Centrão quer recriar a pasta do Planejamento para comandar também o Orçamento Federal 

Ciro Nogueira

Nogueira mostra que o Centrão quer dominar o governo

Adriana Fernandes
Estadão

É ponto pacífico que o ministro da Economia, Paulo Guedes, perdeu um naco de poder no seu superministério com a reforma ministerial para dar a cadeira de comando da Casa Civil ao Centrão. Mas a maior disputa de poder na área econômica está em curso e concentrada em outro lugar: o antigo Ministério do Planejamento.

Depois de permitir que o Centrão demarcasse território para si por meio das chamadas emendas de relator, formando um orçamento paralelo sem controle, como revelou o Estadão, as lideranças dos partidos que formam o bloco de apoio ao presidente Jair Bolsonaro querem mesmo é ampliar os domínios sobre a Secretaria de Orçamento Federal, a SOF.

Até aqui, não conseguiram. Mas a pressão segue mesmo após o senador Ciro Nogueira, presidente do Progressista, hoje o mais poderoso partido do Centrão, ser nomeado para a Casa Civil.,

A VOLTA DO TRABALHO – A ida do ministro Onyx Lorenzoni para o novo ministério do Trabalho e Previdência, que nasce do fatiamento do Ministério da Economia, é a consequência para garantir governabilidade ao presidente.

O momento é particularmente delicado porque falta um pouco mais de um mês para o envio do projeto de Orçamento de 2022. É nessa hora que o bicho pega na Esplanada para definir quem pode ganhar mais espaço no Orçamento do ano que vem, tempo de eleições em que as verbas precisam ser liberadas mais rápido no primeiro semestre em razão das restrições da Justiça Eleitoral e do próprio calendário da campanha. A gula aumentou como se viu no episódio do aumento dos recursos para o fundão.

A perda da SOF com a recriação do Ministério do Planejamento seria a capitulação da política econômica do ministro da Economia que esteve ancorada desde o início na ideia de que um superministério poderia garantir mais união em torno da implantação da pauta liberal.

GUEDES ENXUGA – Na reforma ministerial, Guedes resistiu, por enquanto, à pressão e está justamente promovendo um enxugamento na secretaria especial de Fazenda, sob o comando do economista Bruno Funchal, para fortalecer a aproximação e integração da SOF com o Tesouro com o objetivo de dar mais agilidade ao coração da área fiscal após a constatação de que o gigantismo da secretaria acabava tirando foco e retardando as respostas.

À frente do novo Ministério do Trabalho e Previdência, Onyx fica com a responsabilidade de tirar do papel a política de estímulo do emprego, peça de campanha eleitoral fundamental para os planos de reeleição do presidente.

Mas é um equívoco monumental imaginar que Onyx terá mais poder porque tem um orçamento de mais de R$ 700 bilhões, o maior da Esplanada, já que esse é um gasto obrigatório com o pagamento de benefícios que não muda a correlação de forças.

FGTS ENFRAQUECIDO – O Fundo de Garantia por Tempo de Serviços (FGTS), que foi transferido da Economia para a estrutura do novo ministério, também não tem muita bala na agulha, já que nos dois últimos anos foram liberados R$ 80 bilhões – R$ 43 bilhões, em 2019, e R$ 37 bilhões, no ano passado.

O que vai pesar nesse equilíbrio de forças é o tamanho da carta que o presidente lhe dará para o pacote do emprego, que em boa parte já foi desenhado pela equipe de Guedes que segue no novo ministério.

Onyx terá de enfrentar o problema de sempre: o financiamento do programa que exigirá bilhões de reais em 2022 e que as entidades do Sistema S não querem pagar.

A BRIGA DE SEMPRE  – O teto de gastos, mesmo que mais largo no ano que vem por causa da inflação, continua jogando contra os projetos eleitoreiros com despesas maiores.

De alguma forma, a briga continua rodando o mesmo lugar. A diferença é que o próprio Guedes já disse que vai para o ataque para a reeleição. Vai testar seus próprios limites na hora de abrir o cofre.

12 thoughts on “Centrão quer recriar a pasta do Planejamento para comandar também o Orçamento Federal 

  1. Bolsominto dizia que 15 Ministérios estava bom demais.
    Como disse uma vez um dos maiores corruptos dester Pais.. “Em politica se pode tudo”””, (até mentir,)

    eh!eh!eh

  2. BIOGRAFIA DE ONIX LORENZONI
    (Os gaúchos não merecem ter este corrupto que deseja se candidatar a governador do RS)

    Fonte: Wikipédia

    Caixa 2 da JBS para campanha eleitoral

    Nas delações da JBS, foi acusado de receber caixa 2 da empresa. À RBS TV, Lorenzoni assumiu o crime, justificando que “não tinha como” declarar o valor na Justiça Eleitoral, e que a cifra teria sido inferior aos 200 mil reais citados por Ricardo Saud.[54]

    No dia 14 de março de 2017, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao STF 83 pedidos de abertura de inquérito, a partir dos acordos de colaboração premiada firmados com 78 executivos e ex-executivos da Odebrecht,[55] sendo mencionado em depoimentos da
    Odebrecht.[56] No entanto, em junho de 2018, o Ministro do STF Luiz Fux decidiu pelo arquivamento: “As diligências realizadas não foram suficientes para elucidar a materialidade do suposto crime”.

    Em dezembro de 2018, após vir à tona uma planilha dos delatores da JBS em que aparece “Doações-2012” como “Onyx-DEM” e a pedido da
    Procuradoria Geral da República, o STF autorizou abertura de um processo de apuração de pagamento de caixa 2 contra o deputado Onyx
    Lorenzoni e outros nove parlamentares, acusados por delatores da JBS de pagamento de R$ 100 mil em 2012 e R$ 200 mil em 2014. O pagamento
    ilegal em 2014 foi admitido pelo próprio Onyx, mas ele negou a acusação de 2012. A acusação de 2014 encontra-se atualmente arquivada
    no Supremo, mas com o novo pedido da PGR, o parlamentar pode voltar a responder sobre ela.[57][58][59][60]

    Indicação de professor particular de inglês

    O então ministro da Cidadania indicou o seu professor particular de inglês, Allan Bubna, para trabalhar na assessoria internacional da pasta por um salário de R$ 10 mil, a indicação foi vista como polêmica pois o professor não apresentava experiência suficiente para assumir a função.[61] A nomeação foi posteriormente cancelada após ser revelado que o professor era filiado ao PSOL, com Onyx declarando que desconhecia qualquer ligação ou filiação partidária do professor.[62]
    Após o ocorrido, Onyx Lorenzoni exonerou servidores e comissionados de postos de comando da assessoria internacional da pasta, o que foi visto como uma retaliação por terem sido vazadas informações sobre a contratação de Bubna à imprensa.[63]

    Verbas de gabinete para empresa de amigo

    Onyx Lorenzoni usou 80 notas fiscais de uma empresa de consultoria pertencente a um amigo de longa data para receber R$ 317 mil em verbas
    de gabinete da Câmara dos Deputados entre os anos de 2009 e 2018. Das 80 notas, 29 foram emitidas em sequência, o que indica que Onyx pode ter sido o único cliente da firma.[64] A empresa está inapta na Receita Federal por omissão de valores ao fisco e tem R$ 117 mil em
    dívidas tributárias. Entre janeiro de 2013 e agosto de 2018, não recolheu impostos, apesar de ter emitido 41 notas a Onyx.[65]

    Lorenzoni negou irregularidades na contratação da empresa de consultoria e afirmou que todas as suas contas foram aprovadas sem apontamentos.[66]

    • Pesquisa realizada com o patrocínio dos chuveiros LORENZONI.

      Lava mais rápido e bem mais branco.
      Kkkk
      E na hora de devolver o que foi surrupiado, paga só a metade do roubo.
      Assim, até eu! rsrs

      Parabéns pela pesquisa Dr. Edinei.
      Sempre é bom pesquisar, mas tem gente que detesta e prefere apenas se informar pelo WhatsApp!
      É muito mais prático pra ler o que gostamos.
      Pena que as pessoas ficam obtusas, pois geralmente são induzidas para o lado errado das narrativas.

      Um forte abraço,
      JL

      • Deixe eu ver se entendi. Você considera copiar do wikipedia uma pesquisa.
        E você considera o wikipedia melhor que o whatsap.

        Eu tenho uma pergunta para você, e para o doutor; pois, eu consigo dar minha opinião no watsap; mas, eu não consigo escrever no wikipedia que foi o Paulo Maluf que construiu o Minhocão (o wikipedia não permite que coloquem essa informação verdadeira).

        Pergunto: Vocês dois tem “carta branca” para adulterar as informações escritas na wikipedia ?

        • 20 ANOS DA WIKIPÉDIA :
          COMO A USP COLABORA COM A ENCICLOPÉDIA MAIS FAMOSA DO MUNDO ?

          Iniciativas utilizam a enciclopédia digital para difundir e revisar conhecimentos científicos, além de disponibilizarem parte dos acervos de museus e bibliotecas mantidos pela
          Universidade
          11/03/2021
          David Ferrari

          Como difundir a produção científica, democratizar o conhecimento, tornar possível o acesso a acervos históricos e aproximar a Universidade da população? Participar de um dos sites mais visitados do mundo, acessado por mais de 1,5 bilhões de computadores e smartphones por mês, segundo dados do Global Digital Report de 2019, é uma das soluções.
          Este site é a Wikipédia, enciclopédia virtual mantida de forma colaborativa, que completou 20 anos de existência e hoje é referência em pesquisa na internet, conhecida por ser um repositório aberto de conteúdos diversos, explicando termos e conceitos em verbetes.

          Observando a potencialidade dessa ferramenta, universidades de diversos países têm estimulado estudantes, pesquisadores e docentes a integrarem o “movimento wiki”, rede de colaboradores que criam e revisam artigos do site. Na USP, a ferramenta é utilizada por algumas iniciativas, como os projetos que atuam com os museus – Museu Paulista, Museu de Anatomia Veterinária, Museu de Arqueologia e Etnologia -, o Glam de Bibliotecas da USP, e o Cepid Neuromat, um centro de estudos e pesquisas em matemática e áreas derivadas da neurobiologia. O impacto dessa participação é visível nos números, quando vemos que os conteúdos disponibilizados por grupos da USP em textos, fotos e vídeos contabilizam ao menos 88,4 milhões de acessos no site.

          No Brasil, o Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) Neuromat é pioneiro na colaboração com a Wikipédia, conforme explica João Alexandre Peschanski, supervisor de difusão do grupo. “Quando o Neuromat começou [suas atividades na Wikipédia], em 2014, havia alguns professores de universidades brasileiras que realizavam atividades, mas eram ações pontuais e sem vínculos institucionais”, conta.
          Ligado ao Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP, o Neuromat tem uma equipe multidisciplinar composta por pesquisadores e estudantes de diversas instituições brasileiras com diferentes áreas de atuação, como pesquisa, inovação e difusão. A equipe de difusão é a que atua diretamente com a Wikipédia com o principal objetivo de democratizar o acesso a informações de qualidade produzidas pelas universidades.

          Por meio da plataforma on-line, a iniciativa trabalha com a criação de artigos sobre os temas pesquisados no centro de estudos, principalmente com probabilidade e estatística, e revisão de conteúdos já postados, complementando com novas informações e adicionando referências bibliográficas e equações matemáticas, por exemplo. O Neuromat também disponibiliza arquivos em formato audiovisual, como vídeos didáticos explicando o funcionamento do cérebro e o Podcast A matemática do Cérebro.

          Ao todo, a iniciativa produziu aproximadamente 60 mil artigos, tendo quase 30 milhões de acessos. Além disso, outros 97,5 mil conteúdos foram editados e mais de 40 mil arquivos foram disponibilizados pela plataforma Wikipedia Commons. Foi a maior instituição no mundo em geração de conteúdo matemático de forma estruturada e reportada para a enciclopédia on-line, de acordo com o monitor institucional da própria Wikipédia.
          ´
          Realização de um wikilab (treinamento para edição na Wikipédia) antes da pandemia –
          Argeton/Wikipedia
          Museus a um clique
          Três museus mantidos pela USP tiveram parte de seus acervos digitalizada e disponibilizada em licença livre através do Wikipedia Commons.

          O principal deles é o Museu Paulista, espaço centenário que está fechado para execução de obras de restauro e modernização e tem previsão reabertura em 2022.
          Há pouco mais de dois anos, o Museu iniciou o
          compartilhamento de parte de seu patrimônio histórico na internet. Tendo como objetivo tornar acessível os materiais de interesse da sociedade, o projeto disponibiliza mais de 26 mil conteúdos em imagens e vídeos do acervo, como as célebres pinturas
          Independência ou Morte, de Pedro Américo, e Fundação de São Vicente, de Benedito Calixto de Jesus.

          O resultado do compartilhamento do acervo foi imediato. Somente em seu primeiro mês, os materiais foram acessados mais de 2,3 milhões de vezes. No total, os conteúdos do Museu Paulista somam quase 59 milhões de visualizações.

          Museu do Ipiranga dá prêmios em concurso para edição de verbetes na Wikipédia
          Como difundir a produção científica, democratizar o conhecimento, tornar possível o acesso a acervos históricos e aproximar a Universidade da população? Participar de um dos sites mais visitados do mundo, acessado por mais de 1,5 bilhões de computadores e smartphones por mês, segundo dados do Global Digital Report de 2019, é uma das soluções.

          Este site é a Wikipédia, enciclopédia virtual mantida de forma colaborativa, que completou 20 anos de existência e hoje é referência em pesquisa na internet, conhecida por ser um repositório aberto de conteúdos diversos, explicando termos e conceitos em verbetes.
          Observando a potencialidade dessa ferramenta, universidades de diversos países têm estimulado estudantes, pesquisadores e docentes a integrarem o “movimento wiki”, rede de colaboradores que criam e revisam artigos do site.

          Na USP, a ferramenta é utilizada por algumas iniciativas, como os projetos que atuam com os museus – Museu Paulista, Museu de Anatomia Veterinária, Museu de Arqueologia e Etnologia -, o Glam de Bibliotecas da USP, e o Cepid Neuromat, um centro de estudos e pesquisas em matemática e áreas derivadas da neurobiologia.

          O impacto dessa participação é visível nos números, quando vemos que os conteúdos disponibilizados por grupos da USP em textos, fotos e vídeos contabilizam ao menos 88,4 milhões de acessos no site.
          No Brasil, o Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) Neuromat é pioneiro na colaboração com a Wikipédia, conforme explica João
          Alexandre Peschanski, supervisor de difusão do grupo disse :. “Quando o Neuromat começou [suas atividades na Wikipédia], em 2014, havia alguns professores de universidades brasileiras que realizavam atividades, mas eram ações pontuais e sem vínculos institucionais”, conta.
          Ligado ao Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP, o Neuromat tem uma equipe multidisciplinar composta por pesquisadores e estudantes de diversas instituições brasileiras com diferentes áreas de atuação, como pesquisa, inovação e difusão.

          A equipe de difusão é a que atua diretamente com a Wikipédia com o principal objetivo de democratizar o acesso a informações de qualidade produzidas pelas universidades. Por meio da plataforma on-line, a iniciativa trabalha com a criação de artigos sobre os temas pesquisados no centro de estudos, principalmente com probabilidade e estatística, e revisão de conteúdos já postados, complementando com novas informações e adicionando referências bibliográficas e equações matemáticas, por exemplo.

          O Neuromat também disponibiliza arquivos em formato audiovisual, como vídeos didáticos explicando o funcionamento do cérebro e o Podcast A matemática do Cérebro.

          Ao todo, a iniciativa produziu aproximadamente 60 mil artigos, tendo quase 30 milhões de acessos. Além disso, outros 97,5 mil conteúdos foram editados e mais de 40 mil arquivos foram disponibilizados pela plataforma Wikipédia Commons. Foi a maior instituição no mundo em geração de conteúdo matemático de forma estruturada e reportada para a enciclopédia on-line, de acordo com o monitor institucional da própria Wikipédia.

          Realização de um wikilab (treinamento para edição na Wikipédia) antes da pandemia
          Argeton/Wikipedia

          Museus a um clique
          Três museus mantidos pela USP tiveram parte de seus acervos digitalizada e disponibilizada em licença livre através da Wikipédia Commons. O principal deles é o Museu Paulista, espaço centenário que está fechado para execução de obras de restauro e modernização e tem previsão reabertura em 2022.

          Há pouco mais de dois anos, o Museu iniciou compartilhamento de parte de seu patrimônio histórico na internet. Tendo como objetivo tornar acessível os materiais de interesse da sociedade, o projeto disponibiliza mais de 26 mil conteúdos em imagens e vídeos do acervo, como as célebres pinturas::

          Independência ou Morte, de Pedro Américo, e Fundação de São Vicente, de Benedito Calixto de Jesus. O resultado do compartilhamento do acervo foi imediato. Somente em seu primeiro mês, os materiais foram acessados mais de 2,3 milhões de vezes. No total, os conteúdos do Museu Paulista somam quase 59 milhões de visualizações.

          O Museu do Ipiranga dá prêmios em concurso para edição de verbetes na Wikipédia
          O quadro Independência ou Morte, de Pedro Américo, é uma das obras mais visitadas do acervo do Museu Paulista. Foto: Domínio público / Acervo Museu Paulista (USP)
          A obra Fundação de São Vicente (1900), de Benedito Calixto, que idealiza a chegada dos portugueses às terras de São Vicente (SP). Foto: Domínio público / Acervo Museu Paulista (USP)

          O Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) também disponibiliza parte de seu acervo na internet. Através de imagens, vídeos, projeções e modelagens em 3D, sua principal contribuição na plataforma é na revisão e atualização do artigo sobre a Lapa do Santo, um dos principais sítios arqueológicos brasileiros. A densidade de informações contidas na publicação pode ser observada na quantidade de referências bibliográficas utilizadas, 53 – muitas são de teses, dissertações e artigos realizados por pesquisadores do próprio MAE.
          O Museu de Anatomia Veterinária, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) é outra unidade que integra o movimento wiki, com mais de 600 imagens digitalizadas. Atuando na revisão e criação de artigos sobre animais e seus cuidados, o acervo on-line contribui na ilustração, aprendizagem e conhecimento de algumas espécies de animais. Há ainda modelos anatômicos e peças reais que mostram a estrutura óssea e órgãos de aves, anfíbios, répteis e mamíferos.

          O Instituto de Matemática também contribui com a enciclopédia digital através do Glam Matemática. Com a colaboração de estudantes e pesquisadores do instituto, alguns dos materiais de seu acervo voltados às técnicas de aprendizagem interativa foram fotografados, filmados e depois disponibilizados na plataforma Wikipédia Commons.

          Há ainda modelagens computacionais sobre as formas geométricas menos convencionais, como os polígonos dodecaedros (de dez faces) e icosaedros (com 20 faces), além de equipamentos históricos, como um harmonógrafo e uma base de somar em base 2.
          Comunidade universitária de wikipedistas

          Um grupo de bibliotecários do IME, juntamente com profissionais da Escola de Comunicações e Artes (ECA) e da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), criou o Glam Bibliotecas da USP, que tem como objetivo colaborar com o movimento wiki na Universidade. Glam é a sigla para Galleries Libraries, Archives, and Museums (galerias, bibliotecas, arquivos e museus) que identifica o conjunto de projetos digitais colaborativos e livres sob a guarda da Fundação

          Wikimedia.

          O grupo tem atuado em três principais frentes: criação de verbetes sobre docentes das unidades, levantamento dos materiais das bibliotecas que podem ser disponibilizados na plataforma e oficinas de Wikipédia para estudantes da graduação.

          A primeira etapa, em execução, tem um caráter introdutório. Os bibliotecários realizam um compilado das produções científicas e áreas de atuação dos professores e disponibilizam através da Wikidata, uma base de dados mantida pela plataforma wiki.
          A segunda frente tem maior grau de complexidade, pois são realizados trabalho de curadoria e trâmites burocráticos. Apesar das bibliotecas das três unidades reunirem produções escritas e obras artísticas raras e históricas, caso do acervo de xilogravura da FAU e de periódicos da ECA e IME, os espaços não detêm o direito de reprodução.

          Com isso, os profissionais precisam buscar uma autorização para digitalização. Um dos primeiros materiais a serem disponibilizados é o Boletim da Sociedade de Matemática de São Paulo, publicação que mostra o desenvolvimento da matemática do Brasil.

          A terceira área de atuação é a capacitação e estímulo para que membros da comunidade universitária contribuam com a cultura wiki. Para isso, o Glam das Bibliotecas promove oficinas e workshops para wikipedistas. “Estamos engajando alunos para criar e revisar artigos. Fizemos uma oficina no curso de Biblioteconomia ano passado e este ano vamos fazer no curso de Educomunicação”, conta Stela Madruga, chefe-técnica da biblioteca do IME e uma das idealizadoras do Glam dos bibliotecários.

          Número Internacional Normalizado para Publicações Seriadas: International Standard Serial Number
          ISSN – 2525-6009

          https://jornal.usp.br/universidade/20-anos-da-wikipedia-como-a-usp-colabora-com-a-enciclopedia-mais-famosa-do-mundo/

          • Prezado dr.Ednei, meu caro amigo,

            Penso que a questão não se resume à Wikipédia, mas a rejeição que o comentarista J.Rubens tem desta fonte de consultas.

            A resposta, a meu ver, é simples:
            a Internet nos possibilita a velocidade necessária para podermos contestar, desmentir, postar a verdade sobre o assunto que não interessaria ao emitente de opiniões contraditórias ou inverídicas, que fosse desmascarado!

            Este tipo de gente detesta a verdade, a realidade dos fatos, aquilo que está claro e que não precisa de interpretações ridículas.

            Depois, o comentarista em questão somente publica que os textos que não gosta ou que foram desmentidos pela Wikipédia, quer dizer que o consultante não tem os devidos conhecimentos, a necessária cultura, como ele as têm???!!

            Buscar a pesquisa para se publicar o incontestável, trata-se de uma deficiência imperdoável, alega quem tem ódio de ser desmentido ou criticado ou pelo fato de se ter mostrado um idiota e imbecil.

            Liga não, dr.Ednei.
            O que o comentarista J. Rubens quer é ver seus textos analisados e criticados, por consequência, pois ele terá mais espaços para suas asneiras publicadas rotineiramente!

            Abraço.

    • Rue de Sablons,

      As informações que obtive em vários sites na internet são as de que Brasília virou zona e elegeu logo o gigolô oficial, que no caso é o deputado Osmar terra (MDB-RS). Não sei dizer se Osmar Terra é também cafetão.

      BIOGRAFIA DO DEPUTADO OSMAR TERRA (MDB-RS)

      Fonte: Wikipédia

      Osmar Trevas

      Por causa de suas afirmações negacionistas, previsões equivocadas e teses que não se sustentam, Osmar Terra ficou conhecido pejorativamente por “Osmar Trevas”, sendo chamado assim até mesmo pelo ex-ministro da saúde Henrique Mandetta.[34][35] Outros apelidos que recebeu foram “Osmar Terra Plana”, “Osmar Erra”[44] e, também, de “Osmar Enterra”,[45] crítica de seus detratores à sua defesa do tratamento à base de hidroxicloroquina contribuir para que mais cadáveres sejam enterrados.

      No dia em que suas declarações controversas, o epidemiologista Paulo Lotufo publicou no Twitter que, até o momento, Osmar Terra continua a divulgar desinformação sobre a pandemia: “Há um ano, a primeira previsão de um médico, deputado federal, ministro que até hoje divulga notícias falsas sobre a epidemia. Tal como outros, deverá ser julgado como um dos cúmplices do morticínio no Brasil.”[46][47]

      Durante a pandemia de COVID-19, Osmar Terra ficou conhecido por defender teorias negacionistas do Covid-19.[33][34][35] Sustentou, mais de uma vez, que o isolamento social aumentava o número de casos e defendeu o isolamento vertical,[36] contrariando grande parte da comunidade científica.[37][38][39] O Twitter chegou a dar uma sanção em um de seus comentários.[40] Segundo a agência de checagem Lupa, a opinião dele não teria respaldo científico.[41] Osmar Terra foi o parlamentar que mais divulgou notícias falsas sobre o COVID-19, segundo um levantamento feito pelo Radar Aos Fatos lançado em abril de 2020.[42] Terra ainda disse que a pandemia terminaria em junho de 2020.[43]

      Osmar Trevas

      Por causa de suas afirmações negacionistas, previsões equivocadas e teses que não se sustentam, Osmar Terra ficou conhecido pejorativamente por “Osmar Trevas”, sendo chamado assim até mesmo pelo ex-ministro da saúde Henrique Mandetta.[34][35] Outros apelidos que recebeu foram “Osmar Terra Plana”, “Osmar Erra”[44] e, também, de “Osmar Enterra”,[45] crítica de seus detratores à sua defesa do tratamento à base de hidroxicloroquina contribuir para que mais cadáveres sejam enterrados.
      No dia em que suas declarações controversas, o epidemiologista Paulo Lotufo publicou no Twitter que, até o momento, Osmar Terra continua a divulgar desinformação sobre a pandemia:

      “Há um ano, a primeira previsão de um médico, deputado federal, ex – ministro de Bolsonaro, e até hoje Osmar Terra divulga notícias falsas sobre a epidemia. Tal como outros, deverá ser julgado como um dos cúmplices do morticínio no Brasil.”[46][47]

  3. Newton, quem não leu meu recente artigo, aqui na Tribuna, imaginará que a repórter Adriana Fernandes escreveu-revelou alguma novidade. Adoro recordar Ibrahim, “De leve”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *