Centrão controla governo e evita que Bolsonaro demita Ricardo Barros, afirma Simone Tebet 

Simone Tebet afirma que Bolsonaro é refém do Centrão

Malu Gaspar
O Globo

Já entrou para a história das CPIs brasileiras o momento em que a senadora Simone Tebet (MDB-MS) extrai do deputado Luis Miranda a confissão que abalou o governo Bolsonaro e mudou o rumo da CPI da Covid. A cena fez Simone desfrutar de uma notoriedade que nem o fato de ter sido a única mulher a disputar a presidência do Senado lhe conferiu.

Porém, para ela, mais revelador do que saber que Bolsonaro disse ser Ricardo Barros o homem por trás das negociações de vacinas no Ministério da Saúde foi o fato de o presidente da República não se descolar do líder do governo e do Centrão.

REFÉM DO CENTRÃO – “O problema é que Bolsonaro não pode se livrar de seu líder. O presidente não controla o Congresso. Hoje é o Centrão que está controlando o governo, está ditando a pauta”, avalia Tebet. 

Na conversa com a jornalista Malu Gaspar, Simone avaliou que nem mesmo o tumultuado depoimento do atravessador de vacinas Luiz Paulo Dominguetti vai mudar a situação do governo.

“O depoimento não foi dos melhores, mas ele corrobora que há um esquema forte envolvendo os mesmos personagens e a mesma conduta delituosa. Ou seja: tentativa de levar vantagem em cima de vacinas que estão faltando no braço da população.”

HORA DE ARRUMAR – Isso não impede que a líder da bancada feminina faça um alerta. Se quiser chegar a algum lugar, a própria CPI terá de se reorganizar: “Vai depender muito da capacidade da CPI, de baixar um pouco a fogueira das vaidades, de baixar um pouco essa fervura de só querer estar em rede nacional. De saber fazer as perguntas certas na hora certa. A comissão precisa ter disciplina, precisa ter ritmo e precisa ter foco.”

Considerada “incontrolável” até pelos colegas do MDB, a senadora falou sobre os bastidores da disputa pela participação feminina na CPI. E revelou ter recebido propostas “pouco ortodoxas” para desistir da disputa à presidência do Senado, no início do ano.

8 thoughts on “Centrão controla governo e evita que Bolsonaro demita Ricardo Barros, afirma Simone Tebet 

  1. É absolutamente normal que haja negociação entre executivo e legislativo. É salutar e necessário.
    Porém tais negociações tem lá seus protocolos, seus objetivos e tb seus limites.
    Ocorre que Bolsonaro, Lorenzoni e outros não sabem e não querem aprender como negociar seus objetivos sem cair na armadilha da compra de apoio.
    Bolsonaro já fez o pagamento e agora quer receber a “mercadoria”.

  2. Essa Simone Tebet esta mais perdida que cego em tiroteio. Porque a senadora não convoca o deputado para ir depor na CPI circense? Ele já se prontificou, de que tem medo?

    • Os senadores circenses podem convocar também o representante da Precisa, senhor Maximiliano, de que tem medo?

      E esse traste ainda sonha em ser presidente da república. Teria menos que zero de votos. Tem gente que não tem noção do ridículo.

  3. Simone Tebet é a terceira via dos irmãos Marinho?

    Após o gigantesco vexame do último depoimento os sabujos petralhas da CPI do STF (supremo tribunal de facínoras) fogem da raia mais uma vez. O trio de senadores corruptos (Aziz, Renan e DPVAT) cancelou o depoimento do deputado Ricardo Barros, estão apavorados. O deputado teve de recorrer ao STF para garantir o seu direito de defesa na CPI, vamos aguardar. Também estão evitando falar na convocação do dono da Precisa, que já provou com documentos, diga-se, que os irmãos Miranda mentiram.

    Até agora, nenhuma só palavra nos mérdias, sobre o comparecimento repentino do deputado Miranda na CPI, sem o coleta à prova de balas, em manga de camisa e lambendo os ouvidos sujos dos corruptos Omar Aziz e Renan Calheiros.

Deixe um comentário para Eliel Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *