Com imagem de “indignado”, o PDT procura amenizar rompantes de Ciro

Ciro Gomes diz que não será um “presidente fraco”

Jussara Soares e Luís Lima
O Globo

O pavio curto e a língua ferina do presidenciável Ciro Gomes (PDT) começaram a ser trabalhados dentro do partido numa tentativa de amenizar o estrago que os rompantes provocam na imagem do pré-candidato à Presidência. A estratégia é amenizar os ataques de ira protagonizados pelo presidenciável e, assim, tentar tratar como indignação de um cidadão comum episódios que os opositores classificam como atos de desequilíbrio.

Um vídeo de 30 segundos divulgado anteontem nas redes sociais antecipa o tom que deve ser usado para rebater as críticas na campanha. A publicação feita a partir de uma sequência de fotos e legendas destaca que “Ciro é indignado” e “não se conforma com a corrupção e as injustiças.” O objetivo da campanha é claro: que os ataques a políticos e também a cidadãos anônimos sejam entendidos como vontade de mudar o cenário político atual.

CAMPANHA — “Ciro está preparado para encarar a campanha, uma gestão de quatro anos, em um momento em que o povo brasileiro também está indignado. Então, talvez, essa indignação seja reflexo do povo com a situação do novo país” — diz o líder do PDT na Câmara, André Figueiredo, do Ceará.

Presidente do PDT, Carlos Lupi afirma que explorar a indignação de Ciro é uma forma de exaltar a imagem do político com autoridade para comandar o país.

“Mais do que nunca, o Brasil necessita de alguém que tem experiência, vida limpa e coragem para fazer o enfrentamento. Não é com hipocrisia, palavra bonita, para agradar fulano ou beltrano, mas com clareza e falando o que acha que está correto” — diz Lupi.

ARTIFÍCIO – Não é a primeira vez que a indignação é usada como artificio para tentar justificar o perfil intempestivo do pré-candidato. Em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, em maio, Ciro admitiu que está se esforçando para não ceder aos seus impulsos.

“As pessoas acham que eu sou exagerado. Estão ferrando nossa pátria. Para mim, criminoso é quem se omite, quem não denuncia, quem fica colocando pano morno a pretexto que a gente tem que ter uma linguagem elegante, aristocrática. Estou até me esforçando. Não é possível que vocês não reconheçam isso, que estou falando com palavras mais afirmadas” — justificou.

PROCESSOS – O pedetista, que já declarou não ser “candidato a madre superiora de convento”, coleciona controvérsias e pelo menos 99 processos por indenizações ou crimes contra a honra por causa da agressividade nos discursos.

Um dos episódios mais recentes ocorreu em junho, quando chamou o vereador paulista Fernando Holiday (DEM), um dos líderes do Movimento Brasil Livre, de “capitãozinho do mato.” Também recentemente, encerrou intempestivamente sua participação num congresso, diante de vaias, e também foi vaiado ao criticar a reforma trabalhista para uma plateia de empresários em Brasília.

“Pois é, vai ser assim mesmo, se quiserem um presidente fraco, escolham um desses com conversa fiada aqui para vocês” — reagiu, na ocasião.

ANTIBOLSONARO – A artilharia verborrágica do pedetista tem mirado principalmente o deputado federal Jair Bolsonaro, pré-candidato pelo PSL. Ciro o chamou de “boçal”, “maluco” e “câncer a ser extirpado.”

Na avaliação de Cid Gomes, irmão de Ciro e um dos coordenadores da pré-campanha, a resposta às críticas ao temperamento imprevisível é a própria biografia do pré-candidato. “(Ciro) Já ocupou diversas funções na política. E em toda a sua trajetória, de 38 anos, não se envolveu em um ato ilícito sequer”.

36 thoughts on “Com imagem de “indignado”, o PDT procura amenizar rompantes de Ciro

  1. Enquanto o Ciro tiver como meta atacar o Bolsonaro, vai continuar sendo o mesmo de sempre, sem qualquer objetivo. Queremos clareza das propostas e que não minta, muito.

  2. Ciro deve continuar como está, não deve mudar nada na sua campanha nem em seu comportamento, assim já economiza muito para o pais evitando um segundo turno, mas se mudar de comportamento e atitudes vai comprovar que é um vira folha safado, então se corre o bicho pega se ficar o bicho come, não vai ter segundo turno e pronto.
    Pra quem já teve dois mula e uma besta e meia no poder um cavalo é avanço.

  3. Assisti a uma análise sobre a entrevista do Ciro Gomes ao Programa Roda Viva.

    Segundo essa análise, apesar de intempestivo, Ciro é um candidato desconexo, não fala coisa com coisa.

    Em cada declaração ou trecho de sua entrevista o analista demonstrou essa situação.

    O problema do Ciro Gomes é que ele quer parecer um candidato da esquerda sendo que sua História mostra mais um candidato da direita, embora destemperado.

    O que acontece é que Ciro é de esquerda prá quem apoia Bolsonaro e de direita prá quem apoia Lula, Guilherme Boulos ou Manuela D’Ávila.

    Acaba desagradando todos os lados, pois esquerdistas e direita vivem produzindo vídeos atacando o candidato no Youtube.

    Ele começou sua carreira política no PDS, passou pelo PSDB e é ligado ao senador Tasso Jereissati. Ao todo foram 7 partidos, nenhum considerado de esquerda.

    Talvez as críticas de Ciro Gomes ao FHC e também à condução do Plano Real, parte corrupta do PMDB e suas relações amistosas com o PT tenham feito com que parte do eleitorado o perceba como sendo de esquerda, o que nunca foi.

    O problema do próximo governante não é quem vai ser nem mesmo o modo como se relacionará com o Congresso e sim a absoluta falta de recursos em que vive os governos em todas as suas esferas, federal, estaduais e municipais.

    Se as pessoas querem apoiar um candidato que seja pelas razões corretas.

    O problema é que muitas pessoas se iludem com discursos que não correspondem à realidade.

    Para comentarmos hoje questões como essa, infelizmente temos que usar pseudônimos. No Brasil criou-se um radicalismo, seja de esquerda ou direita, que não permite o debate de idéias e sim doutrinação.

    • Voce que nao diz nada com nada. Essa baboseira de esquerda-direita. O cara tem curriculo, tem historia e experiencia de sobra. Pode buscar centenas de videos onde ele mostra ao povo brasileiro os deslizes dos governos FHC, e PT. Ele e candidato a governar o Brasil, e nao a responder perguntas tolas ao jornalismo.

      • Responder perguntas aos jornalistas significa se posicionar perante toda a opinião pública, e não apenas aos jornalistas. É impressionante que uma pessoa supostamente bem informada não entenda isso.

  4. A grande questão é por que os candidatos ao Planalto são tão contestados?

    Escrevi anteriormente que seria vencedor aquele que fosse egresso fora do meio político, pois extremamente desgastado não teria como solucionar os problemas que o próprio Legislativo havia criado.

    No entanto, o quadro é somente de pessoas que sempre fizeram parte dessa política abjeta, deletéria, corrupta e inútil!

    Consequentemente, Bolsonaro, Ciro, Marina, Alckmin, Álvaro Dias, os preferidos pelas pesquisas e não nessa ordem são originários do Poder que não mais acreditamos, que repudiamos, que só nos explora e rouba sempre!

    As críticas aos candidatos se tornam até mesmo desnecessárias, pelo fato de que não merecem elogios, não são reconhecidos como competentes, não são aceitos pelo povo como a solução que espera e precisa.

    Então Bolsonaro é ofendido; Ciro é agredido; Marina é mal conceituada; Álvaro Dias é desprezado; Alckmin não presta.

    Mas, um desses que detestamos será eleito, desgraçadamente, e teremos a repetição do país dividido como sempre foi objetivo petista.

    Não só terá de enfrentar um Congresso de venais, corrupto, um balcão de negócios, como se não atender aos parlamentares em suas vaidades e egoísmos, o impeachment será inevitável!

    E outra crise se instalará no Brasil, punindo o povo porque votou em um incompetente, quanto não havia outra escolha para ser feita!

    Volto a frisar:
    Ainda há tempo para um candidato que não seja político, que não traga consigo o ranço de um poder imoral e antiético, o Legislativo.

  5. Tem razão, portanto, aquele que diz que deveremos escolher “o menos ruim”, como se a sina do brasileiro fosse esta, de escolher permanentemente um péssimo governante porque foi o que sobrou!

    Tá na hora de mudar esta situação de penúria eleitoral, de candidatos mal intencionados, ladrões, corruptos, incompetentes …

    A sociedade deve decidir e pedir aos honestos ou bem intencionados que se candidatem.

    Cabe aos partidos políticos a responsabilidade de peneirarem os candidatos, de apresentarem uma nominata decente, de pessoas que reúnam um mínimo de capacidade e credibilidade junto ao eleitor.

  6. Não tenho candidato nessas eleições, contudo há um aspecto que difere o Ciro Gomes nas entrevistas que é o seu conhecimento sobre os assuntos, já que foi Ministro da Fazenda de Itamar Franco no lançamento do Plano Real.

    Jair Bolsonaro está mais afeito a questões de moralidade e anti-corrupção. Nas entrevistas ele já declarou que quem fala é o Paulo Guedes, economista considerado ultra-liberal.

    Não tenho opinião sobre Alckmin e Marina. Inclusive nesta Tribuna não ouço qualquer comentarista falar sobre o que pensam.

    Numa situação de radicalização como a que vivemos Ciro e Bolsonaro são os mais prováveis candidatos ao segundo turno e vai ser uma situação difícil pois há pouco tempo não eram adversários diretos e até falavam bem um do outro.

    De qualquer forma, temos ainda de considerar o fator Lula e até mesmo a influência de outras candidaturas.

    Não é possível a intempestividade no Governo, pois como fica a relação com o Congresso?

    A única certeza que podemos ter é que qualquer governo que suceda o atual continuará a ter grande rejeição do povo brasileiro, pois a situação atual não é reversível a curto prazo.

    • O próximo governo terá duas opções. Ou aplica as medidas econômicas necessárias e perde o apoio do congresso na primeira semana ou dá uma guinada para a esquerda e transforma o Brasil em uma nova Venezuela. O populismo vai falar alto e nós, os pagadores de impostos vamos ficar cada vez mais pobres. Esperança, nenhuma. Num país onde todo o mundo quer um cargo no governo e esta é a meta da maioria dos jovens, quem realmente vai produzir alguma coisa? Governos não são fonte de riqueza e sim de desperdício pois tudo o que o governo entrega para a população custa três vezes mais do que vale. Então, o Borges tem toda a razão pois a situação atual não é reversível a curto prazo.

        • Paulo2,

          Responde ao Roberto Ilia, por favor.
          Se não quiseres, peço a tua permissão para tal, pois até para um leigo e semianalfabeto como eu é fácil!

          • O FMI ainda não se pronunciou sobre as nossas dívidas … recentemente, chamou a atenção dos EUA … pois, Trump está seguindo a cartilha de FHC, Lula e dona Dilma – GOVERNAR É FAZER DÍVIDAS kkk KKK kkk

  7. Se o próximo presidente não terá condições de reverter o caos que nos encontramos, as eleições serão apenas gasto de dinheiro que não se tem!!!

    Se quisermos mesmo mudanças e reformas, elas não serão feitas pelo governo e parlamento, logo, fora da intervenção militar não há solução!

    Adiar a crise brasileira com a falsa esperança que o novo presidente trará a esperança, e o impulso para sairmos desse atoleiro, trata-se de utopia, de miragem.

    Portanto, devemos deixar de discutir candidatos para debatermos uma forma de governo que não seja esta de sempre, que nos tem manipulado para que o sistema permaneça, de sustentarmos três poderes que nos exploram e nada fazem em nosso benefício e desenvolvimento para o país!

    De certa maneira estou com a razão:
    Se os atuais candidatos serão incompetentes e incapazes de reverter a crise que nos encontramos, e não existindo um nome que agregue confiança e esperança, que as FFAA intervenham de uma vez, pois se continuarem assistindo irresponsavelmente a destruição do Brasil e a miséria do povo, os militares estão sendo sádicos e torturadores!!!

    • S.r. Bendl, tem solução sim e longo prazo, mas para começar a mudança não tem como ser com atual sistema ou melhor esquerda. Repara que a fonte que diz que não tem solução é os mesmos que votam no Ciro, Marina e outros de viés esquerda. Caso venha um fora desse ciclo podemos sim ter uma forte guinada que ao longo de dez anos a esquerda vai ser reduzida e muito com seus eleitores.

      • Alex, RJ,

        O problema, meu caro, diz respeito se o povo suportará esta longa espera para o país melhorar.

        E, se o presidente eleito, tiver consigo esta intenção de mudar o Brasil, caso contrário continuaremos nesse caos, que se agravará a cada dia.

        Portanto, de modo que o povo tenha condições de esperar por condições melhores, ele precisa urgentemente de atenção, de salário mínimo melhor, de professores com vencimentos decentes e não esmolas, da mesma forma os proventos dos policiais.

        E que se termine com a impunidade, metendo na cadeia os ladrões conhecidos de todos nós.

        Abração.

  8. Agora, devemos contestar e veementemente, que as providências que devem ser tomadas sejam amargas somente contra nós, o povo!

    E eles, nada?!

    Os Três Poderes continuarão a navegar em mares calmos e a voarem em céus de brigadeiros?!

    Salários e penduricalhos, indenizações e regalias, cada vez maiores e pagas com sangue, suor e lágrimas, enquanto padecemos vivendo com proventos miseráveis, aquém da necessidade básica de um ser humano??!!

    Ora não estaríamos elegendo um governo, mas algozes, verdugos!!!

    Nessas alturas, se a intervenção não existir e o povo continuar desempregado e inadimplente, pagando juros extorsivos e recebendo um salário mínimo aviltante, volto a frisar e repetir:
    ÀS ARMAS!!!

    Morrer de graça, não.

    Morrer pela violência exacerbada e fora de controle;
    morrer porque a saúde pública esta deteriorada;
    morrer porque as estradas não têm manutenção, cuidados e fiscalização;
    morrer porque não se tem dinheiro para comprar alimentos e remédios;
    DE FORMA ALGUMA!!!

    Justamente porque a realidade aponta que será assim ano que vem, o PT esfrega as mãos.

    Corrupção, roubo, desonestidade no governo, exploração … comportamento natural dos petistas, mas o povo tendo emprego e podendo comprar alimentos e medicamentos, Lula voltará nos braços do povo, mesmo sendo ilusão esta inclusão social cujo resultado é este que está aí!

    Basta de se exigir do povo sacrifícios, pois esses devem ser estendidos a todos os brasileiros, indistintamente.

    Mais opressão, mais impostos, mais penúria, então que venha a tal revolução tão esperada e aguardada pela esquerda, pois os militares permitirão esse final catastrófico para o país porque passivos e criminosamente alheios à realidade!

  9. Ciro Gomes já foi o que nunca foi, conhecido como capacitado, e parece que vai terminar no ostracismo político. Não evoluiu o pensamento político e mundo, está estacionado no muro de Berlim.

  10. Boa Tarde Bendl,

    Este comentário vem ao encontro de tudo que tenho escrito aqui, inclusive nos vários que escrevi hoje.

    A parcela com gastos para rolagem da dívida – que é crescente todos os anos – ocupa mais da metade do Orçamento da União e não está sujeita à PEC do Teto, portanto, o próximo OGU a ser divulgado em agosto deverá retirar recursos de muitos setores.

    O artigo do Carlos Newton ontem afirmou que nenhum governo reverte a situação atual. Muito pelo contrário, acredita-se no aprofundamento da crise pela absoluta falta de recursos e a pressão dos mercados financeiros.

    Vivemos em déficit primário desde 2014. Não se consegue cortar gastos e é muito difícil aumentar impostos e a arrecadação em geral.

    Os assessores econômicos de todos os candidatos só falam em corte de gastos, aumento de arrecadação e privatização de todas as estatais, com destaque para a Eletrobrás, a Caixa e os Correios.

    Você começa seu comentário na condicional. Para mim é uma certeza absoluta. Só não podemos prever o que e quando vai acontecer.

    Mesmo que não haja intervenção militar, medidas autoritárias e intimidadoras serão uma constante nos próximos anos, devido ao grau de impopularidade e inação de qualquer governo que seja eleito agora. Não se pode descartar conflitos localizados e insuflados por grupos radicais pelo país.

    Um abraço!!!

  11. Parabéns para a esquerda brasileira que faz um incrível trabalho de marketing para Bolsonaro. Custo zero de campanha e garantia pro segundo turno ou quem sabe pra presidência. Parabéns esquerda.

  12. Prezado Hipólito Borges,

    Grato pelo comentário a mim endereçado diretamente.

    Continuo usando o condicional, se me permitires:

    Se o Brasil tiver essa situação ano que vem, depois do presidente eleito, com agravantes em segmentos vitais à nação e povo, e grupos se organizarem na tentativa de instabilizar o governo – na verdade o país -, afirmo que será mesmo o nosso fim!

    Não haverá exército que dará jeito em grupos que se organizarão pelo Brasil afora, roubando, incendiando, destruindo.

    A revolta será incontida, e levará de roldão uma população cansada de ser usada e explorada.

    Os militares usarão as suas armas e canhões contra o povo?!
    Duvido.

    E repetiremos Antônio Conselheiro, Lampião, lideres que surgirão do meio do povo querendo mudar, querendo acabar de vez com aqueles que nos transformaram numa praça de guerra, em um Vietnã sul-americano, onde os vietcongues lutavam contra os franceses e, depois de vencê-los, entre si, na disputa entre a implantação do comunismo e a manutenção do capitalismo, Sul contra o Norte ou vice-versa.

    Ou, então, resgataremos os horrores da guerra civil espanhola entre nacionalistas e republicanos, onde se confrontavam até mesmo os familiares!

    Basta de se dar atenção ao mercado, à estrutura do país, de modo a continuar pagando os salários milionários dos Três Poderes!

    O momento é do povo, do país, do aposentado, das crianças com um ensino-educação muito melhor do que essa pantomima, dos doentes, dos desempregados, dos devedores!

    Fora desses perímetros, o próximo governo não vingará, e viveremos de crise em crise, até o nosso ocaso como Pátria, País, Nação e Estado!

    Abração.

    • Bendl e Hipólito

      Cada dia que começo este pensamento me vem assustar.
      Que pensa que eleições, no estado de coisas e de desorganização que vivemos, resolverá algo a curto ou médio prazo, deve comprar, URGENTEMENTE, materiais para anestesia geral. Não para acalmar o povo, mas para o povo dormir tranquilo.

      Nossa situação econômica-financeira está fora do controle, a produção caindo (em todos os setores), a divida interna no espaço e os servidores públicos, nos tres níveis, querendo aumento, mesmo que os serviços seja cada vez piores. E ainda tem a corrupção, ainda distante do ideal, combate e controle, sem contar nos legislativos (tres níveis) sob o comando dos mesmos e nas mãos de uma maioria insensível, comprometida com elites e corruptos.

      O presidente terá de ser inteligente, competente, líder, nacionalista e visionário. Conhecem algum candidato assim?

      Amigos, estamos ferrados de alto a baixo, da frente aos fundos.

      Pessimista? Não. Só fazendo a leitura das coisas.

      Abraço e saúde a ambos.

      Fallavena

      • Tens plena razão, Fallavena, em estares apreensivo.

        Não há mais como reverter a situação como está.

        Temos de começar de novo, que significa mandar às favas o sistema e os Três Poderes, e reorganizar o país.

        Não é por nada que o comunismo conseguiu ser implantado em nações onde a aristocracia e as elites os destruíram.
        No entanto, o erro clamoroso do regime foi transformar o povo em escravos, impedindo o ir e vir, matando quem se colocava contra o comandante ou a sua administração, e deixando o país mais pobre do que antes.

        A compensação para a pobreza era de que o rico não mais existia, pois o pensamento formado era o abastado ser culpado pela miséria, então a sua penalização com a perda de seus bens, e ele experimentar uma vida de carências como a maioria!

        Menos, evidentemente, os chefes do partido e da Nomenklatura, que viviam nababescamente bem.

        Pois já nos encontramos nesse patamar, apesar de anunciarmos que somos um país democrata, que somente interessa a uns e outros.

        Enquanto o povo empobrece a cada dia, as castas enriquecem cada vez mais, além de se concederem aumentos salariais ilegais, indevidos e imorais!

        A massa está pronta para uma guerra civil, basta bater e botar fermento para crescer!

        Abração.

      • Bom Dia Fallavena e Bendl,

        O que todos queremos aqui é a verdade.

        Não queremos ser iludidos.

        Nesse momento a eleição interessa aos partidos e aos políticos, não à sociedade.

        O que vai acontecer depois? O aprofundamento das medidas atuais?

        Não é preciso ser genial para saber que ninguém reverterá a crise com uma canetada.

        Abraços a vocês.

  13. O PDT, copiando Lula e o PT, pretende vender uma imagem e um comportamento que Ciro não tem.

    Ou seja, mais um “Ciro paz e amor”. Quem sabe engana os coitadinhos, manipuláveis e sofredores petistas. Eles entendem da coisa.

    Se eu entendesse que Ciro é uma saída confiável e razoável para o país, preferiria que mostrasse como é e como quer governar.

    No fundo, o PDT quer vender gato por lebre, lobo com pele de cordeiro.

    E como muitos eleitores são idiotas mesmo …

    Fallavena

  14. O problema de Ciro se cura numa “Clinica de Recuperação” , ou Interna definitivamente, seria um castigo muito grande para o país destruído por Lula e Dilma, depois termos que aguentar Ciro ou Marina. Se isso acontecer, temos que internar o povo todo que votou nessas lástimas de seres humanos, se ainda podemos chamar esses esquerdopatas contumazes de “humanos” !!!!

  15. O que mais vejo aqui é gente sensata à beira do desespero. Menos ruim para mim, que pelo menos descobri que tenho companhia. Cheguei a pensar que estava ficando gagá ao tentar achar uma solução democrática para o País e chegar à conclusão, por diversas vezes, que uma intervenção militar é o único caminho – não o melhor, mas o único -, em função da absoluta falta das qualidades mais básicas e elementares em qualquer um dos candidatos à Presidência que ora se tem à disposição.

    Faltando 81 dias para as eleições, o quadro é trágico. É muito pouco tempo até para um milagre, já que nem santos disponíveis para tal nós temos.

    O último a sair, apaga a luz.

    PS: Um abraço, Bendl.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *