Chapa Huck-Moro precisa de apoio no Congresso, mas ainda “muito cedo” para essa discusso, apontam lderes do Centro

Lderes parlamentares avaliam como ruim o ‘timing’ para encontro

Danielle Brant e Renato Machado
Folha

A construo de uma chapa Presidncia que rena o apresentador Luciano Huck e o ex-ministro Sergio Moro vista como embrionria por lderes de partidos de centro entre eles siglas que formam o chamado Centro , para quem a dupla ainda precisaria de apoio no Congresso para se tornar vivel.

Uma aliana entre os dois forjada para se contrapor ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em 2022 comeou a tomar forma aps um almoo entre Huck e o ex-juiz da Lava Jato em Curitiba no final de outubro.

BOMBARDEIO – Logo que o encontro se tornou pblico, no entanto, a articulao foi bombardeada por importantes nomes de partidos do centro e centro-direita, entre eles o presidente da Cmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que exerce forte influncia na sigla.

colunista Mnica Bergamo, Maia afirmou na segunda-feira, dia 9, que Moro era de extrema direita e descartou qualquer apoio a uma chapa composta pelo ex-juiz. No mesmo dia, o deputado e o apresentador almoaram no Rio de Janeiro. Segundo o colunista Lauro Jardim, Huck teria dito que sua “turma” era a do presidente da Cmara e lembrado que j se reuniu com outros nomes alm de Moro, como os governadores do Maranho, Flvio Dino (PC do B), e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB).

Por enquanto, Maia voz praticamente isolada nas crticas pblicas a uma chapa formada por Huck e por Moro.Lderes e presidentes de partidos de centro no Congresso adotam cautela e avaliam que ainda cedo para fazer qualquer anlise sobre uma eventual aliana de ambos para se contrapor tentativa de reeleio de Bolsonaro.

MUITO CEDO – “Acho muito cedo para dizer se tero ou no nosso apoio”, afirma o lder do Solidariedade na Cmara, deputado Z Silva (MG). “Prestgio e fama no asseguram competncia para fazer gesto pblica com eficincia e eficcia.” O Solidariedade um dos partidos que compem o Centro, junto de PP, PL e Republicanos.

O senador Esperidio Amin (PP-SC), lder do bloco formado por senadores de PP, Republicanos e MDB, afirmou que a chapa Moro-Huck ainda se mostra uma “especulao sem qualquer consequncia” e no “um projeto”. “Ns estamos em uma pandemia. Temos um perodo eleitoral que vai at o dia 29. Ento eu nem tenho coragem de discutir a sucesso no Senado quando me perguntam, quanto mais 2022”, disse.

“No estou criticando quem queira discutir. [Mas] O Huck almoar com o Rodrigo Maia. O Rodrigo Maia deveria estar preocupado em organizar a comisso do Oramento”, afirmou. Congressistas tambm afirmaram que o “timing” do encontro entre Huck e Moro demonstra uma falta de conhecimento da poltica nacional, que avaliam ser um ponto negativo para a aliana.

INGENUIDADE – Um senador, que no quis se identificar, disse que os dois foram ingnuos se consideraram que o encontro no seria descoberto ou ento, caso soubessem que seria divulgado pela mdia, escolheram o momento errado para se reunirem, semanas antes do primeiro turno das eleies municipais com a ateno de polticos e do pblico voltada para esse tema.

Alm disso, nos bastidores, a interpretao que, se quiserem se tornar uma chapa vivel, ambos precisam buscar apoios partidrios e evitar incorrer no que visto como um equvoco de Bolsonaro: vencer a eleio sem uma base consolidada e, agora, depender do apoio de partidos do Centro para aprovar projetos de interesse do governo no Congresso.

Bolsonaro se elegeu pelo PSL, mas rompeu com o partido em novembro de 2019, em uma deciso que rachou a legenda e diluiu a rede de congressistas que respaldam os textos do Executivo. Diante da ameaa de processos de impeachment, precisou recorrer poltica do “toma l d c” e oferecer cargos ao Centro formado por partidos como PP, PL e Republicanos em troca de votos.

BASE PARTIDRIA – “Eu sempre acho que, por trs de uma candidatura, tem que ter uma base partidria forte de sustentao, para no acontecer o que aconteceu com o Bolsonaro, que chega ao poder, criticou a vida inteira a poltica velha, a poltica do Centro e hoje cone do Centro”, disse o senador Otto Alencar (PSD-BA), lder da legenda.

Para no correrem risco de ficar sem base no Congresso, uma aliana entre Moro e Huck precisaria do apoio no s do Centro, mas de partidos com grandes bancadas, como MDB e DEM que somam 63 deputados. Os congressistas avaliam que alianas apenas eleitorais pouco contribuiriam para criar uma situao de governabilidade.

Por isso consideram que a poca de “dois outsiders” na mesma chapa tenha se encerrado com a eleio de Bolsonaro. Acham mais vivel uma chapa com uma figura de alta popularidade fora da poltica compondo com algum poltico de partido estabelecido. A viabilidade da chapa tambm esbarra em alguns outros entraves.

REPRESENTATIVIDADE – Um deles a interpretao de que Huck e Moro no representariam uma candidatura de centro, como argumentou o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), presidencivel que terminou em terceiro lugar na eleio de 2018. “No dia em que [o governador de So Paulo, Joo] Doria, Huck e Moro forem de centro, eu sou de ultraesquerda, o que eu nunca fui”, disse na segunda-feira.

O senador Otto Alencar tambm tem posio parecida, afirmando que Moro uma figura poltica de direita. “Se o Moro foi ser ministro de Bolsonaro porque ele concorda com o Bolsonaro. Se a demisso mudou o juzo dele, a outra histria”, provocou o senador.

“Na minha opinio, ele [Moro] no tem nada que ver com centro. Eu, por exemplo, defendo uma posio de centro-social, centro-esquerda, uma posio bem organizada de finanas e trabalho para conter o dficit fiscal e investir tudo o que puder na educao, na sade e ao social”, disse Alencar.

DVIDAS – Em setores do Congresso, o discurso anticorrupo de Moro abre portas, enquanto h dvidas sobre quais pautas seriam prioritrias para Huck para alguns, o apresentador pouco liberal e inclinado a uma agenda social. Mas o ex-ministro tambm tem rejeio mais forte, principalmente por deputados que criticam a forma como conduziu a Lava Jato.

A aproximao de Huck e Moro seria, na leitura de congressistas, um balo de ensaio para testar a recepo aos dois nomes. Nesse contexto, alguns interpretam a deciso de Huck de almoar com Maia logo aps as crticas do deputado ao ex-ministro como uma tentativa de reorganizar o apoio.

Assim, em vez de compor chapa com o ex-juiz, Huck poderia se filiar ao DEM. Isso abriria tambm caminho para uma aliana com Doria, o que eliminaria um dos argumentos que poderiam ser usados contra o discurso de que se trata de alternativa ao governo: o de que Moro, afinal, fez parte do governo Bolsonaro at abril deste ano.

21 thoughts on “Chapa Huck-Moro precisa de apoio no Congresso, mas ainda “muito cedo” para essa discusso, apontam lderes do Centro

    • Concordo plenamente. Quem que, em s conscincia, vai votar em um apresentadorzinho de televiso sem a menor experincia poltica? No mximo, ele poderia se filiar a um partido e pleitear um lugarzinho de vereador. E o Moro? Ser que perdeu o juzo?

    • Certo, caro Luiz Fernando,

      como deves ter percebido, os eleitores arrependidos de Bolsonaro escolheram outro salvador da ptria. Parece que as lies no so aprendidas.

      Discutir as ideias, com embasamento, sobre as alternativas de um desenvolvimento sustentvel do pas, mesmo com discordncias, parece que no so do agrado da maioria.

      • Caro Vidal,estamos plantando no deserto,nosso consolo orvalho que nos d discernimento e coragem para enfrentar essas tempestade de areia.

        Por sinal, onde andas Nlio Jacob,Aquino.

        De outra banda,ficamos felizes, a nossa pauta teve repercusso ao ponto, a folha ouvir pessoas com maior abrangncia..

        PS: Parabns Vidal,seus pitacos,esse chamamento ao debate de idias,projeto,etc..
        Esta tendo enorme repercusso…

        Chega de Salvador da Ptria…

        Forte Abrao..

    • Sim, Moro era juiz, o que um bom motivo para no ser candidato, para no comprometer a credibilidade de sua atuao passada. Acho que o Joaquim Barbosa pensa o mesmo, por isso nunca aceitou ser candidato a presidente, apesar das tantas vezes que foi incitado a isso.
      E se para votar em quem fez algo pelo povo, voto no PT.

  1. ROBERTO FREIRE : PROJETO LUCIANO HUCK CONTINUA A TODO VAPOR E PODE DAR PROTAGONISMO AO CIDADANIA EM 2022

    Publicado em30 de julho de 2020

    Para o presidente do partido, viabilidade eleitoral do apresentador incomoda lulistas e bolsonaristas e candidatura pode vingar com apoio de MDB, DEM e PSDB

    Em reunio da Executiva Nacional do Cidadania, nesta quinta-feira (30), o presidente Roberto Freire afirmou que o projeto Luciano Huck continua a todo vapor, apesar de a discusso sobre a candidatura ter arrefecido em razo da pandemia, com o apresentador se dedicando mais a articulaes em solidariedade aos mais afetados e vulnerveis doena. Isso, embora, segundo ele, o prprio presidente Jair Bolsonaro j tenha colocado a sucesso na agenda poltica nacional e nas redes sociais.

    Houve um ataque nas redes sociais em volume muito grande contra Huck, porque ele aparece nas pesquisas como perspectiva e isso gera receio de ambos os lados da polarizao. Estamos vendo sua capacidade de articulao. Temos que ter afirmao nacional de que a nossa candidatura no uma candidatura que admita o lulismo no seu retorno ou a ideia de bolsonarismo na sua continuidade. Isso tem de ser afirmado inclusive nesta campanha, avaliou.

    Freire viu nos duros ataques contra Huck, partindo de bolsonaristas e lulistas no Twitter, uma afirmao de fora do apresentador, dando perspectivas cada vez melhores a uma eventual candidatura. Ele considerou um movimento importante, nesse contexto, a sada de MDB e DEM do centro e apontou uma oportunidade histrica de que o Cidadania protagonize o processo eleitoral de 2022, buscando apoio, ainda, de outros setores e partidos da centro-esquerda e da esquerda democrtica.

    Junto com o PSDB, forma-se um bloco importante para discutir uma candidatura do polo democrtico. Ns podemos ser protagonistas nesse cenrio. importante ter nessa campanha essa persectiva. [Luciano Huck] Pode vir a ser nossa alternativa, o que um processo em construo, no campo correto, como candidato de centro-esquerda. No vamos ganhar com candidatos da direita. Moro, Mandetta e Bolsonaro, se candidatos, ocuparo o campo da direita, argumentou.

    Autonomia nas alianas regionais
    Na reunio, chamada para apresentar um balano das perspectivas eleitorais para novembro, Freire ponderou que, apesar de cada estado trabalhar questes polticas com foco na realidade local, o partido tem uma posio nacional e deve reafirm-la.

    No somos um partido regional ou de um local. Estamos com boa capilaridade nacional e cada um dos estados tem suas especificidades, particularmente nas questes polticas. Suas tradies, alianas, questes que mais atraem a preocupao da populao, com diversidade em cada um dos municpios, e isso d, nessas eleies, a realidade local como fundamental para o debate poltico. Mas importante saber que o partido existe por uma posio nacional, destacou.

    Ainda segundo Freire, mesmo que aspectos da conjuntura poltica nacional sejam tratados de forma diferente nos estados, o partido mantm a continuidade do seu projeto.

    No h um hiato de dizer que o partido tem uma posio nacional e que para neste momento para depois ser retomada. Hoje, o prioritrio so as eleies municipais e cada um tem que saber como conduzir suas campanhas, especialmente do ponto de vista poltico. So autnomos em fazer suas alianas, o partido no tem veto. Mas o partido no vai parar de ter suas posies e sua interveno no processo poltico nacional, sustentou.

    • Olha, ser atacado em poltica da ordem natural das coisas, simplesmente ridculo fingir ultraje por causa disso. Alm de hipcrita, j que os outros podem ser atacados vontade. Isso coisa de quem no quer ser questionado.

  2. Sim, Moro era juiz, o que um bom motivo para no ser candidato, para no comprometer a credibilidade de sua atuao passada. Acho que o Joaquim Barbosa pensa o mesmo, por isso nunca aceitou ser candidato a presidente, apesar das tantas vezes que foi incitado a isso.
    E se para votar em quem fez algo pelo povo, voto no PT.

  3. Dois bandoleiros, afinal o que propem para sada da crise que passamos em todos os nveis.Um concerta carros o outro maltrata a lngua portuguesa no conje ou conge ou sei l o que.A vida poltica vai de ladeira a baixo.

  4. Depois que o Luciano confessou, qual a turma dele, tal seja, o centro, a mscara e as boas intenes dele para com os menos favorecidos, usados por ele no seu caldeiro, caram por terra.

  5. O Luciano e o Moro falar mal do Bolsonaro a mesma coisa que o Ciro falar mal do Lula, sujar no prato que comeram, que ajudaram a colocar l, desde de o golpe covarde contra a primeira mulher presidente do Brasil, que no praticou nem sequer 1% dos malfeitos praticados por FHC, Temer e Bolsonaro na administrao pblica.

  6. CENTRO oficial: igual soma de PP (40 deputados), Republicanos (31), Solidariedade (14) e PTB (12).
    Em alguns momentos so acrescentados PSD (36) MDB (34), DEM (28), PROS (10), PSC (9), Avante (7) e Patriota (6).
    No custa nada ainda contar com PFL, PL, PDS e PDC.
    So eles que governam o Brasil … ou duvidam?

  7. Sinceridade! Acho que tanto Huck como Moro precisam comer muito arroz e feijo para serem considerados seriamente para o cargo mximo do poder executivo. Poderiam comear como deputados no mximo senadores!
    Chega de aventureiros, todos neofitos acabaram se dando mal, esto a, Collor e Dima que no me deixam mentir. Bolsonaro vai no mesmo caminho, s vai se manter no cargo at 2022 se o Centro quiser e no existe coisa mais volvel em politica do que o Centro.
    Considerando tudo isso, o prximo presidente ter que ter o minimo de base e de habilidade politica e tambm de experiencia. No momento enxergo 3 que esto com alguma evidencia e com essas caracteristicas: Ciro Gomes, Joo Dria e Ronaldo Caiado, talvez Mandetta. Outros podero aparecer, mas no vejo mais espao para aventureiros como Huck e/ou “cintura dura” como Moro.

  8. Caro Sandoval,comungamos com os mesmos pensamentos.
    Pelas idias e projetos,minha preferncia Ciro Gomes,Requio,no teria nenhum constragimento mesmo no sendo da vertente Castilista, em votar no Ronaldo Caiado.
    Vamos dizer, conservador com responsabilidade,at porque, conhece a vicissitudes da sade,do agronegcio.
    Conhece e combate os capangas de um determinado “Toga”.

    Ah,meu super ministro do Itamaraty, seria Marcus Vincius Pratine de Moraes,como faz falta…

    Chega de Salvador da Ptria.

    Independente de cores digamos clubistica,precisamos de gente competente e com ideal para sairmos do atoleiro..

    Forte abrao!!!

    Forte Abrao..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.