Com Lula na frente, o PT encara com cautela a ideia de mudar regra do impeachment

TRIBUNA DA INTERNET | CPI, manifestações e recuo do Centrão podem elevar o  risco do impeachment de Bolsonaro

Charge do Son Salvador (Estado de Minas)

Deu na Coluna do Estadão

A ideia de utilizar a CPI da Covid para propor mudanças no instrumento do impeachment preocupa o PT, ainda sequelado pelo processo que tirou Dilma Rousseff do Planalto. Em privado, o partido analisa com enorme cautela a ideia porque sabe que hoje ela serve para desgastar Jair Bolsonaro, mas, lá na frente, pode ser usada contra Lula, líder nas pesquisas de intenção de voto.

Justamente por isso, governistas ouvidos pela Coluna acreditam que a ideia de mudar a lei não irá adiante e servirá só para dar palanque à cúpula da comissão do Senado.

CALOR DO DEBATE – Em privado, líderes do Legislativo comparam a proposta de mudar a lei do impeachment à famosa novela da “prisão após condenação em segunda instância”, que, sob o calor da Lava Jato, virou o País de cabeça para baixo, incluindo o STF.

A proposta, encampada por Renan Calheiros (MDB-AL), estabelece tempo mínimo para o presidente da Câmara analisar denúncias oriundas da CPI.

MAIS DEPENDENTE – Se o prazo não for cumprido, caberá ao plenário decidir. A mudança na lei depende de aprovação no Congresso.

Se a proposta de mudança na lei não preocupa o Planalto, a aliança da CPI com o grupo de juristas encabeçado por Miguel Reale Júnior, sim. Um relatório final da comissão robusto e embasado poderá deixar Bolsonaro ainda mais dependente de Arthur Lira e de Augusto Aras.

O presidente da CPI, Omar Aziz, escolheu a Constituição para celebrar o Dia Internacional da Democracia: “Procurei alguns livros pra indicar, porém nenhum supera as regras que definem os rumos da nossa nação. Fomos forjados por homens que enxergavam um Brasil grande e de futuro brilhante”.

NOVOS PROTESTOS –  A discussão sobre aderir aos atos de 2 de outubro contra Bolsonaro, convocados pelo PT e grupos de esquerda, pôs organizadores dos protestos de 12 de setembro para experimentar o “outro lado” do que foi o dilema de petistas sobre estar ou não na rua no domingo passado.

MBL e Vem Pra Rua ainda não bateram o martelo, mas internamente a avaliação é de que não está nem um pouco perto um trégua com o PT a ponto de deixar de lado as rivalidades em prol da união contra o presidente.

Integrantes do MBL minimizam as prováveis críticas de que a união contra Jair Bolsonaro só valeria se fosse em ato organizado por eles. Ao desacreditar o protesto do último domingo, petistas fizeram a mesma coisa.

6 thoughts on “Com Lula na frente, o PT encara com cautela a ideia de mudar regra do impeachment

  1. O BRASIL É MAIOR, mais sábio, mais desprendido, mais inteligente e mais evoluído do que essas muxibas que as ditaduras partidária, militar, sindical, midiática, econômica e afin$, teimam em nos impor via golpes e via eleições como nosso presidente e nossos representantes, salvo exceções. Na real o Brasil somos nós, povo brasileiro, mas o fato é que, sob o aspecto político, o Brasil está parecendo um troço gigantesco boiando n’ água, olhando para as 7 ditaduras donas da república dos me$mo$ (partidária, militar, sindical, midiática, econômica, criminal e miliciana), que o dominam e manipulam, sob a batuta do militarismo e do partidarismo, politiqueiro$, e seus tentáculos, velhaco$, esperando o que vai acontecer dentro das “quatro linhas” do tudo e do nada que podem acontecer. Bolsonaro, por sua vez, tb sob o aspecto político, afeiçoa-se a um troço esquisito tipo metade para dentro e metade para fora sem que o intestino tenha força suficiente para expulsá-lo ou recolhê-lo, para evitar o mal-estar geral. Daí ele olha para o Judiciário, que olha para ele, que olha para o congresso, que olha pra ele, e fica tudo assim um olhando para o outro, um esperando o xeque-mate do outro para aplicar o seu próprio xeque-mate, com o troço mor boiando, e só não afunda porque o velho mar de lama do Getúlio Vargas enrijeceu. E AS PESQUISAS DO CONTINUÍSMO DA MESMICE DO SISTEMA 171, O QUE SÃO E O QUE DIZEM ? As pesquisas das ditaduras partidária, midiática e afin$, mancomunadas, são “genocidas”, porque fechando uma questão que tem que permanecer aberta até julho do ano que vem, 2022, pelo menos, estão matando dezenas e até centenas de candidaturas muitíssimo melhores do que as impostas pelas ditas-cujas, à moda atentado contra a Democracia, campanha suja e antecipa, e ninguém fala nada, nem o TSE. Que país e que gente são essas, Renato Russo ? Na época da famigerada ditadura, da qual todos morríamos de medo, era uma droga, mas a bandidagem não era tão despudorada e nem tão explícita. Os candidatos eram escolhidos em convenções abertas, disputadas, democraticamente, no voto, tinha até observador da Justiça Eleitoral para conferir a lisura da disputa. Agora os donos de partidos, ou seus sócios, se jogam como candidatos, ditatorialmente, quando tem alguma disputa é só de fachada, tipo cartas marcadas, as tais pesquisas não tem critérios de escolha de possíveis candidatos, põe na lista de presidenciáveis só os nomes dos seus cupinchas, com outros nomes que não tem condições de atrapalhá-los, tudo armação, e a mídia dos me$mo$ se presta a repetir à exaustão a lista imposta pelos me$mo$, a moda lavagem cerebral nazifascista, dia e noite, e ninguém faz nada, ninguém entre ele$, os donos da mídia, não chamam a essa safadeza de atentado contra a Democracia, porque está sendo praticado por ele$, a favor da cupinchada dos me$mo$. E o pior de tudo é que tudo pode ser realmente diferente disso tudo que ai está há 131 anos, a população não precisa, não pode e nem deve ficar a vida inteira refém e à mercê de apenas duas opções políticas: ditadura militar, ou democracia partidária (que tb é ditadura), até porque agora temos a terceira via de verdade, tal seja a Democracia Direta com Meritocracia, acoplada ao megaprojeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. http://www.tribunadainternet.com.br/metade-dos-brasileiros-ainda-acha-que-ha-chance-de-bolsonaro-dar-golpe-de-estado/?fbclid=IwAR0ivBqVr9HhlqRYq-eX8i-WKTZ-ubTuPXCgnxl3sQwv5YX4a9ux2R7rAl0

  2. Impeachment sem crime é golpe.
    Bolsonaro sempre foi incompetente, fracassou em dois casamentos, fracassou no exército, mas foi eleito, tem mandato e não cometeu nenhum crime de fato. Crime real.
    Impeachment não deram certo com Collor e com Dilma. Golpes só pioram.
    O povo tem que aprender a votar.

  3. O não impedimento do presidente Bolsonaro , vulgo mito, é essencial para o PT, posto que, a eleição do Lula ladrão depende muito do degaste do presidente. Se for impichado( o presidente) , Lula ladrão corre o perigo de não ganhar .

  4. A grandeza e o futuro brilhante aos quais se refere o corrupto Omar Aziz foi forjado nas suas inocentes brincadeiras com as manauaras de 13 aninhos. Um sujeito asqueroso endeusado por uma imprensa totalmente prostituída.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *