Com sua alegria de viver, Rolando Boldrin segue sempre em frente – ele, a viola e Deus

Boldrin, sempre de bem com todos, de bem com a vida…

Paulo Peres
Poemas & Canções

O ator, cantor, poeta, contador de causos, radialista, apresentador de televisão e compositor paulista Rolando Boldrin, na letra de “Eu, a Viola e Deus”, explica sua iniciativa para reencontrar um amor, embora a hora desta partida seja dolorida.

EU, A VIOLA E DEUS
(Rolando Boldrin)

Eu vim-me embora
E na hora cantou um passarinho
Porque eu vim sozinho
Eu, a viola e Deus

Vim parando assustado, espantado
Com as pedras do caminho
Cheguei bem cedinho
A viola, eu e Deus

Esperando encontrar o amor
Que é das velhas toadas canções
Feito as modas da gente cantar
Nas quebradas dos grandes sertões

A poeira do velho estradão
Deixou marcas no meu coração
E nas palmas da mão e do pé
Os catiras de uma mulher, ei…

Essa hora da gente ir-se embora é doída
Como é dolorida,
Eu, a viola e Deus

4 thoughts on “Com sua alegria de viver, Rolando Boldrin segue sempre em frente – ele, a viola e Deus

  1. Pois é, o senhor um dia veio
    De modo a escutar os passarinho
    Hoje no entanto com tanto pranto
    O melhor é sair logo e de fininho

    Por todo canto a coisa tá feia:
    A amazônia desmatada
    As cidades viraram lixo
    Bandidos roubam e matam
    Vivem como fossem bichos

    Falo sério, é só sofrimento
    Tá na hora de dar um basta
    Já não há nem alimento
    E o povo foi dividido em castas:
    de pobres, de ricos e de políticos!

    Êta meu Deus, cadê dá minha viola?

  2. Os filoneístas, ultramodernos ou uptodates arrotam: hitech, hitech, hitech! Envaidecidos e deleitados com tudo que cheira “ex machina”, os bacanas forçam para se livrar logo da roupagem de mortais, a fim de se metamorfosear como cyborgs; as vantagens são inimagináveis.
    A VINGANÇA CAIPIRA: De que vale, neste instante, você fazer uma transferência financeira pro Japão, na ponta do dedo e à velocidade da luz; se a razão de tudo isso é a sua vida? E, atualmente, não há dom mais ameaçado do que a própria VIDA. Ora, os motivos mortíferos são dezenas de vezes maiores, mais diversificados, tácitos e mais letais do que 60 anos atrás.
    Agora mesmo, os serviços de inteligência da Rússia e China descobriram, a um passo de suas fronteiras, na Ucrânia, 16 laboatórios estadunidenses, para produção de armas biológicas.
    Pense nisso: para desfrutar dessa maravilha de progresso, que tanto faz-nos julgarmos autossuficientes, a pré-condição e “sine qua non” é estar VIVO.
    Você já passou pelo teste do alfinete?

  3. Se o autor da obra fosse eu,
    E sei que não me darão bola,
    Terminaria o verso em outra ordem:
    Em vez de “Eu, a viola e Deus”.
    Diria: Eu, Deus, e a viola.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *