Com apoio de 75% à democracia, Maia ratifica que “brasileiro não permitirá um retrocesso institucional”

Maia ponderou que a discussão já deveria ter sido superada

Isabella Macedo, Thiago Resende e Carolina Muniz
Folha

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou neste domingo, dia 28, que o resultado da pesquisa Datafolha de apoio recorde à democracia mostra que os brasileiros não permitirão “um retrocesso institucional” no país.

“Acordei hoje com o Datafolha mostrando que 75% dos brasileiros apoiam o regime democrático. Fico feliz e triste ao mesmo tempo. Feliz por ver que o brasileiro não permitirá um retrocesso institucional”, disse. Maia ponderou que o número também o entristece pois a discussão já deveria ter sido superada.

MAIS ADEQUADO – “Triste por ter que, em pleno século XXI, me preocupar com uma discussão que já deveria estar enterrada”, escreveu o presidente da Câmara em suas redes sociais. A pesquisa divulgada aponta que 75% dos entrevistados consideram o regime democrático o mais adequado. Em dezembro, última vez em que o instituto fez a pergunta aos entrevistados, 62% apoiavam a democracia.

Durante o ano, o presidente Jair Bolsonaro fez movimentos que pioraram a crise política no Brasil, em enfrentamento direto ao Congresso e ao Supremo Tribunal Federal.O índice de apoio à democracia é o maior desde 1989, ano em que o Datafolha incluiu a pergunta em suas pesquisas.

A maior diferença nos números da pesquisa anterior está entre os que antes respondiam que tanto faz uma democracia ou uma ditadura no país. O número caiu de 22% para 12%, a maior migração pró-democracia. A pesquisa foi feita entre os dias 23 e 24. O Datafolha ouviu 2.016 pessoas por telefone.

DITADURA – A líder do PSOL na Câmara, deputada Fernanda Melchionna (RS), comentou outro resultado do levantamento do Datafolha, que mostra que 78% dos brasileiros reconhecem que o regime militar instaurado em 1964 foi uma ditadura. “1964 foi o ano do Golpe Civil-Militar, que inaugurou um dos períodos mais sombrios da nossa história. 78% do povo reconhece e sabe do legado cruel de censura, genocídio indígena e tortura.”

A pesquisa mostra que 13% acham que não houve ditadura no país e outros 19% dizem não saber. O presidente Bolsonaro costuma elogiar ou minimizar o período ditatorial no Brasil. O Datafolha mostra que boa parte de seus apoiadores tendem a concordar com ele. Para 43% dos defensores de Bolsonaro, a ditadura deixou mais coisas positivas do que negativas para o país. Na população em geral, o índice cai para 25%.

João Doria, governador do estado de São Paulo, parabenizou a campanha da Folha em defesa do regime democrático e que resgata o amarelo das Diretas Já. Ele disse que a defesa da democracia no país une defensores da liberdade da paz e da Justiça.

AMEAÇAS – “A Folha de S.Paulo cumpre, mais uma vez, o melhor papel da imprensa livre, de alertar e criticar as ameaças à Constituição e a liberdade, patrocinadas por radicais extremistas”, afirmou sobre a campanha. Segundo ele, a “defesa permanente da democracia” é condição essencial das liberdades individual, econômica, política, cultural e da imprensa.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), também comentou os resultados do Datafolha. “Democracia vai além da participação nas eleições a cada dois anos. É participação, cobrança e permanente presença do cidadão no dia a dia. A manutenção da democracia é uma luta que transcende qualquer disputa entre partidos políticos. Ser democrata está acima da polarização entre esquerda e direita”, afirmou.

“A cidade de São Paulo sempre foi e será palco de respeito e diversidade de ideias. Foi assim no impeachment do Collor, da Dilma e tem sido nas manifestações pró e contra Bolsonaro”, completou.

LUTA PERMANENTE –  O prefeito ainda parabenizou a campanha da Folha. “Meu avô foi perseguido, preso e teve seu mandato cassado na época da ditadura militar, algo inadmissível a ser reproduzido”, afirmou, em referência ao ex-governador Mario Covas (PSDB).O ex-presidenciável Guilherme Boulos (PSOL) afirmou que a democracia brasileira está ameaçada e comentou a campanha da Folha. “Para nos lembrar de que a luta democrática é permanente. Não é só o direito ao voto. São liberdades e direitos sociais.”

O resultado da pesquisa do Datafolha, segundo ele, “mostra que o Brasil é muito melhor do que Bolsonaro” e que “o fascismo é minoria e será derrotado”. No STF (Supremo Tribunal Federal), o ministro Gilmar Mendes considerou extremamente importante os índices da pesquisa Datafolha.

“A democracia tem seus problemas, nós precisamos corrigir, mas é um governo de humanos. Precisa estar sempre em constante aperfeiçoamento, mas sua substituição por qualquer outra coisa sempre é pior”, disse o ministro.

ARES DEMOCRÁTICOS – O ministro Marco Aurélio Mello destacou que os números mostram que não há espaço para retrocesso no sistema democrático brasileiro. “Nós não somos saudosistas. Os ares, depois da Constituição de 1988, são ares democráticos e todos nós temos de estar engajados na defesa desses ares. A vontade é única, é a prevalência do regime democrático”.

Na análise do ministro, a pesquisa serve como uma espécie de aviso para um setor político que defende atos antidemocráticos. “É importante termos esse levantamento para avisarmos os desavisados quanto ao sentimento do povo brasileiro. É bom para os desavisados ficarem atentos”, disse.

15 thoughts on “Com apoio de 75% à democracia, Maia ratifica que “brasileiro não permitirá um retrocesso institucional”

  1. O comentário deste idiota e crápula conhecido, baseado na pesquisa da famigerada folha de papel higiênico, é dispensável e desprezível.
    Trata-se de um deputado em fim de mandato e de carreira, que, não deve ser reeleito, muito menos presidente da pocilga, câmara.

  2. “… governos se afundam no expontaneismo do mercado e do neoliberalismo.

    A grande perplexidade das classes dominantes atuais é ver que esses descendentes daqueles negros, indios e mestiços OUSEM PENSAR que este país é uma República que deve ser dirigida pela vontade deles como seu povo que são.”

    “O Brasil só é explicável historicamente…

    Como não há nenhuma garantia confiável de que a história venha a favorecer, amanhã, espontaneamente, os oprimidos; e há, ao contrário, legítimo temor de que, também no futuro, essas minorias dirigentes conformem e deformem o Brasil segundo seus interesses; torna-se tanto mais imperativa a tarefa de alcançar o máximo de lucidez para intervir eficazmente na história a fim de reverter essa tendência secular.”

    D. Ribeiro

  3. Retrocesso institucional… Isso se come? Só dá políticos scumbags, morons, shitheads nesse nosso país. Ponham a mão na massa, façam alguma coisa para aplacar a fome que maltrata a gente pobre da nossa pária-amada. Um dia podemos chegar ao tipping point em que a revolta não vai poder mais ser aplacada. “È preciso não esticar a corda ou chegaremos a situações imprevisíveis!”

  4. O percentual ainda assim é perigoso e apresenta uma ameaça acesa, que se move no interior da Democracia e do Estado de Direito.

    Isso porque, vamos lembrar, muitos regimes autoritários no mundo foram instaurados por minorias.

    Recordem o Iraque. Há algumas décadas atrás nas mãos da minoria sunita.
    O Afeganistão, nas mãos dos talibãs.

    É preciso enquadrar esses 25% saudosos ou desejosos por uma ruptura antidemocrática e adoção de um regime totalitário, ditatorial.

    • Prezado Sr. Leão da Montanha… Sua análise comparativa é sem base legal …Pois esse termo minoria é nitidamente ocidental pejorativista ..e nada serve de comparação para sua dedução que fizeste. Se fores a fundo na formação histórica destes dois paises que citastes verás que essa bobagem de “minorias” nunca existiu nestes paises ..isso é termo “colonialista” ..portanto meu caro pura bobagem . Ok.

      YAH SEJA LOUVADO SEMPRE ..

  5. Sejamos ..lógicos e racionais … A onde desde da fundação desta “republica canalha democratica” fomos “ardorosos’ defensores da “democracia” ? Que na minha opinião nunca existiu nem na Grécia…tão badalada pelos pseudos historiadores.

    Brasileiro ..não sabe nem em quem votou na sua última eleição..quanto mais ser um “defensor” da “democracia ou demoniocracia”.. (tudo igual ).
    Muitos dos Brasileiros ..só vão votar ..por que se não forem ” usar de seus direitos de cidadão” não RECEBEM suas aposentadorias ou as “migalhas” de assistencia financeira do tipo bolsa familia (???). Do contrário ..nem iriam perto de uma urna..ia me esquecendo ..muitos tb vão as “urnas da mentira” por que o “democratico ou demoniocratico” candidato lhe prometeu uma vaga para seu filho na escola ..ou um carro pipa para encher sua cisterna … HA..HA..HA..HA..

    E é nessa palhaçada demoniocratica que vamos empurrando com a barriga algo em torno de 150 milhões de miseráveis …verdadeiros “gados” nas mãos de canalhas do tipo deste Presidente da camara…Um pária degenerado .igual ao traira do seu pai..que foi um Judas contra o nosso querido LEONEL BRIZOLA… mas ai já é outra história destes canalhas “demoniocraticos” …

    YAH SEJA LOUVADO SEMPRE …

    • Eu sei em quem votei, quem foi eleito e quem não foi na última eleição.

      Sei em quem já votei nas anteriores, embora mais vagamente quanto mais distante.

      Com a Internet, não há desculpas!

      Hoje acompanho todos que não votei e foram eleitos pelo Twitter.
      Não necessariamente sigo a todos.
      Faço uma lista e insiro um a um.
      É a melhor coisa!

      Às vezes, no entanto, comento em cima de postagem do eleito, que não gosta e me bloqueia.

      Por enquanto nenhum Bolsonaro me bloqueou. Mas já fui pelo Minc – para minha surpresa, por exemplo, numa questão que discordei. E olha que no passado já votei nele – que perdeu, nunca mais voto!

      • Somente pela Educação, mas para além da educação de formação, uma de conscientização, faria com que o cidadão se sentisse responsável por seu destino de forma consciente e responsável.

        Veja a esculhambação que faz o eleitor do RJ. Só de exemplo a composição do Senado:
        – Romário
        – Arolde de Oliveira
        – Flávio Bolsonaro

        Não é de se esperar que a União sujeite o RJ a tudo que é de exigência para que o estado faça parte da recuperação fiscal, e ainda a mesma União retire do RJ vários órgãos federais sem compensação.

        Diria (grosseiramente) que o RJ parece a Alemanha perante à Liga das Nações…

  6. Carlos de Jesus tem razão nesse seu comentário irado contra essa nossa falsa democracia ou como ele a classifica, “demoniocracia”.

    Amanhã abordo esse assunto melhor, pois hoje preciso me recolher.

    Boa noite a todos.

  7. Vamos por partes:
    Jesus contestou um comentário do Leão, que estaria sem “base legal”.
    Não vou entrar nessa discussão, porém o que escreveu Leão sobre as minorias tomarem o poder, indiscutivelmente à base da força, Leão tem razão.

    No entanto, eu me dirigia ao comentário de Jesus, onde ele aborda a “demôniocracia”, que também admito ser o “regime” que nos tem governado após o período de exceção que tivemos.

    De fato, a reação do povo com relação à democracia inexiste!
    Somos feitos de fantoches e nada fazemos. Aceitamos ser roubados, explorados e manipulados, a ponto que admitimos obedecer e outorgar poderes sem qualquer protesto.

    Para que possamos dizer que vivemos em democracia, o primeiro passo seria a extinção da obrigatoriedade de votar.
    Depois, a liberação do país para quaisquer empreendimentos, inclusive cassinos, uma espécie de tabu nesse país e que tantos empregos impede que possam ser oferecidos a milhões de cidadãos desesperados por trabalho.
    Adiante, a permissão para compras de armas, quantas as pessoas quiserem adquirir, porém com uma advertência:
    PROIBIDO O PORTE!
    Somente em casa o sujeito pode ter um arsenal. Apontou no portão da casa armado é cadeia, e perde todas as armas que comprou, sem jamais poder adquirir depois uma funda ou bodoque ou estilingue.
    Também deveríamos ter candidaturas avulsas, sem que estejam ligadas a partidos políticos.

    Enfim, para se dizer que temos uma ampla democracia ou a verdadeira, o brasileiro está muito distante tanto da sua conceituação quanto da sua efetividade no país.

    Há um arremedo democrático, que agrada nossas autoridades pronunciarem a expressão “pleno estado democrático de direito”, uma falácia, se considerarmos que liberdade não temos, a começar pelo desrespeito da minha vontade de querer ir votar ou ficar em casa.

    Na verdade, tal obrigatoriedade tem como razão a manutenção da máquina eleitoral, outro elefante branco que temos que, além de não servir para nada, encontra-se a serviço de partidos políticos.
    Quem não foi votar e não justificou a ausência, multa.
    Obviamente os valores não são designados aos tribunais eleitorais e seus servidores, mas aos partidos políticos!
    Logo, é muito mais interessante o eleitor não ir votar, que dirigir-se à sua zona eleitoral e votar … nulo (grande piada do Brasil para o mundo)!

    Portanto, concordo com Jesus quanto à demonização da democracia no Brasil, ao mesmo tempo que admito que não temos tradição alguma como defensores da democracia, pelo contrário, jamais nos importamos com os períodos que tivemos, desde que a cerveja e o churrasquinho estivessem garantidos aos fins de semanas, acompanhados das peladas em campos de futebol sem grama alguma.

    Simplesmente o carnaval e o futebol são muito mais importantes que a política, educação, saúde e segurança.

    O meu abraço a ambos.
    Cuidem-se.

  8. O SENHOR RODRIGO MAIA NÃO TEM CACOETE DE ESTADISTA. ELE FALA DE DEMOCRACIA,MAS NÃO RESPEITA O MANDATO DO PRESIDENTE BOLSONARO,GANHO NAS URNAS. HIPOCRISIA MÁXIMA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *