Ciro Gomes critica a atuação do TCU e afirma que privatização da Eletrobrás será um crime

Eleições 2022: Ciro Gomes: “Há indícios claros de que está em curso um  golpe” | VEJA

Ciro diz que não há justificativas para a privatização

Deu em O Tempo

O pré-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, afirmou que a privatização da Eletrobrás seria um crime contra o país. As declarações foram dadas após o Tribunal de Contas da União (TCU) dar o aval final ao processo de venda da companhia, uma das prioridades do novo ministro das Minas e Energia, Adolfo Sachsida. O governo espera iniciar o processo em junho.

“A privatização da Eletrobrás é um crime! Quem foi que pediu isso, minha gente? Num país como o nosso, onde a energia é gerada principalmente pela água, essa privatização significa entregar ao capital estrangeiro o juízo de vida ou morte sobre nosso maior bem”, disse Ciro Gomes.

SOBERANIA NACIONAL – O ex-ministro e ex-governador do Ceará afirmou que trata-se de um assunto de soberania nacional.

“Um mineral que está na base da vida, da produção, da agricultura, da indústria, da saúde pública, do saneamento. Isso é um assunto de defesa, de soberania! Esta luta não pode acabar. Precisamos nos unir em defesa de uma das nossas empresas mais estratégicas”, completou.

O presidente do PDT, Carlos Lupi, classificou a privatização da Eletrobras como “mais uma entrega de um patrimônio que pertence ao povo brasileiro”. E destacou: “A iniciativa privada só visa o lucro. O Estado tem de ser a locomotiva do crescimento, e a energia é vital para isso. Já entramos com ações no Supremo sobre este assunto e ainda estamos fazendo outra ação para impedir esta entrega do patrimônio nacional.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGÉ uma semiprivatização, pois o Estado continuará com 45% das ações. O que se pergunta é por que privatizar uma estatal que dá lucro? Assim, qual é a justificativa? (C.N.)

14 thoughts on “Ciro Gomes critica a atuação do TCU e afirma que privatização da Eletrobrás será um crime

  1. Pois é , o cara é nota de 3 mesmo. Muda o discurso ao sabor das circunstâncias. Mas , eu tenho a ligeira impressão que ele não faz a menor idéia do que se trata esse assunto. A especialidade dele é carreata , motociata , lancheata , gadociata Daniel Silveira e fraude em urna eletrônica. O resto , não tem importância

  2. Caro CN,
    A justificativa é simples: aumentar o lucro dos acionistas e dane-se a população.
    Resumidamente, hoje a Eletrobrás tem várias usinas que vendem energia a preços muito baixos, pois o investimentos já foram amortizados e na renovação da concessão o poder público exigiu tarifas menores.
    O que a turma do Gheddys colocou na lei é que a nova empresa privada Eletrobrás não tem obrigação alguma de seguir estes contratos, a partir do momento da privatização as tarifas destas usinas são livres pra vender no preço que quiser.
    Ou seja, um projeto já pago e amortizado pelo contribuinte é considerado como novo e o produto energia elétrica será vendido pelo maior preço possível, pra felicidade dos acionistas e tristeza dos consumidores.
    Espero ter respondido sua pergunta.
    Abraços.

  3. Vamos lembrar também do apagão que teve no Amapá uns dois anos atrás. Graças ao serviço porco e sucateado da distribuidora privada do estado, a população ficou sem luz por duas semanas, e a Eletrobrás através da Eletronorte quem ajudou a recuperar o reestabelecimento de energia. Era pra empresa ter perdido a concessão no ato! Será que a nova Eletrobrás teria essa preocupação com uma localidade lá nos confins do Brasil que nem está sob sua responsabilidade?

  4. O negócio é o seguinte: o jumento que se diz presidente desta merda de país está pouco ligando para o povo brasileiro e pouco se importa com o nosso destino. A preocupação dele é ser elogiado e chamado de mito! Ele chega mesmo ao cúmulo de acreditar que vale alguma coisa. Ainda não entendeu que não passa de um monte de estrume apodrecendo e matando a nossa população com o fedor !!!

    • ANTONIO
      Concordo contigo sobre o Mito. Mas e o povo que vota nele e no Lula, tem pena de si mesmo?
      Bolsonaro faz o jogo dele e dos seus! E o povo que deseja reelege-lo, faz o jogo de quem?
      Eu não consigo captar estas mensagens!
      Fallavena
      ,

  5. Faço outra pergunta ao Sr. CN, é visível que vc considera nossos políticos péssimos e corruptos, mas a insiste em manter nas mãos destes o controle sobre estas grandes empresas. Por que?
    E essa pergunta já serve de resposta a sua pergunta, para tirar das mãos dos políticos o controle sobre a Eletrobrás.

  6. O que se pergunta é por que privatizar uma estatal que dá lucro?

    Paulinho Paulada está olhando para o futuro…….

    O futuro das suas contas Piratas…

  7. Se necessário, votarei em Ciro, precisará estar com um/uma vice bom, honesto, equilibrado e competente!
    Ciro está apenas defendendo o que Brizola, fundador e dono do PDT, defendia! Sempre foi nacionalista e do estado forte.
    São asa bandeiras trabalhistas do PDT! Se não fizer isto, adeus Tia Chica!
    Fallavena

    • Caro Fallavena,
      Concordo plenamente você.
      Desde o golpe de 64 tem havido um processo para acabar com o trabalhismo de Getúlio Vargas.
      Lula foi alçado a candidatar-se a presidência pelo Golbery do Couto e Silva para dividir a classe trabalhadora e não voltar a política trabalhista através do Brizola.
      FHC chegou dizer que a era Vargas acabou e os presidentes seguintes seguiram destruindo tudo que Getúlio deixou de avanço e progresso do país.
      Eu não tenho dúvidas, Ciro Gomes é hoje a única esperança para um Brasil melhor
      Ontem vi na televisão a Simone Tebet dizer que é a favor da privatização da Eletrobrás.
      Observação: as pesquisas há meses vem mantendo o Ciro Gomes com 8% e, devem mantê-lo assim até as proximidade das eleições para manter a polarização entre o ruim e pior

  8. Dono de haras público vende “égua premiada e prenha” pelo preço de uma cenoura e deixa os compradores definirem se o preço é justo: um resumo da tragédia da reunião do TCU de 18/05/2022.

    O dia 18 de maio entra para a história como um dia que não será esquecido por trabalhadores e trabalhadoras do setor elétrico nacional e pelo povo brasileiro.

    A Eletrobras, empresa histórica para o desenvolvimento nacional, regional, local e fronteiriço, com os melhores indicadores de robustez do setor elétrico, usinas amortizadas, capilaridade em todo território nacional, tarifas mais baixas para as famílias rurais e urbanas brasileiras, espinha dorsal da infraestrutura elétrica nacional, corpo técnico qualificado teve sua proposta de venda a preço de banana aprovada pela maioria dos ministros do TCU.

    Nossa gratidão à postura assertiva, técnica, consistente e crítica do ministro Vital do Rêgo, voto único a favor do povo brasileiro, que colocou o dedo em várias pústulas do processo. Nossos sinceros agradecimentos pela maneira como defendeu o contraditório e colocou luz sobre as obscenidades de um processo viciado. Em determinado momento, o ministro Vital, como bom “matuto” (como ele próprio se definiu, ou seja, um homem com raízes populares), usou a metáfora de que no campo todo mundo quer comprar uma égua prenha, pois você paga um animal e leva dois. Pois bem, ontem a Eletrobras foi a “égua prenha”.

    Não resta dúvida: a tarifa subirá, dividendos se multiplicarão, empregos desaparecerão, bancos vão lucrar ainda mais, negociatas e acordos de acionistas de gaveta ocorrerão à luz do dia (ontem mesmo a revista Veja já noticiou negociatas desta natureza), bilionários ficarão mais bilionários, o custo Brasil subirá e o nosso país permanecerá cada vez mais desigual e com concentração de renda.

    O resultado da aprovação dos ministros do TCU ontem uniu dois irmãos gêmeos separados na maternidade: a política de preços da Petrobras e a descotização das usinas da Eletrobras. Lembramos que nos últimos anos o preço do combustível, gás de cozinha e energia elétrica subiu mais que o dobro da inflação e para o resto de 2022 e 2023 em diante está sendo armada uma bomba relógio tarifária.

    Imagem marcante do dia foi o tuite do ex-diretor geral da Aneel, André Pepitone, o mesmo que disse que a privatização da Eletrobras seria neutra do ponto de vista tarifário, com a mensagem “Exalto a minha gratidão ao Presidente Jair Bolsonaro por me confiar à honrosa missão de exercer a Diretoria Financeira de Itaipu”.

    Este é o retrato de uma agência reguladora capturada pelo Executivo que não consegue exercer o seu papel com independência e maestria, comprovando que o Estado Regulador, assim como a premissa de autorregulamentação dos mercados são duas tragédias brasileiras que fomentam discursos hipócritas de várias instituições da República.

    Aos diretores da Eletrobras: nós sabemos o que vocês fizeram no verão passado… Com esta vitória, imaginamos que o Indicador de Demandas da Capitalização – IDC, previsto na remuneração variável de cada um de vocês, permitirá que ganhem a premiação de doze salários, além dos salários fixos.

    Seguiremos na luta. Como dizia Darcy Ribeiro, “os meus fracassos são minhas vitórias, eu detestaria estar no lugar de quem me venceu”. Este é o sentimento de ontem: cabeça erguida dos derrotados e cabeça baixa e envergonhada dos vencedores.

    Por fim, agradecimentos aos trabalhadores e trabalhadoras, sindicalistas, intelectuais, estudantes, movimentos sociais, parlamentares, advogados, partidos que ainda estão travando o bom combate.

    Enquanto houver sol, haverá resistência! Compartilhe esse informe com os colegas! Juntos somos sempre mais fortes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.