Chutando o traseiro do planeta

Welinton Naveira e Silva

O grande capital externo, sempre em conluio e parcerias com nossas elites, não começou a chutar o nosso traseiro justo agora no momento de preparação para esses dois gigantes eventos, Copa do Mundo e Olimpíada, envolvendo poderosos recursos públicos, interesses políticos e privados, internos e externos. Salvo as exceções, em todas as oportunidades os nossos grandes empresários sempre estiveram à frente de seus próprios interesses, pouco a ver com as prioridades e necessidades estratégicas e econômicas do Brasil, e de nosso povo.

No sistema democrático capitalista, as elites se beneficiam de todas as maneiras possíveis, seja nas crises ou nos bons momentos, sobrando muito pouco para o povo, além de ter que pagar todas as contas. No auge da atual grande crise mundial do capitalismo, as grandes empresas, montadoras e bancos, teriam se beneficiado de um total mundial de cerca de US$ 17 trilhões, provenientes diretamente dos cofres públicos. E ainda ousam dizer que a iniciativa privada que é competente.

Sabe-se que a riqueza nasce do trabalho, e apesar disso, o trabalhador acaba ficando com muito pouco do que produziu. Por isso mesmo, continua pobre e morando mal. Sempre relegado e pagando a conta, de forma continuada, silenciosa e sistêmica, pelas mil manobras, leis e recursos criados pelas próprias elites, em nome do povo.

Derivam daí as escandalosas isenções e sonegações de impostos, incontáveis privilégios para os poderosos, gigantescas remessas de lucros para o estrangeiro, superfaturamentos e desnecessárias obras públicas, fantásticos incentivos financeiros e fiscais etc. Tudo, possibilitando gigantescas acumulações de riquezas em mãos de poucos.

Não bastassem essas gigantescas transferências de riquezas públicas para os poderosos, em determinadas situações de fragilidades políticas as elites criam mecanismos de siderais transferências de riquezas públicas para seus cofres, num curtíssimo espaço de tempo, sem trabalho algum, como as ocorridas nas privatizações FHC/PSDB, com a entrega de riquíssimas empresas estatais a preços de bananas, que se, atualizados a valores de hoje, contabilizando todos os prejuízos diretos e indiretos, acreditem, folgadamente passaria dos R$ 10 trilhões.

Trocando em miúdos, a democracia capitalista é um sistema insano e sem maiores planejamentos, por isso mesmo, o Planeta possui 4 bilhões de pobres e de excluídos, conflitos e violências de todos os tipos e dimensões. Provavelmente, uma guerra nuclear, a qualquer hora dessas.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *