai de Aécio Neves ou ressuscita José Serra; o PSB arrisca com Eduardo Campos ou Marina Silva. E a incógnita chama-se Joaquim Barbosa, pois ninguém sabe se vai ser candidato ou não.

Em Brasília, há rumores de que ele se aposentará em março, a tempo de arranjar um partido e se filiar até o dia 5 de abril, prazo máximo para candidatura de magistrados. Mas, como diz Raul Gallo,  quem pode confiar em rumores?

O certo é que em junho (entre os dias 10 e 30) haverá as convenções para a decisão final. No PT, a imensa maioria prefere Lula. Ou seja, Dilma somente será candidata se estiver muito bem nas pesquisas, com previsão de ganhar com folga logo no primeiro turno. No PSDB, quem manda é José Serra. Ontem, em mensagem postada no Facebook, ele “defendeu” o lançamento do nome de Aécio Neves. Mas quem pode confiar em Serra? Portanto, se ele continuar na frente de Aécio nas pesquisas, o candidato já estará decidido. E no PSB, a mesma equação: quem manda é Eduardo Campos, e Marina  só terá legenda se disparar nas pesquisas, algo absolutamente improvável.

E Joaquim Barbosa? Só perguntando diretamente a ele, que sempre nega a candidatura, dizendo que no momento não pretende. Mas amanhã é sempre outro dia.

ACORDOS ESTADUAIS

A eleição é particularmente complicada, porque existem os acordos estaduais, que significam uma mistura infernal, basta lembrar que já houve eleição, no passado recente, com PT e PSDB juntos na mesma chapa, vejam se uma situação dessas poderia ser admissível.

É por isso que a ex-ministra Marina Silva tem ressalvado que a aliança da Rede Sustentabilidade com o PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, “não é verticalizada” e admite que os dois partidos podem não estar juntos em alianças nos Estados nas eleições de 2014.

Questionada em entrevista sobre as divergências entre a Rede e o PSB nos Estados, ela afirmou que não há obrigação de se repetir a lógica nacional pela qual a Rede se uniu ao PSB para apoiar a candidatura presidencial de Campos. Aliados de Marina afirmam que a Rede vai se separar do PSB nos casos em que a sigla de Campos estiver em coligações estaduais com o PT ou o PSDB, o que já é negociado em pelo menos oito Estados.

Portanto, a confusão ainda é geral. E vai piorar.

A candidatura de Lula não está descartada (aliás, muito pelo contrário…)

Carlos Newton

O ex-presidente Lula não entende e não gosta de economia. Mas ele se preocupa com o noticiário econômico, é claro, até porque hoje em dia tudo depende da economia, inclusive a política. Por mais factóides que sejam fabricados pelos marqueteiros, por mais que se inventem notícias positivas para animar a opinião pública, no final das contas é o desempenho da economia que realmente interessa.

Agora, Lula está particularmente interessado na situação da economia, porque sabe que a candidatura de Dilma Rousseff à reeleição vai depender diretamente da estabilidade do país. Ele está mais do que convicto de que no PT a atual presidente não conquistou a menor liderança, é apenas “suportada” pelos petistas. Portanto, se a economia não deslanchar, em junho eles simplesmente dirão “é a economia, estúpida” e a mandarão passear, entronizando Lula novamente como candidato ao Planalto/Alvorada.

ECONOMIA EM CRISE

E o quadro no momento é altamente favorável a Lula. No primeiro trimestre deste ano, o Brasil teve o pior desempenho econômico entre os países membros do G20 (principais economias do mundo), segundo o mais recente relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), divulgado ontem.

O pior é que, de lá para cá, a situação melhorou no segundo trimestre, mas depois reverteu e o Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, caiu 0,5% no terceiro trimestre deste ano, em relação ao trimestre anterior.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, já havia admitido que no terceiro trimestre o Brasil teve o pior desempenho entre os países do G20 e do Brics (Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul). O ministro argumentou, entretanto, que os “números revisados” do PIB do segundo trimestre indicam resultado inverso, com a economia brasileira tendo crescimento maior do que os integrantes dos dois blocos.

Acontece que essa história de “números revisados” virou uma mania governamental e Mantega tem atuado mais como maquiador do que propriamente como economista, fazendo relembrar aquela velha piada de que “a estatística seria a arte de governantes torturarem os números, até que eles confessem”.

MAQUIAGEM ESTATÍSTICA

Depois que o economista Marcelo Neri, que era da Fundação Getútilo Vargas, inventou a classe média miserável, com renda de R$ 291 por mês, tudo é possível em termos de maquiagem estatística. Na ensandecida e desumana teoria de Neri, uma família de cinco membros, com renda total de R$ 1.455, deveria se considerada de classe média.

O governo ficou tão satisfeito com essa invenção de Nery que o nomeou para a presidência do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), onde ele logo começou agora a fazer novos milagres econômicos. O primeiro deles foi anunciar que os resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do IBGE confirmam que a primeira década do século 21 no Brasil foi “inclusiva” do ponto de vista social, com “robusta diminuição da desigualdade”, embora seja público e notório que a desigualdade social no Brasil só tenha aumentado.

Seria interessante se a família do economista Marcelo Neri passasse a viver com R$ 1.455 por mês, para ver se ele consideraria de classe média ou reconheceria que se tornara miserável.

Procurador diz que faltam servidores para combater a corrupção, mas o que falta mesmo é vontade política.

Carlos Newton

Reportagem de Luciano Nascimento, da Agência Brasil, diz que a insuficiência no número de servidores nos órgãos federais de controle tem dificultado as ações de combate à corrupção, segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

“Isso compromete realmente o sistema de controle. A gente tem que trabalhar para incentivar ou fortalecer esses órgãos parceiros, para que eles possam atuar em toda a sua plenitude”, disse o procurador, citando uma pesquisa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, que avalia entre 1,5% e 2,3% do PIB os recursos desviados anualmente no Brasil.

“Todo o dinheiro que você tira com a corrupção é o dinheiro que falta para a saúde, para a educação, e para a segurança. A corrupção, além de ser causa para a deficiência nos serviços públicos, também é barreira para a recuperação dos mesmos serviços”, afirmou.

SEM CONTROLE

Durante o evento do Dia Internacional Contra a Corrupção, segunda-feira, foram apresentados dados que mostram a deficiência de servidores em órgãos essenciais, como a Controladoria-Geral da União, que estaria com um déficit de 1.300 funcionários para atuar na análise de financiamento e controle.

“Temos a preocupação de que o governo esteja abdicando de maior controle das contas públicas, pois tais recursos não sofrem fiscalização efetiva pelos órgãos passadores”, disse a coordenadora da 5ª Câmara de Coordenação e Revisão da Procuradoria-Geral da República, Denise Vinci.

Segundo Denise, as auditorias quanto a R$ 50 bilhões empenhados este ano na área da saúde, “vão sendo restringidas à amostragem, pois eles têm um quadro ínfimo de 127 servidores”. O mesmo problema existe na fiscalização de recursos da educação. “Há um déficit de 645 servidores, 57% do quadro, e por isso as fiscalizações envolvendo os R$ 14 bilhões do Fundo se restringirão ao aspecto formal, ou seja, à análise da papelada”, disse.

TRADUZINDO

Isso tudo é verdade, mas deve ser reduzido à sua expressão mais simples. O combate à corrupção é fácil, basta cruzar dados da Receita Federal com informações de IPVA e de registro de imóveis. Simples assim. Exatamente como o governo dos EUA fez em 1931, para fisgar Al Capone.

Aqui no Rio de Janeiro, por exemplo, imediatamente seriam apanhados o governador Sérgio Cabral e o secretário de Saúde Sérgio Cortes, dois milionários que saíram do zero para os milhões, às custas do dinheiro destinado à saúde pública (entre outras falcatruas, pois Cabral é polivalente nesse particular, com suas perigosas ligações com o empreiteiro Fernando Cavendish, de que chegou a ser concunhado, até que a morte das duas irmãs, no acidente de helicóptero na Bahia, os separou).

Quando isso começar a acontecer , a corrupção diminui de chofre, porque o que incita essa derrama de recursos públicos é apenas a impunidade.

 

Governantes irresponsáveis em busca de notoriedade com a Copa e a Olimpíada

Carlos Newton

A realização da Copa do Mundo e da Olimpíada no Brasil não representa nenhum avanço, nenhuma vantagem para o país. Pelo contrário, só está servindo para prejudicar ainda mais a imagem brasileira no exterior.

O atraso nas obras, a corrupção desenfreada, os aumentos dos preços das tarifas dos hotéis e dos serviços, o acidente no Itaquerão, a leniência de governantes irresponsáveis, como Sérgio Cabral, Eduardo Paes, Lula e Dilma Rousseff, que não souberam corresponder às obrigações a eles destinadas – tudo isso apenas decepciona e desanima.

Ao invés de reformar escolas e hospitais, constroem-se suntuosos estádios para seguir o tal Padrão Fifa e acolher apenas as elites, numa discriminação financeira e social que agride o bom senso coletivo, pois assim o futebol deixa de ser a alegria do povo. Alarga-se a distância entre as classes sociais, pois a elite, que antes frequentava as arquibancadas junto com a massa, agora fica sozinha nas confortáveis cadeiras.

E tudo isso acontece porque os governantes não lutam pelos interesses nacionais. Com toda certeza, visam apenas os interesses pessoais, a notoriedade, as contas no exterior, o nepotismo e a permanência no poder. E nada acontece.

O Ministério Público permanece inerte, a Justiça é apenas um arremedo, a impunidade dos poderosos é a praxis, e o mensalão está destinado a ficar na História apenas como uma exceção a essa odiosa regra geral. Nossos poderes estão podres. E la nave va, fellinianamente.

Dá muito trabalho lutar por uma internet livre

Carlos Newton

Como se sabe, aqui na Tribuna da Internet não há censura nem moderação de comentários pela Editoria do Blog. O que não esperávamos é que houvesse cerceamento de comentários pela própria estrutura da internet.

Depois da reclamação de comentaristas como Paulo Solon e Darcy Leite, comprovamos que há mensagens que são erroneamente consideradas “spams” (propaganda indesejada e invasiva). O motivo é que os programas contra os “spams” funcionam de forma enlouquecida, confundindo alhos com bugalhos, como se dizia antigamente.

Assim, para evitar que comentários sejam bloqueados indevidamente, a Editoria do Blog ganhou mais essa função: estar permanentemente controlando o que é realmente spam, para liberar o que é comentário.

Traduzindo: a internet pode ser livre, mas tudo é relativo. E se algum comentário seu não foi imediatamente publicado, aguarde um pouco que o liberaremos o mais rápido possível.

Barbosa recebe o laudo de Roberto Jefferson e vai decidir se ele vai para a prisão

Roberto Jefferson é internado

Carlos Newton

Já foi anexado ao processo o laudo da junta médica sobre o estado de saúde do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), que servirá de base para a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa sobre o regime de prisão a ser cumprido pelo ex-parlamentar.

Em 2012, Jefferson fez uma cirurgia para extirpar um tumor no pâncreas, mas está recuperado e os médicos concluíram que, “do ponto de vista oncológico”, não é imprescindível sua permanência em casa ou em um hospital.

Ele está na mesma situação de José Genoino que exigiu prisão domiciliar e recebeu a concessão por 90 dias, embora o laudo entregue ao Supremo no fim do mês passado tenha concluído que o ex-deputado petista não tem cardiopatia grave e, portanto, não é imprescindível a sua permanência em prisão domiciliar.

O presidente do Supremo recebe hoje o laudo sobre Jefferson e terá de decidir a questão. Se determinar a prisão do presidente licenciado do PTB, isso significará que Genoino também irá perder a regalia, caso seu estado de saúde não se agrave.

Estão defendendo um José Dirceu do passado, que não existe mais. Quanto a Genoino e Delúbio, sem comentários.

Carlos Newton

É impressionante, na internet, o bombardeio de artigos e notas defendendo José Dirceu, José Genoino e até inexpressivo Delúbio Soares, mas não se registra o mesmo fenômeno em relação a outros personagens da mesma novela, como Roberto Jefferson, Valdemar Costa Neto, Pedro Henry, Bispo Rodrigues e Marcos Valério.

Essa defesa massiva na mídia eletrônica é algo jamais visto aqui no Brasil, desfechada simultaneamente em sites, blogs, e-mails e redes sociais, com argumentos que chegam ao ridículo, ao considerar que Dirceu, Genonio e Delúbio estariam literalmente atravessando “uma via crucis”, o que significa compará-los com Jesus Cristo, vejam a que ponto de fanatismo político chegamos, e justamente na época de Natal.

Nessas mensagens que inundam a internet brasileira, os três destacados petistas são considerados como “presos políticos”, ao invés de “políticos presos”, o que é um belo jogo de palavras. Mas como podem ser presos políticos, se o regime é comandando pelo próprio PT e o Supremo tem ampla maioria de ministros  nomeados pelos próprios governos petistas?

NÃO SÃO OS MESMOS…

Seus defensores esquecem que, hoje, Dirceu, Genoino e Delúbio nada têm a ver com o que foram antes. Dirceu, por exemplo, tornou-se um homem muito rico, por usar indevidamente seu prestígio político para conduzir negócios e negociatas junto governantes petistas nos âmbitos federal, estadual e municipal. Deveria ser execrado por isso, mas no PT a prática de dar esse tipo de “consultoria” é vista como atividade normal e regular.

Dirceu não é exceção, mas pode ser considerado o maior exemplo de sucesso como “consultor”, a mesma atividade exercida hoje pelo ex-ministro Antonio Palocci e pela também ex-ministra Erenice Guerra, todos fazendo fortuna com “consultorias” e festejados pelo antigamente “partido mais ético do país”, no dizer de seu fundador Lula.

PIMENTEL E DELÚBIO

O ainda ministro Fernando Pimentel também fez o mesmo. Abriu uma consultoria em Belo Horizonte e chegou à perfeição – receber o dinheiro sem prestar os serviços. Foi um escândalo, um vexame nacional, mas a presidente Dilma Rousseff o manteve no cargo, alegando que os “malfeitos” foram cometidos antes de o companheiro Pimentel ser nomeado ministro, um desculpa realmente criativa e patética.

Para não ficar para trás, Delúbio Soares, que era um modesto professor de Geografia no ensino básico, também se tornou um bem-sucedido “consultor de empresas” em Goiânia, intermediando negócios com a prefeitura do petista Paulo Garcia, vejam só que coincidência.

E Genoino mostra agora todo o seu caráter. Aposentado na Câmara com 20 mil mensais, pede nova aposentadoria por invalidez, para elevar o pagamento para 27 mil, além de sua Bolsa-Ditadura. Como diz Silvio Santos, é tudo por dinheiro, nesse falso guerrilheiro, que delatou os companheiros sem ter sido torturado, conforme relato do coronel Licio, que o prendeu no Araguaia, e Genoino não o desmentiu.

Traduzindo: esses falsos petistas não são mais os mesmos, e o PT, também não. Sua direção prepara uma seção de desagravo a Dirceu, Genoino, Delúbio e o resto da quadrilha. Mas o que esperar do PT? O que esperar da política brasileira? Existe algum partido verdadeiramente nacionalista e que defenda os interesses da população? A resposta é o silêncio. Nossa geração politicamente fracassou.

No Rio de Janeiro, atuam os especialistas em engarrafar o trânsito

Carlos Newton

O vídeo em anexo mostra a incapacidade da Engenharia de Tráfego da Prefeitura do Rio de Janeiro.

Na ânsia de maquiar a cidade  para a Copa de 2014 e mostrar serviço, os projetos viários são deficientes e as execuções de péssima qualidade.

É melhor nem se falar de quanto está custando isso, com certeza bem mais caro do que em qualquer outro lugar do mundo, mas infelizmente sem qualidade.

Divirtam-se e entristeçam-se com o vídeo. A situação se passa na Barra da Tijuca, um dos bairros mais valorizados do Rio de Janeiro ao Barra Shopping, em frente à inacabada Cidade da Música do ex-prefeito Cesar Maia.

Vamos ver o que os governantes do cidade maravilhosa reservam para a próxima obra.

CEBOL%80%A0%A6%C3O ENGENHARIA DE TRANSITO.mp4
7047K   Baixar

Cuidado, Lula! Certas previsão dão uma urucubaca danada…

Carlos Newton

Os jornais proclamaram que  ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu que o PT possa permanecer no governo ao menos até 2022, no bicentenário da Independência. “Eu já estou pensando no Brasil de 2022, quando a gente completar 200 anos de Independência e a gente fizer uma comparação do que era esse Brasil. Aí, vai ser duro, Dilminha, vai ser duro quando a gente falar do Brasil que deixamos em 2022 e o que pegamos em 2020 (referindo-se a 2002)”, afirmou.

Nota-se que ele não é nem um pouco supersticioso. Mas existem certo procedimentos que devem ser evitados, porque não dão mesmo sorte. Quando o PSDB comprou a reeleição de FHC por “trinta dinheiros”, digamos, pagos à vista (não foi mensalão), havia um ministro todo-poderoso. Chamava-se Sergio Motta, ocupava a Pasta das Comunicações para defender os interesses de Roberto Marinho no governo, e era sócio de FHC até na compra de imóveis.

Arrogante, fanfarrão e deslumbrado com o poder, Sergio Motta tornou-se o mais influente integrante do governo tucano, exercendo uma forma própria e imperial de fazer política, apelidada de “estilo trator”. Foi nessa base que ele comandou o maior processo de privatização da História do Brasil e proclamou que o PSDB iria ficar 20 anos dominando o Planalto/Alvorada.

Estava equivocado. A bruxa o pegou e ele morreu em 19 de abril de 1998, de insuficiência respiratória, causada por um fungo no ar condicionado do Ministério. Assim, nem chegou a ver a reeleição de seu amigo e sócio.

Agora, é Lula quem aparece fazendo o mesmo tipo de previsão. Parece que os políticos não aprendem, mesmo.

O Blog da Tribuna da Internet enfim se estabiliza, mas será que os hackers voltarão?

Carlos Newton

Aos poucos, vamos conseguindo reestruturar o Blog, depois do novo ataque de hackers – o segundo, em menos de um ano. Assim como ocorreu na primeira vez que o Blog foi tirado do ar após 5 anos de postagem normal e ininterrupta, o servidor UOL não soube explicar o que estava acontecendo e seus especialistas em Informática não encontraram uma maneira de recolocar o Blog no ar.

Naquela vez, tivemos de refazer todo o Blog, desde o início, e o jornalista e webdesigner Antonio Caetano conseguiu salvar nosso arquivo de texto, mas centenas de milhares de comentários sofreram abdução, simplesmente sumiram.

Desta vez, o fenômeno foi exatamente igual ao anterior. Primeiro, pequenas dificuldades de acesso ao administrador e ao próprio Blog. Depois, os obstáculos foram aumentando, até que o Blog saiu inteiramente do ar, ficou inacessível.

Como já estávamos mais experientes, assim que as dificuldades surgiram já começamos a preparar a migração do Blog para outro servidor, salvando todos os arquivos de texto e os comentários. Não sabíamos é que seria uma operação muito intrincada e dificultosa. E somente agora é que estamos nos últimos detalhes da migração.

Mais uma vez, Helio Fernandes nos deixou e parou de escrever. Pediu também que retirássemos qualquer referência a ele e à Tribuna da Imprensa. É claro que acatamos suas determinações, mas pessoalmente considero uma pena e um despropósito tirar da internet a Tribuna da Imprensa.

Acho também um crime Helio Fernandes deixar de escrever para seus milhares de leitores. Se ele não quer recriar o Blog da Tribuna da Imprensa, acho que seria ótimo ele escrever no Blog de nosso amigo Pedro Porfírio ou em algum outro espaço importante da web. Por que não?

BALANÇO DE OUTUBRO

Como o Blog esteve fora do ar, não fizemos na época o balanço de outubro, mas o apresentamos agora, agradecendo aos comentaristas que têm contribuído para manter esse espaço livre na internet.

01/10/2013 011201 DP DIN LOT

60,00 C

01/10/2013 300002 DOC ELET

50,00 C

02/10/2013 021142 DP DIN LOT

20,00 C

03/10/2013 031330 SAQUE ATM
04/10/2013 041241 DP DIN LOT

51,00 C

07/10/2013 071021 DP DIN LOT

100,00 C

07/10/2013 071213 DP DIN LOT

35,00 C

07/10/2013 071243 DP DIN LOT

70,00 C

08/10/2013 080917 DP DIN LOT

30,00 C

08/10/2013 081216 SAQUE ATM
09/10/2013 091348 DP DIN LOT

30,01 C

10/10/2013 101120 SAQUE ATM
10/10/2013 000000 DEB CESTA
14/10/2013 141001 DP DIN LOT

100,00 C

14/10/2013 902153 INTERNET
21/10/2013 265793 CRED TEV

72,00 C

21/10/2013 190843 DP DIN LOT

30,00 C

21/10/2013 210915 DP DIN LOT

100,00 C

25/10/2013 173967 CRED TEV

100,00 C

28/10/2013 280918 DP DIN LOT

100,00 C

28/10/2013 281130 DP DIN LOT

52,10 C

29/10/2013 800010 DOC ELET

50,00 C

30/10/2013 301615 DP DIN LOT

200,00 C

No Banco Itaú, os seguintes depósitos em outubro:

Dia 7    TEC   Depósito em Dinheiro      150,00
Dia 7    TBI    0477.76345-2 TI              20,00
Dia 7    TBI    9368.46169-6 c/c            50,00
Dia 21  TBI    0406.49194-4 c/c            50,00

BALANÇO DE NOVEMBRO

01/11/2013 000091 DP DINH AG

60,00 C

01/11/2013 300002 DOC ELET

50,00 C

01/11/2013 011441 SAQUE ATM
04/11/2013 040926 DP DIN LOT

100,00 C

04/11/2013 041534 DP DIN LOT

51,00 C

05/11/2013 051807 DP DIN LOT

70,00 C

11/11/2013 110921 DP DIN LOT

100,00 C

11/11/2013 000000 DEB CESTA
12/11/2013 121038 DP DIN LOT

30,01 C

12/11/2013 902153 INTERNET
13/11/2013 131019 DP DIN LOT

30,00 C

14/11/2013 141047 DP DIN LOT

20,00 C

18/11/2013 113298 CRED TEV

50,00 C

18/11/2013 180953 DP DIN LOT

100,00 C

19/11/2013 190947 SAQUE ATM
20/11/2013 201619 DP DIN LOT

50,00 C

20/11/2013 600017 DOC ELET

50,00 C

21/11/2013 211058 DP DIN LOT

35,00 C

22/11/2013 110586 CRED TEV

72,00 C

22/11/2013 000010 DOC ELET

200,00 C

25/11/2013 250903 DP DIN LOT

100,00 C

27/11/2013 271821 DP DIN LOT

200,00 C

29/11/2013 291239 SAQUE ATM

No Banco Itaú, os seguintes depósitos em novembro:

Dia 7    TBI    9368.46169-6 c/c            50,00
Dia 18  TBI    1649.00443-7 c/c            15,00
Dia 21  TBI    0406.49194-4 c/c            50,00
Dia 26  CEI    0001.84 Dinheiro              60,00
Dia 29  TBI    9368.46169-6 c/c          100,00

Agora só falta genoino devolver a Medalha do pacificador

Carlos Newton

Para evitar ser cassado, José Genoino renunciou ao mandato de deputado, mas não renunciou à aposentadoria por invalidez. Ele já é aposentado como deputado, mas recebe “apenas” 20 mil e quer aumentar para 27 mil, se for considerado “inválido”. Além disso, Genoino também recebe a chamada “Bolsa-Ditadura”.

Para completar, deveria também renunciar à concessão da Medalha do Pacificador, a mais elevada honraria do Exército, que lhe foi outorgada em 2003 pelo então ministro da Defesa, Nelson Jobim, aquele que fraudou a Constituição, inserindo um artigo que beneficia os bancos e até se orgulha disso, vejam como nosso país está desmoralizado, pois nada aconteceu a esse parlamentar fraudador confesso.

Já mostramos aqui no Blog que o artigo 10 do decreto 4.207/2002, que regulamenta a concessão e a cassação da comenda é bastante claro, mas o comandante do Exército, general Enzo Peri, finge ter esquecido, para não desagradar a presidente Dilma Rousseff e o PT.

Com um comandante desse nível, o Exército brasileiro está realmente no abandono.

Comandante do Exército ‘esquece’ de cassar a Medalha do Pacificador concedida a Genoino e foge da imprensa

Carlos Newton

Comandante do Exército desde março de 2007, o general Enzo Peri está descumprindo a lei e finge ignorar sua obrigação funcional de determinar a cassação da Medalha do Pacificador que foi conferida em 2003 ao deputado José Genoino (PT-SP).

O artigo 10 do decreto 4.207/2002, que regulamenta a concessão e a cassação da comenda é bastante claro, mas o comandante do Exército finge ter esquecido, para não desagradar a presidente Dilma Rousseff e o PT.

CAPÍTULO IV
DA CASSAÇÃO

Art. 10. Perderá o direito ao uso da Medalha do Pacificador e será excluído da relação de agraciados:

II – o condecorado nacional ou estrangeiro que:

a) tenha sido condenado pela justiça do Brasil, em qualquer foro, por sentença transitada em julgado, por crime contra a integridade e a soberania nacionais ou atentado contra o erário, as instituições e a sociedade brasileira;

Parágrafo único. A cassação será feita ex officio, em ato do Comandante do Exército.

OMISSÃO

Por causa dessa omissão em não cassar a honraria concedida a Genoino, o comandante do Exército está fugindo da imprensa, como se fosse possível adiar indefinidamente o cumprimento da lei. Como proclamou o Almirante Barroso na famosa Batalha do Riachuelo, o Brasil espera que cada um cumpra o seu dever, especialmente os comandantes de suas Forças Armadas.

Direito de Dirceu, Delúbio e Genoino trabalharem é motivo de controvérsia

Carlos Newton

Ao contrário do que se divulga, não está garantido o direito de Delúbio Soares e José Dirceu trabalharem (Genoino fica de fora, porque não quer nem ouvir falar em trabalho, o negócio dele é ir direto para casa). Ocorre que os três condenados ainda não receberam sentenças definitivas. Por enquanto eles estão presos em uma espécie de regime semiaberto, mas podem ser encaminhados para o regime fechado, caso os recursos sejam negados pelo plenário do Supremo Tribunal Federal.

Caso passem para o regime fechado, após uma eventual negativa dos embargos infringentes Delúbio e Dirceu não poderão mais trabalhar, e terão de cumprir a pena dentro da cadeia. Por isso, quanto mais demorar o julgamento, maior a chance de os dois serem liberados para trabalhar. Seus advogados agem como se esse direito fosse líquido e certo, porque o resto de suas penas ainda não transitou em julgado e ninguém pode ser condenado antes da hora.

O presidente Joaquim Barbosa é o responsável por autorizar o exercício profissional aos dois petistas. Pode liberá-los, mas pode também alegar que a prisão semiaberta é apenas provisória.

O QUE DIZ A LEI

A Lei de Execução Penal, nº 7210, de 1984, determina o que cada regime deve ter. E o Código Penal, que está passando por uma reforma, descreve como é cada regime.

No regime fechado, a execução da pena deve ser em estabelecimento de segurança máxima ou média. Neste caso, a cela deve ter no mínimo 6 m² e, em caso de penitenciárias femininas, gestantes e mães com recém-nascidos devem ter uma área especial.

No regime semiaberto, o cumprimento da pena deve ocorrer em colônia agrícola, industrial ou estabelecimento similar. Mas o condenado poderá ser alojado em locais coletivos e sua pena estará atrelada ao seu trabalho. Detalhe: a pena é reduzidar em um dia, a cada três dias trabalhados.

No regime aberto, o preso cumpre a pena em casa de albergado, que é um presídio de segurança mínima, ou estabelecimento adequado — as limitações, neste caso, são menores.

Neste caso, os presos permanecem no local apenas para dormir e aos finais de semana, e exige-se que eles trabalhem ou provem que têm condição de ir para o mercado de trabalho imediatamente após a progressão.

Quanto a Genoino, o que ele tenciona é a prisão domiciliar, fica em casa o tempo todo, usando uma tornozeleira (ou pulseira) eletrônica para indicar se saiu ou não da residência.

Joaquim Barbosa, sem ser candidato, já aparece com 15%. Nada mal, hein?

Carlos Newton
Muito interessante a pesquisa Datafolha divulgada sábado, apontando que o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, testado num dos cenários, aparece com 15%. Nada mal para quem ainda nem é candidato. Demonstra que muita gente já decidiu votar nele, por antecedência. Se o ministro confirmar a candidatura, sua tendência é de alta, claro, e vai estar entre os mais cotados para a sucessão.
A pesquisa mostra que Lula ainda é mais forte do que Dilma, que continua muito longe do seu pico de popularidade, em março passado, quando tinha 65% de aprovação. Além disso, cerca de dois terços dos entrevistados diz esperar mudanças na próxima administração.O Datafolha perguntou aos entrevistados se preferem que a maior parte das ações do próximo presidente seja “igual às ações da presidente Dilma Rousseff ou que a maior parte dessas ações seja diferente da atual presidente”.Para 66% dos pesquisados é melhor que o próximo presidente adote ações na maior parte diferentes de Dilma. Só 28% querem ações iguais.
É claro que as pesquisas, por ora, pouco indicam, porque ainda não há candidatos escolhidos. Por enquanto, temos apenas três partidos na disputa e cada um deles tem dois pré-candidatos: PT, com Dilma Rousseff e Lula; PSDB, com José Serra e Aécio Neves, e PSB, com Eduardo Campos e Marina Silva. Um quadro realmente muito confuso, em que ninguém sabe quem realmente vai disputar.

Como dizia o ex-ministro Armando Falcão, o futuro a Deus pertence. E os seis personagens/candidatos à procura de um autor insistem em parodiar o genial dramaturgo Luigi Pirandello. Mas acontece que uma disputa por votos é muito mais complicada do que uma encenação teatral, apesar de os políticos se comportarem como verdadeiros artistas.

ABRIL E JUNHO
Se em abril do ano que vem o ministro o Joaquim Barbosa entrar decisivamente em cena, inicialmente os pré-candidatos passarão a ser uma paródia de “Os Sete Samurais”, do magistral cineasta Akira Kurosawa, com Marina Silva fazendo o contraponto feminino. Mas na hora da verdade, depois das convenções de junho, três pretendentes obrigatoriamente cairão fora e haverá apenas quatro candidatos a serem votados. Nessa hipótese, formariam “O Quarteto de Alexandria”, do não menos fenomenal escritor Laurence Durrell.
Recapitulando: em abril, saberemos se Barbosa será candidato. Em junho, haverá as convenções partidários e serão definidos os outros candidatos definitivos: Lula ou Dilma; Serra ou Aécio; Campos ou Marina. Aí o jogo realmente começará. Até lá, repita-se, as pesquisas indicam pouco, muito pouco.

Do jeito que Genoino está se comportando, pode-se esperar qualquer coisa dele…

Carlos Newton

O caso do deputado José Genoino (ou melhor, a desmoralização dele) ainda vai render muito. Como se sabe, a junta médica da Câmara, que examinou o deputado licenciado, determinou que ele seja submetido a nova perícia em 90 dias. “A junta concluiu que o periciado não é portador de cardiopatia grave do ponto de vista médico pericial”, informou o boletim oficial divulgado pelos especialistas.

Para elaborar os laudos, os médicos se basearam nos exames feitos por Genoino no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal e em testes físicos aplicados pela junta. Os médicos disseram que, apesar do uso de medicamentos, a pressão arterial ainda não está bem controlada, por isso, é necessário um período maior, de 90 dias, para que o remédio seja adequado, ajustado, para ver se a situação volta ao controle, completou o diretor do Departamento Médico da Câmara, Jezreel Adelino da Silva. Aí fica a dúvida: será que ele estava tomando os remédios direito??? Ninguém sabe.

De toda forma, os médicos têm prazo de até dois anos para avaliar o paciente e determinar se ele tem condições de voltar ao trabalho. “Para que não aconteça algo que é pior, que é rotular uma pessoa como inválida, com uma incapacidade definitiva, e ela nunca mais poder voltar a trabalhar.”

CARA DE PAU

A realidade é que, em fim de carreira, o ainda deputado José Genoino foi metendo os pés pelas mãos, arrancando a máscara e se mostrando por inteiro. Já dissemos aqui, e é um fato incontestável: o que ele realmente pretende é lutar pela aposentadoria integral na Câmara (R$ 27 mil).

Quando Genoino perdeu a eleição e ficou sem mandato, aposentou-se como deputado, passando a receber cerca de R$ 20 mil mensais. Na época, ninguém sabia que ele tinha essa bela aposentadoria, e ele choramingou tanto que foi nomeado assessor do Ministério da Defesa, aumentando o faturamento.

Este ano, com a renúncia do deputado Carlinhos Almeida, que se elegeu prefeito de São José dos Campos, Genoino, que era segundo suplente, ganhou a vaga e assumiu o mandato, mesmo já tendo sido condenado no mensalão (o que significa ou deveria significar perda de direitos políticos e cassação automática).

Ele então pediu licença da aposentadoria e ficou com os R$ 27 mil, além da verba de representação de R$ 31 mil, na qual ele simula até contratar “seguranças”, vejam com que enorme cara de pau esse cidadão se apresenta ao respeitável público.

Se ficasse com os R$ 20 mil a que já faz direito, que é uma aposentadoria invejável, cinco vezes maior do que o teto do INSS, pelo menos Genoino demonstraria um pouco de dignidade, mas isso ele já perdeu faz tempo, desde quando dedurou os guerrilheiros do Araguaia sem ter sido torturado. E ainda ganha por fora a tal Bolsa-Ditadura, para encher ainda mais os bolsos…