Com as eleições, o Brasil saiu das trevas e se livrou do obscurantismo petista

Resultado de imagem para manifestação do PT

PT tenta transformar Lula em “perseguido político”

Percival Puggina

Bastou alguns membros do futuro governo fazerem referências espontâneas a Deus para um novo adjetivo ser acrescido aos que, de hábito, lhe são lançados. Houve gente que surtou, escandalizada. O governo de Bolsonaro, antes de assumir, já era acusado, em tom grave e teatral, ou a gritos histéricos, de ser misógino, machista, fascista, nazista, homofóbico e racista. Com as imperdoáveis menções a Deus, passou a ser injuriado, também, como obscurantista. Tem gente tão “empoderada” de si mesmo que não admite concorrência.

O que dirão é sabido. Doravante, aconteça o que acontecer, inclusive nada, dará vazão à descarga de adjetivos que marcou as incompetentes campanhas eleitorais dos candidatos Geraldo Alckmin e Fernando Haddad. O xingamento foi tanto que deu rebote. Primeiro derrubou o tucano e, depois, o petista. Tudo que é demais enjoa ou enoja.

ESTADO LAICO – Agora, é como se os derrotados do pleito de outubro estivessem a dizer: “Deus que não se meta com o Brasil. Aqui já o descartamos há bom tempo e os resultados são ótimos. Temos um estado laico que ainda vamos transformar em laicista e pusemos em curso um excepcional projeto de engenharia social que prescinde inteiramente de qualquer transcendência ou elevação acima da vulgaridade. Especialmente no terreno moral.

Nossos padrões de conduta evoluem naturalmente e a harmonia social está em plena construção. Perdemos, “logo”, a democracia está em risco. Voltaremos”. Credo!

Quando os opositores do futuro governo atribuem a ele caráter obscurantista, é como se dissessem que os longos anos de aplicação dos projetos de esquerda, com os governos do PSDB e do PT, nos tivessem erguido a um resplandecente iluminismo e a humanidade caminhasse, aqui, em direção ao nível mais alto a que se possa chegar pela estrada do saber.

DESCOLAMENTO – A que podemos atribuir, leitor amigo, tão nítido descolamento da realidade? Como pode alguém ufanar-se da mentira e da falsidade? Quando entenderão que a nação já os entendeu e disse – Basta! – ao descaminho em que se extraviou?

Tutelando-nos como tutelaram e confiando o Estado a consecutivos projetos errados, jogaram-nos nas trevas. Nas trevas das mais variadas formas de insegurança; das ruas tomadas pelas chagas do desemprego, da pobreza e da criminalidade; do endividamento público e privado; da ruína moral da corrupção; do recrutamento de nossa juventude pela ignorância, pelas drogas, pelas cracolândias e pelo crime. Obscurantismo é isso. E a isso não queremos voltar.

OBSCURANTISMO – Que estranho período de luzes teria sido esse, com nada menos soturno a apresentar, mas a proclamar-se ameaçado pelo “obscurantismo” do futuro governo? O que nos dizem de suas escolas? Do péssimo desempenho de nossos estudantes? De não termos uma sequer de nossas aparelhadas universidades entre as 200 melhores do mundo? Do atraso tecnológico e de ocuparmos lugares tão ruins em quaisquer rankings internacionais?

Não, não se trata de ir para trás, mas de recuperar o que se perdeu no caminho por onde nos trouxeram. Trata-se de não aceitar que uns poucos imponham a todos a obrigação de pensar, falar e tomar decisões segundo sua cartilha, vivendo como se Deus não existisse.

6 thoughts on “Com as eleições, o Brasil saiu das trevas e se livrou do obscurantismo petista

  1. Assim facilitaram Bolsonaro:

    1) “Lula 2018” lançado ainda em 2014 ajudou a inviabilizar segundo mandato de Dilma, pois ela conduzia país à abertura e Ciro Gomes seria o sucessor natural para um novo ciclo de desenvolvimento.

    2) A direita usa Lula num processo golpista, com STF e tudo, arranca a presidente do poder e poucos dias depois os senadores lulistas ajudam Renan Calheiros a voltar assegurando a PEC do Teto e apóiam Eunício Oliveira para o comando do Senado supondo que tudo estaria resolvido.

    3) Meirelles ganha a Fazenda com carta branca (como Lula propunha à Dilma) e o MDB faz alianças formais com o PT na maioria dos estados, visando impulsionar Haddad, mas no segundo turno Temer define por Bolsonaro traindo o interesse de Lula no acordão.

    FATO (28/06/2016): Dilma ainda estaria na presidência da República, se ouvissem Ciro Gomes: “Hoje, não enxergo motivos para uma prisão de Lula, embora eu esteja muito irritado com sua frouxidão moral. É obra dele a criação dessa linha sucessória que ai está. Quem criou esse monstro Eduardo Cunha foi Lula”. https://oglobo.globo.com/brasil/ciro-sugere-sequestrar-lula-ate-uma-embaixada-se-prisao-for-decretada-19596097

  2. “Os homens mudam de governantes com grande facilidade, esperando sempre uma melhoria. Essa esperança os leva a se levantar em armas contra os atuais. E isto é um engano, pois a experiência demonstra mais tarde que a mudança foi para pior”. Maquiavel

  3. O fato é que o Novo Brasil de Verdade, original, puro (RPL-PNBC-DD-ME ), tal seja o projeto novo e alternativo de política e de nação, que não quis golpear o PT em Junho de 2013, não obstante com a Revolução Redentora nas ruas do país, aos gritos de sem partidos, sem partidos, vocês não nos representam, preferiu buscar o caminho das urnas para chegar lá em 2014 e 2018, via PSOL, para que não houvesse dúvidas em relação ao necessário e possível novo Trem da História, mas nas duas tentativas foi barrado pelo PSOL, que, sem humildade, sem altivez, sem desprendimento e sem noção do que estava por vir, preferiu reduzir-se à miserável e infeliz condição de linha auxiliar de puxadinho do PT, com Luciana Genro em 2014 e Boulos em 2018, plantado no PSOL pelo PT, enquanto fiel escudeiro do Lula. Daí, deu no que deu em 2014 e 2018, zebra total, dois novos fakes, ou dois impostores políticos temporais, ou charlatões políticos da ora cavalgando o novo momento histórico, Temer em 2016 e Bolsonaro em 2018, sem nenhum contraponto partidário em condições de desmarcara-los, bola que havia sido cantada com bastante antecedência, mas que diante dela PT, PCdoB, PSOL e PDT, fizeram-se de avestruzes, daí o castigo, e o mico que 150 milhões de brasileiros estão sendo obrigados a pagar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *