One thought on “Charge do Alpino

  1. IBGE divulga o Produto Interno Bruto brasileiro de 2013 e aponta melhora em relação a 2012.

    O PIB brasileiro (soma, em valores monetários, de todos os bens e serviços finais produzidos no país) cresceu 2,3%. Resultado impulsionado, do lado da oferta, pelo aumento dos valores adicionados à economia pela agricultura (7%), indústria (1,3%) e serviços (2,0%). E, ainda, do lado da demanda, pelo aumento do consumo das famílias (2,3%), aumento dos gastos do governo (1,9%) e o aumento dos investimentos (6,3%). Variações encontradas em relação ao ano anterior.

    Houve, também, expansão nas exportações (2,5%), porém suplantada pelo crescimento das importações (8,4%).

    Em função do crescimento o PIB per capta alcançou R$24.065,00 (em valores correntes), variação positiva de 1,4% em termos reais.

    Na análise da demanda o destaque fica para o investimento, comumente chamado de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), o investimento que cresceu 6,3% foi puxado pela produção interna de máquinas e equipamentos, seguida pela construção civil. Em suma a variação contou com a participação da indústria na produção de máquinas e equipamentos (52%), pela indústria de construção (42%) e outros (6%).

    Apesar da variação positiva em relação a 2012, o volume de investimento não conseguiu suplantar o nível médio de investimento dos últimos anos e ficou em 18,4% do PIB.

    O investimento macroeconômico guarda estreita relação com o nível de poupança que um país possui. Quanto menor a poupança (fonte de recursos), menor é o volume de investimento (aplicação de recursos). A poupança brasileira em 2013 foi de apenas 13,9% do PIB. O nível mais baixo desde o ano de 2001, quando atingiu escassos 13,5% do PIB.

    O governo tenta contornar tal quadro mediante a adoção de concessões e partilhas dos bens públicos na tentativa de transferir ao setor privado a responsabilidade de investir e, se necessário, tomar empréstimo no país ou lá fora, para isso. Da mesma forma, o governo tenta atrair poupança externa através do investimento estrangeiro direto. São empresas já instaladas no país ou que estão se instalando que vêm em busca de benefícios tributários e subvenções econômicas oferecidos pelo ente estatal; da maior atratividade do mercado consumidor insuflado pela melhoria da lógica de distribuição de rendas e da valorização real dos salários promovida pelo governo.

    Quadro do investimento público e privado brasileiro dos últimos anos:

    ANO…………….PIB………………….INVESTIMENTO………..% de investimento
    2000………R$1,179 trilhões……..R$198 bilhões……………….16,8
    2001……….R$1,302 tri…………….R$222 bi………………………17,0
    2002………R$1,478 tri……………..R$242 bi………………………16,4
    2003………R$1,700 tri……………….R$260 bi…………………….15,3
    2004………R$1,941 tri………………..R$313 bi…………………….16,1
    2005………R$2,147 tri………………..R$342 bi…………………….15,9
    2006……..R$2,369 tri………………..R$389 bi………………..…..16,4
    2007……..R$2,661 tri…………………R$464 bi…………………….17,4
    2008……..R$3,032 tri…………………R$580 bi…………………….19,1
    2009……..R$3,239 tri………………….R$585 bi…………………….18,1
    2010………R$3,770 tri………………….R$734 bi…………………….19,5
    2011………R$4,145 tri……………………R$799 bi……………………19,3
    2012……..R$4,403 tri…………………….R$799 bi…………………..18,2
    2013………R$4,838 tri……………………R$889 bi…………………..18,4

    Fonte: Contas Nacionais Trimestrais – IBGE

    Outro destaque pelo lado da demanda, segundo o instituto, foi o consumo das famílias que cresceu pelo décimo ano consecutivo (2,3%). Crescimento sustentado pela elevação de 2% da massa salarial dos trabalhadores, em termos reais, e pelo acréscimo, em termos nominais, de 8,5% do saldo das operações de crédito livre para as pessoas físicas.

    O PIB, conforme as classes de atividades e o valor adicionado à economia foi contabilizado da seguinte forma, em valore correntes:

    Classes……………………………..Valor Adicionado (R$milhões)

    I – Agropecuária:…………………..R$234.623
    II – Indústria:…………………………R$1.021.298
    III – Serviços:………………………..R$2.847.592
    IV – Valor Adicionado (I+II+III):..R$4.103.513
    V – Impostos sobre produtos:….R$734.437
    VI – PIB (IV+V):……………………..R$4.837.950

    Sob a ótica da geração de riqueza a economia brasileira se divide em: Agropecuária (6%), Indústria (25%) e Serviços (69%).

    O PIB, conforme os componentes da demanda, em valores correntes, foi contabilizado da seguinte forma:

    Componentes da Demanda……………………………Valores Correntes (R$milhões)

    I – Despesa de consumo das famílias:……………………R$3.022.018
    II – Gastos do governo:…………………………………………R$1.064.529
    III – Formação Bruta de Capital Fixo (investimento):..R$889.284
    IV – Exportação de bens e serviços:……………………….R$608.210
    V – Importação de bens e serviços (-):……………………R$728.787
    VI – Variação de estoque (-):…………………………………R$17.304
    VII – PIB (I+II+III+IV-V-VI):…………………………………….R$4.837.950

    O Balanço de Bens e Serviços ficou deficitário em R$120,6 bilhões e a Variação de Estoque foi negativa em R$ 17,3 bilhões.

    Segundo os números, os componentes do PIB sob a ótica da demanda estão assim divididos: consumo das famílias (62,5%), gastos da Administração Pública (22%), investimento (18,4%), exportação (12,6%), importação (-15,1%) e variação negativa de estoque (-0,4%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *