3 thoughts on “Charge do Duke

  1. Contabilidade Nacional

    O Banco Central acaba de informar que o superávit primário (economia orçamentária dos governos) somou R$22,051 bilhões de janeiro a fevereiro deste ano. Por sua vez, os juros da dívida pública somaram R$42,045 bilhões, resultando num déficit nominal de R$19,994 bilhões.

    Para este ano a promessa do ministro Guido Mantega é de economizar nos gastos orçamentários e fazer um superávit primário correspondente a 1,9% do PIB, ou R$99,0 bilhões. Sendo 1,55% (R$80,8 bilhões) de responsabilidade da União e 0,35% (R$18,2 bilhões) de responsabilidade dos Estados e Municípios.

    O percentual perseguido é o mesmo do ano de 2013, e sinaliza para o mercado investidor o compromisso do governo de manter uma política fiscal – isto é, de controle dos gastos públicos – suficientemente austera para garantir a manutenção da dívida pública bruta dos governos abaixo de 60% do PIB.

    A dívida pública bruta dos governos está em R$2,816 trilhões e corresponde a 57,5% do PIB.

    Já a dívida líquida, que desconta da dívida bruta as reservas cambiais e os créditos do Tesouro Nacional totaliza R$1,649 trilhão e corresponde a 33,7% do PIB.

  2. Com uma dívida liquida de quase 2 trilhões de reais, a paisagem que não estava lá muito nítida, está ficando turva. Já começou o agarre -se como puder… nas reservas. Decidiram ignorar a ferramenta certa: a tesoura nos gastos públicos.
    A equipe econômica está pagando pela troca, pela opção feita , do me engana que eu gosto : a perfumaria do superávit fiscal que é a própria roleta russa…
    Em suma, mais uma solução ” brilhante”, digna desse governocida : mais uma vez, aumentar impostos” !…

  3. E vão aumentar mesmo os impostos para garantir mais R$4,0 bilhões, pelo menos, para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

    Ai São Pedro… manda chuva para o sudeste, pelo amor de Deus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *