Com Dilma na frente, Lula precisa menos do PMDB

Pedro do Coutto

Pesquisa Vox Populi, divulgada pelo Jornal da Band na noite de sábado e publicada em O Globo de domingo, revela que, pela primeira vez na campanha pela presidência, Dilma Roussef ultrapassou José Serra, alcançando 38% das intenções contra 35%  do candidato das oposições. Marina Silva registrou 8 pontos.

Um dado importante do levantamento é que ele foi encerrado na tarde de 13, portanto antes do espaço eleitoral do PT na TV estrelado exclusivamente por Lula e Dilma, lado a lado. O programa infringiu a lei eleitoral, como se sabe, mas foi muito bem produzido com uma comunicação magnífica do presidente da República. A próxima pesquisa, creio eu, vai acentuar uma diferença maior para Roussef. Consequência natural do programa levado ao ar em rede nacional de TV e rádio. Não se pode brigar coma realidade. Não adianta. O resultado da pesquisa funciona para ressaltar dois fatos.

O primeiro que, na medida em que Dilma avança e ultrapassa o adversário a quatro meses e meio das eleições, Luis Inácio da Silva, Dilma Roussef e o PT passam a precisar menos do PMDB, do PSB e do PC do B. Antes do Vox Populi de sábado, Lula vinha buscando apoios. Agora ele oferece perspectiva de vitória talvez até no primeiro turno. Isso porque à medida que as urnas se aproximam, Marina Silva, que não possui a menor chance, vai descer ao patamar de 8 para um de no máximo 5 pontos.

O segundo fato demonstra que a estratégia de Serra em elogiar o presidente Lula não funciona na prática. Ele, em minha opinião e na opinião de minha mulher Elena, recuou em consequência de dois episódios: os ataques que dirigiu ao Banco Central, ao Mercosul, à construção da usina de Belo Monte e à política de juros, descontrolando-se durante entrevista à Rádio CBN, ao receber uma pergunta da jornalista Miriam Leitão, e por ter afirmado sobre a questão do aumento dos aposentados que estava de acordo com a decisão final de Lula, embora sem saber qual será. Assinou um cheque em branco. Pegou mal isso. Foi um jato frio no entusiasmo dos que se colocam na posição do governo. Como Serra pode ser o candidato da oposição, se ele não faz oposição?

Comparando-se a pesquisa em tela com a anterior, na fase inicial do ano, verifica-se que Dilma subiu 9 degraus, Serra desceu 3, Marina ficou onde estava. Mas no cenário anterior do Vox Populi, Ciro Gomes aparecia com 9%. Quer dizer, Roussef arrebatou 6 dos 9 pontos de Ciro e mais 3 do próprio Serra, já que o número de indecisos e dos que hoje dizem que vão anular o voto permaneceu na escala (alta) de 19%. Vai baixar e provavelmente cai para 7 ou 8%.

Entretanto, o que pior aconteceu com Serra foi ter perdido 3 de seus pontos para sua adversária. Estes 3 significam 6, portanto. Além disso, esta atual pesquisa do Vox Populi acusa uma progressão de 12 andares para Dilma.. Basta olhar os números com atenção.

No final da semana passada, a repórter Adriana Vasconcelos publicou matéria no O Globo dizendo que Aécio Neves está propenso a reexaminar sua  posição de ser o vice de Serra. Motivo, a fraqueza da candidatura Antonio Anastasia ao governo de Minas. Isso seria uma contradição. Porque disputando o Senado, Aécio tem condições de ajudar mais o atual governador. E agora com a pesquisa Vox Populi, Aécio, garantido para o Senado – é claro – não deve mudar de posição. Não trocará o certo pelo duvidoso.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *