Com Diego no time, o Flamengo joga o futebol-arte que desequilibra qualquer partida

Resultado de imagem para flamengo e al hilal

O atacante Bruno Henrique. de cabeça, marcou 2 a 1 para o Flamengo

Carlos Newton

Conforme já comentamos na vitória sobre o River Plate, o meia armador Diego se tornou a arma secreta do técnico Jorge Jesus. Quando entra em campo, é para decidir, dá uma outra personalidade ao time, uma coisa impressionante. Na partida contra o experiente River Plate, Diego só entrou no segundo tempo porque o titular Gérson se contundiu. Mas nesta terça-feira, na semifinal contra o Al Hilal, Jesus teve de apelar novamente para Diego, que mudou o andamento do time, mais uma vez.

No jogo contra a equipe argentina, o desempate veio com um inacreditável passe de Diego que estava lá atrás, na defesa, e fez o lançamento de 40 jardas, como se dizia antigamente, para Gabigol decidir a partida no minuto final.

NOVAMENTE DIEGO -Agora, contra o time saudita, a semifinal foi novamente decidida por Diego. Aos 31 minutos, o experiente armador colocou Al-Shahrani para dançar no meio de campo e foi derrubado pelo lateral saudita. Cobrada a falta, logo em seguida, aos 32 minutos, Diego fez um excelente lançamento na ponta direita, para Rafinha centrar com perfeição na primeira trave e Bruno Henrique subir sozinho e testar forte para o fundo das redes.

Três minutos depois, aos 35 minutos, Diego recebe passe de Arrascaeta, lança na área pela esquerda e Bruno Henrique cruza rasteiro para Gabigol marcar fazer mais um, porém Al-Bulayhi se antecipou ao goleador rubro-negro, tentou cortar e mandou a bola contra o seu próprio gol.

Fim de papo, a partir daí o Flamengo se impôs e colocou o Al Hilal na roda, enquanto a torcida rubro-negra ia à loucura, mostrando aos sauditas um espetáculo à parte.

Agora, vamos à final, e haja coração.

###
P.S.-
Não esqueci de você, não, João Saldanha, o João Sem Medo, como era chamado por Nelson Rodrigues. Você ia adorar esse jogo, amigo. Futebol tem dessas coisas, e vida que segue. (C.N.)

21 thoughts on “Com Diego no time, o Flamengo joga o futebol-arte que desequilibra qualquer partida

  1. O Flamengo e um clube comprovadamente envolvido em manipulacoes de resultados, como provou o caso das papeletas amarelas. O que se fez de ilegal no passado, nos dias de hoje essas maquinacoes foram aperfeicoadas. E mesmo assim tem brasileiros que torcem pelo Flamengo! Corrupcao boa e aquela que me favorece, nao e mesmo?

  2. O Renato, não exagera….

    Se alguém falar que técnico Jorge Jesus,prática futebol moderno e inventou o ovo Colombo,direi que é mentira…

    Rubens Mineli,multi campeão pelo Internacional/São Paulo. Cilinho, Ênio Andrade,Jair Picceni-Sao Caetano; Tio Fontone- Vasco/Grêmio. Renato Gaúcho, todo s mandava jogar sob pressão,hoje é marcação alta..(ataque),

    Todo esquema de jogo depende das peças que Tu tens.

    Seja no ataque,ou esperando o adversário na defesa.

    Sem tirar o brilho do Português,os técnicos Brasileiros são bons..

    Ah, depende também dos cartolas que ganham comissão na compra e vende de jogadores,e exige do técnico que o escale no time principal..

    Mas esse sub mundo do futebol,que é igual a política, deixamos para dissecar em outro momento.

  3. Costumo dizer que no futebol precisa-se de sorte também, se o Gerson não se machuca, talvez JJ, na´colocasse o Diego, que considero melhor que o Gerson.
    Costumo dizer também que jogador de futebol não é máquina. O Al Hilal jogou contra o Flamengo da mesma forma que o River Plate: parte do primeiro tempo, marcando forte para não deixar o Flamengo jogar na base da correria, no decorrer do jogo cansam e da metade do segundo tempo em diante prevalece a técnica dos jogadores.

  4. Discordo quanto ao River, que conseguiu dar um nó no time do Flamengo por 88 minutos.
    Só que deram mole no final e foi sorte pro Flamengo, nesta partida, o time não jogou nada.
    Azar do River e méritos pro Flamengo.
    Atenciosamente.

  5. Foi uma tremenda pelada. O flamengo jogou tão ruim diante de um adversário mediocre, que merecia perder. Ninguém se iluda, o flamengo encanta, nem tanto , dentro da America Latina. Se jogar tão mal assim, com o Liverpool, máquina de chuteiras de moer adversário, levará uma peia inesquecível. Mais: atrevo dizer que caso o timaço inglês abra o placar, dificilmente o flamengo terá competência para virar o jogo e o resultado. Lambari é pescado, jogo é jogado. Ilusão dizer que o flamengo depois de ganhar do time árabe, ficou livre das fortes tensões e pressões. Elas permanecem e em piores escalas.

  6. Se fosse Jesus de verdade se consideraria impedido, por saber das fraquezas (confessadas ao técnico) dos outros atletas.
    O verdadeiro Jesus vai ensinar com um tombo de 4×1.

Deixe uma resposta para vicente limongi netto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *