Chantagem (e traição) dos bancos suíços

Mais famosos do que o chocolate e os relógios, que fizeram a fama internacional da Suíça, são os depósitos em “contas numeradas”. Além de utilizarem esse dinheiro em investimentos, a Suíça decidiu não pagar mais juros a essas contas.

Esses juros eram pequenos, mas como o total dos depósitos é fabuloso, formavam uma importância espantosa. A Suíça (que construiu a segurança financeira, não participando da Primeira e da Segunda Guerra Mundial, e por isso é chamada normalmente de “NÃO BELIGERANTE”) comunicou aos “clientes” a decisão unilateral.

Como represália e em defesa do seu RICO DINHEIRO (a expressão não tem duplo sentido), os depositantes resolveram transferir esse CAPITAL, para os mais de 20 PARAÍSOS FISCAIS, que têm hoje a mesma segurança, e continuam pagando juros.

***

PS – A Federação dos Bancos Suíços, decidiu então publicar o nome dos donatários das contas, denunciando-os às autoridades estrangeiras.

PS2- Mas como não têm caráter, escrúpulo e dignidade, mantiveram o SIGILO e o SILÊNCIO, sobre os que não transferiram as contas.

PS3 – Chantagem clara, sinônimo de extorsão. Mas eles controlam tudo, o Banco Central dos mais diversos países não sabe de nada, não podem perseguir os que se mantiveram FIÉIS.

PS4 – Incompreensível é a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), presidida pelo presidente do Santander, um dos mais globalizados, que ficou com o acervo do Banespa. Que República.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *