Ciro ganha apoio de quatro centrais sindicais e assume trabalhismo de Vargas

Resultado de imagem para CIRO COM A FORÇA SINDICAL

Ciro conseguiu quebrar a hegemonia sindical do PT

Deu em O Tempo
(Estadão Conteúdo)

Ao receber apoio de quatro das maiores centrais sindicais do País, o candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, incorporou o personagem do trabalhismo histórico na fala e nos acessórios do vestuário. Na sede do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Materiais de São Paulo, ligado à Força Sindical, Ciro iniciou o discurso aos “trabalhadores do Brasil”. A expressão, admitiu, era a mesma utilizada pelo ex-presidente Getúlio Vargas, pai do trabalhismo nacional.

Na fala, o candidato pedetista fez uma defesa enfática contra a reforma trabalhista, a emenda constitucional que estabeleceu o teto dos gastos e as reformas propostas pelo governo de Michel Temer. A plateia de sindicalistas o ovacionou diversas vezes.

VITÓRIA – “Acho que a vitória está se garantindo aqui”, disse Ciro. “Desta vez eu vou dar a vitória a vocês da Força”, afirmou, em referência à eleição de 2002, quando o vice era o atual deputado federal Paulinho da Força, presidente licenciado da central sindical.

A certa altura, quando Ciro falava do potencial mineral do Brasil, uma das pessoas da plateia gritou “e o nióbio?”. Ciro respondeu que isso é “negócio do (Jair) Bolsonaro”.

Posteriormente, o presidente interino da Força Sindical, Miguel Torres, deu a Ciro Gomes o chapéu que o fundador do PDT, Leonel Brizola, utilizou na última vez que foi ao prédio. Ciro pousou para fotos com o acessório e recebeu elogios de Torres.

CORAGEM – “Nós estamos do lado certo. Nós saudamos a coragem do Ciro de ser o primeiro candidato a falar que iria revogar a reforma trabalhista”, disse.

A busca pelo apoio da Força Sindical, da União Geral dos Trabalhadores (UGT), da Nova Central Sindical e da Confederação dos Sindicatos Brasileiros (CSB) ocorre para fazer frente ao suporte que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) faz à candidatura de Fernando Haddad (PT).

O petista foi inclusive mencionado pelo secretário-geral da Força, João Carlos Gonçalves, o Juruna. “Nós trabalhadores temos a sorte de que, pela esquerda, há dois candidatos que estão bem. O companheiro Haddad, com a CUT, e o Ciro, que tem o nosso apoio. Mas nós não vamos pelo Datafolha ou pelo Ibope. Vamos com Ciro”, afirmou.

10 thoughts on “Ciro ganha apoio de quatro centrais sindicais e assume trabalhismo de Vargas

  1. Jorge, o Coroné é uma legítima mula paraguaia, Sempre pensei que ele era um cavalo paraguaio, bom de largada mas ruim de chegada, mas nem para isso ele serve, pois não deu nem pra largada e tem a cabeça de uma mula.

  2. O apoio da Centrais Sindicais mostra exatamente o que o Ciro é: um demagogo de esquerda que não tem a menor preocupação com o país. Ainda bem que não vai ser eleito pois neste caso prefiro mais o original. Melhor o Poste do que o genérico.

  3. Quantos são os sindicalistas? Quantos dos sindicalizados segue o que os sindicalistas indicam?
    Acho que não ganha nem 5000 votos!
    Parabéns Cangaciro. Vamos ver se vc consegue passar por cima do congresso e revogar a legislação trabalhista.

  4. Antes um ( coroné )capacitado , com experiência administrativa notória , que um capitão do mato falacioso e fanfarrão , que mal sabe quais são os tri pés de uma economia .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *