Cerveró diz que sua ligação é com o PT, e não o PMDB

Cerveró se enrolou todo com a “cessão” de um apartamento de luxo

Flávio Ferreira, Mario Cesar Carvalho e Graciliano Rocha
Folha

Em depoimento à Justiça Federal, Nestor Cerveró afirmou que sua ligação com o PT, e não com o PMDB, influenciou a sua indicação para a diretoria da área Internacional da Petrobras, no início do governo Lula.

A versão contraria depoimento do ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, um dos principais delatores da Lava Jato, afirmou que o PMDB era o beneficiário da propina paga por empreiteiras em troca de contratos com a diretoria Internacional.

Questionado pelo juiz Sergio Moro, Cerveró negou a influência do PMDB. “Eu assumi o cargo de diretor atendendo a um convite do presidente Lula e da ministra Dilma [Rousseff], de Minas e Energia, pelo meu conhecimento [técnico]. Quando assumi a diretoria já tinha 28 anos de companhia”, respondeu Cerveró.

Indagado se teve algum padrinho político na indicação ao posto, Cerveró cravou: “Do PMDB não”. O magistrado emendou: “E de algum outro [partido]?

O ex-dirigente da estatal apontou proximidade com o PT à época: “Havia uma ligação, porque eu trabalhei durante algum tempo com o… quer dizer, eu tinha uma atividade já dentro da Petrobras mais próxima ao Partido dos Trabalhadores, mas o que pesou foi meu conhecimento”.

DELCÍDIO AMARAL

No governo de FHC, o senador Delcídio Amaral (PT-MS) foi diretor de Gás e Energia na Petrobras e tinha entre seus subordinados Cerveró, que era gerente executivo de Energia. Após a posse de Lula na Presidência em 2003, Cerveró foi promovido a diretor da área Internacional. No ano passado, Delcídio já negou ligação com a indicação do ex-diretor.

No depoimento, Cerveró também afirmou que os empresários Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, e Júlio Camargo atuaram como lobistas em contrato de aluguel de navios-sonda para Petrobras, mas não apontou crimes ligados ao negócio.

Segundo acusação do Ministério Público Federal, houve pagamento de propina relativo a esse contrato com a participação de Soares e Camargo. Fernando Baiano é suspeito de ser o operador da propina para o PMDB.

MORADIA GRÁTIS

Cerveró diz que morou dois anos de graça em um apartamento em Ipanema, na zona sul do Rio, cujo aluguel mensal seria de R$ 18 mil, como um prêmio por ter ajudado o dono da offshore uruguaia Jolmey a encontrar o imóvel, que teve uma valorização excelente.

Ao ser questionado pelo juiz Sergio Moro se não tinha nenhum documento sobre a cessão do apartamento, Cerveró respondeu: “Eu não era um locatário normal. Fiz um acordo verbal”.

O apartamento duplex tem cinco quartos e outros dois para empregadas. Formalmente a Jolmey pertence ao uruguaio Oscar Algorta. Segundo a Procuradoria, Cerveró controlava a Jolmey e teria usado a offshore para ocultar a compra do apartamento. Na versão do ex-diretor de Petrobras, a Jolmey comprou um apartamento com o dinheiro de um “investidor uruguaio” de quem ele alegou não saber o nome.

Ele sustenta ter vivido no imóvel em troca de arcar somente com as despesas de IPTU, condomínio e parte da reforma do apartamento.

MINHA MULHER GOSTOU…

Durante o interrogatório, o ex-diretor cometeu um ato falho ao explicar como aconteceu a compra: “Minha mulher gostou do imóvel, eu também, nós vimos um potencial de otimização através do investimento que nós fizemos”, disse.

E, em seguida, corrigiu-se: “Nós, eu digo, que chamamos um construtor e uma arquiteta para reformar”.

O ex-diretor da Petrobras questionou duramente o juiz sobre as razões de estar preso há cinco meses, sem nenhuma prova, segundo ele.

Moro respondeu que não pretendia discutir a prisão e as provas na audiência: “O interrogado aqui é o senhor, não o juiz”.

9 thoughts on “Cerveró diz que sua ligação é com o PT, e não o PMDB

  1. Deu até no jornal PRAVDA, da Rússia:

    http://port.pravda.ru/cplp/brasil/15-03-2015/38290-presidencia_brasil-0/

    A atual presidente da República do Brasil tomou sua reeleição não como a culminância de um deslavado engodo pespegado em um eleitorado despreparado para identificar as manobras de seu hábil marqueteiro, mas como um aval para dar continuidade às falácias e mentiras que informaram sua campanha eleitoral.

    Assim, empresta à crise internacional – desencadeada por problemas decorrentes da facilitação creditícia bancária destinada a favorecer o mercado imobiliário e praticamente já superada nos EUA e em várias nações europeias – a origem das dificuldades econômicas defrontadas pelo Brasil, óbices estes devidos, como sabido, à implementação de um programa econômico absolutamente errôneo e desfocado com respeito às efetivas necessidades de nossa economia e da população brasileira.

    Um segundo aspecto do desvirtuamento da realidade presente nas falas e atitudes presidenciais diz respeito à larga deferência no tratamento dos interesses dos aplicadores de dinheiro e dos empresários em geral. Destarte, as medidas de “correções e ajustes” apresentadas pelo no ministro da Fazenda ferem os interesses dos menos privilegiados e da massa da população, deixando de lado práticas que poderiam afetar os ganhos dos endinheirados, caso da taxação das grandes fortunas, dos ganhos de capital decorrentes de aplicações financeiras e das heranças vultosas.

    Da perspectiva política é denunciada, sobretudo pela direção do PT, a inexistente ação de uma direita fictícia e a igualmente irreal atuação da mídia que estaria a fomentar ações contrárias ao governo instituído. Enfim, enfileiram-se fantasmagóricas figuras inteiramente ausentes de nossa realidade, fantasmas estes que operariam de sorte a prejudicar um governo que age de forma coerente e totalmente afinada com as soluções concretas exigidas pela economia brasileira.

    Este conjunto de inverdades e falsidades propaladas pelo atual governo central e pelos dirigentes de seu partido desqualificam integralmente a ambos e impedem que se estabeleça, entre a presidência da República e a grande maioria da população brasileira, um diálogo proveitoso e gerador de um pacto criativo e gerador de políticas sustentáveis de longo prazo.

    Não é pois quimérica a hipótese levantada por vários analistas políticos quanto à possível emergência de largos movimentos populares contrários às atitudes assumidas pelo governo central brasileiro o qual, bem como o PT, pretende-se perfeito e caminha sem rumo no mundo da fantasia. Este último fato não justifica, evidentemente, campanhas favoráveis ao impeachment, mas dão razão e sustentação a movimentos populares de contestação da situação presente.

    • Caro FREITAS! Que ótimo, você agora traz uma “denúncia” de além-mar, da Rússia… Sem autor, sem origem, que marravilha. Tu estas pensando que nós do povo somos imbecis??? Ora, votamos porque votamos!! Baixo desemprego, salários aumentando acima da inflação, acesso à Universidade Pública,12 Universidades Federais Novinhas em folha, 300 novas Escolas Técnicas Federais, 4.000 novas Creches! Novas estradas e pontes, PROUNI, PROIES, BOLSA-FAMÍLIA, Minha Casa – Minha Vida!!! E inúmeras outras vantagens pessoais cidadãs e intransferíveis!!!!! Tu não viu??? Que pena, porque em 2018 tu também não vai ver nadinha de nada. Te prepara meu, de novo; Lágrimas e Rangir de Dentes…
      Não te preocupa, poderão pedir um TERCEIRO TURNO!!!! Em tempo, compre uma panela mais dura…
      Um abração!
      Sergio.
      Sergio Cabreira.

  2. Quando vejo esses interrogatórios penso logo no Papa Francisco; acho que ele devia canonizar todos os irritados interrogadores sem pecado algum. Iguaisinho a Demóstene Torres! kkkkkk Esses caras não interrogam, massacram!

  3. Enquanto isso, no jornal oficial do Partido Comunista Cubano, GRANMA:

    http://www.granma.cu/mundo/2014-10-15/intenso-debate-en-brasil-de-cara-a-segunda-vuelta-electoral

    Intenso debate en Brasil de cara a segunda vuelta electoral

    La mandataria Dilma Rousseff intercambió en vivo con su rival del Partido de la Socialdemocracia Brasileña (PSDB), Aécio Neves

    Autor: Redacción Internacional | internacionales@granma.cu
    15 de octubre de 2014 23:10:53

    Rousseff y el candidato del derechista PSDB en el debate televisivo del martes.

    BRASILIA.— Cuando restan pocos días para el balotaje que definirá el próximo presidente brasileño, la actual mandataria Dilma Rousseff enfrentó en la noche del martes a su rival del Partido de la Socialdemocracia Brasileña (PSDB), Aécio Neves, en un intenso debate en vivo que evidenció los dos modelos de país que proponen los candidatos para los próximos cuatro años.

    En el primero de los cuatro encuentros televisados que están pactados entre los contendientes, los temas centrales fueron la educación, la salud, la economía y la seguridad pública.

    Rousseff abordó sus propuestas para avanzar hacia un futuro mejor con mejoras en la calidad en la enseñanza, en la atención médica y para lograr una seguridad integral.

    La actual mandataria advirtió a los brasileños que la elección de su rival pro-empresarial llevaría al desempleo y pondría en riesgo los beneficios sociales obtenidos durante los 12 años en el poder del Partido de los Trabajadores (PT).

    Sustentando sus afirmaciones con cifras concretas, Rousseff encaró a Neves por sus dos mandatos como gobernador del estado de Mi­nas Gerais (sureste) y dijo que la salud pública empeoró y el estado es hoy uno de los más endeudados del país.

    Instó a los ciudadanos a indagar en las páginas digitales oficiales de la administración de Minas Gerais y del Tribunal de Cuentas de la Unión para confirmar la veracidad de sus declaraciones y los fracasos registrados por el PSDB en ese territorio.

    Rousseff hizo referencia a la construcción de un aeropuerto junto a la granja de un tío de Neves cuando este era gobernador del estado, y lo acusó de nepotismo al dar puestos en el Gobierno a una hermana, tíos y primos.

    Las intervenciones del candidato del PSDB se centraron en criticar la gestión de Dilma durante los últimos cuatro años y en la situación económica que enfrenta el país en estos momentos.

    También abordó el caso de corrupción que involucra a Petróleos Brasileños (Petrobras) y que supuestamente tiene implicaciones partidistas.

    Rousseff respondió que su determinación es castigar a todos los culpados, bien sean corruptos o corruptores, pero que es necesario acabar con la impunidad en el país para que los acusados del nuevo escándalo no queden libres como, dijo, ocurrió con los responsables por varios casos en el gobierno de Fernando Henrique Cardoso y en gobiernos regionales del PSDB.

    Respecto al origen de los programas sociales que han sacado a 36 millones de brasileños de la pobreza, Rousseff aseguró que nadie cree que el origen del “Bolsa Familia”, el programa impulsado por el PT que beneficia a 50 millones de ciudadanos pobres, esté en el PSDB.

    “Las únicas propuestas sociales que usted (Neves) presenta son la continuidad de mis proyectos”, aseguró la presidenta.
    Sobre las dificultades económicas, la jefe de Estado dijo que, pese a la crisis internacional de 2008, el Gobierno consiguió mantener el empleo y la renta de los trabajadores, y recordó que Brasil fue uno de los pocos países del mundo que consiguió reducir el desempleo en medio de las turbulencias mundiales.

    Añadió que, por el contrario, cuando el presidente Fernando Henrique Cardoso, correligionario y padrino político de Neves, tuvo que enfrentar una crisis económica internacional, el desempleo alcanzó niveles récords.

    “El pueblo brasileño está muy asustado”, dijo Rousseff, recordando los 11 millones de desempleados que existían cuando el PT asumió la presidencia en el 2003, desplazando al PSDB.

    “Nosotros mantuvimos el empleo y los salario, y continuamos invirtiendo, durante la crisis. A ustedes, en cambio, les gusta cortar. Cortaron los empleos y los salarios. En 2002 Brasil tenía un récord de desempleo”, dijo la mandataria.

    El próximo 26 de octubre los brasileños están llamados a las urnas para definir el futuro polí­tico del gigante brasileño. (Redacción Interna­cional)

  4. Quando pegarem as andanças do Cerveró pela África vai ser o fim do bebum de Rosemary. A PF aprendeu vários diamantes com o Cerveró….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *