4 thoughts on “Charge do Duke

  1. Interessante como “pensamento crítico” é uma via de mão única. Devemos desconfiar da internet e das mídias sociais, mas nunca dos jornalões e do governo, exceto, é claro, nesse último caso, quando os ‘caras maus’ (assim definidos pela grande mídia) estão no governo.

    O jornalista britânico Jonathan Cook, um homem de esquerda, faz algumas considerações dignas de nota sobre o tema das ditas manipulações das mídias sociais:

    “Os guardiões do status quo se recusaram a aprender a lição da eleição de Trump, e assim será com Bolsonaro. Em vez de empregar as faculdades intelectuais que eles reivindicam como sua reserva exclusiva, os “analistas” e “especialistas” ocidentais estão novamente desviando seu olhar de qualquer coisa que possa ajudá-los a entender o que levou nossas supostas democracias aos lugares sombrios habitados pelos novos demagogos. Em vez disso, como sempre, a culpa está sendo colocada diretamente na porta da mídia social.

    As mídias sociais e as notícias falsas são aparentemente as razões pelas quais Bolsonaro ganhou nas urnas. Sem os guardiões do local para limitar o acesso à “imprensa livre” – em si o brinquedo de bilionários e corporações globais, com marcas e uma linha de fundo para proteger – a plebe supostamente foi liberada para dar expressão ao seu fanatismo inato.

    (…)
    Este é agora o consenso padrão da mídia corporativa, seja em suas encarnações de direita ou na variedade que posa no lado liberal-esquerdo do espectro, como The Guardian. As pessoas são estúpidas e precisamos ser protegidos de seus instintos básicos. A mídia social, afirma-se, desencadeou o id da humanidade.

    (…). As mídias sociais realmente liberaram as pessoas comuns. Pela primeira vez na história moderna, eles não eram simplesmente os destinatários da informação oficial sancionada. Eles não eram apenas falados por seus superiores, eles poderiam responder de volta – e nem sempre tão deferencialmente quanto a classe de mídia esperava.”
    https://www.counterpunch.org/2018/11/02/bolsonaro-a-monster-engineered-by-our-media/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *