Com ofensas e ironias, Bolsonaro ataca a Zona Franca e recebe pronta resposta de Aziz e Braga

Omar Aziz colocou Bolsonaro no seu devido lugar

Vicente Limongi Netto

Decididamente, Bolsonaro é o fim da picada. Prossegue desfiando o desalinhado, patético, mesquinho e irresponsável rosário de insultos, ódios e destemperos antidemocráticos e vulgares. Diariamente o mito de meia pataca se supera em declarações infames. Mostra que não tem postura nem compostura para exercer a chefia da nação.

O desespero corrói a alma, o coração e os neurônios do presidente. Nessa linha, agora mira seu inacreditável arsenal de ameaças, torpezas, canalhices e indignidades contra o modelo econômico vitorioso da zona franca de Manaus.

IRONIAS E AMEAÇAS – Emenda constitucional aprovada e promulgada validou a zona franca até 2073. No entanto, Bolsonaro dirigiu-se com ironias, insinuando ameaças a zona franca e aos senadores do Amazonas, Omar Aziz e Eduardo Braga, presidente e membro titular da CPI da Pandemia.

Tentou intimidar e esmorecer o trabalho isento e vigilante dos dois parlamentares, mas Aziz e Braga repudiaram as sandices e porra-louquices do destrambelhado presidente.

Em política vale tudo. De chute na virilha a juras de amor que acabem em casamentos. Contanto que renda votos. Só não pode perder. O animal político é insaciável. 

DE HOJE PARA AMANHÃ – Duros adversários de ontem podem vir a ser aliados de amanhã. Às favas, escrúpulos e más recordações, recheadas de mútuas acusações. Arquivos e vídeos não mentem. Mas o cinismo embrulhado em busca do poder, supera tudo.  Muitas vezes os arranca-rabos entre políticos não livram nem a cara das mães. Coitadas.

Nesse sentido, Lula reuniu-se com Fernando Henrique Cardoso. Na casa do ministro aposentado do STF e ex-ministro da Defesa, Nelson Jobim. Profissionais civilizados. As orelhas de Bolsonaro estão pegando fogo. A demanda do ex-presidente e sociólogo tucano será ampla e poderosa.

COSTURAS FUTURAS – Da cartola do encontro entre o calejado trio pode-se prever costuras futuras. Lula na rinha presidencial com vice do PSDB, não se descarta o nome do próprio FHC, e Nelson Jobim para ministro da Justiça.

O fato indiscutível é que a conversa existiu. Negar a validade do encontro é amadorismo politico.  O estrilo é livre. As críticas aos dois prosseguirão fortes. Bolsonaro deu chances aos desafetos e adversários se unirem contra ele. Aguente o tranco. Apenas xingar, tática do presidente, é colossal desatino.

MANUAL DE REDAÇÃO – Por fim, pedi a meu amigo Heraldo Pereira  que alerte o barbudo Bonner (JN de sexta-feira, 21/5) que Nelson Jobim não é “ex-ministro” do STF, mas, sim, “ministro aposentado” da Suprema Corte.

É de pasmar, com uma equipe de dezenas de profissionais, Bonner não pode nem deve passar informações equivocadas para o telespectador.

Diga a ele, craque Heraldo, que no STF não existe a figura de ex-ministro. É ministro da ativa ou ministro aposentado. São aposentados, por exemplo, Gracie, Jobim, Veloso, Barbosa, Pertence, Sanches e Brito. Todos, aliás, continuam recebendo salários.  Ex-ministro não recebe salários.

11 thoughts on “Com ofensas e ironias, Bolsonaro ataca a Zona Franca e recebe pronta resposta de Aziz e Braga

  1. Estimado CN, ligeiro reparo: emendas constitucionais, após aprovadas em rito próprio, não são “sancionadas”, mas promulgadas pela Mesa do Congresso Nacional. Óbvio que o Sr. Limongi sabe. Abs

  2. Infelizmente Pindorama abriga pessoas como este presidente aloprado e gente como este Wilian Boner, dois imbecis que não pensam antes de dizerem as idiotices que dizem todos os dias. Será que um dia Deus, que graças a Deus ainda se mostra brasileiro vai nos presentear com um chefe do Executivo que mereça este nome?

  3. Vivo escrevendo aqui na TI: Bolsonaro não sobrevive sem estar no meio de um barraco. É aquele bad boy que procura encrenca. Adora fazer isso. Acha se brilhante. Quanto mais baixaria melhor.

    • Vicente Limongi tem carradas de razão. É um desserviço ao Brasil, as críticas a Zona França de Manaus, ainda mais, vindas da autoridade máxima da nação.
      O extremo norte está abandonado, entregues a própria sorte, vide a crise da falta de oxigênio e o ataque de bandidos travestidos de garimpeiros ilegais, contrabandos as de ouro e pedras preciosas, madeireiros destruidores das florestas, matadores e exterminadores de índios e grileiros que estão desmatando indiscriminadamente, para pasto e plantação de soja.
      O desastre anunciado já se faz presente no Sudeste e no Sul: Secas monstruosas. Vai aumentar a Luz dos brasileiros e a temperatura tende a subir um pouco mais. Se na Linha do Equador ( Estados nordestinos) atingir 50 graus, será um morticinio do Meio Ambiente. A região virará um Deserto. E como ficará a vida dos brasileiros, que moram na região.
      Respeitar a Amazônia é respeitar o Brasil e o mundo.
      Um abraço Limongi.

  4. Realmente o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal,Nelson Jobim ostenta um robusto currículo: foi deputado federal pelo Rio Grande do Sul e Ministro da Justiça, entre 1995 e 1997, do governo de Fernando Henrique Cardoso. Nomeado por este, foi Ministro do Supremo Tribunal Federal de 1997 a 2006, sendo presidente da Corte de 2004 a 2006. Foi,também,ministro da Defesa no governo do ex-presidente Lula.
    Desde de julho de 2016, faz parte do Conselho de Administração do banco BTG Pactual, como sócio e membro..Em abril de 2018, assumiu como presidente do Conselho de Administração do banco, além de ficar responsável pelas Relações Institucionais e Políticas de Compliance.
    Quando de sua entrada no Conselho, o chairman à época, Pérsio Arida, afirmou:“A vinda do ministro Nelson Jobim é mais um importante passo em direção ao aprimoramento da gestão do BTG Pactual. Sua notável trajetória, experiência e conhecimento contribuirão para aperfeiçoar ainda mais a governança do banco”.
    Como se vê é um EX-MINISTRO,com uma rica trajetória de vida!
    Palmas para o EX-MINISTRO Nelson Jobim…

  5. Werneck, até você? Seguramente não leu meu artigo todo. Jobim é ministro aposentado do STF e não ex-ministro, como desinformou Bonner, no Jornal Nacional.

    • Quanta bobagem amigo.
      Ex-presidentes da República,também, recebem salários.
      Seriam eles,presidentes da República,aposentados?
      Grande abraço e um excelente final de domingo.Espero que não me considere ex-amigo,ou pior ainda “amigo aposentado…

  6. Bobagem tua, Werneck. Não escrevo para ganhar elogios. Focalizei apenas o ponto de praticamente todos os jornais e jornalistas, no caso o Bonner, chamando Jobim de ex-ministro, quando na verdade é ministro aposentado. existe uma diferença imensa entre ser ex e aposentado. Não falei de ex-presidentes, se ganham salários ou não. Muito menos fiz blague em torno disso. Se não conheço determinado assunto, pergunto para quem sabe ou recorro ao google.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *