Com entrada de Moro e Pacheco, a terceira via já tem 11 candidatos para 2022

Terceira via - Charge - Estado de Minas

Charge do Laerte (Folha)

Lauriberto Pompeu, Daniel Weterman e Marcelo de Moraes Estadão

O Podemos já prepara uma cerimônia para marcar a filiação do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro ao partido. O ex-juiz da Operação Lava Jato deve sacramentar o ingresso na sigla em 10 de novembro. A decisão de Moro de estrear na política partidária e o anúncio da filiação do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, ao PSD, ampliaram o cenário de potenciais pré-candidatos à sucessão do presidente Jair Bolsonaro, em 2022, na chamada terceira via.

No campo expandido do centro político já há 11 nomes que postulam ou são indicados como possíveis candidatos para quebrar a polarização entre Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no ano que vem.

FIM DO CONTRATO – No caso de Moro, o assunto é tratado com reserva, já que ele ainda é consultor da Alvarez & Marsal e mora nos Estados Unidos. O contrato, porém, termina no fim deste mês e, a partir daí, a entrada do ex-ministro na política partidária poderá ser oficializada.

Pacheco, por sua vez, já anunciou a saída do DEM e vai se filiar ao PSD do ex-ministro Gilberto Kassab na próxima quarta-feira. Nem Moro nem o presidente do Senado bateram o martelo sobre a candidatura ao Planalto, mas todas as conversas se desenrolam nesse sentido, inclusive com a procura de vices para possíveis chapas.

O ex-juiz da Lava Jato tem ainda no radar uma vaga no Senado – ele poderia concorrer por São Paulo ou pelo Paraná.

TERCEIRA VIA – No cenário atual, não apenas uma ala da política como representantes do mercado financeiro estão à procura de um nome que possa se contrapor à polarização entre Bolsonaro e Lula. “É muito importante que haja uma união do centro para que isso possa ocorrer, para que haja um único candidato mais forte”, disse em entrevista ao Estadão o banqueiro Roberto Setubal, copresidente do Conselho de Administração do Itaú Unibanco.

Em pesquisa do Ipec divulgada em setembro, em um cenário com dez nomes, Moro aparece com 5%. Lula lidera todos os levantamentos e Bolsonaro, acuado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid – que recomendou seu indiciamento em nove condutas criminosas –, vem perdendo cada vez mais popularidade diante de uma sucessão de crises, que vão da política à economia.

Além da filiação de Moro, outra definição importante ocorrerá em novembro. Trata-se do resultado das prévias do PSDB que vão escolher o pré-candidato do partido à Presidência. Os concorrentes são os governadores João Doria (SP) e Eduardo Leite (RS) e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio. O PSDB integra o grupo de nove partidos de espectro político de centro que têm se reunido na tentativa de construir uma chapa única ao Planalto.

PREFIRO CIRO – De todas as legendas que se movimentam para construir uma alternativa a Bolsonaro e a Lula, porém, a única que não admite mudança de candidato é o PDT. O partido vai lançar Ciro Gomes (PDT) e está em busca de um vice. Nesta sexta-feira, 22, o PDT projetou em prédios de São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Salvador, Belém e Porto Alegre a nova marca da campanha, intitulada “Prefiro Ciro”.

A lista dos 11 potenciais pré-candidatos da terceira via à eleição presidencial de 2022 inclui, ainda, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), os senadores Alessandro Vieira (Cidadania) e Simone Tebet (MDB), o jornalista e apresentador de TV José Luiz Datena (PSL) e o cientista político Luiz Felipe d’Ávila (Novo).

8 thoughts on “Com entrada de Moro e Pacheco, a terceira via já tem 11 candidatos para 2022

  1. Se Collor e Bolsonaro conseguiram, qualquer aventureiro tem condições de vencer. Claro que deverá apoiar se na mídia e em mentiras. Muitas e fantasiosas promessas.
    Mas depois sempre acharão culpados pelo fracasso.

  2. Estamos numa democracia, então, podem se candidatar à vontade. Mas, é importante ter conteúdo! Somente aparência e “nome” não servem ao que aos anseios legítimos do país.

  3. A entrada do Moro na corrida presidencial fará que com que o número de indecisos decida por ele. O fim da Lava jato jogou muita gente na turma do “não voto em nenhum destes caras aí”, mas vota no Moro. Os 5% vão pelo menos dobrar, aí a lâmpada vermelha vai acender nos painéis do Luladrão e do mito. E na do cangaCiro e demais concorrentes. O ano vai terminar e a virada pode fazer os prognósticos virarem também. Duvido muito que o Moro vá se candidatar ao Senado, é uma casa de velhos que nada decidem.

  4. 1) Deve ser bom ser Presidente da República:

    2) Ganha bem, todo dia nas mídias, uns amam outros não.

    3) Não gasta quase nada pois tudo é pago pelo sistema. E ainda fazem quase tudo para se reelegerem.

    4) Os eleitores? Ora, isso é o de menos…

  5. AQUELE que ele$ excluíram é a solução contra a enganação dele$. A pedra excluída pela problemática é a pedra da solucionática. Todos e todas mais dos me$mo$, mais problema, mais confusão, mais perda de tempo e nada de Solução que é o que interessa ao conjunto da população que não aguenta mais tanta enganação. A EVOLUÇÃO, RPL-PNBC-DD-ME, a MEGA-SOLUÇÃO, era a sucessora natural do fim do ciclo de poder do lulopetismo que, consciente ou inconscientemente, levou a república federativa tipo bomba-relógio ao limite máximo, em todos os aspectos e sentidos, inclusive no quesito corrupção. Não havia outra saída alvissareira para a dita-cuja senão a Evolução, a transformação em algo mais amplo, tipo confederação, no embalo econômico e social. Todavia, ao invés de se jogar para frente, para o futuro, para mares nunca dantes navegado, a ignorância oportunista, malandra, medrosa, covarde, idiota, optou pelo retrocesso, saltou para trás, para a morte, para a explosão da dita-cuja que está prestes a acontecer nas mãos sujas do bolsonarismo, ou sucessor, caso não optemos pela evolução, antes tarde do que nunca, porque as medidas têm que acompanhar os fatos, a força tem que aumentar em proporção à carga e quando não há mais forças faz-se necessário o uso de alavancas como nos ensinou Arquimedes: “Dê-me uma alavanca e um ponto de apoio e eu moverei, e levantarei, o mundo”. ATÉ POR ISSO, IMPERDÍVEL A ENTREVISTA ABAIXO. “Camarada” Sheherazade voltou com tudo da Suíça, com as baterias recarregadas, arrasadora, felina, deve ter sido os voos livres de parapente que a deixaram ainda melhor do que antes. Não poderia ter escolhido entrevistado melhor para o novo ciclo de entrevistas, pós Suíça. Parabéns, pela entrevista completa que, com jeitinho, conseguiu arrancar tudo do Chanceler Celso Amorim, as “Joias da Coroa”, o “Ouro de Moscou”, as “Muralhas da China”, a “Estátua da Liberdade”…, inserindo tudo numa só entrevista, arrasou. https://www.youtube.com/watch?v=5sPZGDYBjyk

  6. É impressionante como quase toda semana aparece mais um candidato dito de terceira via, boa parte deles pouco ou nada conhecida do eleitorado. Alguns presumivelmente só pra aparecer, outros só pelas verbas do fundo eleitoral.

  7. Como eleitor do Bolsonaro estou apreciando essa movimentação toda com a Terceira Via.
    Vai pulverizar a votação e dividir e Lula não vai gostar. Estou gostando de ver os Cavaleiros de Granada.
    A Tribuna da Internet ainda vai ter gastar muito verbo no próximo mandato do Bolsonaro, vai, como sempre meter a ripa na cacunda do homem que tem o couro grosso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *