Com Mendonça, pastores querem unir Cristo, Tibério, Pilatos e Herodes Antipas

Pastores intercedem por Mendonça, “terrivelmente evangélico”

Pedro do Coutto

Pastores que lideram redutos eleitorais, acentuando suas condições de evangélicos, iniciaram uma ofensiva junto aos senadores no sentido da aprovação de André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal como propõe o presidente Jair Bolsonaro. Os pastores políticos empenham-se, assim, por uma tentativa de unir figuras tão diferentes como as que separam Jesus Cristo do imperador Tibério, do governador Pôncio Pilatos, indicado pelos romanos, e Herodes Antipas, governador da Judeia, que dividia o palco dos acontecimentos com o procônsul Pôncio Pilatos.

Jesus Cristo nasceu 45 anos após a morte de Júlio César, apunhalado ao sair do senado romano. Jesus Cristo nasceu quando Augusto era imperador de Roma e morreu 33 anos depois, no tempo do imperador Tibério. Roma invadira a Judeia e ocupou o país. Impôs Pôncio Pilatos como governador, mas havia a questão religiosa. Indicou também o governador judeu, Herodes Antipas, filho do rei Herodes, que já havia caminhado para uma eternidade que não o recomenda como exemplo.

AVALISTAS – Os pastores que controlam redutos eleitorais afirmam-se como líderes evangélicos que endossam a indicação de Mendonça. São protestantes, de fato, o que melhor define a condição evangélica, pois os evangélicos são todos os cristãos que seguem o Novo Testamento e os evangelhos de Mateus, Marcos, João e Lucas. Mas essa é outra questão.

Os pastores que professam a religião na Igreja Universal ou nos templos mais próximos a Edir Macedo mobilizaram-se para que o Senado aprove Mendonça, segundo Bolsonaro, “terrivelmente evangélico”. Mas Mendonça enfrenta resistências. Um dos focos tem como protagonista Davi Alcolumbre, presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).  O senador Omar Aziz, presidente da CPI da Pandemia, também se opõe ao nome indicado pelo presidente da República. Há resistências, inclusive porque, quando ministro da Justiça, Mendonça processou jornalistas e políticos por questões de opiniões.

De qualquer forma, o pastor Silas Malafaia cobra o apoio de Omar Aziz, que o conhece pessoalmente, lembrando surpreendentemente que a sua corrente possui mais de um milhão de membros da Assembleia de Deus no Amazonas. No caso, a cobrança acompanha uma ameaça nas urnas.

RESISTÊNCIAS – O líder da Igreja Sara Nossa Terra, Robson Rodovalho, também coloca a questão de apoio e de votos em contato com vários parlamentares na mesma linha de Silas Malafaia. Por seu turno, o presidente da chamada bancada evangélica na Câmara, deputado federal Cezinha de Madureira, procurou minimizar as resistências no Senado e disse que o fato de Alcolumbre não querer receber Mendonça era por estar ocupado no momento da solicitação. Cezinha de Madureira disse que conta com o apoio de senadores e senadoras e que trabalhará por mais votos favoráveis.

Bernardo Mello, O Globo desta quarta-feira, sustenta que, o que não deixa de ser uma surpresa, o senador Flávio Bolsonaro ainda não se manifestou favoravelmente a André Mendonça. A reportagem relaciona todos os posicionamentos de Mendonça quando ministro da Justiça e depois como advogado-geral da União. São posições fortemente conservadoras. Aliás, na minha opinião, a religião não é fator a ser acrescentado a quem é indicado para o STF. Estranho também o fato de Silas Malafaia e Robson Rodovalho terem lembrado que comandam bases eleitorais.

O título deste artigo relembra o meu livro “Cristo, o maior dissidente da História”. Dissidente do judaísmo e a maior figura da humanidade. Inclusive porque Jesus Cristo crucificado por Roma estabeleceu um corte na história, dividiu o tempo entre antes e depois Dele. Esta divisão é seguida por todas as demais religiões, nelas se incluindo a judaica, o islamismo e o budismo, para citar algumas que convergem para o encontro com Deus. A exemplo do pintor Michelangelo, na Capela Sistina, na imagem eterna de Deus estendendo a mão para tocar a de Adão e a de Adão estendendo-se para tocar a de Deus.

ELETROBRAS – Reportagem de Daniel Gullino, O Globo, revela que na noite da última terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro sancionou com vetos a Medida Provisória aprovada pelo Congresso, viabilizando a privatização da Eletrobras. Ela será privatizada através de aumento de capital com a colocação de ações na Bovespa. Todo o processo está previsto para ser implantado no primeiro bimestre de 2022.

O texto original da MP foi elaborado pelo ministro Paulo Guedes. Entre um dos pontos vetados encontra-se o artigo que proibia por 10 anos a extinção ou incorporação de Furnas, da Chesf, da EletroNorte e EletroSul que compõem o universo da produção de energia elétrica no país. Destaque para Furnas, responsável por 19% do abastecimento e 20% da transmissão da energia gerada por Itaipu. São assim 39% do mercado.

Ao que se refere à privatização através da compra de ações na Bovespa fica claro que não existe concretamente injeção de capital porque as ações são de propriedade das empresas que as adquiriram e que podem negociá-las a qualquer momento. O Ministério da Economia considera a operação necessária para que se realizem flexibilizações societárias.

APROVEITAMENTO – Outro ponto vetado foi o que permitia que empregados que vierem a ser demitidos no primeiro ano após a privatização deveriam ser aproveitados em outras estatais. A explicação foi de que violaria o princípio do concurso público e criaria incentivos indesejados. Falso.

Muitos dos funcionários de Furnas, da Chesf, da EletroNorte e EletroSul já foram admitidos através de concursos e outros são bastante anteriores à Constituição de 1988, admitidos dessa forma pela CLT. Aliás, a CLT é o regime aplicado a todos os empregados da Eletrobras. Há dirigentes da holding que ocupam cargos comissionados.

Completando o cardápio de vetos, acrescenta-se aquele que veta a obrigação de licença ambiental para a construção de linhas de transmissão, a exemplo do trecho Manaus-Boa Vista. A dispensa de licença ambiental abre caminho, como ficou patente na administração Ricardo Salles, a empreendimentos que se encontrem incluídos em áreas nas quais vierem a ser implantadas linhas de transmissão. Grande parte das obras previstas nos últimos cinco anos não foram realizadas, prevalecendo ou uma questão de falta de recursos financeiros ou de pura e simples inércia e incompetência.

REFORMA TRIBUTÁRIA – O relator da reforma tributária na Câmara Federal, deputado Celso Sabino, incluiu em seu relatório a extinção do vale-alimentação que as empresas, inclusive as estatais, destinam aos seus empregados.

A Associação Brasileiras de Empresas de Benefícios ao Trabalhador, entre as quais a Sodexo, Ticket e Alelo já começaram a protestar, mas na minha opinião, o protesto maior será o dos próprios trabalhadores pela perda de um direito instituído em uma lei de 1976. Existem dois tipos de vale, o que é aceito pelos restaurantes e o que permite a aquisição de produtos nos supermercados. É incrível que um deputado possa ter uma iniciativa dessa ordem.

MEIO AMBIENTE –  Renato Grandelle, O Globo, é o autor de uma reportagem, edição de ontem, revelando para perplexidade geral que o Ibama no momento só conta com 27% do número de servidores necessário para fiscalizar o desmatamento, a grilagem e os incêndios provocados na região amazônica e no Pantanal de Mato grosso.

Para Denis Rivas, presidente da Associação Nacional dos Servidores da Carreira de Especialista em Meio Ambiente (Ascema), a um processo de desmonte do Ibama e do crescimento do enorme abate de árvores cujos troncos são negociados tanto no Brasil quanto através de exportações para outros países.

RACISMO – Torcedores ingleses inconformados com a derrota na final da Eurocopa para a Itália, em um atentado social, fixaram cartazes e fizeram caminhadas pelas ruas de Londres culpando Rashford, Sancho e Saka como responsáveis pela derrota do país.

O grande culpado da derrota foi o treinador inglês que colocou Rashford, Sancho e Saka em campo no final da prorrogação com a tarefa de bater os pênaltis. Um erro foi observado também por William Bonner no final do JN de segunda-feira. Os três atletas estavam frios, distantes do ritmo da partida. Por ação tácita foi atribuída a eles uma missão que abalaria o sistema nervoso de qualquer um. Foi o que aconteceu. Se parte da torcida inglesa desejava culpar alguém, que culpasse o técnico e não os atletas.

21 thoughts on “Com Mendonça, pastores querem unir Cristo, Tibério, Pilatos e Herodes Antipas

  1. Como a imprensa é discriminatória, não consegue aceitar os cristão evangélicos .

    O que deveria ser exaltado , essa qualidade, já que Jesus Cristo sempre ensinou amar o próximo.

    Para a imprensa a fé em Deus criador é motivo desabonador .

    Essa mesma imprensa exalta um bandido que está solto por filigranas jurídicas , e ressaltar que não o inocentou ….

    Quem vc acha q é melhor para o Brasil ?

    • Meu caro, respeito a sua crença. Entretanto não é qualificação para ser juiz do STF ser ou ter sido pastor. Precisamos de juizes com sabedoria e boa formação ( o tal pastor se formou em Bauru e fez mestrado em Catalunha!). Give me a break.

    • Bagaçado,

      Dizem que não se discute religião, mas podemos debater o modo como se professa a religião escolhida.

      Os evangélicos NÃO SÃO COMO DIZES:
      Eles não amam o próximo, e são causadores de discórdias e separações entre a população.

      Exemplos?
      Detestam o Espiritismo, culpando essa crença pelos males da pessoa;
      Detestam a imagem do Papa. A IURD tem um jornal que só não chama o Papa de santo porque não quer. No mais, é como se o chefe da Igreja Católica Apostólica Romana fosse o anticristo;
      Somente quem é evangélico será abençoado ou alvo de “milagres”;
      Pregam abertamente a prosperidade como sinal que Deus “abençoou” aquela pessoa;
      Mais se utilizam do Velho Testamento em suas pregações, que o uso do Novo Testamento, mais adequado e competente para o culto do Cristianismo.

      Por último, o fanatismo, o radicalismo religioso em termos de vestes e cabelos, doações à igreja, obrigatoriedade do dízimo, dependência permanente de orientações por parte dos “lideres” religiosos.

      O neopentecostalismo retrocede no tempo;
      Reduz propositadamente o fiel a pensar sobre Deus:
      se existe ou não;
      se interfere na vida da pessoa ou não;
      se pune o pecador com o fogo do inferno ou não;
      a pantomima de pastores e bispos saírem falando “línguas” estranhas – Pentecostes -, como se o mesmo episódio narrado no Novo Testamento estivesse acontecendo naquele momento!

      Afora os milagres:
      – Eu tinha dores nas costas. Depois que o senhor, pastor, rezou, elas desapareceram;
      – Meu dedo não dobrava, agora sim;
      – Eu não podia caminhar. Agora corro até na São Silvestre;
      – A minha cabeça não parava de doer, Bastou eu entrar na igreja que ela sumiu.

      Enfim, o milagre necessário, que seria mudar o pensamento, ampliar a visão, entender a humanidade unida e não dividida por Deus – absurdo! -, coloca essas seitas em patamares questionáveis sobre religiosidade, comportamento e filosofia.

      Até pelo fato do enriquecimento dos donos de cada igreja que, além de enganarem incultos e incautos, e explorara a crendice alheia, ainda sonegam impostos e pedem perdão pelas dívidas que deixaram para trás, pelo fato de terem usado as doações para seus proveitos pessoais!

      • Eles não amam o próximo, e são causadores de discórdias e separações entre a população.

        Perfeito, acertou em cheio, não tem condições de “bater” papo com essa turminha extremista-fanática.
        Quando percebo que a pessoa é talebanjega saio imediatamente , vapt-vupt..

        • O erro crasso das religiões foi ter colocado o aspecto da “salvação” como obediência absoluta aos preceitos estabelecidos pela igreja ou pastores ou bispos ou missionários ou apóstolos ou estelionatários …

          Uma dessa rígidas normas é que o fiel não seja amigo ou mantenha relações sociais com quem não for da sua religião.
          O evangélico é o puro, aquele que já se “salvou”.
          De cada 10 palavras que pronuncia, 11 se referem a Deus.

          Quem cultua as demais religiões é um ímpio, tomado pelo “demônio”, cujo castigo será o fogo eterno.

          Pois é nesta ameaça de punição, que incultos e incautos, analfabetos absolutos e funcionais, inclusive gente com curso superior, porém receosos, aceitam e cumprem com as determinações impostas.

          Pascal, (1623-1662), trouxe uma proposta argumentativa de filosofia apologética criada pelo filósofo, matemático e físico francês do século XVII Blaise Pascal.

          Ela postula que há mais a ser ganho pela suposição da existência de Deus do que pela não existência de Deus, que uma pessoa racional deveria viver a sua vida de acordo com a perspectiva de que Deus existe, mesmo que seja impossível para a razão nos afirmar tal possibilidade.

          Pascal formula esta aposta de um ponto de vista cristão, e foi publicado na seção 233 do seu livro póstumo Pensées (Pensamentos).
          Historicamente, foi um trabalho pioneiro no campo da teoria das probabilidades, marcou o primeiro uso formal da teoria da decisão, e antecipou filosofias futuras como o existencialismo, pragmatismo e voluntarismo.

          Este argumento tem o formato que se segue:
          se acreditar em Deus e estiver certo, terei um ganho infinito;
          se acreditar em Deus e estiver errado, terei uma perda finita;
          se não acreditar em Deus e estiver certo, terei um ganho finito;
          se não acreditar em Deus e estiver errado, terei uma perda infinita.

          Um dos argumentos desta aposta se estabelece no Apelo ao Medo!

    • (…) Há resistências, inclusive porque, quando ministro da Justiça, Mendonça processou jornalistas e políticos por questões de opiniões (…).

      Mentira deslavada do Coutto. Será que nem fica corado? Parce que não sabe ou não quer distinguir crime de opinião de outros.

      Pura má fé!

  2. Foi Jesus Cristo que separou a Sua Igreja da política afirmando : “Daí a Cezar o que é de Cezar….”
    O Papa Paulo VI emitiu uma bula proibindo aos cléricos (bispos, cardeais, arcebisbos, padres, etc) de exercerem cargos públicos bem como usar o púlpito com fins políticos.
    O uso das igrejas protestantes mais uma vez se desviam dos ensinamentos do Mestre.

  3. Nunca se falou tanto no/em nome de Deus

    … e se vive tão pouco os ensinamentos do Cristo.

    Sepulcros caiados, cegos guiando cegos, adoradores de Mamon.

    Trocando em miúdos:

    narco-evangélicos.

  4. Encaminhamo-nos céleres para um estado teocrático.
    Mais um pouco e estaremos elegendo aiatolás.

    O crescimento das neopentecostais não se resume em fieis. Hoje frequentam os três poderes com participações efetivas, dominando gradativamente a vida nacional e do povo.

    Pois esse tipo de mistura entre o profano e o sagrado, ocasionará no futuro a própria implosão religiosa.
    Jesus expulsou os vendilhões do templo porque fizeram do ambiente religioso um balcão comercial.
    Pois a bancada evangélica no congresso age desta forma, negociando seus interesses e conveniências, onde a presença de Deus neste momento é deixada de lado, é suspensa, não é solicitada.

    Pois, agora, o loby é para que haja um ministro “terrivelmente evangélico” no STF.
    Nunes Marques, que falsificou o seu curriculum vitae, Mendonça, radical religioso … Bolsonaro ou debocha escandalosamente do Supremo ou não lhe interessa um tribunal que julgue as questões constitucionais, mas formar uma equipe de pessoas que vão lhe ser agradecidas eternamente.
    O problema é o retrocesso que se verifica com esses dois personagens escolhidos pelo presidente.

    Questões polêmicas que deveriam avançar, seguirão sendo julgadas com bases que não se coadunam com a época e com os anseios da sociedade.
    Colocar no Supremo uma pessoa com convicções que existem demônios, castigo divino, bênçãos especiais, pessoas protegidas por Deus, milagres diários nos locais denominados de templos … trata-se de um retorno ao pensamento medieval.
    Nessas alturas, poderemos ter sentenças condenatórias porque o réu é ateu ou politeísta ou muçulmano ou espírita!

    Um dos temas complexos, por exemplo, seria o aborto, que precisa ser decidido ou ter a definição pelo STF se continuará sendo crime, punindo a mulher como tem sido, porém deixando o outro responsável, o pai, imune e isento desta ilicitude.
    Esta questão precisa ser encarada sem cinismos e hipocrisias, principalmente se o aspecto religioso perdurar sobre a vida da mulher, que precisando se desfazer do filho indesejado recorre a meios que colocam a sua vida em risco.

    O modo secular de se levar adiante a falsa religiosidade com também a falsa política utilizada, tal maneira entrará em desgaste mais cedo do que esperam, pois religião e política não andam como paralelos.
    Em um momento as linhas se cruzam, então vão se romper inexoravelmente.

    Nesse meio tempo, a visão jurídica, que deveria avançar, retornará ao pensamento ultrapassado, arcaico, pois magistrados serão terrivelmente … fanáticos religiosos ou políticos!

    Em outras palavras:
    Teremos a Inquisição Evangélica, em pleno século XXI.
    Resta escolher quem será o nosso Torquemada:
    Malafaia, Edir Macedo, RR Soares, Valdemiro ou o próprio Bolsonaro.

    • “Bolsonaro ou debocha escandalosamente do Supremo ou não lhe interessa um tribunal que julgue as questões constitucionais, mas formar uma equipe de pessoas que vão lhe ser agradecidas eternamente.
      O problema é o retrocesso que se verifica com esses dois personagens escolhidos pelo presidente.

      Questões polêmicas que deveriam avançar, seguirão sendo julgadas”. Por favor. Quais os togados atuais que não são comunistas, realizam seu papéis constitucional e invadem os outros poderes com prometendo o tal estado de direito? Quanta hipocrisia!

      • Não te conheço, Sandra Mari, e tu também não sabes quem sou, para postares que sou hipócrita!

        Eu teria todo o direito de te chamar de idiota e imbecil, pois a pergunta que me fizeste foi ridícula:
        “Quais são os togados atuais que não são comunistas …?

        A tua questão não só não tem conotação com o tema, como ainda se mostra capciosa e mal intencionada.

        Pois existem ministros muito bons no STF, para teu desespero:
        Fux e Barroso honram as togas que vestem, inclusive Marco Aurélio, que está se aposentando.

        Não sei se os demais são comunistas ou tu assim os classificas sem maiores fundamentos, mais pelo fato de que és uma seguidora de Bolsonaro, que pela certeza da tua afirmação.

        Quanto aos dois escolhidos por Bolsonaro, prefiro um comunista íntegro, honesto, isento e imparcial, que um falso democrata, pseudo cristão, moralista de cuecas, tendencioso, imoral e antiético.
        Ou, por acaso, Nunes Marques é um ministro exemplar?
        Ou, sabe-se lá, como será a atuação de Mendonça como terrivelmente evangélico, sendo outro magistrado sem o conhecimento necessário da Constituição, e conduta duvidosa pelo seu radicalismo religioso??

        Te orienta, Sandra, antes de atacares quem não conheces!

  5. Ter apenas 27% dos servidores necessários para fiscalizar o desmatamento chega a ser uma piada. Só pode acontecer num país presidido por uma débil mental totalmente desprovido de inteligência, como é o nosso caso. E o pior é que tem gente ignorante e mais doente do que ele para apoia-lo.

  6. E o STF continua na mesma direção: espaço para colocar amigos e defensores pessoais. E a sociedade é que paga. E paga por que é burra, descuidada, ingénua, omissa e irresponsável. Tem outros adjetivos, mas a maioria não merece, mesmo que sendo depreciativos.
    A cada governo, porque a constituição assim manda (feita pelos mesmo que se beneficiarão), o alcaide de plantão nomeia seus apaniguados! E fica por isto mesmo. Quanto mais jovem, mais ganhará e mais demora para sair.
    O caso presente, demonstra como as pessoas acreditam em idiotices. “Indicarei um ministro terrivelmente evangélico”.
    É uma enorme bobagem, que mistura coisas tão diferentes!
    Ministro que deve praticar a justiça criada por quem? Pela raça humana! A não ser que se sinta indicado por Deus. Gente assim, jamais deveria ser visto como “ministro de Deus”.
    Mas o “Minto” usa Deus para enganar os trouxas! Chegará a hora de prestar contas. A nós, em 2022. Já à Deus, só Deus sabe!
    Só por isto, não deveria merecer a aprovação do senado.
    Fallavena

  7. Fallavena, meu caro,

    Se o congresso hoje é sinônimo de corrupção, o STF é sinônimo de desonestidade!

    A escolha por parte do presidente da República de ministros para os tribunais superiores, classifica a Alta Corte como altamente duvidosa quanto às suas sentenças.

    Não há como o apadrinhado deixar de ter o compromisso da gratidão e o vínculo político com quem o nomeou.
    Logo, a composição de “magistrados” se torna um misto pessoal e partidário, que tem sido levado à risca no Brasil.

    O caso recente de Lula é o acontecimento que irá macular a imagem do STF até o fim dos tempos.
    Prevaleceram a obrigação do reconhecimento pela função conduzida, e a inquestionável falta de isenção e de imparcialidade, onde foi enaltecido o caráter deletério de alguns ministros.

    Agora, Bolsonaro impõe uma nova opção para o Supremo:
    do quanto pior, melhor.

    Nunes Marques deveria ter sido impedido pelo senado mas, os senadores também têm seus preços, logo, o falsificador de currículo foi “aprovado”.

    Mendonça foi escolhido.
    Terrivelmente evangélico, ou seja, o lado religioso irá preponderar sobre suas sentenças, e Bolsonaro será sempre considerado um mensageiro “divino”.

    O STF está se transformando em um lupanar de ideias;
    um bacanal de decisões, pois se salientam aquelas que estupram as leis, que cospem na cara da Constituição;
    um prostíbulo de indivíduos que se ajoelham perante homens corruptos e desonestos;
    palco de demonstrações legítimas de prostituição mental e profissional!

    Abração.
    Saúde e paz.

  8. Serie Os Lagostas (1ª Temporada)

    Andre Mendonça, Protestante
    Nunes Marques, Católico
    Luis Fux, Judeu
    Luis Barroso, LGBT+ e Espiritismo (João de Deus)
    Gilmar Mendes, PSDB
    Alexandre de Moraes, Adv do PCC
    Diaz Tofolli, PT e Amigo do Amigo de Meu Pai
    Edison Fachin, LGBT+ e MST
    Rosa Weber, Comunista
    Lewandowisky, PT e transgressor de Clausula Pétrea
    Carmen Lucia, NNC (Não Fede Nem Cheira)

Deixe um comentário para Eliel Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *